Cultura

Auto de Floripes do Príncipe em exibição na Europa

O teatro de rua, auto-floripes.jpgque terá chegado a ilha do Príncipe no século XIX, vai ser exibido nas suas origens, Europa. Auto de Floripes da ilha do Príncipe é uma recreação da história medieval europeia. A luta entre cristãos e mouros. Um confronto que domina a ilha do Príncipe durante três dias protagonizado pelo Imperador Carlos Magno e o Almirante Balão, rei dos mouros, e que esta semana domina as atenções no município português de Oeiras. Numa altura em que as autoridades nacionais anunciam a possibilidade da tragédia de Marquês de Mântua exibida em São Tomé, vir a ser património cultural da UNESCO, o Auto de Floripes do Príncipe, com uma história mais rica da era medieval mostra o seu poder em Portugal.

Almirante Balão rei dos mouros, Floripes filha do Almirante que acaba por se apaixonar por Gui de Borgonha vassalo do imperador Carlos Magno, Ferrabrás Irmão de Floripes e Oliveiros vassalo do imperador cristão, são os 4 nomes de destaque numa representação teatral que envolve mais de 30 figurantes.

O som da corneta de cada um dos exércitos, anima a cidade de Santo António do Príncipe, nas vésperas do dia 17 de Janeiro, festa de São Lourenço, festa do descobrimento da ilha. O mesmo som genuíno das cornetas, seguido pela marcha dos valorosos soldados de cada império, vai ser sentido no município português de Oeiras.

O elenco do Auto de Floripes deixou São Tomé no último fim-de-semana, para recordar a Europa o seu passado, que continua a ser presente numa ilha, conquistada pelas caravelas portuguesas no século XV.

Trocas de correspondências, fazem crescer a tensão entre os dois impérios rivais. Ferrabrás, o filho do Almirante Mouro, decide ir desafiar o imperador Carlos Magno, e tem a aceitação do seu pai. Um combate feroz com Oliveiros, vassalo do imperador cristão, que termina com a derrota e detenção do Ferrabrás.

Ferrabrás, reconhece o deus cristão e converte-se. Floripes sua irmã que se apaixona por Gui de Borgonha, vassalo do imperador Carlos Magno, deixa o coração falar mais alto e recebe a bênção do cristianismo. Dois golpes duros que o Almirante Balão sofre, antes da sua derrota final num combate feroz com o imperador cristão.

Um enredo rico, que envolve outros figurantes como Roldão, o comandante dos 12 pares de França, guarnição especial do imperador Carlos Magno.

Auto de Floripes é uma das facetas crioulas da identidade são-tomense.

Abel Veiga

Recentemente

Topo