Economia

Agricultores de Ôbô Môrro continuam com catanas erguidas contra a SATOCAO e o Governo

Os agricultores da região de Ôbô Môrro, não baixam os braços na defesa das suas terras, que o Governo quer entregar a SATOCAO. Esta semana escorraçaram uma equipa enviada pelo Governo para delimitar as terras.

A equipa enviada pela Direcção Geral da Agricultura, tinha a missão de delimitar as terras, que devem ser entregues a empresa SATOCAO. «A nossa missão é conhecer a delimitação e dentro desta limitação fazer o levantamento, para conhecer quais são os agricultores que estão dentro desta área», explicou para a RTP-África, o responsável da equipa técnica enviada pelo Governo.

Missão frustrada. Os agricultores de Ôbô Môrro, localidade vizinha do antigo estabelecimento prisional de Mouro Peixe, já entregue a SATOCAO, escorraçaram os enviados da Direcção Geral da Agricultura. «Chegamos aqui e os agricultores foram bem claros disseram para ninguém entrar», declarou o responsável da equipa técnica.

Catanas continuam erguidas na comunidade localizada na orla costeira. Região que nunca foi produtora de cacau. Alguns agricultores que produzem milho, mandioca e batata-doce nas terras de Ôbô Môrro, avisaram aos enviados do Governo que se ousassem entrar nas suas terras, seriam confrontados com catanas.

A luta pela posse de terra está acesa naquela região do distrito de Lobata, após a decisão do Governo de entregar as terras cultivadas por cerca de 200 agricultores, à empresa SATOCAO.

Os 200 agricultores, dizem que as suas terras estão envolvidas num projecto de segurança alimentar, que conta com o financiamento da cooperação taiwanesa. «Desde o ano passado que temos esse projecto, para nos apoiar na sementeira, e transformação de produtos, nomeadamente milho, mandioca e batata-doce», afirmou o representante dos agricultores em entrevista à reportagem da RTP-África, que se dirigiu ao local.

Em confronto aberto com o Governo, que já acusaram de ser sócio da SATOCAO, os 200 agricultores que há cerca de 20 anos alimentam as suas famílias através do trabalho naquelas terras, exigem que o Ministro do Plano e Desenvolvimento Agostinho Fernandes ou o Chefe do Governo, marquem presença em Ôbô Môrro, para um “frente a frente” final com os mesmos.

Abel Veiga

    19 comentários

19 comentários

  1. No Comment

    14 de Junho de 2012 as 8:48

    Neocolonização…
    “Tiremos a terra a eles e, se quizerem, que trabalhem pra nós nas condições que proposermos”
    Prezados
    Acho um disrespeito`o que o Governo deste Sr. PT anda a fazer com os agricultores de Ôbo Môrro. Não se pode de forma alguma aceitar que se tira terras cultivadas, repito, terras cultivadas aos filhos da terra para as entregar a grupos, que segundo rumorres o proprio PT é sócio, deixando os filhos da terra a sua sorte.
    Tudo tem um porquê. Acho que para que se Governe um país é necessário que os governantes amem este país. Este amor pela terra só é possivel se houver um verdadeiro sentimento de pertença, de identidade umbilical com o país em causa e isto não é, nem de longe, o caso do sr. Patrice Vianjante Trovoada.
    Acho que já é altura de se dar um basta a situação…Espero que nas proximas eleições as lagrimas de crocodilo (tipica da familia Trovoada) não venham a comover o povo…e que este Sr. suba num avião ou barco e vá para Gabão = seu lugar, sua terra e nos deixe em PAZ para sempre
    em NOME DO SR. JESUS. Aqui não tem Alá…
    Saudações de um verdadeiro Santomense.

    • Baga Tela

      15 de Junho de 2012 as 10:30

      Meu caro compatriota no coment, o dinheiro não tem alma e, juntamente com a ganacia da raça humana, nada mudará. Alguma vez já alguém perguntou quem é o dono do dinheiro que circula em STP? Certamente que não. Esses senhores (governo sombra) é que mandam.
      Achas que se quizessem mesmo STP não estaria no estado em que se encontra? Eles não têm consciência de nada. O seu único objetivo é apenas aumentar cada vez mais os seus lucros. Mesmo quando vamos às urnas, pensamos que nós é que estamos a escolher quem queremos para orientar o nosso lindo e maravilhoso país. Mas não eles é que escolhem a pessoa que eles entendem que vai fazer o que eles mandarem. Eles em maioria dos casos financiam as duas campanhas apenas nos iludir. isso é um jogo bem montado. Reparem que o mundo entrou em crise porque um banco faliu nos EUA. A economia mundial funciona como dominó. Se cai um caiem todos. Portanto os nossos governantes não passam de um pau mandado que faz de tudo para pertencer ao grupo do iluminados. Pensamos que somos livres? Pura ilusão. ´Só fazemos o que eles querem. Eu sei que não é justo mas é pura realidade desfarçada. É como disse António Aleixo: para a verdade ser segura e atingir a profundidade, é preciso tazer à mistura qualquer coisa de verdade.

  2. Fruta pão

    14 de Junho de 2012 as 9:51

    Sr “No Comment”

    Isso é teu sonho, para depois pegarem o país e fazer o que vocês quiserem.
    Na altura que destribuiram terras em trocas de votos, esqueceram que este povo não tinham condições para se investir nas terras. O que aconteceu?
    1. Cortaram todas ar arvores.
    2. Limparam o que tinha para limpar.
    3. Maioria venderam as roças e vieram para cidade.

    E agora o que querem que o governo faça? Deixa abandonadas?

    O que sr pena que é terra cultivada? 10 metros quadrado de tomate cultivado, para um equitar de terra?

    Por amor de deus… e tem mais,nuncas as terras tiverema dono, foram sempre do estado e que as recebeu sabe muito bem, se não está a gerar riqueza para o país, temos que adotar outra estrategia.

    O bom disso tudo é que as pessoas ainda podem trabalhar e ganhar algum dinheiro.

    Bem haja…

    • No Comment

      15 de Junho de 2012 as 8:31

      Fruta quê?

      O Sr. tem noção do que disse? Que os agricultores não cultivam aquelas terras? O sr. conhece Ôbo Môrro? Se sim vá la e veja se as terras estão ou não sendo cultivadas.
      E mais não digo…
      Abra os olhos!!!

    • Mr. Muclu

      15 de Junho de 2012 as 9:51

      Meus senhores.
      Eu não sou da ideia que devemos tirar a terra aos trabalhadores e dá-las a empresas porque se assim continuar daqui a pouco S.T.P será vendida para o estrangeiro. Segundo o que reportaram, os habitantes têm estado a trabalhar e contam com ajuda quanto a isso. O sr. Presidente PT acho que é ele quem referia o No Comment, Não pode fazer muito porque STP não parece mas é um país democrático onde o parlamento é que decide. Não depende do sr. PT mas sim daqueles que concordam com quem paga mais e Satocao Paga alguma coisa os trabalhadores não têm nada para dar.

  3. Fruta pão

    14 de Junho de 2012 as 9:52

    pensa*

  4. TC

    14 de Junho de 2012 as 10:41

    O programa de Sotocao é interessante e a actividade que os agricultores desenvolve no Obo Morro é interessante para sua propria substencia e para produção local de alimentos. Assim, devia-se não só deixar os agricultores cultivarem a terra, mas também apoia-los com assistencia tecnica e fornecimento de insumos por um lado e por outro analisar a situação de terras que foram entregues a ex governantes que não estão a ser trabalhadas e entregues a pessoas que têm outras actividades, como o caso das terras de Agostinho Neto, entregues a pessoas que ja têm outra parcela de estado, tendo algumas até sido trespassadas.

  5. Zeme SOOO

    14 de Junho de 2012 as 11:01

    Viva Pinto da Costa
    Viva STP
    Viva OSvaldo Vaz
    Viva Democracia

    • Estrangeiro

      14 de Junho de 2012 as 11:55

      Mas, Zeme Sooo, afinal qual e o seu problema? Sempre a escrever a mesma coisa?

  6. Carlos Ceita

    14 de Junho de 2012 as 11:53

    Meus amigos
    Estes agricultores são dos meus é assim que gosto de ver os meus compatriotas com veia reivindicadora e com postura e mentalidade de exigência para com os que deveriam estar ao seu serviço (O estado). Ao invés do espectáculo dos transes e outras poucas vergonhas que só revela cobardia e fraqueza de aqueles que o fazem e o apoiam.
    No que diz respeito a questão das terras como já afirmei de outras vezes (ao comentar o artigo do Ludmilo Tiny) há questões que devem gerar o maior consenso possível não sociedade saotomense. (ambiente e ordenamento do território) independentemente de quem governa este país.

    Este descontentamento dos agricultores só vem demonstrar que este país não esta organizado territorialmente e seria bom e por uma questão de humildade os diversos governos centrais aprendessem com O Toze Cassandra do Príncipe de como é que se faz um plano estratégico de desenvolvimento territorial a curto médio e longo prazo.
    Temos de saber onde é que se deve plantar construir casas, onde é que se deve instalar unidades industriais e sobretudo onde deve ser zonas protegidas aquilo que chamamos parque natural.

    Se não fizermos isso vamos continuar a ser um país em transe governado por trapalhões.
    PS: Não posso deixar de achar uma pequena graça a este senhor Zeme SOOO. Faz-me lembrar quando o actual governo estava na oposição e aparecia alguém aqui a dar vivas muito parecidas a estas aos actuais dirigentes. E pior do que isso faz lembras a vivas que eramos forçados a dar na primeira república sem saber porquê. Se bem que justiça seja feita a segunda republica parece ser igual ou pior ainda que a primeira.
    Apesar de tudo temos de nos habituar a dar vivas a quem apresente obras e resultados. É essa a verdadeira essência de uma democracia.

    Viva os corajosos saotomenses.

  7. Carlos Ceita

    14 de Junho de 2012 as 12:00

    …há questões que devem gerar o maior consenso possível na sociedade saotomense… para rectificar a frase anterior

  8. o estado a que o Estado chegou

    14 de Junho de 2012 as 14:07

    STP é dos poucos países que em pleno século XXI ainda não se usa os tribunais, e se levantam “catanas” e “machins”. Se alguém indignado vir este post, que recorra aos tribunais e impugne (proponha a acção em tribunal) o acto de entrega (concessão de exploração) dos terrenos à SOTACAO, tão simples como isso. Agora, com base em quê? As terras são do Estado. Sei que não adianta comentar, que não vai mudar nada. Mas, arregacem as mangas e lutem pelo vosso futuro com o dinheiro da indemnização, que decerto vos foi entregue. Lutar contra o Estado é perda de tempo, a menos…que novamente se dirijam a um TRIBUNAL!!!!!! e não com catanas!

    • HLN

      14 de Junho de 2012 as 22:02

      Concordo plenamente consigo, contudo é a única forma que o povo tem de demonstrar o seu descontentamento, porque como deves saber os tribunais não funcionam principalmente para pessoas humildes da nossa sociedade.
      Aliás antes do estado fazer o negocio com a tal Empresa, tinha que informar os agricultores, para juntos resolverem a situação uma vez que as terras encontram-se em posse dos agricultores já a muito tempo. Portanto os critérios têm que ser estudados, penso eu.

      Gostei força ai meus irmãos

  9. Machado

    14 de Junho de 2012 as 22:00

    o povo acorda é bom.
    O erro quando é feito deve ser assumido por aquele ou aqueles que o fazém …qaundo se vende a pele de um animal é melhor ter a certeza que ta morto

  10. Mr. Muclu

    15 de Junho de 2012 as 9:54

    Estou feliz por saber que o meu país está a começar a aprender a lutar pelos seus direitos.
    Força, é verdade que estou longe mas voltarei e num belo dia estarei a frente gritando e lutando pela vossa e nossa causa que é o bem comum, direitos iguais.

  11. Nando Vaz (Roça Agostinho Neto)

    15 de Junho de 2012 as 16:11

    Força Lobatos, não desistem.Com força,convicção,coragem e fé,vocês vão conseguir recuperar aquilo que é vossos por sua natureza, que o Estado falhado quer vos tirar. S.tómé ska pia tudu iné strangero ladron ku ska donóxá povo dé!..

  12. Nando Vaz (Roça Agostinho Neto)

    15 de Junho de 2012 as 16:25

    Sei que este estrangeiro, o Patrice, está a fazer isto por vingança por razões partidária.Temos que continuar com a catana erguida. S.tomé é nosso não é do Estrangeiro,lumpem de sentimento fraco,sem sentido de estado nação,e sobre tudo sem sentido de afeto para com outrem!..

  13. Nando Vaz (Roça Agostinho Neto)

    15 de Junho de 2012 as 16:28

    Lima(na foto com catana erguida), continue com mesma força de triturar cana, quando nós triturávamos a cana no Trapitchi do meu pai Sr. Quinquim!..Força…..

  14. Fédé ká Dóxi

    19 de Setembro de 2014 as 11:35

    Ergam cada vez mais as catanas e limpem bem os campos para plantarem cada vez mais. Produzir mais cacharambas.Ajudem o Senhor Ministro de Agricultura a trabalhar, para que a vossa vida mude. Não se metam na política ela é para quem tem.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo