Opinião

Não temos só o COVID. Há outros vírus sociais que não desaparecem!!!!

Não temos só o COVID. Há outros vírus sociais que não desaparecem!!!!

O mundo está num alvoroço. Nações veem-se atordoadas com os efeitos da pandemia do COVID-19. O conhecimento científico sobre o vírus e as possibilidades de uma vacina, são ainda uma incógnita. As estatísticas, até ao minuto que levou a escrever este bocadinho, apontam para mais de 5 milhões de infectados e mais de 300 mil vidas humanas perdidas. Mas estes são só os grandes números. Aqueles que assustam pela sua magnitude e realismo.

Há outros números mais silenciosos cujos efeitos podem ser mais duradouros e fracturantes : a economia, o desemprego, o efeitos do tele-trabalho, a situação das famílias em confinamento, a capacidade do estado para prestar os serviços mínimos que permitam um país funcionar, a desigualdade social – e o modo como pandemia afecta determinados sectores da sociedade em relação aos outros, o efeito na educação, a logística alimentar, rendimentos, e aí por diante.

Portanto, estamos a viver uma emergência planetária. Até há uns meses, o que se discutia à escala planetária, eram as inevitáveis alterações climáticas. Agora é o COVID-19.

Os Estados, uns mais rápidos que que outros, foram ensaiando medidas, seguindo um protocolo mais ou menos consensual: adoptaram “estados de emergência”, restringiram-se liberdades e outros direitos, para proteger o bem maior, que são vidas humanas.

Com algumas excepções mais sui generis (Brasil e USA), a política e os políticos têm-se unido para – de modo nem sempre convergente na forma ou no modo de comunicar-, no essencial, para fazer face a situação.

Pois bem, no nosso São Tomé e Príncipe, nem uma pandemia parece lograr unir a nação. Já cansa!

Volta e meia, lá está mais um sinal de crise à espreita. Negatividades suplantam as positividades. Credo. Tudo isto entristece e cansa.

A avaliação sanitária do nosso país todos conhecemos. Não é assunto novo. As fragilidades económicas também todos conhecemos. Não é assunto novo.

Podíamos ter-nos preparado melhor? E em que medida? Não sei.

Afinal, as grandes nações mais poderosas do mundo, a própria OMS, foram fazendo zigue-zagues de gestão do problema.

Já tem sido dito também que a comunicação do Governo não vinha sendo eficaz. Parece-me consensual.

Quem tem estado sob escrutínio permanente por aquilo que fez e não resultou e tudo o mais poderia ter feito (insisto na questão da comunicação), é o Governo. Está sob fogo permanente. Assim tem de ser.

Até aí nada de extraordinário.

O que me tem intrigado é o papel do Presidente da República.

A razão é simples. Todos temos assistido na maior parte dos países, independentemente da natureza dos seus sistemas políticos, desenharem-se processos de parceria e articulação estreita entre o Presidente e o Governo. E até os partidos na oposição, temos visto fazerem tréguas temporárias. O que não significa dizer estão amordaçados na suas críticas e divergências. E ainda bem.

Tome-se o exemplo de Portugal, que tanto quanto li, está a ser motivo de estudo de caso em universidades de prestígio.

Ora, se o objectivo é o de mobilizar as forças políticas e dinâmicas da sociedade. O primeiro pilar de estabilidade é confiança. E normalmente o estreito diálogo e concertado entre o Presidente e o Governo, é a expressão visível desta confiança.

O nosso Presidente, parece-me distante, letárgico e pondo-se à margem do teatro das decisões. Está mais como um Avaliador da situação do que actor de relevância absoluta no terreno.

Não vejo que se seja este, o papel que se espera do Presidente da República em tempos de pandemia. O nosso Presidente é capaz de melhor do que isso. Eu tenho essa confiança na sua pessoa. Mas a percepção sobre a sua actuação tem ido no sentido diferente daquele que é exigido. Pelo menos, do meu ponto de vista.

Tanto é assim, que vozes vindas da própria estrutura da Presidência, como é o Chefe da Casa Civil, sugerem soluções que poriam em causa a actual estabilidade politico-constitucional (será este o termo correcto?). Como o respeito todo que me merece, ponho-me a imaginar se à sugestão de Governo de Unidade Nacional, pudéssemos juntar uma outra: de uma Presidência de Unidade Nacional. Qual seria a resposta?

Obviamente que não. Perdoem-me a caricatura.

Temos mesmo de fazer um esforço para sossegar os ânimos e voltamos todas as baterias para o combate a pandemia e os seus efeitos.

Uma nação não pode perder de vista o essencial e tomar consciência de que dias muito difíceis nos ESPREITAM. Temos de nos organizar para evitar o pior.

Vamos ser mais positivos, mais criativos e activos.

Um abraço de força a todos os profissionais de saúde e de todos as outras áreas que têm garantido o funcionamento dos serviços essenciais à nossa vida.

Uma palavra de pesar aos familiares das pessoas que acabaram falecendo. Força aos infectados. Cuidem-se e vamos vencer.

Abreijo

Luiselio Pinto

 

    26 comentários

26 comentários

  1. wxyz

    5 de Junho de 2020 as 12:29

    Outro mal é o MLSTP. Você vê exemplo de Aerton Rosário que nunca falou nada pra ajudar gente se Príncipe na assembleia mas agora está a atacar tó zé no perfil falso joão lomba pra ele n ser presidente republica. Mas ele esta com ódio pq ker ser presidente no Príncipe e filipe vai bater ele na eleição regional. Só sabe tocar lata na assembleia. Deputado fraco de MLSTP. Governo desornietado

    • STP

      5 de Junho de 2020 as 12:58

      Por acaso esse Aerton está desesperado. Quer ver intenções do gajo. Nunca levou um projeto de lei ao parlamento

      • Portugal

        5 de Junho de 2020 as 19:07

        Vocês tem que dizer to cassandra para ele sair dar lugar a meu amigo Filipe to cassandra está a dar volta ao meu amigo, se to cassandra não sair tenho grupo pagamos passagem vamos até lá no príncipe tirar ele a força como ele tirou senhor Zeferino

      • Edmilson

        6 de Junho de 2020 as 17:20

        Aerton é boa pessoa e pronto todo resto é inveja

        • Manuel

          7 de Junho de 2020 as 15:05

          Inveja? Ele que está sempre a dizer mentiras do Tózé e Felipe para criar ódio e inveja. Sempre a dizer que vai fazer possíveis para PM marcar eleições antecipadas. Triste pessoa

          • Catarina

            10 de Junho de 2020 as 20:39

            Se o deputado Aerton candidatar voto nele nem que for 1000 vezes não tenho queixa dele excelente pessoa

    • Teresa

      5 de Junho de 2020 as 13:50

      Até deputado já tem perfil falso, estamos fodidos neste país.

    • Membro fundador de umpp

      5 de Junho de 2020 as 19:03

      Deixa burice tó zé tem sair para filipe entrar deicha de fala nome das pessoas
      Eu sou do umpp estou farto de toze tem que sair dar lugar a Filipe. Agora é vez de filho de caboverdiano toze nao quer sair bandido umpp não coisa dele

    • Safu

      6 de Junho de 2020 as 21:23

      La vem mais um ideota,falas do perfil falso como se o teu fosse verdadeiro.
      Antes de acusar as pessoas te aconselho em primeiro lugar a melhorar tua redação. Em segundo lugar deixa de especular acusado pessoas inocente. É por essa razão que vocês da UMPP andam desorentado e, nem conseguem parar pra lefletir o quanto mal ja fizera as pessoas do Príncipe. Seu janota, es pago pra atacar as pessoas inocentes mas o teu chefe vai te descontar o salário porque andas a trabalhar muoto mal, pois nem escrever consegues e com vontade de querer fazer ataques. Palerma…

    • LPinto

      8 de Junho de 2020 as 14:27

      Meu caro, o artigo não trata do tema sobre qual levanta questões e por isso, não farei comentários. Abraço e cuide-se

  2. Praia Melão

    5 de Junho de 2020 as 13:29

    Mas quem é este Aerton que eu nuca ouvi falar? O que é que ele faz? É deputado do que partido?

    • Aldinha

      6 de Junho de 2020 as 17:18

      Aerton Rosário é uma pessoa que quando filho estava doente pagou passagem para meu filho e para min, se um dia ele candidatar não voto para UMPP voto para ele uma boca só ele ajudou é nunca ouvi ninguém a dizer que ele ajudou-me.

      Viva Sr deputado

      • deputado

        7 de Junho de 2020 as 15:08

        É um deputado da nação que ataca pessoas e cria ódio no perfil falso Joao Lomba. Sem vergonha

  3. quero ver

    5 de Junho de 2020 as 16:37

    Esses gajos de MLSTP n pretam. Dizem que se Tozé pedir demissao n vão dar posse ao novo líder de movimento. Triste pra juventude. E vao marcar eleições precipitadas? Acho que esse jovem com apoio de Tozé ganha 7 a zero. Conheço gente de Principe

  4. Antigo Deputado

    5 de Junho de 2020 as 18:47

    O país tem que melhorar os seus políticos e quadros da função pública, custe o que custar. Esta coisa de estar a escolher deputados sem capacidade só porque são amigos e de partido. Nem toda a gente pode ser deputado, ministro ou presidente. Temos de ter consciencia para aceitar isso. Uma pessoa como este senhor que tem perfil falso para andar a madizer de outras pessoas vai ser deputado porquê? Ele não stá em condições de ser deputado porque não reune condições e dá mau exemplo para a juventude. Estas pessoas todas tem de ser banidas da vida pública e recrutar jovens bem preparados e responsáveis. O país não pode estar sempre com estes burros na governação.

    • abc

      6 de Junho de 2020 as 10:50

      Estava num grupo com esse deputado Aerton e ele estava a falar mal do rapaz e depois gente me contou k ele quero apoio de mlstp pra candidatar. Nada contra isso mas n precisa atacar filhos da terra com perfil falso. Ele no parlamento nunca abriu boca pra defender Principe. Só um dia k ele estava a tocar lata la e com grito

      • Judite

        6 de Junho de 2020 as 17:11

        Tenho muito respeito pelo deputado Aerton Do Rosário, muito ajudou-me é boa pessoa vocês pode falar mal dele mas ele candidatar eu voto nele.

    • Como será

      6 de Junho de 2020 as 13:17

      Certo, nao se vai a deputado por influencia dos amigos e familias, o amigo acertou quando ,disse que a politica santomente precisa de injetar novo sangue, essa turma dos coruptos, maldosos de coracao feio, ja devem esta em casa, caso nao este pais entrara num colapso, chega de zombar com a cara do povo.

  5. Amadora

    5 de Junho de 2020 as 23:38

    Até dia 12 julho Tozé ñ sai gente tira ele a força tem sair agora é vez do jovem amigo Filipe

  6. Santomense

    6 de Junho de 2020 as 8:31

    Os comentários comprovam os males relatados pelo autor do artigo.
    Não há uma analise ao que foi escrito. Criaram já outro tema e vão se gladiando, disseminando ódios.
    Assim vai a nossa sociedade. 🙁

  7. Brito

    6 de Junho de 2020 as 9:00

    Já não me surpreendo com os artigos do autor, muito menos com a sagacidade que revela na forma como aborda os temas que escolhe. Se antes nunca lhe dei os parabéns, aproveito para o fazer agora. Muitos parabéns pela qualidade da escrita e pelos conteúdos.
    No artigo presente cumpre-me fazer uma pequena observação pois, no meu entendimento, a sua escrita não reflectiu os outros vícios sociais a que se refere no título deste artigo.
    O que faltou na escrita do autor, está por demais reflectido nos comentários que li acima que, tambem no meu entendimento, pouco ou nada têm a ver com o conteúdo do artigo a que se referem. Mas são o espelho de um dos maiores e piores vícios da sociedade de São Tomé e Príncipe: o uso e abuso de perfis falsos para trazer à praça pública mentiras ou verdades, seja sobre a vida privada seja sobre a vida pública da comunidade sãotomense. A razão aparente para este proliferar de perfis falsos pode ser a de os seus autores escaparem a eventuais queixas-crime de difamação. A razão profunda, mais grave, é a grande irresponsabilidade que estas pessoas demonstram, o total desrespeito pelos direitos e deveres de cidadania e o reles desinteresse pelas consequências da sua maledicência encapotada!! Infelizmente, ao que tudo indica, muitas destas pessoas que usam e abusam dos tais perfis falsos são ou foram governantes, outras ainda, aspiram a vir a sê-lo!!
    Bem mal estamos e estaremos, pois pelo presente que vivemos podemos aferir o que o futuro nos vai trazer!!

    • LPinto

      8 de Junho de 2020 as 14:34

      Caro Brito. Agradeço os seus comentários ao artigo. Não conheço os vícios todos nem tenho pretensão de os saber identificar todos. Aproveitei o momento do COVID para fazer uma abordagem sobre alguns ou a forma como alguns destes vícios se manifestam. Sobretudo ao nível da governação. Pode estar aí um bom desafio para si, escrever sobre aqueles que lhe tocam/preocupam mais. Acho que vale sempre a pena ouvir todas as ideias e opiniões. Abraço e cuide-se.

  8. Atento

    6 de Junho de 2020 as 11:25

    Até deputado com perfil falso nesse país. que país é este meu Deus?

  9. Dádiva

    6 de Junho de 2020 as 15:34

    Concordo com a sua opinião principalmente as últimas frases tais:Temos mesmo de fazer um esforço para sossegar os ânimos e voltamos todas as baterias para o combate a pandemia e os seus efeitos.

    Uma nação não pode perder de vista o essencial e tomar consciência de que dias muito difíceis nos ESPREITAM. Temos de nos organizar para evitar o pior.

    Vamos ser mais positivos, mais criativos e activos.

    Um abraço de força a todos os profissionais de saúde e de todos as outras áreas que têm garantido o funcionamento dos serviços essenciais à nossa vida.

    Uma palavra de pesar aos familiares das pessoas que acabaram falecendo. Força aos infectados. Cuidem-se e vamos vencer.” Penso que o coronavirus de outros países são inteligentes e atacaram também os dirigentes. Vê se empenhos dos mesmos que se sentiram na carne o que muitos sentiram, enquanto que coronavirus de São Tomé e Príncipe não atacou os dirigentes se não aposto que as atitudes e empenhos seriam diferentes. Não conseguem comprar nada para o país só esperam da oferta para tudo até para partilharem entre eles. Insensíveis,incapacidade de governar e falta de amor a Deus e a próximo, trocaram bem material com a Lei de Deus, egoísmo em excesso, insensíveis com a dor dos outros

    • LPinto

      8 de Junho de 2020 as 14:25

      Dádiva, obrigado por ter-se dado ao trabalho de comentar o artigo. Temos de dar a volta a situação. Fico a espera de ouvir/ler os seus pensamentos. abraço e cuide-se

  10. Safu

    7 de Junho de 2020 as 9:40

    A SOCIEDADE PRINCIPENSE É UM ENIGMA, UM POVO ALTAMENTE CONFUSO.

    Não se comprendem e nem se entendem.Como pode uma sociedade pensar que somos obrigado a ser permanentemente escravo do pensamentos aleios? Sera que nesta parcela do teritorio somos todos obrigado a pensar de acordo a orientação do Senhor To Ze Cassandra e quem não seguir a sua linha de pensamento será o mais idiota e não serve para fazer parte da linhagem do “Príncipe”?
    “Aquele que conquista um estado, querendo mante-lo seu, deve entender duas coisas:uma, em extinguir a linhagem do seu antigo Príncipe; a outra, em nao modificar nem as suas leis, nem os seus impostos.
    Nota-se claramente a instrumentalizacao deste povo, onde nao sao autônomos e entendem que todos devem permanecer no mesmo estado.
    O ódio, a furia, a ganância continua a segar este povo que sempre foi humilde até que chegou um senhor dos cabelos brancos para impor as regras. Aconselho este povo a estudar mais e deixar de odiar, pois, somos todos do Príncipe e temos todos mesmo direito conforme os principios estatuido na nossa reconstituição. Sou pela democracia, onde qualquer cidadão é livre de expor o seu pensamento político ideológico e tambem é livre em se posicionar para ocupar qualquer cargo político desde que o mesmo cumpra os requisitos emanado pela lei do Pais. Paremos com ofensas poque isso só nos faz de um povo cada vez mais idiota. É conveniente que despertemos das furias, da avareza e comessemos a dar lugar a sabedoria que fica muito melhor para o bem de toda a sociedade. Basta de ódio, estamos cansado. STOP, STOP, STOP odio.
    Um bem haja a todos que visitam o Tela Non.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo