Carta Aberta a Família do MLSTP/PSD

O MLSTP/PSD vem vivendo há largos anos uma profunda crise que tem levado muitos militantes, simpatizantes e amigos do Partido a se afastarem e a se refugiarem, muitas vezes, no silêncio.

Regressei a S. Tomé e Príncipe em outubro do ano passado para continuar a dar a minha modesta contribuição em prol do desenvolvimento do país de todos nós. Depois de mais de 8 meses de observação, perante a continuada inércia do MLSTP/PSD, decidi quebrar o meu silêncio. E entendi que devia recomeçar a minha militância ativa, tentando ajudar a salvar o MLSTP/PSD. Entendo que a política deve ser a mais sublime maneira de servir a Nação e não de se servir dela. É neste quadro que, enquanto cidadão que já esteve ao serviço do glorioso Partido e de S. Tomé e Príncipe, tomei a liberdade de pensar e refletir o MLSTP/PSD.

A militância adormecida chamou por mim e eu quero ter espaço para poder continuar a dar a minha modesta contribuição para ajudar a salvar o Partido, devolvendo-o aos militantes, simpatizantes e amigos que acreditam que ele é a alternativa, embora lhe falte credibilidade para esse desiderato.

Quero participar, mas não quero ser mais um interesseiro do MLSTP/PSD. Quero voltar a ocupar o meu espaço de militância com determinação e abnegação que sempre me caracterizaram. Quero ser um simples militante que pretende colocar todo o saber à disposição do Partido e de S. Tomé e Príncipe.

Mas lamentavelmente, passados esses meses, ainda não encontrei o espaço, que como eu, muitos outros são-tomenses militantes, simpatizantes e amigos deste Partido também reclamam. Procuramos espaço na nossa casa, uma casa que é pertença de todos nós, aqueles que hoje integram a atual direção e os que não se sentem inseridos ou que estão contra a atual direção, mas que como militantes e por amor ao partido, têm preferido o silêncio, todavia sofrendo com o atual estado do nosso Partido histórico.

Apelo a todos que acreditam neste Partido e nos seus ideais que nos associemos para ajudar a salvar o MLSTP/PSD do abismo e de uma provável morte. O meu apelo é dirigido a todos os militantes membros da atual direção, a todos que um dia abandonaram a nossa casa, o nosso espaço, a todos que estão descontentes, e por que não aqueles que estão de costas viradas para com a atual direção. Camaradas, o meu apelo é dirigido a todos os militantes, simpatizantes e amigos que num silêncio ensurdecedor vão sofrendo. Mas o meu apelo é também dirigido a toda a sociedade civil organizada e não organizada que acredita que o Partido da independência, o MLSTP/PSD, é a alternativa, mas que são unânimes em reconhecer que falta credibilidade ao Partido. É em nome da credibilidade que eu estou disponível para integrar uma equipa de mulheres e homens, que possam ajudar a salvar o MLSTP/PSD. O Partido não pode ter receios, nem medo de se abrir aos seus militantes e à sociedade civil. Pois há exemplos recentes no mundo, onde os partidos tradicionais estão a ser derrotados nas urnas pelos movimentos da sociedade civil.

Espero que os atuais dirigentes do Partido abram a porta da nossa casa para todos nós e para um diálogo frontal e aberto em busca de uma verdadeira unidade, ainda que na diversidade. Acredito que só com a unidade podemos encontrar a credibilidade que é reclamada pelas mulheres e pelos homens, em suma, a credibilidade que é reclamada pelos eleitores que acreditam que o MLSTP/PSD pode ser a alternativa.

Não posso terminar sem apresentar uma proposta de solução para ultrapassar a prolongada crise do nosso partido da independência, uma crise que infelizmente, muitos procuram ignorar.

A solução da crise do MLSTP/PSD deve ser urgente, e não esqueçamos que se trata de uma crise que afeta a todos os seus militantes. A consequência tem sido devastadora no processo participativo para o desenvolvimento equitativo do nosso País. Ela não pode ser resolvida unicamente pela direção que tem legitimidade e obrigação de propor soluções aos militantes. Ela não pode ser resolvida também unicamente pelo grupo que com legitimidade que lhe é dada pelos estatutos quer contribuir para uma solução. Todos têm interesses que não conhecemos. De qualquer maneira, num Partido com milhares de militantes, simpatizantes e amigos, a solução não pode ser encontrada por dois grupos sem o envolvimento de uma parte substancial dos seus membros que até pode não estar identificada com a atual direção nem com o grupo que se formou recentemente.

O Presidente do Partido anunciou uma reunião do Conselho Nacional para o próximo dia 21 do corrente mês. Na verdade este é o órgão apropriado para aconselhar o Partido nesta hora difícil. Apesar das suas competências o Conselho Nacional, na conjuntura atual, não representa mais a vontade de todos os militantes. Decidir se deve haver um Congresso sem um debate aberto sobre o futuro do MLSTP/PSD é uma receita errada. Não haverá consenso, o Partido sairá certamente, mais dividido. Um Congresso nestas circunstâncias dará lugar a jogadas oportunistas, a compromissos duvidosos e quiçá, a uma maior instabilidade.

Penso que o Conselho Nacional deveria, sim, orientar a direção atual a organizar uma consulta alargada aos militantes. Podem chamá-la Conferência Nacional, Convenção, Reunião alargada, o que quiserem. Tinha de ser, sim, uma reunião inclusiva, incluindo o Conselho Nacional, uma representação do grupo que contesta a atual direção numa proporção equilibrada, militantes que não se identificam com nenhum dos grupos, amigos e simpatizantes do Partido. Um encontro aberto, inclusivo e que facilite a discussão livre dos problemas.

No centro do debate deviam estar as seguintes questões: como alcançar a unidade e a coesão do Partido, como credibilizar a sua ação junto da sociedade, propostas para a reestruturação do Partido, alternativas coerentes para os problemas do país.

É preciso lembrar que o problema do Partido não é só um problema de liderança. São várias e complexas as questões que deveriam constar de uma agenda de modernização do Partido. Uma reunião que permitisse estabelecer as grandes linhas de um consenso possível entre as diversas sensibilidades do Partido e que comprometesse todos ou a maioria dos participantes. Depois desta auscultação, o Conselho Nacional poderia reunir-se então para decidir se convocava ou não um Congresso, se confirmava a atual direção ou qualquer outro rumo. O tempo corre contra o MLSTP/PSD. Num dia de reunião, seria essencial poderem sair pistas para soluções sustentáveis viradas para o futuro.

Em vez de intermináveis e destrutivas reuniões fratricidas façamos uma reunião de família para juntos enfrentarmos o futuro. O país reclama por um MLSTP/PSD forte, unido e coeso.

Raul Cardoso

19/07/2017

Notícias relacionadas

  1. img
    Sossegado no Meu Cantinho Responder

    Gostei. É preciso estas coisas. Parece que o país está a sair da letargia. Muito obrigado, senhor Raúl Cardoso.

  2. img
    militante do mlstp Responder

    Agora sim com o regresso de Pinto da Costa como Presidente Emérito/Honorário, espero bem que o partido se organize.
    E em excusivo à actual direcção do MLSTP faz-nos um grande favor :
    Convidar o camarada Presidente Pinto da Costa para o Conselho Nacional do próximo dia 22/7/2017.
    Sejam bem vindos todos os nossos que por qualquer motivo estiveram distante mesmo os não nossos e a aderirem à este Glorioso MLSTP.

    • img
      Vexado Responder

      Pinto da Costa tem que acabar com o Plataforma rapidamente.
      E que o pinto da costa deixe se ser troca tintas e ser mais correcto.

      Podemos dizer que há uma tentativa dos patos bravos regressarem ao partido, agora que o ADI está em debandada total…ADI caiu que nem mama sra quinina..
      Muita má fé…esse ADI. Levy esta fazendo hotel escondido. Kiney fechou negocio com duady, director inae pede 80 mil euros a empresa privada, varela comprou um land cruizer V8 todo podereso, quê mais eeeee? Presidente da Assembleia rouba perdieme para abrir negocio para mulher,

      Patrice pagou um mitsubilh novo para nina…há dinheiro mas para ragabofe dos militantes do ADI. Povo deve apertar cinto…

  3. img
    zé maria cardoso Responder

    “Fogô kéma mon!”
    Quando alguém, feito de árbitro, quisesse encorajar duas crianças em conflito a entrar no confronto corpo-a-corpo bastava lançar o fogo.
    Esperemos que, no conflito de adultos, seja adoptado boas práticas de diálogo a passar por, responsabilizar os mais velhos pelo estado de calamidade, culpabilizar a actual direcção pela inércia e identificar uma via alternativa a aproveitar o abanão da história para das cinzas renascer o “novo” partido mobilizador, dinâmico e ganhador na cena democrática de São Tomé e Príncipe.
    Bem-haja!

  4. img
    Maria Ricardo Responder

    A opinião é boa. Acredito na unificação do MLSTP/PSD.

  5. img
    sotavento Responder

    Acho que o MLSTP sim merece ser reestruturado, precisa de dialogo entre os militantes para que seja um partido de vanguarda e que os que estejam a frente do partido sejam coerentes e que facam politica de verdade politica com cabeca tronco e membros.Quando foi a independencia de STP tinha eu 15 anos e o MLSTP desta epoca também nao era o ideal para os tempos de hoje.Era um partido arrogante e sobretudo prepotente.Nesta época muitos que se aderiram ao MLSTP mudaram de personalidade , tornaram se cinicos vingativos e sobretudo com comportamentos intimidatorios.Houve uma mudanca é mas que evidente , mas o partido necessita mas mudancas de mas transformacoes e oxala esta reuniao que proximamente vao a ter mude esse partido, principalmente a culpa.

  6. img
    democratic Responder

    Subscrevo Raul Cardoso! Somos São-tomenses, temos a nossa cultura e conhecemos a Real necessidade desse povo. O Gabones (Patrice Trovoada e os seus labebotas ou chulos) continuam a fazer deste país uma vida de Turismo, delapidacao de bens públicos e abuso de poder. O MLSTP/PSD precisa despertar para se dar novo rumo à nação São-tomense. Junto fazemos a diferença, unidos venceremos, a Vitória é nossa. Bem haja à todas as famílias de São Tomé e Príncipe.

  7. img
    Jorge de Mascarenjhas Responder

    Espero que de uma vez por toda com o apelo feito pelo camarada Raul Cardoso e outros, no sentido de haver uma união entre todos os militantes, ganhemos todos a consciência de que a responsabilidade com o país e o povo está sobre os nossos ombros, porque também fomos a parte dos problemas. Daí que é necessário a nossa colaboração para a solução, como forma de salvar realmente o país do marasmo que se encontra. O país está desgovernado e alguns interesseiros aproveitam para safar a vida, esquecendo que se o país em dificuldades todos pagamos. Quem brinca com fogo o fogo queima. Cuidado para não ser tarde de mais.

  8. img
    Carlos de Cepeste Lima Responder

    Sim muito bem.

    Convém lebrar, que ninguém tem mais do que 30% do eleitorado se não for o Pinto da Costa.Por isso, as Marias, Aurélio e Rafael e outros tenham muito cuidado com brincadeiras. Briquem lá em casa com os vossos maridos e filhos. Aqui no MLSTP é coisa séria.

  9. img
    Santos Filomeno Responder

    Falou e disse… Os camaradas não querem perceber que o mundo mudou…o País mudou…logo, o MLSTP tem que mudar, tem que se adaptar , tem que se reorganizar e rejuvenescer para os novos desafios…com o Aurélio, Jorge, Osvaldo Vaz e essa corja não vamos.la..

  10. img
    Filho da terra Responder

    Outra enteresseiro desgraçado disfarçado em gente de bem, mais um para ajudar a afundar quem não conhece que lhe compre

  11. img
    Realidade Responder

    A ganancia de enriquecimento facil e ilicito distruio e esta a destruir o mlstp…
    Aurelio Martins fara de tdo pra nao sair da liderança do partido.. esse cidadao esta cuase pobre, endividado e sem credito…. unica soluçao è ser governo pra sair da pobreza…. temos pena… foste mao gestor..
    Os velhos d partido qdo fizeram fortuna a custa d povo tornaram arrogantes e nao aceitam outras ideias …. quem sofre… partido…
    Raul Cardoso espero bem que estejes preocupa com o povo e nao com teu bolso…. ja rolou a fama q sumiste com dinheiro de campanha… n sei…. mas tdo mundo merece uma chance.

  12. img
    Fernando Simão Responder

    Caro amigo Raul,
    Gostaria de te felicitar pelo brilhante pronunciamento através da tua carta a família do MLSTP/PSD. Compreendo o teu desespero e a tua indignação em relação a profunda crise em que o MLSTP atravessa neste momento, porque conheço bem o teu pensamento acerca do Partido e do nosso Pais.
    Esta situação em que se vive no MLSTP é fruto de erros que se tem vindo a cometer nos últimos tempos que resultaram em sucessivas derrota eleitorais, porque algumas pessoas ascenderam a direção do Partido apenas para resolver os seus problemas e de grupinhos. O que se tem constatado nesses últimos tempo é que O MLSTP deixou de ter uma estratégia para o Partido e para o Pais. Fico com a impressão que se pensa só em dinheiros. Não se sabe em concreto o que é esse MLSTP.Ficou fechado a meia dúzia de pessoas que acham que a coberto de legitimidade estatutária podem cometer todo tipo de erros e gerir o Partido ao seu belo prazer. E o preocupante é que essa gente não da atenção as sugestões de outras vozes discordantes no seio do Partido.
    Como maior Partido da oposição, não tem sido capaz de cumprir o seu papel no Parlamento. Daí que é necessário o MLSTP mudar rapidamente antes que seja tarde. O MLSTP terá que ser um partido aberto, revitalizar-se e renovar-se. É preciso sangue novo. E o sangue novo ai não tem a ver apenas com a idade porque infelizmente nos dias que correm há alguns jovens com ideias retrogradas e com espirito oportunista. Na minha opinião esses não servem. É preciso sim dotar o Partido de gente com ideias novas, capazes de transformar o MLSTP num partido verdadeiramente democrático e moderno. Assim, o MLSTP estará em condições enfrentar com êxito os próximos embates eleitorais. Como sempre digo, o Pais precisa de um MLSTP forte.
    Caro Raul, espero bem que a atual direção do Partido tenha em conta as tuas propostas porque elas são bastante valiosas.
    Um abraço fraterno.

    Fernando Simão

  13. img
    WXYZ Responder

    Para comecar simplifiquem por favor o nome do partido, passando a se chamar apenas de PSD (Partido Social Democrata). Assim ja quebra um pouco essa conotacao com o passado que muito lesa o partido.

  14. img
    ADEUS A ULTIMO SUBREVIVENTE Responder

    Quando o Mlstp Ganhou Eleições com maioria relativa e começou a descarrilar em inicio de 2002 falvo erro alguém que me corrige, houve um Economista bem conceituado na dispora (Portugal) chamou atenção por diversas vezes aos camarada do MLSTP nas suas cronica no Jornal Telanon e Parvo, infelizmente os camarada andaram a trás do Poder e fúria de enriquecer e não tinha essa visão. e Dr Manuel Pinto da Costa Reconheceu, necessidade e fez esta afirmação na festa de Aniversario do MLSTP,”passo a citar- O MLSTP tem que congregar Jovens no Partido e Sublinhou Jovens com Maturidade…Obrigado Raul Cardoso, é uma pessoa conhecida e trabalhador naqueles tempos que ainda a corrupção vestia roupa.

  15. img
    amigo do mlstp Responder

    Caros senhores do MLSTP.
    Não sou militante do vosso partido, mais sim um amigo.
    Quero vos dar um conselho.
    Nesta altura do campeonato vcs terem de ter muito cuidado com infiltrados dentro do vosso seio, colhendo informações para levar para PATRICE Trovoada.
    Lembrem que não se pode adorar a Deus e demónio ao mesmo tempo. Vou chegar lá.
    Recordo uma vez que o vosso vice-presidente AMERICO leu um comunicado, Patrice veio ao público dizer que Americo lhe deve lealdade institucional enquanto chefe da administração pública.É subordinado. O que aconteceu?
    AMERICO foi exonerado das funções de vice-governador do Banco Central.
    O Ze Maria Barros, Frota que foi da CST, Hélio Almeida, etc que são diretor como caso de Se Maria, tem estado nas reuniões do MLSTP é membro da conselho nacional por aí fora!
    Pergunto? Acham que todo o segredo é planos do MLSTP eles não vão contar ao Patrice Trovoada com medo de perder o tacho uma vez que devem lealdade ao seu primeiro ministro Patrice trovoada?
    Abram os olhos.

  16. img
    Fugii Fala Responder

    Cada dia que passa, receio – me cada vez mais do conto do vigário. Já não acredito nem em ninguém, nem em nenhum partido. O MLSTP, o dito partido histórico, é o maior culpado da desgraça desse país. Foi um pai que tratou os seus filhos como enteados indesejados.Tratou de si e dos que faziam parte da sua ala, ofuscando o espírito patriótico, servindo – se da política para se organizarem.Caros conterrâneos muitos de nós estamos cansados de ouvir a história da carochinha. Hoje, de uma maneira geral, os que faziam e fazem parte do citado partido, são hoje os colonos brancos. Assim vejamos: Os senhores que apoderaram de grandes patrimónios que são pertenças deste povo, querem de novo voltar para sugar as últimas gotas de sangue que ainda existem, com o pretexto de salvador da pátria. Enquanto lá estiveram e com grandes oportunidades, não se lembraram de criar condições para que o povo sentisse o efeito da independência, conquistada com tanto sacrifício, sangue, humilhação e lágrimas dos nossos antepassados. Bile uê …

  17. img
    Príncipe Convida Responder

    Que Deus abençoe e livra São Tomé e Príncipe, para que nunca mais o MLSTP/PSD não volte ao Poder ou melhor, não ganhe nenhuma eleição mais
    Pelo menos daqui a mais 50 anos, fora do poder.
    Porra pá! Que raio deixa isso para os outros.
    Credo!!!!! Credo!!!

  18. img
    helmer dias Responder

    boas sr raul cardoso estou de acordo com tudo que escreve.É triste a situação do parido MLSTP-PSD,espero sinceramente que os homens da actual direcção possa abrir novamente o partido as outras mentes.

    abraços

  19. img
    olivio cardoso Responder

    Espero que o seu regresso vem nos ajudar a criar progresso para o desenvolvimento de S.TP não para encomodar o governo a trabalhar. Não usar mentiras ara enganar o povo.

Deixe um comentario

*