Economia

Missão do FMI em STP sem sinais ainda do acordo de facilidade de crédito

A missão do Fundo Monetário Internacional que se encontra em missão oficial em São Tomé e Príncipe, reconhece que a situação macroeconómica do arquipélago é preocupante. Depois de uma audiência com o Presidente da República, não foi avançado qualquer sinal sobre o acordo de facilidade de crédito que se encontra congelado há dois anos.

«O centro das nossas discussões e debates tem a ver com a necessidade de fechar o fosso de financiamento que existe no país. Neste momento não há financiamento para importar os bens necessários para S. Tomé e Príncipe e, por outro lado, a dívida está a um nível muitíssimo elevado» – disse Slavi Slavov.

O chefe de missão reconhece melhorias no setor energético, mas quer conhecer os detalhes dos novos investimentos feitos no setor.

«Um aspeto positivo que nos apraz constatar é o desenvolvimento a nível do sector de energia devido um projeto estrangeiro. Relativamente a isto, precisamos saber mais alguns detalhes» vincou o responsável da missão do FMI.

A missão vai estar no país por mais uma semana para consultas com as autoridades. A visita de trabalho surge numa altura em que o primeiro-ministro se encontra em missão no estrangeiro.

José Bouças

5 Comments

5 Comments

  1. santomé cu plinxipe

    30 de Maio de 2024 at 6:55

    Nos deixem em PAZ…GATUNOS

    • Jorge Semedo

      31 de Maio de 2024 at 9:27

      País soberano. FMI soberano! FMI usando a sua soberania cede empréstimos a países no restrito cumprimento dos seus requisitos, princípios e regulamentos. Até aqui, estamos de acordo. “Kada segue Ka Kia cac caçaô, pê nomi ku bwá dé”. Ora, não tendo o acordo energético com a Turquia, envolvido nem um centavo do FMI, é de todo revoltante e escravisante FMI querer saber mais detalhes sobre um acordo que o próprio FMI reconhece os seus bons resultados, coisa que FMI não conseguiu implementar em 49 anos de existência de São Tomé. Por favor escravidão tem Séculos. 70 barcos europeus pescavam nas águas territoriais de São Tomé ao preço de 870,000.00 Euros ano. Ou seja cada navio pagava pouco mais de 10,000.00 Euros por mês a São Tomé. FMI nunca “mugiu” nem “tugiu”. Só ajuda de custo da viagem deste Sr. dará para pagar salários a muitos funcionários santomenses. Por isso ele faz tudo (mesmo contra vontade sua) para agradar ao seu patrão/FMI. Um acordo que trouxe benefício/energia a STP, incomoda FMI? Estamos mal.

  2. A Solução

    30 de Maio de 2024 at 18:14

    Eu vou rifar São Tomé e Prícipe

    Vou fazer leilão
    Vou vendê-la a alguém que dá mais
    Não vou deixar os coitadinhos
    Viver sempre sem dinheiro

    Com vontade de abandoar o pais

    Amanhã mesmo vou viajar

    Sem saber aonde ir
    Pelo mundo à procurar
    Não me interessa se é ditador

    Não me importa a proveniência do dinheiro

    Quero só que sobre algum para mim

  3. Mezedo

    31 de Maio de 2024 at 8:47

    Esta era a solução prometida por PT,

    Ainda assim existe palhaços e idiotias que apoiam o Voador.

    Quando derem conta que esse Falcão não esta interessado em resolver problemas será tarde de mais,
    pena que todos vamos pagar pela má fé dos outros.

  4. Antonio Fernandes

    4 de Junho de 2024 at 12:12

    A culpa disto tudo é dos colonizadores que deixaram Stp há 50 anos

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

To Top