Opinião

Carta aberta a uma sociedade doente

Caro povo São-tomense. Meu Povo.
O que se passa?
Do tempo que me lembro não eras assim.
Das histórias que me contaram não eras assim.
Mas o que se passa meu povo?
Dos livros que li, não eras assim.
Embora ciente dos riscos e a exposição que corro vou-me arriscar a escrever-te esta carta.
Sim, falo de riscos, isto porque qualquer opinião que se tenha atualmente as pessoas assumem e leva logo para ataque pessoal.
Tenho evitado durante os últimos tempos escrever-te esta carta, mas, não resisto.

Estás doente e hoje, mais do que nunca, provaste isso.
Estás doente porque recusas a viver a verdadeira democracia no seu sentido mais lato, depois de décadas a viver em ditadura.

Estás doente porque és um cúmplice do que se tem passado no país à quatros décadas e ainda assim, se mantém no teu silêncio.

Estás doente porque passas o tempo a reclamar nos cafés e nas redes sociais, mas recusas a assumir essa posição publicamente fase os desertores da coisa pública.
Estás doente porque te preferes indignar com um árbitro que marcou mal um penalti, do que com aqueles que durante anos fecharam os olhos a corrupção.
Estás doente porque te concentras demasiado tempo a discutir Benfica, Porto, Sporting, do que se preocupar com um sistema de Saúde e Educação que nos últimos anos, esta em queda livre.

Estás doente porque alunas são abusadas nas escolas pelos seus professores e diretores, mas, tu não fazes nada.
Estás doente porque tribunal de contas faz auditorias, e tu tomando conhecimento não faz nada, isso que dizer que consentes.
Estás doente porque recusas a ter iniciativas e recolher assinaturas para petições e expulsar ou pedir demissão dos juízes, que tem matado o sistema de justiça, e passa à venera-los, “Senhor Doutor”.
Estás doente porque tens de esperar no início do ano lectivo para fazer documentos para teu filho, enquanto durante todo o ano passas o tempo na bebedeira.
Estás doente porque tu, só promoves festas e festas, incluindo festa no mato, e no campo.

Estás doente porque defende a corrupção, e exalta os corruptos.
Estás doente porque deixas-te perder os teus valores sociais e morais, cantas pela morte de uns, assobias e veneras outros, insultas o teu vizinho por não ser do teu clube ou do teu partido e deixas-te comandar por gente que apenas te quer confundir.
Em tempos invadiste a praça da Independência pelo fim do colonialismo português, pelo fim de muitas injustiças, mas agora fechaste-te em casa e na segurança do silêncio.

Estás doente porque não assumes a culpa. A culpa que partilhas com aqueles que tem desgraçado as nossas vidas e o nosso futuro colectivo.
Com esta carta, te peço uma revolução. Uma mudança de mentalidade.
Meu povo, cura-te.

Tenho Esperança no futuro!
Romilson Silveira

    4 comentários

4 comentários

  1. helmer dias

    9 de Agosto de 2019 as 8:19

    Bom dia meu jovem tens toda razão e assim deste pontape de saida,para que a consciença colectiva possa ser desperta.Tenho esperança em nós todos são tomenses.Obrigado pelo teu texto revejo em tudo que sentis e a doença que estamos a compadecer.Temos que rever a nossa mentalidade revolucionária.

  2. Pescado

    9 de Agosto de 2019 as 8:30

    Estas doente porque existem jovens como tu que cultiva dia apos dia ambição desmedida e anseio pelo poder sem antes ter bagagem.
    Tenho dito, partidos como teu o MLSTP, o PCD, o ADI, o MDFM, entre outas aberrações em forma de partido politico, devem ser EXTIRPADOS. Não apresentam alternativas para nada, alias a tendencia mundial vai mesmo neste sentido: a extinção das fações com discursos libertadores e vazios.
    Não se aceita que o Maykel Viegas faça o que faça na Segurança Social e ainda assim vêm pessoas a defende-lo, usou em seu beneficio para o seu beneficio isto é delapidamento da coisa pública. Muitos nomeados para cargos de diretores chumbam no Tribunal de Contas e ainda assim os seus partidos avançam com a nomeação, que indisciplina, pergunta ao Carlos Tiny se o Tribunal de Conta já aprovou a sua nomeação como Diretor do Instituto da Juventude!

  3. Libreville

    9 de Agosto de 2019 as 11:16

    Caro Romilson Silveira, o que se passa todos nos sabemos, temos que aceitar que a única forma que escolhemos para expressar o nosso descontentamento é escrever cartas e publicar nos jornais online, fazer artigos de opinião e estar nas redes sociais a insultar os dirigentes e outros gestores publico. Nunca assumimos na integra a melhor forma de congregar os mais afectados e os mais desfavorecidos a manifestar pelos seus direitos e na melhoria do estado que o País se encontra. Todos nos, os mais afectados e desfavorecidos filhos de São Tomé e Príncipe, temos que sair a rua para manifestar para impor aos nossos dirigentes o cumprimento das leis, impor aos nossas instituições a celeridade na resposta para os problemas que mais afecta a nossa sociedade. Temos que manifestar pela melhor qualidade de vida que todos têm direito, temos que manifestar para que haja justiço plena, temos que manifestar para o melhoramento dos serviços no sistema de saúde, temos que manifestar para melhorar a nossa educação, temos que manifestar para melhorar todos os sectores que afecta e prejudica directa ou indirectamente o dia a dia de cada cidadão.

  4. Edi Viegas

    10 de Agosto de 2019 as 2:08

    Reflexão pertinente meu caro Romilson. Está evidente o quanto a democracia está em pedaços, o quanto os pilares e a estrutura da nossa sociedade estão desmorronando, e o nível da queda livre do moralismo sócio-político, cultural, etc. Todos nós somos responsáveis pelas perdas e conquistas da nossa sociedade. Por isso, assumamos cada um de nós a nossa cota parte de responsabilidade e sejamos agentes da mudança que tanto queremos.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo