2015 recebeu de 2014 indicadores macroeconómicos históricos

A Governadora do Banco Central Maria do Carmo Trovoada, reuniu-se com o Primeiro-ministro Patrice Trovoada, no último dia de 2014, para anunciar o registo macroeconómico histórico alcançado por São Tomé e Príncipe. «O nível da inflação que registamos este ano, é de 6%. É um dado histórico. Também em termos de suporte ao regime de paridade cambial fixa temos reservas cambias, também muito razoáveis que nos deixam tranquilos», afirmou a Governadora do Banco Central, após encontro com o Chefe do Governo.

Segundo Maria do Carmo Trovoada, o nível mínimo de reservas cambias exigido a um país, é o capaz de garantir 3 meses de importação de bens e serviços. Em 2014 São Tomé e Príncipe registou um nível de reservas cambias que garante a importação de bens e serviços para um período de cerca de 6 meses.

Um sucesso macroeconómico no entanto, ainda não se reflecte de forma clara na melhoria das condições de vida das populações. «Isto não quer dizer que a situação esteja boa. É preciso que estando o quadro macro-económico aceitável, é preciso que ao nível do sector real da economia, haja um crescimento que seja inclusivo, que crie empregos e rendimentos para as pessoas. É este o grande desafio que a nossa economia tem pela frente», explicou Maria do Carmo Trovoada.

2014 transferiu para 2015, êxitos na política macro-económica, que segundo a Governadora do Banco Central deverão ser mantidos no novo ano.

Abel Veiga

 

 

Notícias relacionadas

  1. img
    dar a César o que é de cesar Responder

    E dar a Deus o que é de Deus.
    isto deve-se ao desempenho do Governo de Gabriel Costa.
    Que digam o que quiserem os hipócritas dizerem mais a verdade é esta . e tenho dúvidas pelo sucesso da manutenção por parte deste governo de Patrice Trovoada. não tenho,nada contra o ADI nem contra PATRICE. Mais ,escrevam será assim. O PIOR. não é ser pessimista.

  2. img
    Belíssima Responder

    Hihihihi… Em 2015 com arroz a 13 contos a inflação vai baixar mais..

  3. img
    José Jango Responder

    Anunciar indicadores macro-económicos históricos e depois falar, apenas, da taxa de inflação e da reserva cambial revela uma falta de copentencia preocupante, ou da parte do jornalista que transcreveu a mensagem da governadora, ou, mais grave ainda, da própria governadora..
    A nao ser que estejamos mesmo muito mas muito mal economicamente, nao vejo razoes para nao falar, por exemplo, da taxa de desemprego, da evolução do PIB e das suas componentes…

    Para além disso a simples afirmação de que a taxa de inflação foi de 6%, em 2014, nao significa absolutamente nada se nao sabemos qual foi o valor da mesma pelo menos no ano anterior…

  4. img
    Barão de Água Izé Responder

    Alguém poderia pensar que os tais 6 meses dariam para construção de um novo hospital; energia eléctrica sempre a funcionar, etc…
    Mas a base é para importações. Não deveria ser para apoiar as exportações? Não estará tudo ao contrário fazendo que a pobreza se mantenha?
    Bons resultados contabilísticos da Macro economia, sem alterações visíveis na vida do povo
    são propriamente resultados encorajadores.

  5. img
    Miná Di poblî Responder

    Tristeza, será que é crime,dizer aqui que esses índice da econômica podem sers todos maquiados(só para não perder a esmolado FMI), Ou crime seria, anunciar esses números que em nada muda na vida da população?
    Enfim, referindo, Triste, somos só 180 mil, abençoados com um bom clima,e relativamente um vasto território, acredito que se apostamos na agricultura, pesca e turismo sustentável melhoraria muito a economia.
    Outra tristeza, Deus pai santo Tomé poderoso que nos livra dessa.Pois do jeito que STP escrever crescente, com essa desigualdade social extremo,vejo repetir o grande mal de algumas cidades Africana e América latina, onde a insegurança toma conta do cidade.
    Enfim. ..

Deixe um comentario

*