Economia

Corte no fornecimento de combustíveis empurrou governo para energias renováveis

A complicada situação em que São Tomé e Príncipe se viu envolvido sobretudo a partir do segundo semestre do ano 2019, por causa do corte por Angola do fornecimento de combustíveis ao arquipélago são-tomense, terá dado uma lição ao Governo e despertado o país para a exploração das energias renováveis.

«A quantidade de combustíveis que nos é proporcionado pela Sonangol é insuficiente tanto para o abastecimento normal como para a produção de electricidade. Para diminuir o consumo do gasóleo temos que substituir a forma de produzir energia no nosso país», explicou o ministro das obras públicas, Osvaldo Abreu.

Numa projecção das acções em curso para resolver a crise de energia eléctrica no país, o Ministro Osvaldo Abreu, apontou as renováveis como futuro sustentado da energia em São Tomé e Príncipe. «Já avançamos para a adjudicação de espaços para instalação de três projectos foto-voltaicos de 10 megawatts cada. Incluindo também um projecto de biomassa que vai produzir energia através dos resíduos sólidos e desta forma contribuir para o saneamento do meio ambiente tanto nas ruas como nas cidades», assegurou Osvaldo Abreu.

Geradores a diesel, constituem a base da produção de energia eléctrica nas duas ilhas. Uma opção mantida ao longo dos anos.

A empresa de electricidade foi abastecida ao longo de 30 anos, com gasóleo fornecido pela Sonangol, para produzir energia à população.

São Tomé e Príncipe acumulou dívidas com a Sonangol que hoje atingem 150 milhões de dólares, principalmente por causa do consumo de gasóleo pelas centrais térmicas, as únicas produtoras de energia no país.

O corte angolano, acelera a mudança de mentalidade no país. «Temos cerca de 8 propostas de empresas interessadas na produção de energia fotovoltaica. São empresas de origem alemã, espanhola e americana. Vamos avançar com elas para esta fase de produção de electricidade», afirmou o Ministro das Obras Públicas e Recursos Naturais.

Segundo Osvaldo Abreu as primeiras unidades de produção de energia fotovoltaica, deverão entrar em funcionamento no ano 2020. Parceiros internacionais como o Banco Mundial e o BAD, estão a apoiar o país para se libertar da dependência do gasóleo angolano, para produzir energia.
«Os nossos parceiros multilaterais estão a nos apoiar no sentido da reforma da EMAE(Empresa de Água e Electricidade), e a legislação para dar credibilidade ao sistema e segurança aos investidores», pontuou, o ministro.

O despertar da consciência nacional para as energias renováveis como garantia de futuro sustentado, não se limita na exploração da fonte solar, ou então nos acumuladores solares.
O Ministro das Obras Públicas, anunciou que o governo decidiu pôr todas as potencialidades hídricas do país no mercado.

Ainda neste mês de Outubro serão lançados concursos públicos para adjudicação de obras para produção de energia a partir de fontes hídricas. «Estamos a falar das quedas de água de Bombaim, do rio Yo Grande, ou do rio Papagaio na ilha do Príncipe que já tem financiamento do PNUD e do BAD, para instalação de uma central mini – hídrica neste rio que alimenta a ilha do Príncipe», explicou Osvaldo Abreu.

Abel Veiga

    15 comentários

15 comentários

  1. Fogueteiro

    9 de Outubro de 2019 as 7:47

    Este ministro não tem condições para continuar neste governo. Parece-me muito incompetente e trapalhão. Ele e mais alguns já deveriam ser demitidos. Ele pode saber de outras coisas mas de governação não tem capacidades.

    • Flóli Canido

      9 de Outubro de 2019 as 15:43

      Subscrevo!!!!

  2. José Silva

    9 de Outubro de 2019 as 8:57

    este é que governante!é assim que o país irá para frente, não era possível um país que se diz ser pobre ser abastecido de energia de gerador é um desastre como foi 150 milhões usd de dividas que situação lamentável!
    Antes tarde do nunca, portanto sr ministro vai em frente e verás que o país irá desenvolver,
    esta é melhor medida a tomar e deveria ser tomada ontem.

  3. Balon Clé-clé

    9 de Outubro de 2019 as 9:44

    O que me consola é a máxima: “NUNCA É TARDE DEMAIS”.
    Mas ja era tempo de deixarem de pensar com o cú. País que é país tem que ser autosustentável! Angola só fez bem!…

  4. Vanplega

    9 de Outubro de 2019 as 11:39

    Custou tanto estas governantes, entenderem que e unica said para o pais.

    Temos sol suficiente para implantacao deste projecto.

    Nunca e tarde.

    Mesmo assim, ha que esclarecer os pais sober tudo que envolve a exploracao de petroleo do pais, mais tudo, as vendas, is projected. Quanto o pais ja recebeu e aonde foi o dinheiro.

    O pais, precisa dum esclarecomento.

  5. Lupuyé

    9 de Outubro de 2019 as 13:39

    Foi preciso Angola apertar-nos os calos para abrirmos os olhos. Mas melhor tarde que nunca. Com os recursos que temos não devíamos estar dependentes dos angolanos para termos luz em STP. Mas a notícia é boa pois se realmente queremos desenvolvimento para São Tomé e Príncipe o fator energia é condição sine qua non. Dentro de mais uns anos os carros serão todos eléctricos e sem energia estamos feitos. Para a frente STP.

  6. amilcarsantos

    9 de Outubro de 2019 as 14:28

    Conversa para boi dormir…Vão é enganar os outros. Já não acredito em mais nada deste País. Vejam só como é que as pessoas lutam para ter combustível para os carros. É uma vergonha o que se está a passar em São-Tomé.Que governo mais incompetente.

  7. LIBREVILLE

    9 de Outubro de 2019 as 16:54

    … Criamos os estados fizemos os governos mas falta criarmos a nação…
    … A Nação não é de nenhum partido é obra de todos e pertence a todos…
    … Quanto mais o Pais avançar na construção da Nação menos será as crises que tem afetado o nossos dias …

  8. Urubu

    9 de Outubro de 2019 as 17:29

    Incrível, e este Sr “Ministro “, que com este comentário num País evoluído trabalhava nas obras em vez de engenheiro que diz ser!

    As energias renováveis já são aplicadas há vários anos. Portugal tem mais de 30 por cento da energia em eólicas, a ilha de Porto Santo vai ser completamente autónoma a partir de 2020 , somente energia eólica e Foltovoltaica.

    Mas continua a comprar geradores, porque é business para os governantes.

    Agora vêem as empresas para montar Foltovoltaica, e a Emae vai pagar lhes a energia, certamente essas empresas sabem que o estado de Stp não paga, assim se calhar têm que vender a Emae a essas empresas, eles jamais investem sem garantia, e Stp não consegue dar garantia.

    O problema está no sistema ainda existente de empresas públicas que estão falidas, devem dar a investidores e assim os níveis de serviços ao País evoluem para o bem de todos, vejam o que fez Portugal e todos os países da Europa, entregaram a gestão das energias a privados.

    Para conclusão, e não só para a Emae, o estado gere sempre mal, torna estas empresas corruptas, job for the boys e completamente ineficazes.

  9. Neusa Antunes

    9 de Outubro de 2019 as 23:32

    Conselhos, sugestões e dicas de comentaristas humildes, desconhecidos e visionários nunca faltaram aos dirigentes deste país desde 1990. Mas fizeram ouvidos de mercador na ganância pelo poder. Agora estão a descobrir a roda em pleno sec. XXI? Aproveitar quedas do rio yo grande para gerar energia hídrica? Só agora? Boicotaram os trabalhos em estado avançado de negociações obrigando Varela ir defender São Tomé num tribunal internacional com pagamento de indenização de milhões por parte de São Tomé, pela rescisão unilateral do contrato? Tudo isto, em nome da política de bota abaixo que vigora em STP e porque naquela altura só queriam favorecer a Sonangol na venda de combustível a STP e tornarem milionários! Isto desde o século passado! Lembram-se deste caso? Telanon! Republique o referido artigo para refrescar a memória destes patifes armados. em descobridores da roda em pleno século XXI. Agora, paradoxalmente e a Sonangol que vira as costas a STP. A desgraça deste país e a hipocrisia dos seus habitantes de base ao topo. Não é admissível que um político recuse participar na segunda volta das eleições presidenciais do seu pais, por alegadas irregularidades, em defesa da sua integridade moral e logo a seguir participa como observador eleitoral em Angola e cauciona conscientemente uma vitória copiosamente fraudulenta, afirmando que tivera sido livre, justas e transparentes. Quando aos olhos de todos ninguém assistiu a contagem dos votos nas mesas de votos. Está e o que caracteriza o homem Santomense: mentiroso e vendedor de banga de cobras só para amealhar migalhas. STP cedeu as matrículas da aviação ( S9 ) aos avioes civis para operações de paz com o fim de permitir operações de emergência o que possibilitou a concretização da paz em Angola, defendeu a fraude em Angola com unhas e dentes, entregou blocos de petróleo a preço de bagatela, entregou o espectro radioelectrio/herteziano a UNITEL quase de favor, retirou a ROSEMA das mãos de um nacional e entregou a um angolano e por tudo isso recebe como troco a redução de fornecimento de combustível a 1/3 do consumo habitual. E mesmo assim STP nao aprende!
    O nosso idolatrado ministro acabou de descobrir a roda (isto apenas para o povo Guadalupense e seus correligionários).
    Continue a descobrir mais rodas! Desde que nao sejam quadradas, iremos longe e muito mais rápido do que fora prometido nas eleições passadas. Palhaços! Quadrados e cheios de banga.

    • Urubu

      10 de Outubro de 2019 as 15:42

      Completamente de acordo com o seu comentário, mas existem dois pontos a ponderar:

      – Angola está em mudanças, com nova classe política, muita dela já formada na pós independência, e para esta nova classe política a irmandade revolucionária não existe, o que existe são contas para pagar ou receber.

      – lamento mas Stp não deu a Rosema a Melo Xavier, devolveu o que tirou, e que saiba não pagou indemnização por ter tirado, facto que acontece em países civilizados e que têm como obrigação pagar as suas contas e dívidas, o que não acontece com o “País “ Stp

      Fui

  10. Smash

    11 de Outubro de 2019 as 9:55

    Mente formatada e obtusa. Só mesmo no teu mundo dá carochinha. Continuem a comer camiões de gelado com a testa. É só rir

  11. martins

    11 de Outubro de 2019 as 11:04

    bom dia
    este ministro não tem vergonha nenhuma
    fala a toa.
    já pagou o que eu gastei no Agostinho neto que tem energia a minha custa
    que mandou arrombar a porta da central para dar a outros, quando ainda tenho contrato ate 2034.
    esquece que que e uma ladrao que só em sao tome e que e ministro
    num pais normal ja estaria prezo
    nao respeita o que o estado assina
    nao respeita o que estado de sao tome assumiu com estado portugues sobre investimentos português
    vejam o decreto lei sobre proteçao de investimento de sao tome em portugal e portugal em sao tome
    esta no decreto lei 36-97 de 18 de julho, artigo 1 alinea E e artigo 4 Expropriações
    foi Exactamente o que foi feito a minha pessoa.
    sao tome vai ter o que merece
    centrais de 10 mw solares so na cabeca desse ministro nao sabe o que diz
    e triste ver um ministro sem preparação para tal

  12. martins

    11 de Outubro de 2019 as 11:05

    bom dia
    este ministro não tem vergonha nenhuma
    fala a toa.
    já pagou o que eu gastei no Agostinho neto que tem energia a minha custa (NADA)
    que mandou arrombar a porta da central para dar a outros, quando ainda tenho contrato ate 2034.
    esquece que que e uma ladrao que só em sao tome e que e ministro
    num pais normal ja estaria prezo
    nao respeita o que o estado assina
    nao respeita o que estado de sao tome assumiu com estado portugues sobre investimentos português
    vejam o decreto lei sobre proteçao de investimento de sao tome em portugal e portugal em sao tome
    esta no decreto lei 36-97 de 18 de julho, artigo 1 alinea E e artigo 4 Expropriações
    foi Exactamente o que foi feito a minha pessoa.
    sao tome vai ter o que merece
    centrais de 10 mw solares so na cabeca desse ministro nao sabe o que diz
    e triste ver um ministro sem preparação para tal

  13. LIBREVILLE

    14 de Outubro de 2019 as 12:38

    Bobo de ministro que nem capacidade de falar verdade têm… fogo… respeita povo.
    Até quando?
    Governo disse que tem um novo fornecedor, nigeriano, porquê combustível não foi abastecido?
    Algo de muito mais grave esta a vista!!!

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo