Destaques

Príncipe vai ter 5 barragens mini-hídricas  

No quadro do projecto de adaptação às mudanças climáticas, o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento, vai financiar a construção de 5 barragens mini-hídricas na Região Autónoma do Príncipe. Anúncio feito pelo Presidente do Governo Regional José Cassandra.

Na presença do representante do PNUD no país, José Salema, que organizou na ilha do Príncipe as celebrações do dia das Nações Unidas, José Cassandra, garantiu que as obras de construção das mini – hídricas deverão iniciar em 2015.

Seis milhões de dólares para construção de 5 mini-hídricas na região autónoma do Príncipe.  Com financiamento do PNUD anunciou to José Cassandra. «O financiamento total com apoio das nações unidas no valor de 6 milhões de dólares. Um projecto a ser lançado no próximo ano 2015, para dentro de 5 anos termos aqui na ilha do Príncipe em pleno funcionamento 5 mini – hídricas», declarou o Presidente do Governo Regional do Príncipe.

Segundo José Cassandra as 5 unidade mini-hídricas vão oferecer a população da ilha do Príncipe, 5 megawatts de energia.

Abel Veiga

 

 

 

    11 comentários

11 comentários

  1. Reiza

    23 de Outubro de 2014 as 10:42

    Haver vamos.

  2. Paz

    23 de Outubro de 2014 as 12:41

    Eu não percebo. O senhor Reiza é tão poderoso que está disposto a sabotar este projeto para aquela ilha nossa irmã? Ou o senhor não quer que esteb projeto se concretize? Temos que deixar disto neste país. Uns querem fazer e outros querem sabotar a todo o custo para impedir o desenvolvimento do país. Que raio de coisa é esta? Se não fazem pelo menos deixem os outros terem sonho e fazerem. É só inveja neste país. É só avareza. É só olho cheio. É só malvadez. Que raio de país é este? Eu já estou farto deste comportamento. Parece que alguns poucos não querem o desenvolvimento do país por inveja que têm do sucesso alheio. Chega disto, minha gente. O que é que ganham com isto? Se o país desenvolver todos ganhamos com isto. Há uns poucos que não fazem nada e não deixam os outros fazerem. Porquê?????? O Príncipe estava parado no tempo. Chegou lá alguém que quer trabalhar. Está a fazer alguma coisa. Logo aparecem uns quantos malandros, alguns são mesmo do Príncipe, que só querem atrapalhar, impedir, armadilhar, etc, em vez de ajudarem o vosso companheiro. Ainda bem que o povo do Príncipe não é burro e sabe muito bem o que quer e deram a este senhor mais uma maioria absoluta. É isto mesmo. O povo põe e o povo tira. Quem anda a lançar confusão, inveja, ódio, má-fé e outras coisas vai ficar dezenas de anos na oposição. O povo de ontem já não é o povo de hoje. Perguntem ao senhor Danilo Salvaterra que andou a mandar bocas a tôa quantos votos é que ele teve nestas eleições? Eu disse ele diretamente, você vai para o Príncipe e vai perder redondamente. Ele não acreditou naquilo que eu dizia ele. Qual foi o resultado? Ele gastou dezenas de milhares de dólares e só teve 17 votos. Eu estava com ele no bar do irmão dele a falar e quase que ele chorava porque estava desgostoso contra o povo do Príncipe que não votou nele. Eu disse ele: eu não te avisei? O povo hoje em dia já não acredita em Messias nem naqueles que só passam a vida a mandar bocas. É preciso demonstrar que se é capaz de fazer alguma coisa de facto. Como é possível que uma pessoa que está lá na europa vem para cá em quinze dias para concorrer para um cargo político e pode esperar ganhar? Só se for no sonho.

  3. Barão de Água Izé

    23 de Outubro de 2014 as 14:11

    Energia para indústrias, empresas e turismo; para a população é boa noticia.
    Esperemos que seja fornecimento constantes, sem cortes “estilo” EMAE e energia com tarifas acessíveis. A ver, vamos, como escrever Reiza.

  4. antonio martins

    23 de Outubro de 2014 as 18:33

    vi a noticia so nao percebo se e 5 Mw ano, numa hora nao sera possivel no principe, nao tem condiçoes hidricas para tal.

    • N. Silva

      24 de Outubro de 2014 as 21:49

      Verdade. Não há água que chegue para 5 MW de forma sustentada. Pode acontecer, como produção de pico somada (1 MWx 5) por determinado tempo. Também não me parece que o consumo electrico da ilha do Principe atinja os 5 MW/h, (5000 kw/h) nem mesmo durante o dia.
      Ainda assim é uma excelente noticia. 5 pequenas unidades de 1 MW/h não têm grande impacto ambiental e é a melhor forma de produzir energia electrica, já que os ventos em São Tomé e Principe são de fraca intensidade para produzir energia eolica de forma rentável. Faço votos para que se concretize.

      • Bruno F.

        25 de Outubro de 2014 as 22:24

        1MW/h seria valor irrisório. Entendi na noticia que cada mini barragem vai produzir 1MW. Considere 1MW = 1MJ/segundo (Um megajoule por segundo). Do resto é uma questão de estudo. Aliais, eu não entendo como podem avançar com esses anúncios para grande público sem antes fazerem um estudo de viabilidade. Acredito que o tenham feito.

  5. Luís Cassandra

    24 de Outubro de 2014 as 9:40

    Caro “antonio martins”.

    As condições hídricas são possíveis de serem criadas!
    Hoje com as novas técnicas de construção das mini-hídricas, pode-se otimizar o caudal, no sentido que não haver perda de carga.

    Cpts

  6. Luis Cassandra

    24 de Outubro de 2014 as 10:17

    Caro “antonio martins”

    As condições são possiveis de serem criadas. Hoje com as novas tecnicas de construção das mini-hídricas pode-se otimizar o sistema fazendo o reaproveitamento do caudal e evitando perdas de carga…

    Cpts

  7. arelitex

    25 de Outubro de 2014 as 17:45

    senhor Cassandra é um projecto , bastante inteligente e respeita a natureza , e com boa visão no futuro desenvolvimento do Principe . 5 Mega wats , sâo 5000 KW . tudo isto é equivalente a termos 20 geradores de 250 kilowats cada um . já nâo é nenhuma brincadeira . é algo com pés e cabeça . os meus parabéns e continue o seu bom trabalho . o senhor é o exemplo de como temos que trabalhar .

  8. antonio martins

    25 de Outubro de 2014 as 17:46

    boa tarde
    estudei tudo o que era possivel aproveitar de recursos hidricos no principe durante anos, o potencial hidrico maximo sobre as quedas disponiveis e de 2,2 mw, tudo o que seja acima disto nao e verdade dado que a geologia do principe nao suporte pequenas barragens para armazenamento nem existe caudais para tal.
    a realidade e que existe uma pequena barragem e a agua nem chega ao açude.
    se o interesse e o financiamento tudo bem, mas a realidade nao e os 5 mw.
    gostava de saber quem foi o autor dos estudos e os dados hidrologicos para justificar tal potencia que eu com dados de estaçoes de metereologia instaladas no principe, no tempo que estive la, nunca obtive dados par tal potencia mas sim para os 2,2 mw e mesmo assim seria por um periodo de 4 meses.
    dado a minha curiosidade, terei gosto em me deslocar ao principe para estudar estes cinco projetos considerados por mim como importantes para saber o suporte tecnico para tal potencia.
    obrigado a todos

    • Bruno F.

      26 de Outubro de 2014 as 12:36

      Esses projectos em maioria das vezes visa mais o financiamento que resultado. Nos teus estudos, percebi que pode-se obter 2,2 MW no pico do caudal. Nesse projecto diz-se que cada mini barragem terá 1 MW. Acredito que são 5 mini-barragem localizadas em pontos diferentes. Por ultimo, será temos alguma estação hidrométrica funcional em STeP onde se mede algumas variáveis para estudos Hidrodinâmicos?

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo