Economia

Apresentado Inquérito Agropecuário, financiado por PAM e BAD

SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE – O Ministério da Agricultura, Pescas e Desenvolvimento Rural (MAPDR) apresentou esta semana o Inquérito à Produção Agropecuária 2021, um estudo elaborado em colaboração com o Instituto Nacional de Estatística  (INE) e financiado pelo  Programa Alimentar Mundial (PAM) e pelo Banco Africano de Desenvolvimento (BAD). 

O documento, apresentado na manhã desta terça-feira, no Centro de Aperfeiçoamento Agropecuário (CATAP), serve de antecâmara para o recenseamento agropecuário e constitui um documento orientador de estratégias e políticas para o sector agropecuário e o conhecimento da produção do país. 

Co-financiado pelo BAD através do PRIASA (Projeto de Reabilitação de Infraestruturas de Apoio a Segurança Alimentar) e enquadrado num projecto conjunto entre o PAM e o Governo, o instrumento fornece informações agropecuárias de cinco distritos de São Tomé e da Região Autónoma do Príncipe (RAP), realçando o potencial da produção agrícola distrital, regional e nacional.  

A cerimónia de apresentação foi presidida pelo Ministro da Agricultura, Pescas e Desenvolvimento Rural, Francisco Ramos, e contou com a presença de parceiros, nomeadamente da Encarregada Interina do Escritório do PAM, Yasmin Wakimoto, da Coordenadora do PRIASA, Ayara Trigueiros e da Diretora do Instituto Nacional de Estatísticas, Elsa Cardoso. 

À saída do encontro, o ministro da tutela sublinhou que o “inquérito nos dá um potencial do existente e dá-nos também a pista para melhorar o existente.”  Francisco Ramos disse ainda que “graças ao PAM nós fizemos um primeiro inquérito para conhecermos qual era a produção de alimentos que nós tínhamos para um período de três meses e onde estavam estes mesmo alimentos. E assim nós definimos uma estratégia para recuperar esses alimentos. Conseguimos levar os produtos mais perto do consumidor, tudo isso graças ao resultado do inquérito que fizemos.” 

Yasmin Wakimoto celebrou mais um resultado da parceria entre o PAM e o MAPDR: “Junto ao Diagnóstico Territorial e com o apoio do sistema de registro dos agricultores em São Tomé e Príncipe, essas são ferramentas que servem de base para a construção de melhores políticas agrícolas para o futuro, particularmente aquelas políticas que atendem ao pequeno e médio produtores. O conhecimento, os dados, eles são chave para um planejamento adequado das ações e diretrizes do governo, e claro para orientar o apoio dos parceiros como as organizações internacionais.” 

Ayara Trigueiros, Coordenadora do PRIASA, também se referiu à “importância de termos informações relativamente aos dados agrícolas”. “Não se consegue fazer desenvolvimento sem conhecer os dados, sem conhecer realmente aquilo que são as necessidades do país”. 

A presença da Diretora do Instituto Nacional de Estatísticas, Elsa Cardoso, ressalta a centralidade das estatísticas e dos dados para as políticas públicas que revolucionem o sector agropecuário rumo a um país de fome zero. 

A apresentação do estudo foi seguida de um debate focado na sensibilização dos presentes para a apropriação do documento final, o que permitiu produzir algumas recomendações para as ações de seguimento, a basilar das quais a inserção de informações na base de dados do sector. 

Para este exercício, foram inquiridos 1.952 agricultores, dos quais o distrito de Lobata reuniu um número maior de inquiridos. Uma das grandes constatações do Inquérito Agrícola é a precariedade de vida dos agricultores, que se debatem com necessidades básicas como saneamento e meios de transporte para a consecução de sua actividade. 

O inquérito agrícola faz parte de uma série de iniciativas apoiadas pelo PAM na formulação de políticas agrícolas para o pequeno e médio produtor, visando empoderar estes a se tornarem fornecedores do Programa Nacional de Alimentação e Saúde Escolar (PNASE), que goza igualmente do apoio da agência da ONU que combate a fome e desnutrição em São Tomé e Príncipe e em todo o mundo. 

#                              #                                 #

O Programa Mundial para a Alimentação das Nações Unidas é o Prémio Nobel da Paz de 2020. Somos a maior organização humanitária do mundo, salvando vidas em emergências e usando a assistência alimentar para construir um caminho para a paz, estabilidade e prosperidade para pessoas em recuperação de conflitos, desastres e o impacto das mudanças climáticas.

#                              #                                 #

FONTE : Programa Alimentar Mundial em São Tomé e Príncipe 

    Comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo