Desporto

Riboque motivado para viagem aos 70 e 80

Quem viu, e quem vê o Riboque! Foram terríveis as últimas duas décadas e meia para o primeiro campeão pós-independência, Vitória do Riboque, que viveu na década de 70 e 80, a sua gloriosa história, onde conquistou cinco títulos, 1977, 1978, 1979, 1986, 1989, enchendo de orgulho milhares de riboquinos, que tinham no clube a sua maior paixão, contradizendo com a actualidade, onde o emblema é visto como a maior decepção para muitos, que ainda acreditam na repetição do filme dos anos 70 e 80.

Ciente desta necessidade, o novo homem forte do futebol de Riboque, o Engenheiro de petróleo, Orlando Pontes, apostou forte neste defeso, contratando uma nova equipa técnica, encabeçada por Adriano Eusébio “Tino”, e vários jogadores, solicitado pelo técnico, para montar um Riboque ganhador.

Já avisado do labirinto em que se meteu, Tino acredita que é possível devolver àquela chama ao maior clube nacional.

O foco, a força, e a fé do novo técnico, tem contagiado os adeptos, que neste início de época, têm acompanhado com alguma fluidez, as secções do treino, situação que não se verificava à década.

Será desta? Ou é apenas um falso alarme? Perguntas que terão as respectivas respostas, no desenrolar das emoções da 33ª edição da principal liga santomense, que começa já este sábado, com o Riboque ao receber o seu “verdugo”, Aliança Nacional.

Henrie Martins

 

    Comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo