Destaques

Cidade de Angolares na rede da EMAE

A cidade de Angolares, capital do distrito de Caué no sul da ilha de São Tomé, entrou na rede nacional de distribuição de energia eléctrica. O projecto de electrificação das regiões mais isoladas do país, chegou assim a capital do sul do país. Até a última semana a população da cidade de Angolares beneficiava de energia eléctrica garantida por grupos autónomos de geradores, e por algumas horas do dia. O Governo que estendeu a rede da empresa nacional de energia e água(EMAE), para o sul da ilha, considera que a sua politica de electrificação das regiões mais pobres do país, visa estimular o investimento privado.

A região sul da ilha de São Tomé, é rasgada por vários cursos de água e chove durante todo o ano. Oferece condições para a produção de energia limpa, seja de origem hídrica ou solar. No entanto para parte da região é alimentada pelas centrais térmicas baseadas na capital do país.

Abel Veiga

 

 

    3 comentários

3 comentários

  1. ANCA

    20 de Dezembro de 2016 as 21:24

    Boa notícia

    Desde de a independência até hoje, esta região do País, jamais disponha de acesso a rede eléctrica, corrente eléctrica, este é um bom investimento.
    Agora as Autoridades Locais, devem de tudo fazer,para potenciar o desenvolvimento social económico, potenciar a educação e formação, artes e técnicas, saúde, actividades económicas, financeiras, agrícolas, agropecuários, pescas, pequenas indústrias, actividades turísticas, assentes no valor organização, estruturação, transparência, bem estar, trabalho muito gosto pelo trabalho árduo, reformas, organização, estruturação do Distrito de Caué.

    Chegou o momento de assumir-mos o nosso próprio destino social, cultural, mediante cultura de organização, cultura de fazer o bem, cultura de solidariedade entre os São-Tomenses, cultura de trabalho, cultura de produção, arte para organização produção de qualidade para comercialização dos produtos produzidos acreditando nas capacidades da cidadania São-Tomenses, fazendo-os chegar a informação, formação, formação técnica, aperfeiçoamento da técnica, dando-lhes instrumentos e condições mediantes capacidades actuações das instituições nacionais.

    Muito bem Governo de São Tomé e Príncipe

    Na crença de que muito ainda está por fazer neste domínio, mas um bom passo e começo.

    Só temos que acreditar em nós e fazer mais e melhor.

    Acredita, tu és capaz

    Juntos somos capaz

    Pratiquemos o bem

    Pois o bem

    Fica-nos bem

    Deus abençoe São Tome e Príncipe

    Bem haja

  2. boca pito

    21 de Dezembro de 2016 as 17:45

    Bem…quer dizer…estás a principiar uma boa reflexão, mas falta-te muito para seres assertivo nas tuas ideias e pontos de vista.
    Meu caro, pelo menos pensar assim desta forma em termos globais no que se refere a 70% da população são- tomense já seria muito bom. Mas longe disso meu amigo: Porque a maioria da nossa população, mais de 60% é analfabeta intelectual, moral e do Qi. Logo, mano, nada.
    Hoje deixas a malta no fundo do poço durante uma semana, mas no dia seguinte ofereces algumas bicicletas, os tipos já se esqueceram dos dias da miséria que poderá voltar a qualquer momento. Os tipos pensam no hoje e agora, não pensam no amanhã, seus filhos e netos.
    Epa, o povo de são tomé não tem maturidade e nem educação para eleger oi seus representantes directamente

  3. Ralph

    22 de Dezembro de 2016 as 4:56

    Que exemplo ótimo de como fornecer eletricidade a um povo ao mesmo tempo de melhorar a sustentabilidade económica, reduzindo a dependência sãotomense de outros países para obter os combustíveis necessários para entregar a eletricidade. Muitos outros países poderiam aprender muito desta situação. Muito bem feito.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo