Desporto

Jogos da CPLP: STP entra dizendo adeus em futebol

Tudo apontava para que a noite de 21 de Julho viesse a ser uma daquelas noites que os santomenses iriam querer repetir sempre, mas quis a selecção nacional de futebol de sub-16, que assim não fosse, a perder de forma inglória no jogo inaugural com a selecção angolana, por 7-0.

Não se pode realmente ter tudo nesta vida, e a noite deste sábado nos provou esta tese, onde depois da arrepiante cerimónia de abertura dos XI Jogos Desportivos da CPLP, a selecção nacional de futebol não conseguiu colocar a cereja no topo de bolo, perdendo de forma brutal com a similar de Angola, que até poderia duplicar o resultado, não fosse a ineficácia dos seus atacantes e a boa exibição do guarda-redes santomense, Savá.

Jogando praticamente sozinho, uma vez que a selecção nacional durante o tempo regulamentar não fez nenhum remate a baliza adversária, os “palanquinhas” começaram a construir tarde o resultado, aos 20 minutos (em função das oportunidades fragrantes que já tinha criado para alvejar com sucesso a baliza nacional), por intermédio de Enoque Kossi, que foi o grande “carrasco” nacional.

12 minutos depois, Luciano Santos ampliou o placard para 2-0.

Tudo estava tão fácil para os forasteiros, ao ponto de levar o público a perspectivar o pior, que veio a consumar na etapa complementar, com mais cinco golos.

Ao contrário da primeira parte, na etapa completar, o conjunto angolano entrou a marcar logo no início, por Denílson Makokisa, 42, fazendo 3-0.

STP não reagia, e o seleccionador nacional, Gustavo Clemente, mexia com frequência no 11, procurando mudar o chip dos nossos atletas, mas nada saia bem, abrindo buraco por todos os lados, tremendo sempre quando os angolanos ameaçavam o ataque.

Tudo isso era “fungi com lombi” para o adversário, que aproveitava com esta facilidade para dar mais cor ao seu placard, com Enoque Kossi a marcar mais dois golos, aos 53 e 60, Denílson Makokisa a bisar aos 67, e Simão Pedro, aos 77.

Com este triunfo, Angola abre praticamente à porta da próxima fase, que será difícil de lá chegar pela formação nacional, que na ronda seguinte terá pela frente o principal candidato ao topo do pódio, Portugal.

No final do desafio, os técnicos foram unânimes, ressaltando a maturidade dos angolanos e a inexperiência dos santomenses, que apareceram pela primeira vez num palco internacional, ainda mais, com mais de cinco mil pessoas, constratando com o rival, que já tem um longo tempo nestas andanças.

O jogo foi apitado sem reclamações por juiz cabo-verdiano, Fabrício Duarte, coadjuvado por Humbelina Santos e Jurcelei Santos, ambos de São Tomé e Príncipe, e o quarto árbitro esteve na responsabilidade do português, Diogo Coelho.

Henrie Martins

 

 

 

    7 comentários

7 comentários

  1. Observador Atento

    23 de Julho de 2018 as 9:02

    7 – 0 eh muito. A nossa selecao nao esta ao nivel dos outros. Que os melhores ganhem, mas para uma abertura em fanfara que vergonha….

    • joao santos

      26 de Julho de 2018 as 12:19

      Uma grande vergonha!

  2. Clemilson Brasileiro

    23 de Julho de 2018 as 9:13

    Pelo amor de Deus deviam colocar as fotos do jogo será que não tinha imprensa ?

    • Amigo do desporto

      23 de Julho de 2018 as 12:10

      Meu caro, se tens foto, envia e eles colocam. Não tem muito que reclamar.

  3. João Gomes

    23 de Julho de 2018 as 16:13

    …faz-me lembrar o “frente-a-frente”, Guadalupe X Mambroa!!!

    • Hermenegildo Santos

      25 de Julho de 2018 as 8:01

      Senhor João Gomes, quero lhe esclarecer que o resultado do Jogo entre o Mambroa x Guadalupe, o resultado final foi de 3-0 contrariamente as opiniões de muitos que não gostam de Guadalupe e consideram esse resultado como se fosse a vergonha nacional. Enganam-se, se fizermos uma retrospetiva sobre a participação dos clubes de STP e da seleção eu posso vos refrescar a memória do fiasco que a nossa seleção fez na sua deslocação a R. P. da CHINA onde fomos cilindrados por mais de uma dezena de golos e ainda mais alguns até roubaram toalha de banho no hotel para trazer para S. Tomé.

      Já esqueceram os 6 – 0 do Andorinha quando este foi campeão? o mais recente foi a pesada derrota do Santana Futebol Clube por 12 – 2 no estádio 12 de Julho frente a sua congénere angolana TAAG?

      Eu percebo essa frustração, acontece que foi o primeiro clube fora da capital a ser campeão e isso não foi de agrado a muitos, ademais jogamos no estádio 12 de julho como se estivéssemos no pavilhão do coqueiros ou da cidadela em Luanda, é para ver como muito dos “compatriotas” encarram Guadalupe como o IMPÈRIO DO MAL e nem com a independência mudou as nossas mentes e corações.

  4. sol

    24 de Julho de 2018 as 11:02

    Pelo amor de Deus. É SELEÇÃO DE S.TOMÉ E NÃO STP.-

Deixe um comentário

Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo