Cultura

“Cantar em Crioulo Fôrro para promover a língua a e identidade de São Tomé e Príncipe” – Killa Z

A nova geração de cantores são-tomenses continua a demonstrar talento. O reporterSTP foi conhecer a trajectória de Killa Z. Um jovem cantor e compositor, que tem o sonho de levar a conhecer ao mundo o que de melhor tem a música são-tomense, sobretudo o estilo mais tradicional, mesmo que para isto, a mostre de uma forma mais contemporânea.

Killa Z do seu nome artístico, assume-se como um “apaixonado” por músicas antigas, acrescentando que, os ritmos que o movem vão desde” o Mindelo, Kadecê, Tuna Super Trindadense entre outros, mas também os chamados conjuntos, os Untués, Sangazuza, África Negra, os Leonenses do qual é completamente fã, principalmente do Pêpê Lima “, explica.

O cantor deseja internacionalizar a música são-tomense. Habituado a juntar o Crioulo Fôrro ao estilo Rap/Hip Hop, Killa Z diz que, a mistura do “antigo ao novo” pode trazer “consistência” à música produzida no país, enquanto parte da chamada “World Music”.

“Se houvesse uma editora que pudesse trabalhar neste sentido, gostaria de intenacionalizar a música são-tomense. O mundo não conhece o Bulawê, não conhece a Puita, e se um dia vier a conhecer mesmo que seja de uma forma contemporânea era bom. Por exemplo, como faz o Pastelim, que toca instrumentos tradicionais aos quais junta o órgão ou o piano, ou então como faz o Bulawê Belezinha de Ubuabudo Trindade que usa os instrumentos tradicionais do Bulawê mais a viola baixo, rítmo e solo. Portanto, acho que estas fusões por certo, trariam fama e reconhecimento à música são-tomense, sobretudo além fronteiras”, afirma.

No entanto, um projeto desta envergadura requeriria avultados investimentos financeiros, mas Killa Z não se mostra desanimado. Com uma carreira académica avançada, o artísta que neste momento está a tirar um mestrado em artes musicais acredita que fazer músicas em Crioulo Fôrro é um importante passo para promoção e preservação da língua, bem como da identidade do arquipélago. Assegura ainda, que desta forma, “mostraria a miscigenação dos povos através da música cantada em Crioulo Fôrro, para que a gerações vindouras possam vir a usufruir da mesma”, finaliza.

Famoso na senda musical são-tomense, Killa Z é um dos nomes de referência quando se fala do Rap/Hip-Hop cantado em Crioulo Fôrro. O cantor queixa-se da falta de uma plataforma, que possa verdadeiramente trabalhar na promoção das músicas feitas no país, mas ainda assim, está envolvido em vários projetos de criação musical com o objetivo de mudar o rumo das coisas. É ainda conhecido, entre outros, pelo sucesso “Nón môlê”, ou o Hino da CPLP lançado aquando da realização dos jogos em São Tomé e Príncipe em 2018.

Brany Cunha Lisboa

    Comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo