Economia

Água “cara” irriga cultura da Pimenta em Rio Lima

Com o financiamento do FIDA(Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola), a comunidade de Rio Lima, líder nacional na produção de Pimenta de alta qualidade, beneficia doravante de água para irrigação dos campos e também para o processamento da pimenta.

A água que chegou a Rio Lima vem dos reservatórios da Água Moreira, localizados numa zona declivosa, à cerca de 1 quilómetro e meio de Rio Lima.

Para a água subir o declive e chegar a Rio Lima, é necessário que seja bombeada. A energia da rede da empresa de electricidade garante o bombeamento da água. Quando se regista cortes no fornecimento de energia da EMAE, um gerador de emergência tem que entrar em funcionamento.

Um processo que acarreta custos financeiros significativos para os cofres do Estado. No entanto a fileira da Pimenta é uma das culturas de exportação que tem gerado receitas para os cofres do Estado e para centenas de famílias de São Tomé e Príncipe.

A Cooperativa de produção e exportação da pimenta biológica, através do seu Presidente Carlos Tavares, assegurou que o sistema que fornece água para os campos de cultivo, vai elevar a produção e a qualidade da pimenta. «Com certeza vamos melhorar a qualidade da pimenta no mercado nacional e internacional. É uma obra de carácter social, económico e ambiental», afirmou o Presidente da Cooperativa.

O carácter social do projecto que foi inaugurado pelo Primeiro Ministro Jorge Bom Jesus, tem a ver com o benefício pela população local do precioso líquido que é bombeado pela EMAE até Rio Lima. «Todos  temos que nos dar as mãos para resolvermos os nossos problemas», afirmou Jorge Bom Jesus.

A água bombeada alimenta também a população de Diogo Simão, localidade vizinha de Rio Lima. A escola de Diogo Simão que alberga cerca de 800 crianças passa assim a beneficiar de água.

120 produtores de pimenta e de baunilha de Rio Lima, já beneficiam de água para irrigar os campos, e garantir a produção da pimenta incluindo na estação seca. Note- se que a pimenta é uma cultura que depende muito da irrigação para atingir a máxima produção.

Abel Veiga

    11 comentários

11 comentários

  1. Alligator

    3 de Abril de 2019 as 9:02

    São destas noticias que realmente precisamos e que nos faz bem a alma.

  2. Agricultor

    3 de Abril de 2019 as 11:00

    O novo sistema de abastecimento de água potável, é para tratamento de pimenta da Cooperativa, abastece a população de Rio Lima e Diogo Simão.
    Não é para irrigação.

  3. Carlos TAVARES

    3 de Abril de 2019 as 12:25

    Apenas para fazer um pequeno reparo, não se trata da água para a irrigação da cultura de pimentas em Rio Lima, mas sim, água para o processamento da pimenta na unidade de preparação.

    No último paragrafo da notícia “120 produtores de pimenta e de baunilha de Rio Lima, já beneficiam de água para irrigar os campos,….” em nenhum momento, isso foi dito.

  4. Nuno Miguel Menezes

    3 de Abril de 2019 as 12:46

    Lindo de ver,sera lindo aplicar o que esta imagem a exportacao do nosso Produto que assim existe dentro de Sao Tome and Principe incluindo carambola o fruto.
    A primeira verdadeira imagem temos que fazer conhecer que assim existimos,fazer publicidade… e essa publicidade nao na televisao Publica dentro do Pais,mais sim o Senhor Ministro de Agricultura de Sao Tome and Principe comecar a sair fora do Pais igual ao Senhor Primeiro Ministro de Sao Tome and Principe para assim fazer essa mesma publicidade, ele o Senhor Ministro de Agricultura e seus representantes ir la fora fazer conhecer as pessoas que assim existimos dar conhecimento quais sao os produtos que assim temos para exportar que nao ‘e apenas o cacau.
    Para isso tudo acontecer temos que fazer publicidade elaborar um plano e tambem ao fazer publicidade dar conhecimento dos nossos meios tecnicos mais no entanto temos producto de boa qualidade prontos para exportacao e de mao de obra muito baixa, aonde concerteza mao de obra muito baixa sera agradavel para a negociacao, e tambem de boa qualidade os produtos que assim temos para a exportacao, e vai haver pessoas empresas interecadas concerteza.
    Existe Pais que tambem tem mao de obra baixa e a exportar para o Reino Unido,eles tem a sua garantia e o bem estar dentro desse mesmo Pais e o numero de desemprego abaixa, mais no entanto dentro desse mesmo Pais que tambem existe mao de obra eles garatem sempre varios Posto de trabalho e condicoes para as pessoas do seu proprio Pais.

    Nuno Miguel de Menezes
    Lincoln,Reino Unido

    Beautiful to see, it will be beautiful to apply what this image to the export of our Product that thus exists within Sao Tome and Principe including carambola = (starfruit) the fruit.
    The first true image, we have to make it known that we do exist, to advertise … and this publicity is not on television. It is published in the Country, but the Minister of Agriculture of Sao Tome and Principe begins to leave the country equal to Mr. Prime Minister of Sao Tome and Principe in order to make this same publicity, he the Minister of Agriculture and his representatives go out to make known to the people who thus exist to know what are the products that we have thus to export that it is not only cocoa .
    For this to happen, we have to do publicity to draw up a plan and also to make publicity give knowledge of our technical means. However, we have good quality products ready for export and very low labor, where very low workmanship will be pleasant. for bargaining, and also good quality products that we have for export, and there will be people companies intersected certainly.
    There are Parents who also have low labor and export to the United Kingdom, they have their guarantee and well being within that same Country and the number of unemployment lowers, but nevertheless within that same Country that also exists workmanship they always guarantee several work places and conditions for the people of their own country.

    Nuno Miguel de Menezes
    Lincoln, United Kingdom

  5. Jorge Carvalho

    3 de Abril de 2019 as 14:48

    Boa iniciativa. Temos que apostar em culturas rentáveis para os agricultores. Agua é a base de tudo. Sem a agua os agricultores sofrem muito e sobretudo quando sabemos que este precioso líquido tende a diminuir devido sobretudo a irregularidade e quantidade das chuvas que caiem no País, fruto das alterações climáticas globais e locais. Trabalhar em fileiras agrícolas que dão rentabilidade é uma mais valia. Com potenciais compradores no exterior deste produto, temos é que arregaçar as mangas e por-mos ao trabalho sério porque o País precisa de mais trabalho e de muita produção para arrecadarmos divisa de modo a podermos contribuir mais e melhor ao nosso PIB.
    Mais agua para outras comunidades que ainda não têm em quantidade suficiente é mais uma aposta. Também introduzir novas técnicas de irrigação para as áreas agrícolas ´deverá ser preocupação do Executivo.

  6. ANCA

    3 de Abril de 2019 as 15:19

    Hoje o Sr Primeiro Ministro, e a sociedade já se entende que nem tudo foi mau na anterior legislatura, ao secar ao que é de césar, ainda bem que há continuidade de Estado em São Tome e Príncipe.

    De referir que muito há ainda a fazer na transformação sustentável agrícola, pecuária, a nível da florestas, conservação hídrica, conservação da biodiversidade e ecossistemas, mar, solo, subsolo, extractos, substratos no nosso País(Território/População/Administração), ordenamento do território.

    Pratiquemos o bem

    Pois o bem

    Fica-nos bem

    Deus abençoe São Tome e Príncipe

  7. mario mendes

    3 de Abril de 2019 as 15:40

    Num país que chove tanto ainda dizem que há dificuldades em captar água… que incompetência….Aprendam com os cabo verdianos…

  8. Vanplega

    3 de Abril de 2019 as 18:10

    Não chove?

    Reponham as árvores que cortaram. Uma coisa, puxa outra.

    É o preço a pagar, pela maldades que fizemos a nossa natureza.

  9. sol

    4 de Abril de 2019 as 8:28

    Aqui em Portugal vende 10g de pimenta a razão de 10 euros, enquanto que o preço de pimenta por quilo no meu STP. infelizmente está a baixo de 10 euros. Nós produzimos e ficamos pobres, e os compradores tornam milionários.
    Assim é que querem para o País desenvolver, francamente.

  10. Isabel de Santiago

    11 de Abril de 2019 as 21:27

    Gostava que me esclarecessem: POR APENAS UM CONTENTOR EXPORTADO DE PIMENTA, A 13€ – qual a receita que o Estado Gera? Falamos de um ESTADO COMPLETAMENTE EM COLAPSO.
    Agora que o Ministro (mais de) Agricultura que do mar e Desenvolvimento Rural – Francisco Ramos – tem conflito de interesses, a sua familia e ele mesmo é produtor, vendedor etc, como desmistificar este paradigma?
    Toca a sacar ao Estado?
    Porque não paga a CEPIBA ou PAPAC – financiadas em milhares de euros pela FIDA, tal como a própria – a fatura ao Estado???

    ATé quando vai viver SÃO TOME SEM UM PRÍNCIPE QUE O GAURDE. COM TANTO ESQUEMA ABUSIVO? DE INTERESSES PESSOAIS – pese embora a honra que tal produção reveste para os produtores… – mas menos para o Estado. que esta miserável e a Terra é NOSSA.

  11. Armaando Borges Amado

    13 de Abril de 2019 as 10:52

    congtatulo com todos, São Tome e principe, tem potencial e pode viver so de agricultura não temos necessidade de preocupar com petrolio q so traz desgraça, é so uma boa politica no sector agrario, utilizando novas tecnologias, como rega gota-gota, e outros, para tornarmos o nosso Pais uma referencia

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo