Economia

FMI dá primeira nota negativa ao desempenho do governo “JBJ”

Depois de uma semana de avaliação técnica da situação macro-económica do país, o FMI, dá nota negativa as acções do Governo no capítulo de arrecadação das receitas.

Xiaming Li, chefe da missão técnica do FMI, foi ao Palácio do Governo nesta terça feira, e depois da reunião com o Primeiro Ministro Jorge Bom Jesus, apresentou para a imprensa as notas negativas registadas no desempenho macro-económico do Governo.
«É necessário realmente aumentar a colecta. A arrecadação fiscal, infelizmente caiu muito abaixo da meta que estava estabelecida. Isso fez com que o Governo não conseguisse pagar alguns fornecedores como a CST e a EMAE. Portanto o governo já está a acumular dívidas em atraso», declarou Xiaming Li.

A avaliação do FMI, indica que o colapso financeiro, continua a ameaçar o país. «Como a receita caiu muito estão a surgir problemas com falta de financiamento para as despesas. Isso só pode ser ultrapassado se a arrecadação de receitas subir. O Estado vai acumulando dívidas atrasadas, ou então, tem que recorrer a novos empréstimos bancários, e isto não é sustentável», detalhou a Chefe da missão do FMI.

Receitas baixaram, e o FMI diz que a exportação também baixou. «Constatamos que a inflação está razoavelmente inalterada, mas há vários problemas. Por exemplo diminuíram as importações de bens e serviços. Diminuíram as exportações, isto causa vários problemas», pontuou Xiaming Li.

A reforma da EMAE(empresa de água e electricidade), é uma das principais exigências do FMI, que apelou todos os são-tomenses a se envolverem na reforma do sector da energia. «Cada um de nós tem que pagar as suas contas, caso contrário o Estado não terá dinheiro para comprar os combustíveis», apelou a Chefe da missão do FMI.

Para além do apelo para que cada cidadão são-tomense pague a sua factura de electricidade, de forma a ajudar a EMAE e o Governo a terem recursos para comprar o gasóleo, o FMI, exige que seja posto fim ao roubo de energia nas redes de distribuição da EMAE.

Para evitar o colapso do sistema financeiro nacional, foi proposto ao Governo a realização da reforma fiscal. «As receitas ficaram muito abaixo daquilo que estava projectado, isso mostra que é preciso levar a cabo uma reforma do sistema tributário, ou seja dos impostos», precisou.

No entanto o FMI, manifestou -se confiante de que a arrecadação de receitas vai aumentar no ano económico de 2020. «Ficamos muito satisfeitos por saber que a lei do IVA foi aprovada pelo parlamento e que em breve vai avançar. Isto é muito importante porque é um imposto novo, mas que alarga a base tributária», concluiu a Chefe da missão do FMI.

Segundo o FMI a situação financeira de São Tomé e Príncipe, só será resgatada se forem tomadas decisões difíceis, acompanhadas por muito trabalho, e o esforço de todos os cidadãos.

Abel Veiga

    28 comentários

28 comentários

  1. Smash

    12 de Novembro de 2019 as 23:32

    “Quem semeia vento colhe tempestade” Eles não são sérios mais querem ser tratados como tal… Não desenvolvem o intelectual porque a BIOS é limitada. Uma coisa é certa mesmo com a chegada de mais impostos em 2020, STP estará em 2d plan porque a dívida pública é insustentável ou seja os impostos arrecadados será para pagar os credores. A instituição FMI não vai dedicar o tempo precioso dos seus técnicos para ajudar os podres. Isto aí é BISNESS. É para fazer BISNESS é preciso ser inteligente, ser eloquente e ter um bom network. E os nossos atuais governante não estão preparados para o desafio.
    Tenho dito.

  2. Fuba cu bixo

    13 de Novembro de 2019 as 0:17

    Ora ai esta passando quase um ano de governação esta ai o resultado da governação apresentado pelo FMI.
    Este governo não esta a fazer nada o país esta pior e o pior esta pra vir, a verdade é que o MLSTP no poder nunca fizeram nada para S.tomé e Príncipe a não ser perseguir adversário políticos e por favor faz põe combustível no Príncipe não ha combustível no Príncipe Focotó.

  3. Andorinha

    13 de Novembro de 2019 as 0:59

    Eu só gostaria perguntar os camaradas vocês queimaram carro na noite de eleições para quê?
    Um ano depois não tem dinheiro para o orçamento de estado crises de combustível oh credo uma tristeza toda coisa piorou no pais diz Jorge bom Jesus que povo não come poesia dele não resolve problema de povo.

  4. Ralph

    13 de Novembro de 2019 as 5:48

    Isto ilustra a situação triste e fraca em que se encontra São Tomé e Príncipe. É necessário aumentar as impostas para que se possa arrecadar mais dinheiro para gastar em serviços, infraestruturas e outros melhoramentos importantes. Porém, é difícil fazer isso quando a economia está fraca e sofre de todos os males associados, tais como a corrupção, a evasão fiscal e a falta de oportunidade generalizada. Como disse o Chefe do FMI, é uma situação insustentável e algo precisa mudar. Na minha opinião, um perdão tem de ser concedido ao país por um ou mais dos credores para que São Tomé e Príncipe tenha mais uma vez uma oportunidade para introduzir as medidas necessárias para alcançar crescimento sustentável sem o fardo de ter de continuamente pedir dinheiro emprestado que não pode ser pago por causa da fraqueza da economia.

    Sem conseguir um perdão, receio que o país vá continuar num ciclo desvirtuoso em que pedir mais empréstimos não pagáveis será a única maneira disponível para tentar seguir em frente. E, como disse o chefe do FMI, isso não é sustentável, acabando por apenas produzir um nível de endividamento cada vez maior sem os benefícios desejados.

    • Madiba

      14 de Novembro de 2019 as 9:47

      Quantas vezes tem que se perdoar? E mais uma perdão vai mesmo resolver o problema?

  5. Mandinga

    13 de Novembro de 2019 as 8:10

    Não se esquecendo de travar o roubo de combustivel e disperdícios excessivos na EMAE.

  6. Madiba

    13 de Novembro de 2019 as 9:09

    Eu, não consigo entender mais nada! Foi o próprio 1º Ministro ladeado do Ministro do Planeamento e Finanças, na sua conferência de imprensa à TVS e Rádios que disse que arrecadação de receitas estava a nível aceitável e o mesmo elogiou o desempenho da Direcção dos Impostos? Porquê que as pessoas agem desta forma? A quem querem impressionar?

  7. Vanplega

    13 de Novembro de 2019 as 10:02

    Meus senhores.

    Se nao ha receita suficiente, que comecem a cortar as mordominhas, grandes salarios, nas grandes reformas, nas subvencoes dos deputados, do Presidente da Republica e seus gabinetes, do Ministro e seus gabinetes e outros.

    Sejam justos com este pais.

    • Ralph

      13 de Novembro de 2019 as 22:50

      Isso será necessário, sem dúvida, mas o problema vai muito longe dali. O que é requerido é reformas económicas profundas para tornar o país mais sustentável.

      • Madiba

        14 de Novembro de 2019 as 9:54

        Eu, até concordo consigo. Mas quem terá a coragem para empreender as reformas? Diga-me por favor qual o governo que realmente introduziu reformas económicas profundas neste pequeno arquipélago desde a independência até o momento? E as próximas eleições? Como?

  8. antonio martins

    13 de Novembro de 2019 as 10:33

    bom dia
    a população sao tome precisa de tirar a maior parte dos políticos para o lixo e poucos serem reciclados
    o que fica ir para trabalhar nas roças.
    temos um ministro ladrão vigarista só e possível em são tome
    espero que deixe de ser ministro para acertar contas daquilo que me roubou no agostinho neto
    estarei a tua espera em Portugal
    e um safado garoto incompetente arruaceiro.
    e assim que funciona o estado de são tome quando alguém investe o seu dinheiro e roubado pelo próprio estado que depois anda de mão estendida a pedir esmolas
    a comunidade internacional esta cansada de parasitas
    arranjem novos dirigentes credíveis se existirem ( tenho duvidas )
    deixem de comprar altos jipes e paguem as contas
    e assim são tome
    ver para querer um pais sem futuro arruinado na miséria e vai continuar
    o estado não respeita os contratos so um tolo acredita como eu acreditei que seria um pais de bem
    mas e só ladroes.
    mas estarei a sue espera

  9. Alligator

    13 de Novembro de 2019 as 10:37

    Se as facturas pagas a EMAE forem realmente para que o governo pague o gasoleo a sonangol, e muito bom.Agora, se for para pagar salarios e emolumentos chorudos aos srs directores da famigerada EMAE, e saco azul do governo, não paga a pena.(teclado ingles).

  10. mezedo

    13 de Novembro de 2019 as 11:32

    É necessário que o Santomenses entendam, situação critica que País vive não é culpa deste ou daquele, o País não esta a produzir,
    Maioria dos politiqueiros só passam vida a criticar, o GOV, deviam ver que a governação anterior deixo muitas dividas que este governo esta carregar nas costas.

    O FMI, só quer impor e impor, condições ao país, deviam ajudar país com investimento no sector privado para gerar emprego e evitar a situação que hoje vive o país com falta de emprego e sem dinheiro.

    Tudo que passa de mal no país só se atribui culpa ao Gov, pergunto onde esta os que endividaram o país e fugira?

    • janeteapaixonada

      16 de Novembro de 2019 as 18:37

      Meu caro mezedo, lamento em lhe dizer que o País nunca crescerá enquanto a nossa mentalidade mantiver presa ao passado, os sucessivos governos incutiram na população a mentalidade de preguiça, inresponsabilidade e dependência. Se notares bem, o santomense na Diáspora, é um bom funcionário, e dentro do país ninguém quer fazer nada. estudamos a custa do estado “os ingleses emprestam dinheiro para estudares e no final dos estudos tens que os pagar” e queremos trabalhar somente para estado aonde não se faz nada ” em todo País que a desenvolvimento são as Empresas que geram empregos”. O estado em veis de apoiar as Empresas a produzir emprego, fazem o contrario, sufocam-na. Enfim, assim vai o nosso stp

  11. LIBREVILLE

    13 de Novembro de 2019 as 11:32

    O Povo não pode continuar a ser enganado desta maneira, por favor.
    Se não estão a conseguir, sai deixa para quem consegue fazer alguma coisa,
    Miséria já tomou conta do País, meus senhores, têm consciência que precisamos uma vida estável,

    Vamos ser coerente, deixem de mentir, falam a verdade, Pais tem solução, sotemos que ser coerentes e sérios.

    Vajam o que esta acontecendo no Príncipe com a falta de combustível é normal?
    Sempre a mesma coisa, da raiva pha…

  12. Mepoçon

    13 de Novembro de 2019 as 12:32

    Continuo a dizer que mesmo no tempo que arrecadava a receita com transparência STP nunca auto sustentou e hoje que autoridade de estado deixou de existir, a falcatrua tomou conta do país, cidadão a começar pelos elites e dirigentes fogem o fisco,os “fulu podê” não têm a mínima noção de que é governar; alguns mal sabem governará sua casa é muito menos governar uma nação. Tudo que nasce torto morre quebrado. Vamos esperar pra vem a tão prometida economia robusta que jbj prometeu.

  13. Vedé

    13 de Novembro de 2019 as 13:02

    A situação está complicada e mesmo assim vai complicar outra vez?

  14. Pascoal Carvalho

    13 de Novembro de 2019 as 14:11

    Pior que a situação macroeconómica, está a situação microeconomica (a meu ver FMI sabe disso).
    A tempos longicous que estamos a cavar essa sepultura, sem nada ser feito. Daí por diante apenas temos que assumir, encarar e, procurar formas e forças de as ultrapassar.

  15. António cunha dos santos

    13 de Novembro de 2019 as 14:17

    BRINCADEIRA

    Alguma vez o FMI dá nota a algum Governo? Nunca, nem as ditas dividas ocultas que o actual governo inventou, nunca foram ditas por FMI como dividas ocultas. Muito embora o anterior governo tivesse manipulado e violado os procedimentos legais de contratação dos empréstimos.

  16. Joni de cá

    13 de Novembro de 2019 as 15:19

    Pois é…. cada vez mais a verdade chega!!

    Stp jamais deveria ser independente, qual a dúvida!? Povo com rendimento de 50/60€ mensais, mesmo com criação de impostos, vão pagar o quê!? Economia informal a proliferar como vão cobrar IVA, somente nas empresas com actividade fiscal organizada, o que também vai aumentar os custos ao povo.

    Com isto a miséria vai crescer a olhos vistos!!

    Eu só pergunto, o que foi feito de todos os donativos desde a Independência, é que com 200 mil habitantes, todos estariam com boa vida se distribuíssem pelos habitantes e ainda sobraria para manter o País com estruturas dignas. Agora não aconteceu nada, tudo destruído e povo na miséria!

    Viva a Independência, Viva os dignos governantes de Stp!!!!!

  17. Ver pra Crer

    13 de Novembro de 2019 as 17:13

    Não adianta enganar o povo. Estes tipos nunca estiveram ou estão a trabalhar para o bem desta Terra ou deste Povo. Estão somente a enganar-nos com “zôplo dubuê”. Alguma vez este gajo que se dá por ministro de economia e finanças percebe de finanças públicas?! Quando olhamos para o elenco governamental atual nem quem não estudou acredita nestes tipos, quanto mais nossos parceiros internacionais. Isto aí está um salve-se quem puder, ainda mais com esta nota negativa dada por FMI agora é que vão ser elas. Ministros incompetentes a começar do seu chef que só estão a governar devido a conjuntura atual e um grupo de indivíduos que estão virtualmente na defensiva dos mesmos mediante algumas benesses, que mesmos o que for real não conseguem ter um senso de Patriotismo e reconhecer, misturados com um ódio visceral pela pessoa do Drº Patrice Trovoada. Com certeza que com este andar este desgoverno ainda terá muitas notas negativos doutras instituições financeiras internacionais. A ver vamos.
    Um bem haja a todos.

  18. Seabra

    13 de Novembro de 2019 as 21:12

    A FMI deve é ocupar -se da situação econômica catastrófica durante os mandatos do mafiosos TROVOADA. Pois, esta família corrupta de pai para filho Trovoada estão aí a dar voltas juntos dos amigos francófones, tão corruptos que eles ( já devem ter combinado negociatas com estes pilantras de Fall e corja, de venderem STP se voltarem ao poder com ajuda destes VOYOUS …) ,para fazer regressar o vagabundo líder ADI Patrice Trovoada para voltar ao pouvoir.

  19. Barão de Água Izé

    13 de Novembro de 2019 as 21:56

    Sem mudança do modelo econômico, que tambem passa pelo fim das nacionalizações, a pobreza e
    miséria continuarão a catigar o povo de STP.

  20. Coerência

    14 de Novembro de 2019 as 7:45

    Está claro que este executivo está completamente desnorteado. Quer o primeiro ministro como o seu elenco, São fracos tecnicamente. A persisto, a corrupção aumentou muito. O aumento ou criação de novos impostos, não resolve nada. Temos que aumentar a importação e a exportação. Baixem os custos alfandegários, para incentivar a nossa diáspora e as empresas a colocarem riquezas no país com mais frequência. Por fim, deixem de roubar e diminui os custosda administração pública.

  21. José Lamego

    14 de Novembro de 2019 as 8:01

    Isto é para saber. Para deixar de beber.
    Criticaram o anterior governo por ter deixado uma divida com a EMAE e estavam a dizer que é divida oculta.
    Hoje em apenas um ano, já acumularam com a EMAE uma divida de onze milhões de dólares. Vamos multiplicar por 4 anos se permanecerem 4 anos no governo. Irá ser 44 milhões de dólares. Isto sim irá ser uma verdadeira Oculta divida
    Sem vergonha
    Incompetentes
    Burros
    Ministro das Finanças sem um mínimo de capacidade.
    Povo pôs povo aguenta.

  22. Manuel Rosário

    14 de Novembro de 2019 as 14:25

    E as notas de 200,00 dobras ninguém mais fala disto?

  23. Elton Santo

    15 de Novembro de 2019 as 10:01

    É necessário que o Santomenses entendam, situação critica que País vive não é culpa deste ou daquele, o País não esta a produzir,
    Maioria dos politiqueiros só passam vida a criticar, o GOV, deviam ver que a governação anterior deixo muitas dividas que este governo esta carregar nas costas.

    O FMI, só quer impor e impor, condições ao país, deviam ajudar país com investimento no sector privado para gerar emprego e evitar a situação que hoje vive o país com falta de emprego e sem dinheiro.

    Tudo que passa de mal no país só se atribui culpa ao Gov, pergunto onde esta os que endividaram o país e fugiram? E vc que estao com a critica destrutiva fariam melhor se estivessem a governar??
    Pelo menos ajudam o pais com criticas construtivas…todos nos somos corruptos ou de maior ou de menor escala…a corrupcao nao comeca na governacao mais sim na sociedade com as coisas minimas..(molhar mao)se cada um de nos que formamos a nossa socidade comecamos a ser honesto no nosso negocio, prestacao de servico, com nossas esposas, filhos,amigos, entao teremos um governo honesto,nao corrupto no futuro…

  24. janeteapaixonada

    16 de Novembro de 2019 as 18:13

    A minha opinião:
    O País já era insustentável a muito tempo. O anterior governo conseguiu colocar STP num Grupo de Países de crescimento médio, quando não conseguimos sustentar 10% do nosso OGE. Trocou Taiwaneses por chineses quando sabe que os chineses não da nada a ninguém, e deixou muito mau exemplo em países da África que se instalaram.Deixaram a promessa de aumentar o salário dois militares quando sabem que não temos condições para tal. Deixaram uma lei de trabalho insustentável para as Empresas que o PR obviamente acabou por promulgar.
    Resultado:
    O actual governo não teve a coragem política para dizer não a essas barbaridades;
    Pelo que já era de esperar que os chineses para alem de não dar dinheiro a ninguém, concorrem nas obras e fica o estado a lhes dever. Os chineses já perceberam que nos adoramos as viagens os carros novos e os telemóveis, e esquecemos que eles não são burros , e apontam tudo que dão nas dívidas do País “os taiwaneses financiavam a economia do mercado” Os militares têm salários chorudos e não fazem nenhum, e usam os coitados dos soldados para trabalhar nas suas propriedades e ninguém diz nada. A nova lei de trabalho desmotiva a classe empresarial que já é pouca.”é uma berração”
    Assim vai STP, bem aja a todos

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo