Destaques

CST abre em São Marçal a sua 7ª loja

A CST, Companhia Santomense de Telecomunicações abriu esta sexta-feira 24 de Abril, uma mini-loja no Bairro de São Marçal, um dos mais populosos da Cidade de São Tomé.

geralTrata-se de primeira de um conjunto de 5 mini-lojas que ficarão disponíveis em localidades que justificam a sua presença pelo nível elevado de procura de serviços e produtos da empresa. São relativamente mais pequenas que as que a CST dispõe nas capitais de distrito mas oferecem todos os serviços.

Os clientes da empresa poderão adquirir telemóveis, tablets, routers, recargas e cartões, além de subscrever linhas de voz e novos acessos à internet tanto fixos como móveis, prepagos ou póspagos. O pagamento de faturas também estará disponível, assim como a venda para agentes revendedores de recarga.

Esta mini-loja vem se juntar a uma rede de mais de 400 revendedores distribuídos por todo o território nacional, traduzindo o esforço da CST em garantir a proximidade dos seus principais serviços e contribuir para a descentralização de postos de trabalho, pois tem procurado recrutar atendedores das localidades ou residentes em localidades próximas das novas lojas.

Fonte : CST

 

 

    5 comentários

5 comentários

  1. Ermindo

    28 de Abril de 2015 as 10:33

    Parabéns CST. Frente que é caminho a vitória é certa

  2. Aníbal

    28 de Abril de 2015 as 10:42

    Minha gente, sejamos sinceros e profissionais. Isto parece um quiosque de contentor.
    A CST não devia fazer algo digna de uma grande companhia de telecomunicações do país? Que decepção meu Deus! A CST agora monta quiosque. Só falta colocar os seus funcionários também andar nas ruas a fazer vendas ambulante

    • xico

      30 de Abril de 2015 as 12:16

      Meu caro Anibal,

      Isto é mobilidade e investimento inteligente. Por quê construir de areia e cimento se há alternativa hehehheh.

      • Aníbal

        30 de Abril de 2015 as 14:01

        Meu caro Xico,
        Não tem de ser necessariamente de ”areia e cimento”. O que diferencia esta loja dos outros quiosques que, é só o estilo e logotipo da companhia. É o que dá falta de ideia dos responsáveis de marketing.

  3. ANCA

    1 de Maio de 2015 as 20:45

    Empresas com este nome e dimensão territórial, deve outro tipo de arquitectura de loja, pois nunca se sabe quando pode vir a ser internacionalizada e globalizada.
    Instituições do País, jamais devem consentir este tipo de quiosque para Loja de Venda, para mais numa Empresa como CST, é a Imagem da Empresa e do País que está em causa.

    Já alguma vez viram isto acontecer em Portugal, com a PT, ou no Brasil, no Japão, na China, etc, etc…?

    Téla Nón

    Permite-me questionar;

    Porque razão algumas Notícias, como é o caso, da assinatura do novo acordo de financiamento da União Europeia aos Palops no valor de 30 Milhões de Euros, como é caso da Notícia sobre o novo Relvado Sintético, pela FIFA, na Ilha do Príncipe,caso do Jovem baleado, etc,etc… que fazem manchetes, noutros Jornais Nacionais e Internacionais?

    Há algum tipo de censura interna no Jornal Téla Nón?

    Um abraço Abel Veiga

    Pratiquemos o bem

    Pois o bem

    Fica-nos bem

    Deus abençoe São Tomé e Príncipe

    Pois

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo