Economia

Salário mínimo sobe em 3 fases até atingir 4500 dobras – 180 euros

Os principais sindicatos da função pública, nomeadamente o da educação, SIMPRESTP tinham prometido luta árdua com o Governo de Jorge Bom Jesus no primeiro trimestre de 2022. O reajuste salarial na função pública foi a principal reivindicação.

Após negociações com o Governo, as principais centrais sindicais do país, anunciaram que na ronda negocial de terça-feira 8 de Março, as partes chegaram a acordo.

Assim a partir do mês de Maio próximo, o salário mínimo na função pública será de 2500 dobras, cerca de 100 euros. Em 2023 sobe para 3500 dobras o mesmo que 142 euros. No ano 2024 o salário mínimo atingirá os 180 euros, equivalentes na moeda nacional a 4500 dobras.

João Tavares(na foto) secretário-geral da Organização dos Trabalhadores de São Tomé e Príncipe, Central Sindical, explicou que «o estado não tem condições de pagar 4500 dobras neste ano. Houve essa possibilidade de pagar faseadamente. Eu acredito que com a continuidade do Estado não haverá o problema de incumprimento».

João Tavares – Secretário Geral da ONTSTEP

As centrais sindicais manifestaram-se confiantes de que o fim do mandato do actual governo em Outubro próximo, não vai comprometer o acordo assinado que tem meta em 2024.

A primeira medida de fixação do salário mínimo em São Tomé e Príncipe, fixou o valor em 1100 dobras, igual a 44 euros.

As centrais sindicais e o governo de Jorge Bom Jesus, conseguiram elevar o valor para o máximo de 4500 dobras, (180 euros) a partir de 2024.

As negociações que evitaram a paralisação geral da função pública no país permitiram também, a implementação pela primeira vez do subsídio de férias para os trabalhadores do Estado.

Segundo o líder sindical João Tavares, para este ano 2022 o governo assumiu o compromisso de pagar subsídios de férias na ordem de 40%, e já a partir do mês de Maio. Os sindicatos garantem que segundo o acordo a partir de 2023 o subsídio de férias será pago a todos os trabalhadores do Estado e a 100%.

Abel Veiga

11 Comments

11 Comments

  1. Fuba cu bixo

    9 de Março de 2022 at 22:14

    Este anúncio de aumento salarial é eleitoralista para ganhar votos nas eleições legislativas que terá lugar este ano.
    Mas tal como a tal propalada reajuste salarial que não deu em nada foi uma mentira de esta nova maioria este anúncio de aumento salarial é mais do mesmo mentira para ganhar votos.

  2. Tania

    9 de Março de 2022 at 22:23

    MT bom mesmo. Grande Dr Jorge bom jesus

  3. Andorinha

    9 de Março de 2022 at 22:25

    Se não têm dinheiro para reparar uma pontizinha de Ribeira funda que esta la com cunha na boca,vão ter dinheiro para pagar aumento salarial? Brincadeira tem hora faz sai.

  4. Cambardas de aldrabões

    9 de Março de 2022 at 23:26

    Esse governo não tem credibilidade nenhuma, principalmente esses aldrabões de MLSTP! Onde está o reajuste Salarial que Osvaldo Vaz garantiu, que Bana Mão afirmou que tem que seguir, com retroactivo desde Janeiro de 2021, afirmou Osvaldo Vaz, um grande incompetente e aldrabão, agora vem outro aldrabão do Engracio da Graça que tentou empurrar com barriga o processo de reajuste porque estamos nas véspera de eleições, tratando o povo de parvo e ele de sabichão, isso de aumento de salário mínimo acordado com o sindicato é mas um arrastar do tempo e colocar a culpa na Assembleia, porque não vão fazer nada! Esse MLSTP deveria é desaparecer como aconteceu com o CDS em Portugal! A ver vamos! O que é vosso está bem guardado e assegurado! Os tacheiros e lambebotas da nova maioria podem responder o meu comentário, porque estão a viver dessa nova maioria, principalmente os aldrabões do MLSTP, mas esta é a minha convicção e determinação e o povo vai vos demonstrar na urna! Seus arrumados e convencidos que estão a dirigir o país! Jamais votarei no MLSTP e farei que muitos farão o mesmo ! Seus desgracados.

  5. WXYZ

    10 de Março de 2022 at 0:47

    Aproximamo nos das campanhas legislativas o governo de JBJ nao devia fazer isso. Muita irresponsabilidade por parte desses senhores da NM. Quanto a 2500 dobras ja pra mes de Maio ficara tipo propaganda politica pra levar a NM de novo ao poder. Por isso torna se necessario conhecermos as origens desses dinheiros sabendo perfeitamente que o pais nao produz para termos essa sustentabilidade. Por outro lado aumentar salario sem exigir dos trabalhadores chega a ser apenas truques.

  6. WXYZ

    10 de Março de 2022 at 7:22

    O ministro das Finanças Engrácio da Graça(na foto) fez as contas entre as receitas e as despesas e apresentou o resultado final. O défice é grande. Segundo o ministro, o Estado gasta mensalmente 5 milhões de euros, com o pagamento de salários na função pública.
    No entanto a capacidade de arrecadação das receitas, é de apenas 80 milhões de dobras, cerca de 3 milhões e 200 mil euros.
    «Mas precisamos de 132 milhões de dobras, que são equivalentes aos 5 milhões de euros», explicou o ministro das finanças.
    Pelas contas de Engrácio da Graça o problema só pode ficar resolvido com o corte nas despesas.”

  7. Santo

    10 de Março de 2022 at 8:26

    Bem vindo o resultado final do acordo entre o governo e os sindicatos.
    Agora eu pergunto onde está a nova grelha salarial da função pública? O aumento não deveria abranger os salários base superior a 4000,00 db, os sectores que euferem bom salário e que tinham recusado o reajuste, tambem não devem ser abrangidos. O governo deve ter mão dura nesse aspecto.

  8. Madiba

    10 de Março de 2022 at 9:14

    Pois é. Seja como for boa notícia para funcionários públicos alvo. Resta saber como ficam os funcionários de escalões subsequentes. Principalmente aqueles que já auferia Dbs2.500,00. E que doravante vão passar a ganhar salário mínimo. E, os funcionários que labutam no privado? E falta falar da economia propriamente dita que não pode ser matéria da competência sindical. Parabéns aos sindicalistas. A luta terá que continuar!

  9. Zagaia

    10 de Março de 2022 at 15:28

    Os senhores sindicalistas, só agora acordaram? Os outros anos anteriores estiveram aonde? Dormir? Essa negociação, vai ser muito difícil de cumprir la. Porquê? Porque os agentes económicos e o patrão ESTADO, não conseguirão cumprir, porque não estão preparados, 127% de aumento!!! é muito de uma vez, aumento tem que ser todos os anos, ir á mesa de negociações e subir conforme a inflação, como se faz nas outras geografias por este mundo fora.

  10. luisó

    11 de Março de 2022 at 10:04

    Num País que nada produz para exportação, fonte de divisas, e que tudo importa e que vive 85% do dinheiro dos amigos e doadores para engrossar o OGE, em que o ministro vem dizer que o Estado precisa mensalmente de 5 milhões de dólares para encargos do Estado e por sua vez da função pública e que só arrecada 3,5 milhões, como é possível estes aumentos dos ordenados e como vão pagar? Está previsto no OGE aprovado? Vão fazer um orçamento retificativo? A economia e o empresariado nacional vai poder pagar estes ordenados? Ou já começou a campanha eleitoral?
    Enfim, sem fim á vista e sem futuro……

  11. Artur Jorge

    11 de Março de 2022 at 10:18

    Cuidado a todos que isto não é bem assim…
    O FMI de certeza que vai querer criar problemas ao Governo com este aumento salarial.
    É justa a reivindicação dos sindicatos, mas também se sabe que em parte nenhuma do mundo aumentos salariais significam logo a partida um aumento de mais de 100 por cento. Isso é impensavel.
    No entanto se o governo conseguir “domar” o FMI, muito bem.

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado.

To Top