Desporto

UDRA Campeão Nacional de Futebol

UDRA de Angolares, sagou-se esta quarta-feira o campeão nacional de futebol 11, pela primeira vez na sua história, ao vencer o Porto Real por 1×0, com o tento de Agi.

Termina bem, quando acaba bem, foi assim que terminou o filme do Campeonato Nacional 2014, entre o Porto Real (Príncipe) e a UDRA de Angolares (São Tomé), com vantagem para esta última, que que venceu esta quarta-feira por 1×0, conseguindo de igual modo anular a desvantagens de 2×1, trazida do embate da primeira mão, no Estádio Regional 13 de Junho, no último sábado.

Após o apito final do juiz da partida, os jogadores da UDRA e os seus simpatizantes puseram a festejar, algo que casou muito espanto no seio de alguns dos presentes.
antónioMas, como estamos aqui para informar e tirar duvidas, vamos esclarecer este embaraço.

De informar que numa final a duas, um golo fora, vale por 2.

Nesta vertente, a UDRA levou a vantagem, porque conseguiu apontar um golo no terreno do seu adversário, que por sua vez ficou em branco no confronto da segunda mão no sintético do Estádio Nacional 12 de Julho.

Sem mais voltas, vamos falar do embate desta quarta-feira, que começou com a saudação do presidente da Federação Santomense de Futebol, Idalécio Pachire, e o Ministro da Juventude e Desporto, Marcelino Leal, aos artistas deste filme.

Após a saudação, os 22 jogadores, mais quarteto de arbitragem se posicionaram para o começo do filme, cada um com a sua missão, a UDRA para virar o jogo, o Porto Real para conservar a vantagem do primeiro jogo, e os árbitros para manterem a ordem.

Após o apito inicial do juiz do embate, a UDRA carregou no acelerador e partiu contudo para cima do Porto Real, que viu a sua rede a ser balançada logo a abrir o pano, aos 2 minutos, por suspeito de costume, Agi, que fez explodir de alegria, milhares de Angolares que puxaram pela turma sulista durante os 90 minutos, porque sabiam que este tento poderia ser capital para as contas finais.

Depois de entrar praticamente a perder, e de ver a sua vantagem anulada, o Porto Real, teve que correr atras do prejuízo, mas os seus avançados não estiveram a altura de uma Grande Final, porque desperdiçaram muitos golos, chegando mesmo a falhar uma grande penalidade, mas, com o mérito para o guarda-redes Dungue, que esteve intransponível.

O tempo complementar não trouxe nada de novo para este filme, porque continuamos a assistir um Porto Real sem ideias no ataque, e uma UDRA certeira na defesa, conservando de igual modo o seu golo madrugador, que veria valer o título Nacional pela primeira vez na sua história.

De salientar que milhares de pessoas que deslocaram ao Nacional 12 de Julho, assistiram uma partida pobre, que valeu apenas por pé do Agi e mão de Dungue.

Com este triunfo, a UDRA entra no lote das equipas que já conquistaram o Campeonato Nacional.

De sublinhar que a UDRA não tem muito tempo para festejar este feito, porque terá que está a 100% até o próximo domingo, dia em que jogará a Grande Final da Taça de São Tomé e Príncipe, diante do Sporting Clube do Príncipe.

Para finalizar, vamos apresentar o quadro das equipas que já venceram o Campeonato Nacional:

Clube IlhaVez
Sporting Praia CruzSão Tomé6
Vitória RiboqueSão Tomé5
GD Os OperáriosPríncipe4
Inter BombomSão Tomé3
Desportivo de GuadalupeSão Tomé2
SportingPríncipe2
Caixão GrandeSão Tomé2
AndorinhasSão Tomé1
SantanaSão Tomé1
6 de SetembroSão Tomé1
GD SundyPríncipe1
UDRA de AngolaresSão Tomé1

 

Gil Vaz

 

    5 comentários

5 comentários

  1. principe primeiro

    18 de Dezembro de 2014 as 7:59

    Gil de realçar que um golo fora nunca vele dois, mais sim existe a vantagem de eu marcar em tua casa e tu n marcares em minha casa… ou seja a UDRA marcou no principe, o jogo foi 2-1 e a Porto Real não marcou no estadio 12 de julho por isso existe esta vantagem de golo fora…. bem haja viva o desporto

  2. Porto Real

    18 de Dezembro de 2014 as 10:53

    De salientar que UDRA não jogou absolutamente nada, o Porto Real do Príncipe sim. Tenho muito odeio de Vocês de Santomé que tem mania de se sentir mais importante que gente do Príncipe, vamos ver as coisas pela logica. Quando é que UDRA mereceu Ganhar este jogo? Em primeiro lugar só aqui o campeonato se desputa duas mãos, alias como vocês já não ganhavam, com o poder que esta centrado na capital, resolveram alterar apena para uma mão. Mas Deus é pai e não padrasto, um dia ainda estaremos distantes de vcs, cada um no seu quadrados…vigarista esse povo mau e orgulhoso que não quer ver principe a subsair…odeio voces até o dia da minha morte….

    • Pico Papagaio

      19 de Dezembro de 2014 as 7:10

      Caro Porto Real, no futebol todos nao podemos canhar e devemos aceitar com desportivimo o resultado de cada partida, no entanto fica-lhe mal o sentimento de rancor e ódio transportado para um relvado que se quer com Fair Play. Há mais vida para além de Futebol e para o ano haverá mais. Obg

  3. Lioterio Carvalho

    18 de Dezembro de 2014 as 16:54

    Parabens ao corpo directivo do clube;
    Parabens aos atletas;
    Parabens a Caué
    Katambe onde quer que estejas, receba esta prenda de NATAL que os atletas se esforçaram pra te dar.

  4. Mateus 7:7

    19 de Dezembro de 2014 as 9:23

    Sr. Porto Real; só quem não estava a assistir está partida do futebol é que diz estas coisas. Todo mundo viu que era bem claro 14 contra 11 de UDRA. Isto é, os 2 juiz de linha e o arbitro foram também jogadores do Porto Real. Se Deus tivesse contra UDRA, ela não ganharia este jogo do jeito como decorreu. Até inventaram penalti mas Deus defendeu. O que é teu Porto Real, nenhum bicho. Não odeia os de S.Tomé porque ainda Somos Todos Parentes (STP).

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo