Destaques

Na íntegra o Relatório do Tribunal de Contas sobre o ano 2014

Com a anuência do Tribunal de Contas, e para que a opinião pública tenha acesso integral ao relatório das actividades e contas, realizadas pela instituição fiscalizadora das contas do Estado no ano 2014, o Jornal Téla Nón publica o documento que põe a nu a situação da administração financeira do país.

CLIQUE – Apresentação Relatório de Atividades 2014

    3 comentários

3 comentários

  1. JB

    3 de Junho de 2015 as 12:40

    Concordo com a necessidade de elaborar um relatório minucioso sobre as contas públicas. Mas a questão é a seguinte: Foram identificados anomalias em determinados setores do estado, o que não é de admirar, dado ser uma prática corrente em STP. Agora eu pergunto se este tribunal tem legitimidade de levar a cabo estas anomalias aos outros tribunais, para que os culpados sejam julgados?Caso não, não vale a pena somente de constatar os factos e nada fazer para a solução dos problemas do país ou seja é mais um relatório que fica na gaveta.

  2. Ralph

    4 de Junho de 2015 as 3:33

    Acho que a produção e publicação deste relatório é uma função muito importante de democracia. Todos os órgãos de um governo, sendo que gastam o dinheiro público (ou seja, os impostos pagos pelo povo), devem ser feitos a dar conta às suas atividades. Li o relatório mas acredito que seja de forma demasiado geral. Destaca a presença de irregularidades mas não soletra especificamente o que são aquelas irregularidades. O que se faltam são os pormenores dos departamentos, empresas e situações em que ocorreram as irregularidades, incluindo os valores, projetos e vagas em questão. Por exemplo, o departamento de saúde empregou tal funcionário para exercer tal posição sem ele ter possuido as qualificações ou o nível de experiência profissional requeridas nas descrição publicada de emprego. Outro exemplo poderia ser que o departamento do meio ambiente encarregou um consultor para elaborar um relatório sobre a indústria piscatora sem ter revelado que o dono daquela organização é o sobrinho do minístro em questão. Este tipo de informação pormenorizada iria realçar as inconsistências e trazer os problemas à atenção pública. Isto iria envergonhar quem que cometesse os crimes e encorajar a implementação de medidas corretivas. Em suma, este relatório é bom, mas mais detalhes são precisos para verdadeiramente melhorar a situação.

  3. Seabra

    4 de Junho de 2015 as 13:26

    …..a justiça em STP está de cabeça para baixo,as avesas!
    Para tudo poder entrar em ordem,com disciplina e regularidade,o pm Patrice Trovoada, deve ser o primeiro a ir responder junto do Tribunal,dos actos gravíssimos que ele cometeu no país,que aliás,até à data ainda não foi responder,apesar de numerosas convocações do serviço em questão.
    Ele nem devia e tão pouco podia ocupar tal posto de pm….só mesmo esse povo podia engolir,trocar o “banho” no voto. Enfim…espero que paguem até a ultima gota de suor,porque merecem ,realmente,tal penalização!
    Os juristas de papel, deviam aconselha-lo, sobretudo que ele está rodeado dos ex.estudantes (estudaram direito nas universidades,mas nunca se especializaram nas escolas de advogados…saíram da universidade,sem prática nem experiencia),o Varela que o diga,depois do DEA,onde ele parou. Mas junto do ignorante acadêmico Patrice Trovoada,os Augustinho,Lévy,A. Varela etc,devem passar por gentalha briliantissima…pode-se ser malandro e manhoso como a Raposa,mas a falta de instrução,PT,é uma lacuna que “handicapa” imenso. Falta-lhe bastante conhecimento,cultura geral e boa educação…vossemece é um ZERO “pointé”. Parfaitement,monsieur!

Deixe um comentário

Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo