Economia

Uma nova tecnologia a caminho de São Tomé e Príncipe

Ao convite do Senhor Reto Scherraus Fenkart, cônsul honorário da Suiça em São Tomé e Príncipe, um grupo de empreendedores e investidores suiço, esteve em São Tomé, para prospeccionar o mercado. Maciej Ziolkowski, co-fundador de uma importante empresa do sector de blockchain baseada em Londres, fez parte da delegação de empresários.

O empresário está confiante que São Tomé e Príncipe oferece oportunidades para instalar uma empresa relacionada com as tecnologias de blockchain.  «Chegaram a conclusão de que uma colaboração entre São Tomé e Príncipe de um lado e do outro seu vasto grupo composto por investidores, empreendedores e cientistas pode ser de mais alto interesse e assim decidiram de iniciar a elaboração de planos concretos e propostas a serem apresentadas já no mais próximo futuro às Autoridades Nacionais», afirmou o cônsul da Suiça em declarações ao Téla Nón.

Siga a entrevista concedida pelo cônsul Reto Scherraus Fenkart : 

Pergunta: O que é que o motivou para promover este encontro?

RSF : Visitei a Ilha de São Tomé pela primeira vez em 1997 e foi um autêntico Amor à primeira vista. Eu vi rapidamente as vantagens do tamanho pequeno do País e da insularidade, mas não é segredo nenhum que estes trazem também bastantes desvantagens e dificuldades. Assim penso constantemente o que poderia ser feito para São Tomé e Príncipe para promover o País e contribuir para sua economia. Já que falamos nisto, no final desta semana vai ser iniciada uma nova experiência no ramo agrícola, mas é ainda muito demasiado cedo para falarmos nisto e não é esse o tópico que o trouxe até cá. Para concretamente responder à sua pergunta: Eu acredito que a Tecnologia Blockchain é “the new thing” e estamos no momento certo de introduzila aqui no País.

Porque acredita nisto?
RSF: Para já, depois de começar a ler sobre esta tecnologia que é melhor conhecida através do famoso Bitcoin, mas toda ela vai muito além das criptomoedas mesmo, estou convencido que esta ainda nova tecnologia veio para ficar. Falo com pessoas envolvidas nesta tecnologia a todos os níveis e visito conferências. Todo o ambiente faz me lembrar o início da Internet. E não é um segredo que a Internet alterou totalmente as nossas vidas, também em São Tomé. Assim, quanto mais cedo tomamos vantagem desta nova tecnologia, melhor nos poderemos posicionar. E seguramente não é puro acaso que no mui recente Word Trade Repport 2018 da WTO vem Blockchain referida como uma das quatro inovações com possivelmente mais impacto no comércio.

P: Quais são agora os seus planos?

RSF: Bem, no início deste ano recebi uma mensagem no whatsapp do Sr Ziolkowski que me perguntou sobre São Tomé e Príncipe e quanto eu lhe cobraria para ajudá-lo a montar uma empresa aqui. Fui ao google e descobri que este Senhor foi na Polónia um verdadeiro pioneiro em Bitcoin e Blockchain e fiz-lhe uma proposta no sentido de nos ajudarmos mutuamente e com intercâmbio de conhecimentos. Pessoalmente gosto muito deste “winwin” e ambos tivemos um com o outro logo um excelente entendimento.
Começou então uma fase de encontros quase mensais entre a Polónia, Portugal e especialmente a Suíça, onde entretanto iniciámos a nossa primeira jointventure. Esta empresa Suíça está prevista de vir a São Tomé. Gostaríamos de criar uma instituição onde pessoas interessadas poderão aprender a tecnologia e os necessários conhecimentos de programação e ao mesmo tempo por a funcionar um incubador de negócios relacionados a esta tecnologia. Acredito que há uma quantidade imensa de coisas para fazer, mas o mais importante é agora de elaborar uma proposta muito concreta sobre as actividades que pretendemos exercer no País antes de nos aproximarmos das Autoridades.

P: Não acha que ainda é demasiado cedo para o Bitcoin em São Tomé?

RSF: Bem… o Bitcoin já está cá! Este Sábado, dia 13 de Outubro às 10h43, o Sr Ziolkowsky enviou-me, aqui no terraço onde estamos sentado neste momento, uma pequena transferência de Bitcoin para teste. Como orgulhosamente sou cidadão Sãotomense, tudo me leva a crer que esta transferência deve ter sido a primeira em São Tomé e envolvendo um cidadão nacional… Mas, obviamente, seria um pouco arrogante da minha parte de simplesmente assumir isso. Assim, se houver mais “coiners” em São Tomé, e especialmente se a tecnologia já foi usada antes desta data, o que seria muito bom sinal, e me deixaria bastante satisfeito e ainda mais convicto de estar no caminho certo, eu gostaria muito que esta ou estas pessoas entrassem em contacto comigo!

P: Gostaria ainda transmitir algo aos nossos leitores?

RSF: Obrigado, caro Senhor Veiga, para esta oportunidade, e sim, com muito prazer. Nós desejamos de trabalhar com o País de São Tomé e Príncipe e com a sua gente. Assim, se gentilmente puder publicar o nosso endereço electrónico, de modo que qualquer pessoa interessada possa contactar-nos, nós apreciaríamos realmente: info@wbinst.org e mais uma vez, muito obrigado pela sua visita.

FIM
Praia Nazaré, São Tomé, 17 de Outubro de 2018

    44 comentários

44 comentários

  1. anonimo

    22 de Outubro de 2018 as 11:55

    falou falou e não disse nada de geito, fiquei sem perceber qual o investimento

    • Reto

      23 de Outubro de 2018 as 19:09

      estimado… se tiver dúvidas, contacte-me à vontade, mas por favor não anonimamente! Estou disposto à qualquer conversa aberta para esclarecer. Somos pessoas de bem e não esonderemos nada… aproveito para avisar que o nosso endereço electrónico saiu errado no artigo, por favor notem bem, é info@wb-inst.org

  2. Nuno Menezes

    22 de Outubro de 2018 as 12:35

    Falar é Fácil Difícil É fazer.
    Falar as coisas que quer ou tão pouco o que bem entende é muito fácil, difícil mesmo é fazer depois com que elas venham a prevalecer.Toda a palavra proferida tem seu peso e valor. Então mais vale ser franco e sucinto do que curto e grosso.

    Nuno Menezes
    Reino Unido,Lincoln

    • Reto

      23 de Outubro de 2018 as 19:12

      estimado Nuno Menezes, não creio ter sido nem curto nem grosso… mas numa coisa tem razão: Falar é fácil e fazer é difícil… e às vezes o mais difícil é que “nos deixem de fazer”… não se esqueça disso, se jamais não conseguirmos fazer o que queremos e, isso é muito importante, julgue-nos dentro de uns anos, quando o mundo saberá, se estivemos certos ou errados, de indicar esta tecnologia como o caminho do futuro… estou disponível em info@wb-inst.org – bem haja

      • Nuno Menezes

        24 de Outubro de 2018 as 9:28

        Mr.Reto as minhas ultimas palavras foram Então mais vale ser franco e sucinto do que curto e grosso,nao escrevi que o senhor foi grosso ou curto.
        A minha area dentro do Reino Unido é Microsoft Developer Network: Microsoft Developer Network is the portion of Microsoft responsible for managing the firm’s relationship with developers and testers, such as hardware developers interested in the operating system, and software developers developing on the various OS platforms or using the API or scripting languages of Microsoft’s applications. The relationship management is situated in assorted media: web sites, newsletters, developer conferences, trade media, blogs and DVD distribution. The life cycle of the relationships ranges from legacy support through evangelizing potential offerings.
        Com certificado Microsoft MSDN se por acaso se precisar… podemos entrar em conctato.

        • Reto Scherraus-Fenkart

          28 de Outubro de 2018 as 6:08

          Mr Nuno, no offense taken… sempre tem interesse falar com quem esteja tão profundamente dentro das tecnologias. Um vertente acadêmica está prevista no projecto, entre em contacto connosco e teremos imenso gosto em avisar quando estivermos prontos a iniciar as actividades… bem haja

          • Nuno Menezes

            30 de Outubro de 2018 as 13:05

            Mr.Reto Scherraus-Fenkart

            Nao existe ofensa da minha parte,obrigado antes de tudo,mais no entanto temos que saber perder e temos que saber ganhar…E ficamos triste sempre quando dao nao gosto no nosso comentario e feliz quando assim dao Gosto no comentario, vi que neste jornal online sem razoes e vista da minha parte, deram nao gosto no seu comentario mesma coisa saber perder no jogo ou numa aposta que assim podemos jogar ou apostar (bitcoin),apenas temos que manter a cabeca erguida e apostar sempre positivo quando assim existe alguem que queira nos por em baixo ou comentar algo ou mesmo dar nao gosto no comentario,ou mesmo perder um jogo, e isso na Europa tambem existe nao apenas em Africa.
            O Problema temos que ser professional e nao dar miminhos.
            Pensei eu que as actividades ja esta em funcionamento em Sao Tome and Principe se nao estiver em funcionamento termino da forma como comecei.

            Falar é Fácil Difícil É fazer.
            Falar as coisas que quer ou tão pouco o que bem entende é muito fácil, difícil mesmo é fazer depois com que elas venham a prevalecer.Toda a palavra proferida tem seu peso e valor. Então mais vale ser franco e sucinto do que curto e grosso.

            Nuno Menezes
            Reino Unido,Lincoln

      • Nuno Menezes

        24 de Outubro de 2018 as 11:49

        Mr.Reto
        Nao imformei que o senhor foi grosso ou curto,minhas ultimas palavras foram; Toda a palavra proferida tem seu peso e valor. Então mais vale ser franco e sucinto do que curto e grosso.
        A tecnonologia como o caminho do futuro,tudo depende da tecnologia, existe ordens que se da na tecnologia, a mesma ordem se pode considerar como o caminho do futuro ou como nao, tudo depende como é aplicavel essa mesma ordem e tambem é analizada pela Europa union essa mesma ordem aonde os mesmos da a luz verde como o caminho para o futuro e é tambem considerado.
        Mais no entanto falando da tecnologia eu sou formado no Reino unido com certificado da microsoft msdn e tambem noutras areas que nao pertence a essa mesma tecnologia,Eu sou Microsoft Developer Network (MSDN).Microsoft Developer Network (MSDN) is the portion of Microsoft responsible for managing the firm’s relationship with developers and testers, such as hardware developers interested in the operating system (OS), and software developers developing on the various OS platforms or using the API or scripting languages of Microsoft’s applications. The relationship management is situated in assorted media: web sites, newsletters, developer conferences, trade media, blogs and DVD distribution. The life cycle of the relationships ranges from legacy support through evangelizing potential offerings.
        Como assim informei tenho certificado Original e quem sabe podemos trocar de ideias e aplicar de uma forma saudavel a tecnologia para o Futuro.

        Nuno Menezes
        Reino Unido,Lincoln

  3. Mengão

    22 de Outubro de 2018 as 13:37

    Anónimo, siceramente falando. Também não intendi qual investimento.

    • Reto Scherraus-Fenkart

      23 de Outubro de 2018 as 19:16

      estimado Mengão. O tema e a temática realmente é extremamente complexa. Simplesemente não houve espaço para esclarecer aqui a matéria, só havia uma oportunidade para anunciar que estamos a trabalhar neste projecto. Peço-lhe de fazer uma pesquise na internet (é fácil, acredite-me! Aparecem muitos artigos bem elucidativos). O investimento é no sector dos serviços e da formação. Qualquer pergunta que tenha, não hesite em contactar pelo info@wb-inst.org

  4. Vexado

    22 de Outubro de 2018 as 14:22

    Quem não entende de moeda digital é melhor não arriscar.
    Para caso desses, convém analisar mercado japonês, americano e outros.

    As carteiras de moeda virtual quando perde ficas sem nada. Além de consumir muita energia para gerar essas moedas, não compensa actualmente.

    • Reto Scherraus-Fenkart

      23 de Outubro de 2018 as 19:20

      caro Vexado. Tem toda a razão. O mesmo se aplica para a batata e a restauração e muito mais… quem não entende de agricultura, não deve plantar batata e quem não sabe receber e gerir uma empresa de restauração, nem uma tasca deveria abrir. E agora..? Primeiro é preciso entender que a tecnologia blockchain vai MUITO além das “crypto-moedas”. Além disso, a nossa intenção é ENSNAR… então, calma… one step at the time..!!! Estamos disponíveis em info@wb-inst.org

  5. Jacob

    22 de Outubro de 2018 as 16:52

    Grande oportunidade pra o meu povo mas pra aqueles de mente aberta, de salientar q o tal sr ñ é o primeiro, conheço alguns Santomenses q ja estão registados no qual sou um.

    • Reto Scherraus-Fenkart

      23 de Outubro de 2018 as 19:23

      estimado Jacob… pois, eu estava (quase) convencido que não fosse o primeiro, mas – confesso! – provoquei um pouco neste sentido… fez resultado… por favor, caros colegas “coiners”, deixem-nos entrar em contacto uns com os outros… se Vocês estão já metidos neste mundo novo, sabem das potencialidades que ele nos oferece… e quando digo “nós” penso não prioritariamente em nós como pessoas mas em nós como São Tomé e Príncipe. Juntemo-nos e conversemos o que se pode fazer. Podem falar para nós no info@wb-inst.org

  6. Martelo da Justiça

    22 de Outubro de 2018 as 18:11

    O que é isso de blockchain? A entrevista não foi nada esclarecedora para os leitores. O essencial não foi dito.

    • Reto Scherraus-Fenkart

      23 de Outubro de 2018 as 19:26

      estimado Martelo da Justiça. Com o devido respeito (que se tem de ter de um “martel”..!!!), o ESSENCIAL foi dito… estamos cá e queremos entrar no País. Todo o resto, o melhor amigo de todos nós (o google!!!) nos explicará. Não posso ocupar (nem me deixariam!) o escaço espaço de uma entrevista para ter uma aula… blockchain é uma realidade, não é esotérico… está ao alcance de TODOS NÓS QUE QUEREMOS..!!! Estou contactável em info@wb-inst.corg

      • Reto Scherraus-Fenkart

        23 de Outubro de 2018 as 21:04

        desculpe, é info@wb-inst.org (o c no encereço antes transmitido é um tpo!!!)]

      • Geekiti

        23 de Outubro de 2018 as 22:53

        Lol…

        A Blockchain, sozinha só é uma tecnologia baseada sobre certos principios, arquitectura e tools, mas…O mas importante é suas implémenções ou applicações e existem varias plataformas! O bitcoin é uma delas…

        Reunir investidores e apresentar a blockchain sem falar de uma qualquer applicaçao concreta e util, em uma area de atividade qualquer…é “zopo” só, do meu ponto de vista de informatico!

        O seu discurso nao parece claro porque o seus objectivos nao sao claros…

        Estao a tentar usar o termo blockchain quando apenas o negocio das cryptomoedas vos interessa e principalmente atrair investidores…

        O artigo cà présente neste jornal só tem esse objectivo: dar uma imagem oficial do seu negocio em STP e convencer mais pessoas…para lhe contactar! Mesmo a foto de ilustraçãoo mostra isso!

        Bela forma de falar de tecnologia (ironia inside). Sejam honestos e falam simplesmente de business…mais um business, onde o povo tem pouco a ganhar ou com maus efeitos ao longo para o pais!

  7. Serafim Mascarenhas

    22 de Outubro de 2018 as 18:44

    Também eu não percebi o investimento,,mas suíço são bons investidores

    • Reto Scherraus-Fenkart

      23 de Outubro de 2018 as 19:44

      estimado Serafim Mascarenhas. Agradeço o elogio… os investidores são internacionais, o know-how vem essencialmente da Polónia e a iniciativa foi minha, esta é a parte da Suíça, se assim quiser, mas como já fui naturalizado São-tomense, também é nacional… independentemente das origens, o que conta é que podemos avançar e para isso contamos com cada um que esteja interessado. Por favo rinformem-se de que significa a tecnologia blockhcain, a internet é uma fonte inesgotável, também sobre este tema… benvindos em info@wb-inst.org

  8. Cabrapinto

    22 de Outubro de 2018 as 21:46

    Será que essa tecnologia serve para pagar corrida de motoqueiro e arroz 13 conto ?

    • Reto Scherraus-Fenkart

      23 de Outubro de 2018 as 19:47

      estimado Cabrapinto, creio ter que desiludi-lo… para o imediato falamos de valores (ainda) mais altos… mas, como consolação, deixo aqui uma dica… se calhar não baixará o preço do arroz com esta tecnologia, mas pode muito bem ser que os salarios no País começarão a aumentar e assim a qualidade de vida. Nem que seja só pouco a pouco…

  9. Matrusso

    23 de Outubro de 2018 as 3:23

    blockchain é uma tecnologia de registro distribuído que visa a descentralização como medida de segurança. São bases de registros e dados distribuídos e compartilhados que têm a função de criar um índice global para todas as transações que ocorrem em um determinado mercado.
    Por palavras minhas;
    “Sistema de transações monetárias digitais”
    Agora meu pto de vista sistema para retirar pra exterior todos valores monetários de stp. Parece arogante e estúpido meu raciocino, prq para um país q nada produz para expotar, só vai servir mesmo para exportar o pouco valor monetário que tem.
    Mas tiram as vossas conclusões.

    • Reto Scherraus-Fenkart

      23 de Outubro de 2018 as 19:51

      estimado Matrusso, mais uma vez: “crypto currency” é uma coisa, “blockchain” é onde está… daí: Se nós queremos introduzir a tecnologia no País, não quer dizer que as moedas digitais, como as chama, sejam a parte essencial… não vamos tirar valores do País, seguramente não! Vamos trazer novas tecnologias para criar mais valores e novos valores… contacte-nos, se lhe apetecer, e coloca-nos as suas dúvidas: info@wb-inst.org

  10. Antonio Nildon

    23 de Outubro de 2018 as 4:54

    Seria melhor convidar os estrangeiros para compartilharrm conhecimentos nas áreas de ciências, tecnologia, mecânica, medicina, eletrônica, construção de aparelhos, viaturas, barcos, aviões, e sobretudo nas áreas da indústria de transformação de produtos alimentares, medicamentos, turismo, etc do que essa AVENTURA do BitCoin. O povo Santomense se calhar irá chegar a conclusão que o Bit Coin não é prioridade neste momento. Será que o Governo Americano reconhece esse investimento e dá seguranças bancárias ao BitCon? Não sei, e nunca ouvi dizer que o FDI dos EUA reconhecem o BitCon com legitimidade. Não intendo convencer a ninguém para investir nisso ou não. É preciso investigar muito cautelosamente antes de investir o seu dinheiro no BitCon. Eu não tenho nenhuma intenção em fazer parte do BitCoin porque existe muito risco neste investimento. Quem tem sorte, tenta e aproveita tirar lucros ou rendimentos a curto prazo. Não me parece que o BitCoin irá substituir o dollar. Eu não vou acusar essa gente de BitCoin de fraudes—- mas aconselho as pessoas para não fazerem investimentos sem saber a consequência. Prudência: use your judgment & wisdom to weigh in pros and cons. Good luck

    • Reto Scherraus-Fenkart

      23 de Outubro de 2018 as 20:28

      estimado António Nildon. Estamos de acordo numa coisa, o BTC ainda pode cair até zero… mesmo que eu, pessoalmente, eu considere esta hipótese pelo menos como improvável. Mas não é disso que se trata a nossa iniciativa. Queremos introduzir em STP a tecnologia per se, não o BTC e, sobretudo, não queremos levar ninguém a investir no BTC e muito menos especular se alguma vez o BTC se substituirá ao USD, não se trata de modo algum disso. O BTC é somente uma de inúmeras aplicações desta nova tecnologia de blockchain, que queremos, se as Autoridades nos deixarão, levar a STP. Acreditamos que a tecnologia poderá trazer grandes mais-valias em vários campos ao País e constituir um caminho de andar no futuro. Por favor compare outros paises como – por exemplo – a Suíça ou o Principado de Liechtenstein – que apostam com imenso sucesso nesta tecnologia. Estamos ao dispor: info@wb-inst.org

  11. Admirado

    23 de Outubro de 2018 as 9:41

    Se planearem fazer a mineração, Não tem futuro porque é preciso muita energia, coisa que stp não tem em condições. Segundo, eu pessoalmente(São-tomense) trabalho para empresa na área das criptoedas ou seja numa exchange, e não vejo vejo futuro para as negociações(trade) com criptomoedas como BitCoin(BTC), litCoin, ou qualquer outra AltCoins ou mesmo tokens como a ETH e etc, sem falarmos da volatilidade. Terceiro, esta é uma área não regulamentada, se vos derem calote tudo estará perdido(na maior parte das vezes). E por ultimo qual é o investimento, a criação de uma exchange? E se assim for, terá como publico alvo o mercado STP ou os demais ao redor? Vcs pretendem criar a vossa própria moeda no futuro?

    • Reto Scherraus-Fenkart

      23 de Outubro de 2018 as 20:34

      estimado Admirado. Para começar no fim: Não está fora de hipótese de criar uma própria moeda nossa, mas seguramente não é uma prioridade. Do resto, concordo com as suas observações. STP não é o sítio certo para o “mining” (além disso, o grande negócio já não é o mining, isto já foi!) e, mais uma vez refiro, não se trata da nossa iniciativa de “um negócio de crypto-moedas”. A tecnologia é uma coisa, as moedas são uma pequena parte dela. Há tanto para fazer que às vezes tenho impressão que me falta tempo de pensar nas moedas… consigo fazer-me entender..? Ao dispor, info@wb-inst.org

  12. Geekiti

    23 de Outubro de 2018 as 16:20

    Isto é mesmo incrível !

    Como dizia o Nicolas Boileau :
    « Ce que l’on conçoit bien s’énonce clairement, et les mots pour le dire arrivent aisément. »
    traduzindo mas ou menos por:
    “O que é bem concebido é expressa claramente e as palavras para o dizer que vem facilmente”

    Uma entrevista de apresentação que não esclarece minimamente nada nem as intenções dos investidores…é porque jà esta cheirando mal para o pais! Bili wué !!!

    Parece que STP agora só atira pessoas ou negócios, à primeira vista, bem duvidosos…

    Um pais com uma moeda fraca, instabilidade politica e pb de energia (instabilidade, pouca potencia e cobertura parcial do pais) e parcialmente informatizado, como que ele pode pretender usar convenientemente tecnologias como a Blockchain, apesar de todas as oportunidades que ela oferece fora do campo das criptomoedas?

    A tecnologia Blockchain (que não é só usada para Criptomoedas ditas “moedas virtuais”), pela forma distribuída como a integridade dos dados é garantida, permite de facto muitos “bons usos” principalmente nos campos da administração publica, da saúde, por exemplo para seguir o dossier pessoal do pacientes ou manter registos de qualquer processo administrativo ou transacção…

    Mas infelizmente, STP nem pode ainda fazer estes usos, porque o nosso pais não tem energia estável garantida para permitir o uso da tecnologia em qualquer momento no pais. O pais não atingio ainda o nível mínimo requerido de informatização (computadores, redes e programas…) em todos sectores (administração publica, empresas…)

    Nos não podemos “Colocar a carroça na frente dos bois”! Se não, isto não passa de uma aldrabice de novo que vai ter efeitos negativos sobre nosso povo e pais

    Quanto a introdução ou uso de criptomoedas ditas “moeda virtuais” como o Bitcoin, é muito fácil constatar a instabilidade de tais moedas quando se segue minimamente a actualidade financeira mundial…
    Devemos ter muita cautela com isto neste nosso frágil pais…Para alem do uso de tais moedas para muitos negócios nas limites da legalidade, é também um meio par novas aldrabices financeiras (esquemas como Scam; Ponzi; Pirâmide multinivel…)

    Se vieram em STP, apenas para o uso financeiro da tecnologia Blockchain seja as criptomoedas Bitcoin… , eu suspeito estes senhores, que tanto apreciam STP por tal motivos: montar empresas fantasmas que vão propor transacções com criptomoedas (moedas virtuais) a investidores mundiais em troca de dinheiro verdadeiro e depois desaparecerem…Isto é pior que transformar STP é um paraíso fiscal: porque é tudo virtual, para as vitimas como para o “paraíso”…E só fumos!

    Um paralelo: O indicativo telefónico de STP, nos anos 90 até 2000, foi usado por sistemas internacionais de Sexo ao telefone, uma tecnologia/negocio emergente do momento…mas que acabo por ser um negocio muito limite pelas suas praticas e facturação! STP foi black-listado e Até hoje, nos pagamos isto: os preços de chamadas para internacionais para STP é dos mais altos por causa de esta mà fama! E eu nao me lembro de qualquer benefícios para o pais…talvez os dirigentes da época tiram algum lucro!

    Isto para dizer que: bem que STP seja um pais em busca de oportunidades de desenvolvimento, nos devemos ter uma visão ao longo prazo, fazer as coisas na boa ordem de prioridades e evitar negócios que não parecem claros ou que vem de esferas ainda instáveis como o Bitcoin!

    Eu só espero que os nossos dirigentes, quadros e a população globalmente, estejam atentos que antes de envolverem o pais, tomem em conta os comentários e aprofundam tais assuntos seja na assembleia ou em inquéritos!

    Bili wué !

  13. Reto Scherraus-Fenkart

    23 de Outubro de 2018 as 20:59

    estimado Geekiti, entendo e partilho as suas preoucpações. Pois é, houve um número grande de “empresários oportunistas que cairam de para-quedas” em São Tomé, fizeram os seus negócios rápidos e lucrativos para de seguida desaparecer com eles para sempre. Eu bem sei… e conheço alguns casos destes casos. Não me servirá grande coisa dizer que não é o meu caso. Mas faço-o na mesma: Vim pela primeira vez a São Tomé em 1997 e voltei porque GOSTO DE SAO TOME..!!! Recebi a nacionalidade São-tomense porque pedi, porque quero ser parte de São Tomé e porque me sinto em casa em São Tomé. Não prometo que o meu projecto será a salvação do País, nem que seja com este projecto que todos os problemas se resolvem. Nem prometo que o projecto seja um sucesso. Mas, como acredito nesta nova tecnologia e a acho revolucionária, estou com a minha palavra de honra aqui, perante a Comunidade, que NUNCA embarcarei conscientemente num projecto que reconhecerei como fraude ao País para, de seguida, sair do País com os bolsos cheios. Quero poder voltar em qualquer altura sem ser mal visto a São Tomé. Acredito que estamos no início de uma revolução tecnológica que poderá – se soubermos manejar bem as coisas – trazer tremendas mais-valias a São Tomé. É negócio? Sim, é… e se resultar pode até ser um bom negócio… mas neste caso será para bem de todos, não só para alguns. É isso que conta! A maior vertente no início do projecto é a parte académica em que queremos TRANSMITIR E PARTILHAR O CONHECIMENTO. Está livre de pensar o que quiser de mim, mas contacte-me, por favor, sobretudo se não acreitar no que escrevi aqui como resposta ao seu comentário: info@wb-inst.org

  14. Fernandes

    23 de Outubro de 2018 as 22:01

    Muito dizem que a tecnologia veio para ficar e que vai revolucionar o mundo das financas. Sao Tomé teria muito a ganhar se conseguir fazer um negocio win/win com estes investidores .
    no entanto,o nosso pais padece de um problema serio de falta de energia eléctrica e do que sei sobre a matéria a tecnologia recorre ao uso de computadores extremamente potentes com consumos de energia extremamente elevados.
    Esta e uma questão que deve ser analisada com muita cautela por ambos os lados .
    Para além disso , esta tecnologia tem sido introduzida nos países mais desenvolvidos com muita cautela , devido a falta de legislação para regular as transações efectuadas com o recurso a blockchain porque facilita a realização de operações pouco licitas .
    No entanto, e um projecto que acho que deve ir para frente e apresentado as autoridades competentes que antes de tomar qualquer decisao devera criar um grupo de pessoas com algum conhecimento , na materia e capazes de defender os interesses nacionais , de. Forma a ficarmos todos a ganhar.

    • Reto Scherraus-Fenkart

      25 de Outubro de 2018 as 17:19

      estimado Fernandes, inteiramente de acordo com o seu comentário. Aliás nomeadamente também pelo motivo, de efectivamente ter-se que falar ANTES com as Autoridades, não avançámos demasiado com os detalhes do negócio… mas quisemos anunciar que pensamos actualmente na possibilidade de criar uma empresa que implantará a TECNOLOGIA de blockchain em São Tomé… e, mais uma vez, a cripto-moeda não é a parte essencial! Daí, o problema da energia (que nos preocupa tremendamente) não é pelos motivos por Si sugeridos essencial, mas pelo facto do País necessitar de um abastecimento mais estável (e sustentável!) do que no presente encontramos. Ao dispor

  15. Seabra

    23 de Outubro de 2018 as 22:13

    STP precisa de moeda e/ou dinheiro REAL e não virtual, como o BITCOIN.
    Come on!!!

    • Reto Scherraus-Fenkart

      25 de Outubro de 2018 as 17:21

      estimado Seabra, dou-lhe razão. E não é para implantar o BTC em São Tomé que o País precisará de nós, e não é esse o nosso objectivo. Podemos utilizá-lo como todos os outros… mas longe de nós de fazer disso a nossa batalha… é tudo sobre a tecnologia em si…

  16. Preocupada....

    24 de Outubro de 2018 as 3:03

    Como pode um investidor numa entrevista não esclarecer ao público alvo o significado do seu investimento, suas vantagens e desvantagens, e, mandar as pessoas irem pesquisar no google? Ou ele não sabe do que está falando ou acha que o público alvo é ignorante. Essa postura deixa claro que este investimento não é confiável, pois qualquer investidor na primeira oportunidade que tiver para publicitar o seu projecto de investimento é dizer o seu significado e suas vantagens. Convenhamos. Os dirigentes que analisem muito bem essas questões antes de autorizarem, porque são-tomenses têm maninha de se atrapalhar quando assunto é dinheiro.

    • Reto Scherraus-Fenkart

      25 de Outubro de 2018 as 17:30

      estimada Preocupada! Acho bem que esteja (preocupada), é sinal de ponderação. Foi-me gentilmente concedido a oportunidade de anunciar numa curta entrevista a intenção dos investidores que convidei vir visitar o País a sua intenção de tornarem-se activos no País. Nada mais. Se numa entrevista se falasse que um grupo de investidores querem implementar um negócio do ramo automóvel, provavelmente ninguém estaria à espera que nesta entrevista se explicasse o funcionamento do motor nem que se explicasse, antes da obtenção dos necessários alvarás, qual exactamente é o negócio que têm em mente. Daí a minha posição, dei a conhecer o facto de existir a vontade de um grupo de pessoas e empresas muito interessantes de lançar um projecto em São Tomé, todo o resto seguirá quando está na altura certa. Sobre a tecnologia propriamente dito, se pode encontrar muita informação, ela está ao alcance de quem quer. Contudo, já me pus várias vezes ao dispor para ser contactado para quem realmente sentir necessidade de saber mais ou queira contribuir. Mas por favor não diga que nós achamos o público ignorante, isto não é justo… se fosse assim, não viriamos a abrir o jogo e falar abertamente sobre as nossas intenções..!!!

  17. Antonio Nilson

    24 de Outubro de 2018 as 8:40

    O próximo Governo de STP terá muitas responsabilidades, muitos problemas para resolver e existe expectativas que os membros do governo irao tratar o povo Santomense com mais respeito e dignidade. Uma idea que gostaria de salientar é sobre a criação de um sistema bancário que garanta segurança aos investimentos privados. Bancos de confiança que dão incentivos para se confiar nos investimentos privados. Os tribunais também terão que ser livres e independentes da corrupção ou do controlo do governo.

    Os futuros investidores querem ver estabilidade e segurança. Anteriormente, eu fiz referência ao FDIC para balançar o risco de investimentos. Se STP criar um sistema bancário que garante mais confiança e mais segurança, acredito que será um positivo passo para o país.
    Meu povo querido, verifique neste site sobre o propósito do FDIC:

    Para tradução, faz a cópia deste texto e transporte-o neste site:
    Eu acredito que todos nós Santomenses dentro das nossas possibilidades e limitações, devemos dar contribuições positivas para a nossa sociedade e para o nosso povo. Alertar as pessoas sobre os riscos, dar ideias, e ajudar o país dentro das nossas possibilidades. Não é exigente que seja assim, mas como um ato de humildade e consideração a terra que nos viu nascer, eu penso ser uma boa ideia por isso acredito em contribuir com solidariedade e caridade. Parece-me ser algo de louvar. Não tenho ilusão que toda a gente concorde comigo ou que todos valorizam o nosso povo e dão amor à São Tomé e Príncipe. Eu fico, entretanto, com esperança que com o Tela Non poderemos continuar a dar ideais construtivas, fazer contribuições e dar sugestões para ajudar o povo e o país.

    • Reto Scherraus-Fenkart

      25 de Outubro de 2018 as 17:33

      estimado Antonio Nilson, agradeço as suas palavras, conte connosco..! Bem haja

  18. ´Vaima Shamar

    24 de Outubro de 2018 as 10:17

    Bitcoin? Blockchain? Suíça? Tudo junto não cheira muito bem…

    • Reto Scherraus-Fenkart

      25 de Outubro de 2018 as 17:37

      estimada Vaima Shamar, por favor deixe de lado o BTC para um momento e veja a nível mundial a combinação de “blockchain” e “Suíça”… virá que está uma das combinações que mais deu – no sentido positivo – a falar nos últimos meses e que a Suíça está a desenvolver um papel admirável no sentido de sustentar a tecnologia de um modo controlado e sobretudo ético. Até ao ponto de que a Suíça se tornou uma praça díficil de entrar, mas uma vez dentro, muito gratificante para estar. A combinação que lhe leventou suspeita, deveria dar-lhe esperança..!!!

  19. Geekiti

    24 de Outubro de 2018 as 13:43

    Energia estavel no pais…

    Ajudem-nos a resolver primeiro esse pb e estaremos pronto a experimentar qualquer tecnologia!

    O Win-Win começa por isso!

    • Reto Scherraus-Fenkart

      25 de Outubro de 2018 as 17:40

      estimado Geekiti, também eu gostaria de ver o problema da energia resolvido ou pelo menos substancialmente melhorado… mas cada um luta no seu lugar, este não é meu. E não podemos esperar que um se resolve para começar a tornar-nos activos no nosso canto. É agora que é preciso agir. E assim com o tempo o win-win virá… oxalá que seja um win-win-win..!!!

  20. Fábio Pereira

    24 de Outubro de 2018 as 15:29

    Boa tarde a todos,

    Este Sr. está completamente enganado, sou São-tomense, recebo e transmito BTC’s desde 2013.

    Abraços,
    FMP

    • Reto Scherraus-Fenkart

      25 de Outubro de 2018 as 17:14

      estimado Fábio Pereira, não estou “completamente enganado”, mas expressei uma dúvida que agora me esclareceu… agradeço..!!! E ao seu amável e-mail que me enviou, responderei oportuna e extensamente, desde já o meu agradecimento…

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo