Economia

UE vem pescar em STP com 34 embarcações e paga 1,4 milhões de euros por ano

Hoje completa uma semana que a União Europeia e o Governo são-tomense assinaram um novo acordo de pesca  com duração de 5 anos. Pela captura do pescado são-tomense durante 5 anos, a União Europeia, paga ao país o valor de 7 milhões de euros.

Francisco Ramos, Ministro da Agricultura e Pescas, reconheceu que não foi fácil as duas partes chegarem a acordo. «Este é o acordo possível, esta foi a quarta ronda negocial em que houve consenso de ambas as partes», referiu o ministro.

A União Europeia que não conseguiu entendimento com o anterior governo, para pescar nas águas nacionais, ficou cerca de 1 ano sem enviar os seus navios para pesca no arquipélago são-tomense.

Agora conseguiu entendimento numa reunião realizada em São Tomé. O acordo final será assinado dentro de 2 meses na sede da União Europeia em Bruxelas, capital da Bélgica.

Até 2024 pelo menos 34 embarcações de pesca dos países membros da União Europeia, com destaque para Espanha e Portugal, vão capturar pescado em São Tomé e Príncipe. Das 34 embarcações autorizadas, 28 são vocacionadas para pesca de cerco, e 6 outras são palangueiros.

«Conseguimos alguns ganhos, sendo que, pela primeira vez a União Europeia aceitou que 44 marinheiros do nosso país permaneçam, como observadores nos seus navios de pesca, durante os cinco anos de vigência do acordo», realçou o Ministro das Pescas.

Anualmente a União Europeia paga 1,4 milhões de euros à São Tomé e Príncipe, num negócio de pesca em que  segundo Francisco Ramos, aumentou o apoio da União Europeia ao sector das pescas de São Tomé e Príncipe, de 325 mil euros, para 440 mil euros.

Emmanuel Berck foi quem chefiou a delegação da União Europeia, que negociou com o governo são-tomense. «É importante porque vai permitir-nos retomar o diálogo, ter uma nova actividade de pesca em São Tomé e continuar a apoiar os esforços das autoridades do país para fazerem uma gestão de pescas durável, sustentável e desenvolver o seu sector», afirmou o chefe da delegação da União Europeia.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Segundo estudos realizados em 2017 pela FAO em parceria com o Governo são-tomense, os recursos piscícolas de São Tomé e Príncipe, já estão a esgotar. Tudo fruto da intensa acção de pesca que se tem registado nos últimos anos nas águas nacionais.

Mesmo assim os recursos existentes no mar continuam a atiçar o interesse das grandes potências económicas e comerciais do mundo.

A União Europeia já conseguiu retomar o direito de colocar suas embarcações no mar territorial nacional, para pescar cardumes, a troco de 1,4 milhões de euros por ano, num acordo de 5 anos.

Note-se que São Tomé e Príncipe também tem acordo no domínio da pesca com a outra potência mundial, a República Popular da China.

Abel  Veiga

    32 comentários

32 comentários

  1. Admirado

    25 de Abril de 2019 as 9:10

    Eu pensava que o ADI governou mal, hoje vejo que nem tudo foi mau. Diminuir a taxa de importação de bebidas alcoólicas e permitir que países estrangeiros pesquem en STP e a pior coisa que se pode fazer a STP. Vender nossos os nossos peixes por 1M de eurous/ano et coisa que se faça. Credo governastes de ima figa que esse pais tem.

    • MIGBAI

      25 de Abril de 2019 as 13:40

      Para todos os que vão ler os comentários que se seguem chamo a atenção que todos mas todos os comentários criticam o facto da negociação ser com a UE.
      Porém ninguém foi capaz de chamar a atenção do acordo de pescas ruinoso que se fez com a China.
      Um acordo com a China sem controlo do número de embarcações e com valores a pagar anualmente imensamente inferiores.
      Vejam minha gente como é fácil influenciar estes palermas palhaços de STP, que aqui botam opinião de olhos fechados.
      Gente de miolo pequeno mesmo.
      Palermas.

    • santo

      5 de Maio de 2019 as 10:28

      O Mar è gra de e tem muito peixe a UE ajudou muito sao tome e ajuda atè a data de hoje e ainda vao dar 44 empregos a Sao tomense 5 anos nao custa nada e Anda Vai fazer Com que o nosso mescado fica Mas movi mentado voces nao sabe que falam. Patrice foi cabra vendeu Mar de sao tome Para China 🇨🇳 por tuta meia engano sao tome trocando China 🇹🇼 taiuan por China 🇨🇳 Popular. Agora a China nao è numca fara o que a 🇹🇼 taiun fèz por sao tome. Voce nao sabe o que è negociacao fala por èmocao de ganacia de dinheiro Com este acorde vamos ter Mas vantagem

  2. Miki

    25 de Abril de 2019 as 9:12

    Não gosto disso. O dano que as naves causam é enorme. Não há outra maneira de conseguir €7 milhões?

  3. STP

    25 de Abril de 2019 as 9:39

    Será que na prática são mesmo 34 embarcações? Como comprovar isso na prática? O que poderá fazer os marinheiros nacionais se algo estiver a ser feito em prejuízo de STP? E se os marinheiros dos barcos da UE decidirem não acatarem orientação ou sugestão dos marinheiros nacionais?
    Acho que deveríamos ser tão exigente, apesar da pobreza, quanto a UE é.

  4. sotavento

    25 de Abril de 2019 as 9:50

    Pouco dinheiro para pescar com 34 embarcacoes.Isto mostra que estamos com as calcas nas maos.Parece patetico isto.Os dirigentes de STP nao sabem negociar ou negoceiam por lado que mais convém a eles.Creio que STP tem que se impor mais independentemente de sermos a parte necessitada.Temos que fazer o mesmo que fazem os angolanos que fam e negoceiam e fazem acordos com os ocidentais olhando de cara a cara.

  5. sotavento

    25 de Abril de 2019 as 9:57

    A impressao que dá é a seguinte: que os ocidentais estipulam o montante e nós assinamos e está certo.Nao pode ser assim.Há muitas formas de sacar dividendos.Por exemplo STP necessita de um aviao de bandera podia fazer um cambio e pedir em troca um aviao e permitimos pescar na nossa costa por 3 anos por exemplo.

    • santomensse

      25 de Abril de 2019 as 10:16

      nossos governantes só querem dinhero cara a cara para eles roubarem

  6. Cidadão

    25 de Abril de 2019 as 10:06

    Sinto-me triste, revoltado e decepcionado com os sucessivos governos deste País. Até parece que cada ano que passa, estamos a ficar cada vez mais estúpidos e acéfalos. Desde há a muito tempo que não me revejo nesse acordo penoso que o País tem feito com a União Europeia sobre a pesca. Pelo grau de pobreza em que nos mergulhamos, ficamos atrapalhados com 1,4 milhões de euros/ano. “…Guiné-Bissau, também foi beneficiado pelo acordo de pesca com a União Europeia. O protocolo com Guiné-Bissau permite navios da Espanha, Itália, Portugal, França e Grécia a pescarem em suas águas por três anos. Em retorno, a nação receberá 9,2 milhões de euros por ano. 6,2 milhões serão destinados para acesso aos recursos da zona econômica de Guiné-Bissau e os outros 3 milhões serão ao apoio ao desenvolvimento do setor das pescas guineense…”
    Nós que pensamos que a Guiné Bissau é mais pobre que STP, enganámo-nos. Ainda tiveram a inteligência de canalizar uma parte do valor para o desenvolvimento do sector das pescas. Porque não fazemos isso?
    Nós em STP que sofremos tanto com a oferta de pescado no mercado nacional.
    Sabemos que tipo de pescados são capturados nas nossas águas?
    Sabemos ao certo quantas toneladas/ano a união europeia tira nas nossas águas?
    Sabemos se são mesmo só embarcações da união europeia a fazer a captura dos pescados?

    Meus senhores, os nossos recursos marinhos valem muito mais do que isso. 1,4 milhões de euros não é nada. Enquanto estamos aqui convencidos que estamos a proteger especies como a tartaruga, estamos a construir economia azul, estamos na brincadeira.

  7. santomensse

    25 de Abril de 2019 as 10:13

    já começam a vender o que e nosso a tuta e meia este é do vosso abito sinceramente nem tudo ADI fez de mal esta coligação estão a traz de dinhero por tudo ou nada

    • santo

      5 de Maio de 2019 as 10:19

      Ta atraz do dinheiro Sim porque voces do ADI nao foram bom Para Com o povo robaram deixar am tudo em O e agora eles tem que lutar Para poderem sustentar os vagabundos dos ADI que estao na cadeia ê outros soltos. Vai chamar Patricio Aten ao Para repor o dinheiro que ele robo.

  8. leandro

    25 de Abril de 2019 as 10:21

    o problema é o que o estado santomense vai fazer com esse dinheiro todo???

  9. Alligator

    25 de Abril de 2019 as 11:08

    Mas que raio de negociação e esta? O que houve e que UE estipulou e os F da P dos dirigentes Santomenses aceitaram e assinaram so.Depois querem chamar o Presidente da Republica Sr Evaristo Carvalho de assina so.Este XVII governo constitucional e que são mais e um bando de assina so. Se não sabem negociar, vão aprender com a Guine-Bissau.Seus parvalhões.1,4 milhões de Euros por ano, e 34 embarcações a pescar. Ou nos fomos enganados ou o governo esta de ma fe, ou ainda a hipotese mais acertada, ja puseram algum nos bolsos.

  10. Arzemiro dos Prazeres

    25 de Abril de 2019 as 11:09

    Há uma omissão na notícia, que concorre para uma análise destorcida do assunto. No caso em apreço o pescado alvo é o atum, família piscícola migratória constituída de várias espécies, que não têm génese nas nossas águas. O atum alvo deste acordo vem de dois stocks, o da Venezuela e o do Cabo de Boa Esperança. Essas 34 embarcações começam muitas vezes a perseguição a um determinado cardume de atum, em outras águas que não as nossas. Essa perseguição por vezes termina no nosso país aonde o cardume se concentra por encontrar uma grande quantidade de alimento fruto do upwelling que se regista duas vezes por ano. Por isso essas embarcações solicitam licença em vários países contíguos.E se esse cardume não for capturado nesta altura, ele continua o seu percurso migratório e vai eventualmente ser capturado num outro país. Por isso pode_se popularmente dizer, que o atum alvo desse acordo, só é nosso quando capturado em nossas águas. O atum não é como a corvina ou cherne que nasce e morre aqui. O atum do Atlântico Sul tem dois stocks de nascentes, como atrás já disse,o da Venezuela e o de Cabo de Boa Esperança. Agora o que acho importante ser bem negociado nestes tipos de acordos, é a fauna acompanhante, que obviamente não é o pescado alvo e,por isso, tem que ficar muito bem explícito o tratamento a ser-lhe-á dado, pois que no cardume do atum vem muito pescado que não é atum e que tem que ser alvo de muito boa negociação. Folgo em saber que haverá inspectores a bordo, não só para avaliar a quantidade capturada como também para fazer a avaliação da fauna acompanhante.
    Me desculpem essa intromissão

    • ONDE MESMO?

      25 de Abril de 2019 as 15:03

      Obrigado pelo esclarecimento.
      E por favor caros compatriotas, não comentem apenas por comentar.
      Procurem saber sempre mais sobra a matéria e depois comentar.
      Obrigado Bano.

    • MIGBAI

      25 de Abril de 2019 as 20:23

      Meu caro Arsenio dos prazeres.
      Não esteja a perder o seu tempo a tentar explicar a estas mentes negras de estupidez o que se está a passar nestes acordos.
      Esta gente não merece nada a não ser desprezo.
      São uns acéfalos, que rascunham umas palavras cheias de veneno e que nada merecem, muito menos a explicação que efetuou de forma sublime.
      Veja os negativos que tem na sua explicação e terá uma ideia precisa destas mentes deturpadas e cheias de negritude.
      Enfim foi o que deu a independência.

    • Antonio Monica

      25 de Abril de 2019 as 20:37

      Viva Azemiro.
      Bem fundamentada a tua exposição.
      Como especialista em pesca sustentada e conhecedor profundo da realidade da pesca e, S. Tomé, fico muito animado por saber que há alguém que entende a realidade.
      Como dizes e bem, a espécie alvo do acordo, nada significa em termos de desenvolvimento para S. Tomé.
      Não pescam ali e ele vai embora até ao próximo ano.
      O importante é pensar em termos da pesca que pode ser o prefixo de base para algo de importante para S.Tomé e a Região ( Golfo ). E a esse nível, muito pode ser dito e sobretudo feito.
      E sei do que falo porque passei aí muito tempo e fiz grandes tentativas para um outro paradigma.
      Basta olhar para a capa desta notícia.
      Foi a minha primeira tentativa e já fiz mais.
      Alguém se lembra da Geopesca? E das embarcações “Pico Alto”, “Pico Dourado” e “Pico Douro”?
      Quem se lembra?
      A imagem é Neves e era um GRANDE projeto de pesca para S. Tomé, que falhou, “porque sim”.

  11. Nuno Menezes

    25 de Abril de 2019 as 11:14

    So 5 anos?
    Pois…Compreendo na europa nao se consome muito peixe mais sim se consome muito e muito Frango Galinha KFC e etc..
    Nesta iniciativa quem sabe na Europa o preco de Peixe passa a ser mais barato alargando a zona de pesca nao incluindo apenas em Sao Tome and Principe,e a mao de obra e a gasolina faz com que encontramos na europa o valor elevado do peixe no supermercados aonde nem todas as pessoas tem o mesmo capital para assim comprar.
    Em Africa se come muito mais peixe do que a propria carne, exemplo Sao Tome and Principe, e concerteza o motivo para tal nao consumir muita carne dentro de Sao Tome and Principe nao existe criacao de VACAS, aonde existe muitas delas na Europa.

    Nuno Menezes
    Lincoln,Reino Unido

  12. Chang de Taiwan

    25 de Abril de 2019 as 11:28

    STP tem que haver a capacidade de captura e venda de atum no mercado internacional….
    2016, Taiwan teve um proposta de projecto para criar capacidade de STP de capturar de atum e venda no mercado Japão… uma pena com ruptura de relação diplomático…se não for assim, STP teria um ganho pelo menos 5M Dólares por ano agora, com a captura de Atum de equipa de embarcações santomense.. uma grande pena….

  13. Antonio Monica

    25 de Abril de 2019 as 12:58

    Acabei de tentar fazer uma publicação bem interessante. Não consegui, porque recebo informação de erro de endereço de email.
    Há algo de estranho nisto.
    Há algum limite de palavras a cada comentário?

  14. Antonio Monica

    25 de Abril de 2019 as 12:59

    Gostaria de tentar novamente, já que o tema, sendo pescas, é de bastante importância para informação geral.

  15. Eu sou a mensagem

    25 de Abril de 2019 as 13:49

    Gennnnnnnnte, que negócio danoso é este.

  16. Eu sou a mensagem

    25 de Abril de 2019 as 14:11

    Será que estamos tão mal para fazer um negócio de quase esmola. É preciso ser muito cego e surdo. Eu sempre fui contra as políticas de governação e do regime opressor do antigo governo do ADI. Mas quanto a essas negociações eles foram bem acertivos e inteligentes. O shr primeiro ministro já mediu as consequências do impacto que terá para o país? O shr já pensou naqueles grandes arrastões que esses países têm capaz de varrer todo o ser vivente no mar? O shr já pensou nas consequências para os nossos pescadores que utilizam do mar para a sua sobrevivência? Porguntem aos pescadores portugueses o que têm passado, quando a união europeia paga ao governo para não pescarem. Não se esqueçam de que já existe um negócio semelhante com a China prejudicando o nosso mar. Esse tipo de acordo, devia ter uma consulta popular ou mesmo um debate sobre o assunto para sabermos em que direcção estamos a tomar. Bem que pode ser que isto até pode dar em nada, porque a união europeia tem dias contados.(De união não têm nada). Para o tipo de problemas que eles enfrentam, isso vai se desfazer como um castelo de areia. Mesmo assim, fomos enganados pelos europeus como sempre. Se já assinaram esse contrato, estão entalados. O governo do shr JBJ, começa já a contar com o seu primeiro erro grave. Se continuar assim, digo-lhe já; não vão longe.
    Um bem haja a todos.
    Que Deus abençoe STP.

  17. Armeiro Lopes

    25 de Abril de 2019 as 15:06

    Se os estudos da FAO apontam para “esgotamento de recursos piscícolas de São Tomé e Príncipe”, de acordo com a notícia, e já temos o gigante asiático, China, a pescar nas nossas águas, como é possível assinar-mos esse acordo a “troco de 1,4 milhões de euros” anuais? Esse acordo é claramente lesivo para o país, porque irá esgotar o nosso pescado por míseros 1,4 milhões??? Estamos a hipotecar um dos recursos mais importantes para a nossa economia. Por favor, anulem esse acordo para o bem de todos nós.

  18. EX

    25 de Abril de 2019 as 16:34

    Bom, todos ai a lamentarem o acordo, até bom, porque acho que há mais gente a estudar nessa Terra, mas ninguém reconhece que há uma necessidade imensa de arrecadar recursos para melhoramento de condições de vida da População, esse acordo é apenas uma forma de dizer que temos alguma coisa que interessa União Europeia. Pergunto quantos projectos que já foram financiados pela UE, que contrapartida tiveram? se não estou no erro quem esta a financiar as Obras de Estrada que liga Cidade de S.Tomé a de Neves, vós pergunto quais de vos bons negociadores que tem um amigo que sempre ajuda e apoia e logo que arranja uma moto e faz Motoqueiro, em vez de te dar boleia te cobra. Dias seguinte vem te pedir apoio o que diz pra esse amigo?
    Sejamos justo e não Justiceiros com intuito somente para descredibilizar o Governo. Pensam bem em quantos benefícios ja usufruímos da UE, e queremos vender peixe caro, haja carácter.

  19. Políticas assassinas!😣😣😣

    25 de Abril de 2019 as 19:07

    Cada vez mais só se assinam acordos patéticos e prejudiciais a STP! 34 embarcações pescando por 5 anos a troco de 1,4 milhões de euros por ano, é uma aberração e afronta ao nosso mar. Somos pobres sim, mas não devemos nos submeter a trapalhices e mesquinharias por causa da pobreza. Não basta a desgraça que foi ter assinado acordo pesqueiro com a China e o Japão? Credo, credo dirigentes que não pensam no futuro….E nós pagaremos o preço alto para comer peixes a mesquinha, sem falar do risco que correm os nossos pescadores ao serem obrigados a navegar para mar dentro em busca infrutífera de peixes!😔😔😔Bando de atrapalhados pelo dinheiro.

  20. Antonio Monica

    25 de Abril de 2019 as 20:40

    Viva Azemiro.
    Bem fundamentada a tua exposição.
    Como especialista em pesca sustentada e conhecedor profundo da realidade da pesca e, S. Tomé, fico muito animado por saber que há alguém que entende a realidade.
    Como dizes e bem, a espécie alvo do acordo, nada significa em termos de desenvolvimento para S. Tomé.
    Não pescam ali e ele vai embora até ao próximo ano.
    O importante é pensar em termos da pesca que pode ser o prefixo de base para algo de importante para S.Tomé e a Região ( Golfo ). E a esse nível, muito pode ser dito e sobretudo feito.
    E sei do que falo porque passei aí muito tempo e fiz grandes tentativas para um outro paradigma.
    Basta olhar para a capa desta notícia.
    Foi a minha primeira tentativa e já fiz mais.
    Alguém se lembra da Geopesca? E das embarcações “Pico Alto”, “Pico Dourado” e “Pico Douro”?
    Quem se lembra?
    A imagem é Neves e era um GRANDE projeto de pesca para S. Tomé, que falhou, “porque sim”.

  21. Bruno Almeida

    26 de Abril de 2019 as 19:27

    os governantes de STP até parecem querer imitar os idiotas de Cabo Verde. nós ainda conseguimos sacar 1,4 milhões de euros … CV abrindo as pernas aos marimbondos só recebe 440 mil euros anuais kkkk

    • Arzemiro dos Prazeres

      26 de Abril de 2019 as 21:22

      Meu caro Bruno
      Cabo Verde só recebe eventualmente”só esse montante, porquê o atum só passa uma vez por lá, que não é o nosso caso, cujo passagem eu bianual.
      Ah já agora, vocês que colocaram o dedinho para baixo no meu texto,aproveitem e aprendam . Eu não duro para sempre.

  22. Cua non

    27 de Abril de 2019 as 21:18

    Sr. PM
    Não engana povo.
    Stop com esse acordo de pesca com UE, JAPÃO E CHINA.

  23. Yordanis pontes

    30 de Abril de 2019 as 3:48

    Que desgraça. Seja que governo for essa é uma merda se negociaçao. Stp deve conprar barco pescar e vender os peixes . Burice

  24. hilaria

    1 de Maio de 2019 as 9:59

    A informacao foi boa da sua parte mas, isso nao impede uma reflexao . Consigo pode-se aprender porque o senhor é uma cabeça penssante. A questao nao està no reconhecimento do seu saber. Mais vejamos:Um barco de pesca na europa esse que é capaz, de ir tao longe trabalhar porque trata-se de trabalho , ele num ano pode ganhar um milhao de euros. Mesmo se o cadum nao nasce nas aguas territoriais de STP, eles vêm ali e la ficam por um certo tempo portanto, esses peixes sao do pais. Na europa para nao daro nome especifico do pais quando uma arvore envia ramos com frutos no quintal do outro o vizinho nao tem direito de colher salvo se o fruto cai. Mas bom aqui trata-se, para esse pais sao tome de algo mais importante, a saber, com que economia ele pode viver? Trata-se de algo vital. Mais isso nao implica que deve-se vender a baixo preco uma das unicas riquezas que têm.Se a UE quer ajudar porquê que,nao permitem uma ajuda para que possam pescar e vender para eles? Todo produto europeu é vendido com o preço dado por eles numa boa negaciaçao sem muito prejudicio. Nao é com um préço qualquer. Todo produto da UE tem o seu nome a sua marca para ser identificado como bom produto. Sera que os peixes pescados nas aguas territoriais quando estiverem nos mercados da UE estaram estampilhados peixes vindos das aguas de STP?Pode parecer ridiculo o que estou dizendo mais é assim que os que nao sabem ou fazem como se nao soubessem ficam a saber que nao so STP mais como a africa toda nao é assim tao pobre como se diz na populacao da UE e mesmo na camada mais elevada.STP tambem tem inteligentes agora resta saber como a utilizam.Têm que negociar com os outros paises certo mais com tacto, com sabedoria com pros e contras.Qual sera o uso desse milhao por ano? Sera suficiente para comprar médicamentos para os doentes?
    Num outro dominio, nao sei se sabe quanto custa 100 gramas de chocolate feito com o cacao de STP considerado como o melhor ou unm dos melhores? Mais deve saber quanto pagam la um kilo de cacau, quanto pagam a mao de obra la etc.Portanto se nao terem em consideraçao o valor dos bens como eles têm quando é que vao sair disso?Ja é tempo para saberem o que fazem. E isso nao é so a questao de STP, é desse continente todo.Quando se tem algo deve-se saber o valor e nao dar nem vender a qualquer preço, porque o que vao ganhar hoje e se dà para comer hoje como vao fazer amanha?
    O que vai acontecer com os pequenos pescadores, com as suas pequnas embarcaçoes? Quanto vai custar o peixe no mercado para os de la? Porque a capacidade de pesca para o pais vai ser pequena. enfim ha muito que dizer e nrgociar porque negocio tem que haver nenhum pais vive sem negocio e sem negociar. Desejo-vos um bom primeiro de Maio e que esse pais tenha e continua a ter o bom sentido do trabalho e o esfoço que têm que fazer hoje, como amanha para o pais, porque amanha o que serà desses de hoje e os de amanha?

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo