Jocy Barros novo talento a despoletar-se internacionalmente

Jocy Barros (Jó) é mais uma prova de que há qualidade futebolística em São Tomé e Príncipe. O avançado internacional são-tomense que joga no Pampilhosense, já leva este ano 14 golos em 17 jornadas a contar para a divisão de honra em Portugal.

Neste momento joga para pagar os estudos universitários, mas não descarta uma carreira futebolística a seguir sobretudo fora das terras lusas.

Jocy Barros ou simplesmente Jó, disse ao reporterstp, que durante a sua evolução no futebol português já surgiram alguns convites de fora.

“A minha vida em Portugal tem sido jogar para pagar as despesas da faculdade. Já tive algumas propostas para fora de Portugal, mas decidi ficar porque entendi que ainda não é altura”, explicou.

Cerca de 22 vezes internacional são-tomense desde as camadas jovens, Jó agora a militar no Pampilhosense, não perdeu a esperança de explodir na carreira. Nesta época tem sido titular indiscutível e já leva 14 golos em 17 jornadas da divisão de honra portuguesa.

“Quero acabar a minha licenciatura e depois tentar um contrato fora de Portugal. De preferência França ou Inglaterra, porque para além do futebol terei a vantagem de aprender ou aperfeiçoar o meu francês ou inglês”, assegurou.

Em Portugal, já atuou em clubes como Carapinheirense, Oliveira do Hospital, Pedroguense, Figueiró dos Vinhos, Sporting de Pombal e atualmente o Pampilhosense, todos de escalões inferiores, mas isso não diminui em nada a vontade de vencer do avançado são-tomense.

“Vou levar sempre comigo o nome de São Tomé e Príncipe pelo mundo do futebol por onde passar. Deixo aqui uma forte palavra de encorajamento a todos aqueles que estão em São Tomé e que acreditam no futebol profissional”, afirmou.

O jogador registou o recente sucesso de outro são-tomense Luis Leal nas terras lusas, mas ainda assim tem outros ídolos.

“Jairson Semedo e o nosso falecido que  Deus o tenha, Niriquison de Bombom que chegou a jogar no Progresso de Samisanga em Angola”, garantiu

Formado pelo mister Gustavo Clemente na escola do Ribóque da capital, hoje escola de futebol de São Tomé e Príncipe, Jocy Barros (Jó) é bem conhecido dos adeptos riboquinos que já o acompanharam em diversos triunfos. É claramente mais uma prova do talento futebolístico das ilhas.

“Quantos aos sonhos,…todo pode ser possível, basta trabalhar e acreditar”, concluiu.

Brany Cunha Lisboa

  1. img
    Eu também sou filho da terra Responder

    Há que reunir e estimular os nossos atletas talentosos dentro e fora do país de modo a obtermos bons resultados nas competições internacionais. O Comité Olímpico Santomense ainda nada nos disse sobre os resultados da participação de STP nos terceiros jogos da lusofonia realizados em Goa (Índia). Era bom que o Téla Nón informasse os seus leitores sobre o assunto. Aguardamos.

  2. img
    ze miranda Responder

    Eu cheguei a carregar o Jó nos braços num jogo em que o meu riboque estava a perder e ele quando entra faz um bis e a euforia era tanta que nós os adeptos invadimos o recinto de jogo, se por acaso lembrares de quando foi isto ja sabes que sou eu… abraços puto você merece, sou da ilha do principe, o riboqui tinha o Jó, Nu alicate, Ibraimo, Kilson, Leston e muitos outros miudo do mister gustavo a que haver incentivo n´s estamos a ver hoje atletas de Cabo-verde da Guiné bissau em campionatos profissionais mais evoluido nos clubes grandes de Portugal, e nó també podemos ascender a esta categoria basta acreditar e fazer trabalho de casa…

  3. img
    carlos Responder

    tas de parabèns agora é hora de os nosso dirigente desportivo começar a ver os nossos talentos,naõ deixar de maõs abanar para q o miudo possa disencaminhar,, como um dos nosso jogador que eu ,neste ano tinha tudo confirmado para vir jogar no petro de luanda ,e disse q naõ poderia sair porq wua wue
    wua wue perdeu a grande oportunidades,e o miudo joga na equipa da UDRA UM TAL DE BANA

  4. img
    norberto Responder

    Temos Que apostar no nossos jovens

Deixe um comentario

*