Opinião

O Deputado Levy Nazaré – uma pedrada no charco…

A intervenção do Deputado Levy Nazaré no Parlamento aquando da discussão e aprovação do Orçamento Geral do Estado foi, na minha opinião, a mais substantiva intervenção que vi na casa parlamentar nos últimos tempos. Sei que muita gente não concorda comigo nessa afirmação, mas o facto é que Levy Nazaré vem lançar uma pedrada neste verdadeiro charco em que vivemos.

Com efeito, o que diz Nazaré? Disse que o país vai mal e que precisamos de parar para pensar esta nossa Nação, como, de resto, ele próprio diz ter feito ou vem fazendo. Diz que o país está dividido, fala mesmo de um “plano maquiavélico” para dividir o país em duas partes e que o vimos seguindo cegamente; que estamos a embarcar num caminho errado na forma de fazer política, um caminho de ódio, perseguição, seleção e afastamento, dentro e fora, pondo pessoas contra pessoas, famílias contra famílias, vizinhos contra vizinhos, colegas contra colegas, amigos contra amigos.

Diz que em todas as Instituições, Forças de segurança, Forças de defesa, todos os Tribunais, incluindo o Supremo, a Sociedade civil o país está dividido. Levi Nazaré que diz ter estado como Secretário Geral durante quase nove anos, exerceu e exerce funções relevantes no aparelho de estado, pelo que sabe do que fala. Se isso não é suficiente para nos deixar, no mínimo preocupados e pensar duas vezes no que ele diz…

Mas, de facto, e pergunto eu, quem discorda disso? Tenho conversado com imensa gente sobre a situação do país, a todos os níveis, e não encontrei uma só pessoa que me tenha dito que na sua opinião o país está bem. Concluo, portanto, que muitíssimo boa gente acredita que o país vai mal.

Um antigo Chefe de Estado, Manuel Pinto da Costa, num artigo publicado no Tela Non a 10 de julho do ano passado, disse e cito: “São Tomé e Príncipe encontra-se mergulhado numa profunda crise de múltiplas facetas, económica, política, social, cultural. Aquando do último Conselho de Estado, órgão de consulta do Presidente da República, foi dado a conhecer ao público, através da imprensa, que o Conselho constatou que, no geral, as instituições da República Democrática de São Tomé e Príncipe, funcionam com múltiplas deficiências graves.”

O Eng. Arlindo Bragança Gomes, num texto publicado no jornal Téla Non há semanas, dizia e cito As pessoas deixaram de ser vistas como cidadãos das Ilhas. São mais conhecidas e referidas como sendo do partido A, B ou C. O rótulo partidário passou a ser o bilhete de identidade do cidadão. E o vínculo partidário é mais forte que o de pertença à Nação santomense. É também mais forte que o de boa vizinhança, de colegas de trabalho, ou o de antigos companheiros da escola, do bairro, ou de futebol. Até irmãos e familiares mais próximos são divididos por querelas partidárias.”

Eu próprio, em artigos de opinião no Tela Non falei de vários aspetos em que o país vai mal, em particular falando da Justiça disse que “estamos a assistir à morte do nosso país sem que façamos tudo o que temos de fazer para o evitar” e apelei a toda a gente para pormos cobro a essa degradação do país.

Sendo assim, porquê crucificar Levy Nazaré, como algumas pessoas o pretendem fazer, quando ele disse o que toda a gente sabe ser verdade e foi reconhecido e afirmado pelas mais altas instituições e personalidades do país, incluindo o Presidente da República, o Presidente da Assembleia Nacional, o Primeiro Ministro, o Presidente do Tribunal Supremo e o Procurador Geral da República e vários Conselheiros reunidos em Conselho de Estado? Toda essa gente estaria errada? Estamos mais informados sobre a situação do país do que todas essas personalidades?

Levy Nazaré tem razão e concordo com ele. Claro que não estou de acordo com tudo o que ele diz e propõe, discordo mesmo dele em vários aspetos. Mas nem é preciso estarmos de acordo com tudo o que ele diz ou propõe. Pessoalmente não esperaria que ele apresentasse uma cartilha com todas as páginas do que temos que fazer de A a Z.

Ele faz um diagnóstico interessante da situação e propõe algumas soluções sendo a mais interessante a meu ver o fazermos uma “pausa para pensar a Nação” . Reconhece com humildade que cometeu erros e de forma astuta, cita o “seu velho amigo” que afinal é o Papa Francisco e pede perdão pelas suas falhas e omissões. Quem sou eu para recusar perdoar alguém que reconhece que errou? Quem somos nós para negar o perdão?

A aqueles que recusam o perdão apesar de se dizerem cristãos, lembro apenas a passagem bíblica no Monte das Oliveiras em que a Cristo foi trazida por escribas e fariseus a mulher apanhada em adultério, lembrando-lhe que pela lei ela deveria ser apedrejada. A resposta de Cristo foi: Aquele que dentre vós está sem pecado seja o primeiro a atirar a pedra contra ela… na sequência do que saíram todos um a um… Sabemos que no final Cristo, não vendo mais ninguém e ficando a sós com ela, perguntou-lhe onde estavam os seus acusadores… e disse-lhe: vai-te e não peques mais…

Ah! se todos os membros da nossa classe política fizessem o que fez o Deputado Levy Nazaré!…

Isso traz-me à mente a canção “Mon paysva mal” (O meu país vai mal) de um conhecido cantor da Costa do Marfim que vive exilado no Mali.

O meu país vai mal

“O país vai mal

Meu país vai mal

De mal a mal

Meu país vai mal

Antes não se falava em nortistas e sulistas

Mas hoje está tudo estragado

O exército está dividido

Os estudantes estão divididos

A sociedade está dividida

Mesmo as nossas mães no mercado estão divididas…”

Não lhe deram ouvidos… devem ter pensado: quem dá ouvidos a um “simples cantor”?

A consequência de não ouvir, não escutar e deixar apodrecer a situação foi uma guerra civil com o seu cortejo de milhares de mortes e … um país onde florescia uma dasmais prósperas economias da África subsaariana anda até hoje coxo com um nível elevadíssimo de instabilidade que origina mortes quase todos os dias.

É isso o que queremos para São Tomé e Príncipe? Não é mais fácil e mais racional fazermos as pazes entre nós?

Sim, foram cometidos erros e muitos deles graves, algumas muito graves mesmo, mas isso justifica mais e mais atentados contra a soberania deste povo?

O que ganhamos com a aplicação da lei de talião, do “olho por olho dente por dente”, senão mais divisão, mais ódio e um país adiado?

Um mecanismo do tipo CVR (Comissão da Verdade e Reconciliação) proposto à Africa do Sul por Nelson Mandela e que permitiu uma transição pacífica do regime do Apartheid para a Democracia naquele país não poderia ter lugar aqui em São Tomé e Príncipe. As contradições que nos separam são maiores do que as que separavam os negros da Africa do Sul ao Apartheid?

Deliberadamente não tentei analisar os detalhes da proposta do Levy Nazaré. Isso poderei fazer numa outra ocasião, se for o caso. O que pretendi foi apenas falar da legitimidade do seu posicionamento, da sua coragem ao trazer para o coração da democracia que é a casa parlamentar a sua opinião, de falar nesse púlpito de coisas que todos sabemos ser verdade, mas que, tal virgem púdica, pretendemos esconder de nós mesmos.

Temos que nos habituar a ouvir os outros, escutar e analisar e com atenção as ideias do outro.

É preciso coragem para fazer a paz pois muitas vezes fazer a guerra é mais fácil.

Que país queremos deixar aos nossos filhos, netos e bisnetos, este como está?

São Tomé, Janeiro de 2021.

Carlos Tiny

    15 comentários

15 comentários

  1. SANTOMÉ CU PLIXIMPE

    19 de Janeiro de 2021 as 15:02

    Obrigado … todos aplaudiram, concordamos provavelmente,, mas poucos estão dispostos a arrumar a casa,, STP precisa começar de zero ZERO…Uma nova estrutura….eu sempre defendi que nós precisamos mudar de paradigma…”xi cuá ná daná fa ê na ká cocetá fa”…Estamos errados e seguimos durante anos, muitos erros,……

  2. Arzemiro dos Prazeres

    19 de Janeiro de 2021 as 15:33

    Não tiro uma virgula e assino embaixo.

  3. Sem assunto

    19 de Janeiro de 2021 as 18:07

    Procure doentes e cure os, já que afirmas ser médico, vá às comunidades distantes e faça consultas de rotina gratuita, passe mais tempo consigo mesmo e com seus familiares e pessoas que o são próximas, deixe de politicas baratas, foi por vossa causa de “madôs” com o senhor que estamos aonde estamos. Deixe o povo de São Tomé e Príncipe em paz, este apelo é extensívo ao Pinto da Costa que ciclicamente vem aqui nos poluir com lixos em formas de artigos. Vão para raios que vos partam!
    Levy hoje é virtuoso e aplaudido, devem estar a brincar, vai fazer papel de Madalena arrependida noutra freguesia.

    • Seabra

      20 de Janeiro de 2021 as 21:16

      Sem Assunto, concordo e apoio sobre tudo que diz…muita verdade e muita coragem. Hã um grupinho de pessoas que se manifestam com artigos moralizadores ora que nunca fizeram de bom, de positivo para o povo e para o país STP…é brincadeira e direi que trata-se de DESCARAMENTO destes caras sem vergonha…os oportunistas, os interesseiros, os calculistas, cujos outros tantos oportunistas vêm a cargo para apoiar. Enfim, assim vai indo STP.

    • Lima

      21 de Janeiro de 2021 as 8:22

      E tu o que fazes?Quem es?Qual é a sua professa?Diga tambem menos asneiras.Estas influenciado por quem?Se puderes responda-me essas perguntas.Bom agora é verdade que ele no puder durante esse tempo todo o que fez?Mas nao impede que ele tenha hoje como uns certos esperemos essa tomada de consciencia.Em todo caso esperemos que seja verdade.
      O erro cometido hoje como hontem é confondirmos direito,democracia,liberdade tudo isso com aquilo que se chama falta de respeito,falta de educacao,inveja etc,etc.
      Entao caro, aceitemos as critas para podermos avancar,facamos autocriticas para que umas coisas possam estar de pe.Como nao quero estar na contradicao comigo mesma o senhor tem o seu ponto de vista e é assim.Fiquem bem,ajuda o seu pais a estar um pouco menos doente socialmente.Eu disse senhor mais tambem pode ser uma senhora,como nao sei entao desculpe se estou no erro,mais isso nao tem immortancia

  4. Vanplega

    19 de Janeiro de 2021 as 20:11

    È preciso o 1 Ministro, dar um burro na mesa e, correr com alguns acessores, principalmente dois.

    Rafael e o Posser

    Depois repensar as politicos para Sao Tome e Principe, se ele è verdadeiro forro.

    Levy, ate certo ponto tem razao, basta dar um volta a sociedade e ver

  5. João Leite

    20 de Janeiro de 2021 as 1:18

    É mesmo.
    Tudo isso é verdade mas também são palavras e essas o vento trata delas.
    O que o país precisa é ver bons exemplos e nesse capítulo, não temos feito grande(s) avanço(s).

    queremos ver ações práticas.

  6. ze Maria Cardoso

    20 de Janeiro de 2021 as 5:44

    Há precisamente oito anos atrás (a criança nascida estaria a escrever e ler redação) um cidadão comum nas brincadeiras com coesas sérias, espelhou o desnorte, a reflexão e o rumo que fui à descoberta para bater palmas às palmas de Carlos Tiny ao Levy Nazaré.
    O texto em causa “Eu sou deputado do povo” foi publicado no Tela Non no dia 07.01.2013.
    Bonzuano!

  7. antónio abreu

    20 de Janeiro de 2021 as 8:55

    O país ai mal e todos nós sabemos. A arrogância dos governantes é que conduzem o país ao abismo que tem estado a entrar todos os dias e ao longo de todos estes anos da independência do nosso país.
    Os ditos dirigentes o que fazem é dividir para melhor reinar. A justiça é a pedra angular desta divisão no nosso país. Tribunais todos com gente desonesta, Tribunais tanto supremo como constitucional transformado como sedes dos partidos, isto é, estão lá para defender o poder e os militantes e prejudicar os desconhecidos e em particular o povo.
    Dirigentes que quando estão no poder, veem que tudo está bem e quando saem do poder veem que tudo está mal.
    O próprio autor deste texto, senhor Tini, quando esteve como Ministro dos Negócios Estrangeiros, exerceu a função com toda a arrogância, criando no seio da instituição uma grande divisão e separatismo, prejudicando funcionários e responsáveis assíduos desta instituição, apenas porque não ia com a cara do mesmos. O Dr. Francisco Fernandes foi um destes que o senhor perseguiu e que nós todos na instituição ficamos extremamente revoltados.
    Por isso, faça como o Levy Nazaré, e peça desculpas a todos pela sua arrogância e prejuízo causado as pessoas na sua governação.
    Bem Haja STP

  8. Santomense

    20 de Janeiro de 2021 as 10:14

    Bom dia caros leitores,
    Não tiro nem uma vírgula como já havia dito o Sr Arzemiro dos Prazeres la no entanto somente gostaria de levantar uma preocupação.
    Como gosto q vezes assistir alguns vídeos no YouTube, deparei-me com um Médico brasileiro que se chama Lair Ribeiro e ali aprendi algo que póstera ser útil a muitos, pois partilho-o como aprendizagem mas também para fazer face ao minha preocupação sobre o artigo e as preocupações aqui partilhadas.
    O Dr Lair Ribeiro diz que para se tratar de uma doença tem-se que saber a causa da doença e ele deu um exemplo claro.
    Ele diz que muitas vezes tratamos o sintoma e não da doença ou a sua causa e como resultado a doença continua a progredir até a morte do paciente.
    O que gostaria aqui perguntar com está ilustração é o seguinte:

    1- Quando é que se instalou o ódio no País?
    2- Quem é, foi, são ou foram as pessoas ou a pessoa que o faz, fez ou fizeram?

    Obs* se tivermos estás respostas poderemos ter a solução para o problema.

    Obrigado,

    Que Deus abençoe São Tomé e Príncipe

  9. Auo

    20 de Janeiro de 2021 as 18:56

    Levy Nazaré deve pedir desculpas a Pinto da Costa e Gabriel Costa pelos insultos que proferiu contra os mesmos. Esse deputado também dividiu e contribuiu para dividir os são Tomenses com o seu chefe. Agora vem deitar lágrimas de crocodilo. Enfim…

  10. Arlindo Fernandes

    21 de Janeiro de 2021 as 12:57

    Na minha humilde opinião as pessoas devem deixar de insultar outras por coisas que já passaram. Águas passadas não movem o moinho. Quem discorda de que as pessoas estão seriamente divididas?. Devemos fazer o nosso melhor para revertermos a situação. Penso que cada um de nós deva emitir opiniões válidas sobre o que fazer para melhorar e não meter mais lenha na fogueira. As vezes eu chego mesmo a pensar: Aquelas que metem a lenha na fogueira são mesmo Santomense? Têm filhos aqui? Qual o verdadeiro objectivo dessas pessoas? Porquê que não usam o nome verdadeiro nos comentários? Vamos deixar os partidos e pensar em São Tomé e Príncipe.

  11. David Antonio

    21 de Janeiro de 2021 as 15:36

    É preciso repensar nosso São Tomé e Príncipe. Estive na nossa terra em dezembro ultimo e acompanhei de perto toda esse facto narrado por nosso compatriota Levy Nazaré. Os que semeiam odio e divisão estão lá, é preciso uma consensualização e terapia mental começando por eliminar da nossa gramatica “NÂO SABES QUEM SOU EU” a linguagem patética dos Fuji mores e companhias.

  12. José António

    22 de Janeiro de 2021 as 8:42

    Diga ao senhor Delfim Neves e o Ministro da Saúde para devolverem os 10 000 euros de renda de casa de um mês, do dinheiro posto a disposição do povo pelo Banco Mundial.
    Muito dinheiro tem estado a entrar e vocês estão a comer tudo desta forma, enquanto o Hospital não tem Raio X, não tem oxigénio, não tem paracetamol, casas de banho estão todas destruídas e vocês andam a brincar com dez mil euros do povo.
    LADRÕOOOOEEEESSS

  13. Pascoal Carvalho

    8 de Fevereiro de 2021 as 19:01

    Desde todos os tempos que o comportamento do Levy é de diversas interpretações.
    Impetuoso, arrogante, indisciplinado até mesmo soberbo. Tendo entrado em rota de colisão, tudo fica em 50/50. Tudo que fez, e que agora diz arrependido.
    Todos temos momentos de arrependimento e reconhecimento dos erros ou não. Cabe os atos justificarem as atitudes.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo