Sociedade

Laboratório de referência da África Central também aprova consumo do arroz

O laboratório de análises e biologia médica dos Camarões, analisou o arroz importado pela firma DS Neves a pedido do Governo são-tomense, e não encontrou qualquer substância que enferma a saúde humana.

O laboratorio camaronês é de referência a nível da sub-região da Africa Central. É respnsável pela segurança alimentar na África Central. Foi o laboratório que emitiu o certificado fitossanitário, a quando do embarque do arroz importado dos Camarões, e voltou a analsar o produto à solicitação do Estado são-tomense, de 28 de Junho de 2013 à 1 de Julho de 2013.

O resulado da análise diz que «não se verifica no produto qualquer substância que enferma a saúde humana».

Abel Veiga

    14 comentários

14 comentários

  1. Mana

    12 de Julho de 2013 as 0:05

    Meno. Arroz com coco e com menguito frito na residencia de luxo do patrice em portugal. Veem em massa.

  2. zeme Almeida

    12 de Julho de 2013 as 1:08

    Só a cor que o arroz apresenta,até da medo!

  3. CAUE A PAGUE SAGINON

    12 de Julho de 2013 as 6:49

    Já agora chamem de burras também às pessoas!
    Porque arroz sai de lá, e para lá ainda se encomenda análises? É mesmo de se fiar este resultado e conclusões…
    Eu é que deixo de comer arroz!

    • ednilsa

      12 de Julho de 2013 as 12:41

      olha na minha opinião a analise de arroz deveria ser feit em outro pais, quem garante que essa analise é verdadeiro. fico por aqui

  4. Atencioso

    12 de Julho de 2013 as 7:48

    Tela non e o seu responsavél tem sido, nos ultimo tempos uma referencia noticiosa,fonte de informações e de actualização. Entretanto,sem grandes comentários,um analise fria e desapaixonada diria que nesse caso(o de arroz) o digital tende-se a desvirtuar. Esse artigo que diz a dada altura “O laboratorio camaronês é de referência a nível da sub-região da Africa Central. É respnsável pela segurança alimentar na África Centra”, sem ,si quer, referenciar o nome do laboratório e o comprovativo das analises feitas pelo mesmo; e o outro cujo titulo é “Arroz importado dos camaroes é bom para comer e recomenda-se” levanta algumas interrogações e suspeições relativas a independencia e a total imparcialidade das mesmas.VIVA 12 DE JULHO

  5. Edaugusto

    12 de Julho de 2013 as 9:30

    O governo quero apenas recuperar a qualquer preço os seus 627.000 dólares e está se marimbando para o povo.

  6. Pen Drive

    12 de Julho de 2013 as 9:40

    Dizem que há sacos com arroz bons e sacos com arroz estragados!Qual deles foi para análises?

  7. E. Santos

    12 de Julho de 2013 as 10:31

    Estás a querer dizer que este são melhores do que o da ASAE?
    Abel, queria estar em tua casa a ver-te comer este arroz….queria mesmo. Isso é pecado.

  8. Felisberto Bandeira

    12 de Julho de 2013 as 13:59

    STP parece um Pais de brincadeira, as autoridade de STP precisa ter mais cautela a lidar com esses casos, isto não fica bem para STP a nível internacional, vocês tenhem que rever a vossa politica de importação ,afinal de contas DSN não e única firma comercial que há no Pais

    • nois

      12 de Julho de 2013 as 17:24

      o governo deveria pedir os libaneses como fazia patricio trovada ne?!

  9. Zumbakuê

    12 de Julho de 2013 as 15:24

    A forma como o resultado das análises foi validado, não está de acordo com as normas vigentes á nivel internacional.
    Qualquer forma, se houver dúvidas, existe em Portugal um laboratório de referência de saúde pública, com um sector para análises de alimentos. Chama-se Instituto de Saúde Drº Ricardo Jorge. Está situado no centro de Lisboa. Mais à caminho de Odivelas. Mais não digo…………………………….

  10. Zinane

    12 de Julho de 2013 as 20:26

    Segundo o tela non o governo julgou inconclusivo o resultado da ASAE dai terem encomendado mais dois testes “A inconclusão da análise da ASAE obrigou o governo são-tomense a solicitar mais dois testes a laboratórios internacionais”
    Entao porquê que a AQUIMISA recebeu a amostra no dia 18/06/13 antes da ASAE que só recebeu a amostra no dia 21/06/13?

  11. o.face

    14 de Julho de 2013 as 8:14

    Nao querendo julgar pela aparencia,mas como diz o ditado olho comi primeiro que a barriga e nesse caso concordo.
    eu nao comeria esse arroz .e quanto a analise atrevo me a usar mais uma frase do Sócrates ” ainda que todos os sabios estejam de acordo nao quer dizer que estão certo” porque nao fazem o verdadeiro teste : todos aqueles que afirmam que se pode comer esse arroz ja comeram?deem a quem importo e os demais .alguem ja os perguntou se eles comeram.Infelizmente sabes que os nossos familiares vao acabar por comer esse arroz .porque nao ha Homem com ponho firme para fazer frente aos defensores desse Arroz.vao impingir os nossos esse arroz de guela a baixo sem do.
    infelizmente por mais que deixemos nossas opiniões aqui,daqui nunca saira nunca passara de opiniões.

  12. Arroz da Terra Mãe

    14 de Julho de 2013 as 12:35

    O Delfim safou-se mal e/ou bem,o tempo dirá…A ASAE quando a está para visitar as feiras em Portugal, muitos ciganos já o sabem, e nesse dia não levam para venda os produtos “cópias” .
    É pena o arroz ressuscitado em boas condições não limpar a imagem de um corrupto crônico já bem pelas suas importações que fazem medo ao próprio medo.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo