Desporto

STP escorrega em Congo, mas acredita na reviravolta

A seleção feminina de futebol de sub 20 entrou a perder esta terça-feira na caminhada ao Mundial de Costa Rica/Panamá-2022, diante da República Democrática de Congo, por 5-1. O desafio foi referente ao primeiro jogo da primeira pré – eliminatória de acesso ao maior evento de futebol na categoria.

Com a derrota no primeiro jogo, a turma nacional vê agora mais difícil a sua situação na caminhada ao Mundial de 2022, onde o continente africano apenas estará representado no evento, por dois países, no universo de 44 seleções.

Mas, nada está perdido, frisou um elemento da equipa técnica, que acredita na viragem do placard no confronto da segunda mão que terá lugar na capital santomense (Estádio Nacional 12 de Julho), dentro de 15 dias.

Todavia, a formação nacional terá que melhorar na agressividade e na assertividade, caso queira vender cara a derrota do primeiro jogo e marcar o encontro com as camaronesas, que estão à espera do vencedor desta eliminatória.

Martins dos Santos

    4 comentários

4 comentários

  1. Clemilson+brasileiro

    11 de Agosto de 2021 as 19:03

    Vai perder de novo concerteza esse técnico ruim não fez nenhum amistoso pra treinar a equipe

  2. David Monteiro

    11 de Agosto de 2021 as 19:17

    Enquanto existir remendos para formar seleção nacional nunca chegamos a resultados convincentes. Isto serve para todas modalidades desportivas. Não havendo campeonatos nacionais, provas com estruturas sólidas ao nível nacional, nas categorias sub 16, 18 e 21, fazer investimentos nas infraestruturas e quadros nacionais (Gestores Desportivos, Treinadores, Árbitros, Comentadores Desportivos, médicos Desportivos, Massagistas, Fisioterapeuta e outros) os Milhões de Dólares anuais não fazem milagres. É necessário pesar a sério que Desporto queremos e que tipo de Futebol temos no País. Os clubes devem pesar em formar Associações (Norte, Sul e Centro) chamar a sua responsabilidade a realização dos campeonatos dos escalões de Sub 14, 16 e 21, seja feminino e masculino. Neste sentido a verba colocada na Federação deve chegar a essas associações. A Federação deve fazer a monitorização e fiscalização. São Tomé e Príncipe com 46 anos de Independência não tem uma única infraestrutura desportiva com qualidade para provas internacionais. Continuamos a fazer de conta que todo está bem, sacrificando os atletas e os técnicos. Devemos parar, escutar, pensar e agir. Pelo bem do Desporto Nacional.

    • Clemilson+brasileiro

      12 de Agosto de 2021 as 0:11

      Parabéns pelo seu ótimo comentário

  3. David Monteiro

    12 de Agosto de 2021 as 9:57

    Enquanto existir remendos para formar seleção nacional nunca chegaremos a resultados convincentes. Isto serve para todas modalidades desportivas. Não havendo campeonatos nacionais, provas com estruturas sólidas a nível nacional, nas categorias sub 16, 18 e 21, fazer investimentos nas infraestruturas e quadros nacionais (Gestores Desportivos, Treinadores, Árbitros, Comentadores Desportivos, médicos Desportivos, Massagistas, Fisioterapeuta e outros) os Milhões de Dólares anuais não fazem milagres. É necessário pensar a sério que Desporto queremos e que tipo de Futebol temos no País. Os clubes devem pesar em formar Associações (Norte, Sul e Centro) chamar a sua responsabilidade a realização dos campeonatos dos escalões de Sub 14, 16 e 21, seja feminino e masculino. Neste sentido a verba colocada na Federação deve chegar a essas associações. A Federação deve fazer a monitorização e fiscalização. São Tomé e Príncipe com 46 anos de Independência não tem uma única infraestrutura desportiva com qualidade para provas internacionais. Continuamos a fazer de conta que tudo está bem, sacrificando os atletas e os técnicos. Devemos parar, escutar, pensar e agir. Pelo bem do Desporto Nacional.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo