Política

Presença de General Gabonês no TC provocou reacção dos militares nacionais

O assunto que agitou a cidade de São Tomé no final da tarde, com manifestação espontânea de dezenas de populares, é relatado pelo Jornalista Manuel Barros, num artigo publicado no seu jornal – VITRINA:

Vitrina 16 out – Militares são-tomense foram efusivamente aplaudidos hoje pelos populares concentrados diante do Tribunal Constitucional (TC) onde decorre a reavaliação dos votos nulos e branco das eleições de 07 de outubro.
O edifício tem estado a ser protegido por agentes da Unidade de Proteção dos Dirigentes do Estado (UPDE) e da polícia nacional.
A presença esta tarde em cena de militares foi uma reação a permanência durante algumas horas de um general do exército gabonês nas instalações do TC enquanto decorria o processo de reavaliação dos votos.
O general acompanhava o enviado especial do presidente gabonês Ali Bongo que é presidente em exercício da Comunidade Económica dos Estados da África Central (CEAC).
Ahmad Allam-Mi que é também secretário-geral da CEAC foi portador de uma mensagem para o chefe de estado são-tomense, Evaristo Carvalho.
“O presidente em exercício da CEAC enviou para entregar uma carta ao presidente da república e orientou-me para me inteirar sobre a situação política no país e ver em que medida a CEAC pode contribuir para a pacificação e retoma da confiança”, disse a jornalistas Ahmad Allam-Mi a saída do encontro com Evaristo Carvalho.
“O Vosso país é um país democrático e exemplar na sub-região, não há razões para violência, é preciso que as coisas corram no respeito da ordem constitucional e da lei”, acrescentou o enviado especial de Ali Bongo.
Desconhecem-se as razões do enviado especial e do oficial das forças armadas gabonesas no edifício do TC nem a que titulo terão sido autorizados a testemunhar o processo de reapreciação dos votos.
Diante da sede do TC estão concentrados cerca de uma centena de populares empunhando cartazes e megafones exigindo da Assembleia de apuramento geral a divulgação rápida dos resultados.

M. Barros

    14 comentários

14 comentários

  1. Metido a Besta

    16 de Outubro de 2018 as 18:34

    Brincadeira tem hora e o povo quando esta saturado nao havera nada que detenha.

    Foi assim que todas as ditadura foram eliminado.

    Existem Tribunais, Condenacao, cadeia e a pena de morte. Todavia , homens e mulheres continuam a cometerem crimes.

    A dignidade de um povo sempre foi algo de mais supremo e em nada fara obster dela.

    O Batepa de 1953 demostra bem a natureza de povo de Sao Tome.

    Antes viver numa cubata de pavo mais e andala com a dignidade do que viver em palacio a E Carvalho o pau mandado de ADI e P Trovoada.

  2. DC

    16 de Outubro de 2018 as 19:02

    Espero que nenhum “general do exército gabonês”, agindo nessa qualidade, tenha estado na assembleia do apuramento geral, no edifício do dito TC, sem a prévia autorização do Presidente do TC, tal como espero que nenhum militar nacional tenha entrado no logradouro e, ou, edifício do TC sem a prévia solicitação do Presidente do TC.
    É tempo de reposição da ordem, no estrito respeito da Constituição, e não a sabor da vontade de cada um ou na usurpação de poderes e competências conferidas a outros órgãos.
    Ademais, não percebo a razão da policia nacional não ser capaz de velar pela segurança do TC e de ter de contar com o reforço da mencionada Unidade de Protecção dos Dirigentes de Estado.
    O apuramento geral dos votos é uma operação civil, feitas por elementos civis, os quais não se encontram em perigo, motivo pelo qual constitui um absurdo e um acto de intimidação a presença de elementos da propalada UPDE!
    Importa não esquecer que num passado não muito recente militares estiveram presentes na assembleia de apuramento geral, na sede do Supremo, actuando então como TC.
    E não esquecer que recentemente deputados foram barrados no parlamento por elementos da força e segurança.
    Tudo isso para dizer que há que haver moderação e civilidade na mobilização de elementos da força e da segurança quando estão em causa questões de grande magnitude constitucional e conexas com intervenção de instituições públicas cimeiras, devendo também estas estarem a altura das suas responsabilidades, actuando unicamente sob o império da Constituição, e da “lei” com ela conforme, velando pela previsibilidade e certezas jurídica e abstendo-se de promover o protecionismo ou o favoritismo de uma das partes em contenda, a coberto de uma novel, todavia incoerente, interpretação da lei.

  3. Madredeus.igreja

    16 de Outubro de 2018 as 19:19

    Porra que raio desse pinta cabra.
    Há 4anos atrás, ganhou, outro partido deu-lhes poder sem confusão.
    Agora, perderam poder, entram e vão a oposição!
    Qual é o problema? Tantos problemas, porquê, povo põe, povo tira.

    Depois dizem ser defensor do povo pequeno.
    A democracia não precisa dessa gente, ditadura nunca mais. Vai, vai, vai, isto vai acabar mal. Patrice e os seus capangas, vão se embora

  4. competência

    16 de Outubro de 2018 as 20:51

    Para o bem de são Tomé o governo deverá ser constituído pelos partidos da oposição, e esses deverão chamar as pessoas mais idóneas e sensatas com provas dadas que o nosso país já conheceu, essa é a minha sugestão;

    Composição do futuro Governo:

    1º Ministro: Drº Jorge Bom Jesus(MLSTP)
    Vice Primeiro Ministro:DRº Acácio Elba Bonfim(MLSTP)
    Ministro das Finanças: DRª Ângela Viegas
    Ministro dos Negócios estrangeiros: Embaixador Luís Viegas (Sociedade Civil)
    Ministro da Saúde: Arlindo Carvalho(Coligação)
    Ministro da Defesa e Ordem Interna: Coronel João Bexigas(Sociedade civil)
    Ministro da Agricultura: António Dias(Coligação)
    Ministra da Justiça: DRª Edite Ten-Jua(MLSTP)
    Ministro da Juventude e Desporto:Osvaldo Abreu(MLSTP)
    Ministro das Obras Públicas e Infra-estruturas:Osvaldo Vaz(MLSTP)
    Ministério da Educação e Cultura: Fernanda Pontífice(Coligação)
    Ministro dos Assuntos socias:(alguma individualidade da Sociedade civil)

  5. Arroz substância

    16 de Outubro de 2018 as 22:26

    Dizer que esta dúzia de jovens é povo de S.tome é ridículo e é insulto a bom nome do povo de S.tome.
    O MLSTP é um pais que ficou na historia de S.tome como um pais da ditadura agora vai ficar na história como um partido da vergonha um partido de arruaceiros qualquer pessoas sabe que boina azul pertence a Nações Unidas a oposição quero desenformar e enganar o povo o propio Delfin Neves e Elsa Pinto ao sair do tribunal constataram que todos os trabalhos estavam a correr normalmente dentro da legalidade a fome do poder não vos da direito de manchar o bom nome do pais.

  6. Seabra

    16 de Outubro de 2018 as 22:34

    Os sãotomenses estão fazendo do seu melhor para evitar fatalidade, mesmo sendo da oposição. Os sãotomenses querem o julgamento do PT, para ele dar conta ao povo “pequeno ” (como o PT lhe chama com desprêzo), de todos os seus cambalachos durante on seu longo mandato em STP, os milhões do Estado desviados e n’a possessão pessoal do PT.
    Eís porque os sãotomenses, querem o PT vivo (Deus é que decidirá quanto tempo ele vai viver ),para resolver esta questão de corrupção .
    Mas PT está a forçar as mãos do povo,está a provocar uma situação que vai contra ele, pelo que tem feito e pelo que fez e continua fazendo.
    Qual foi ou resultado positivo deste famoso encontro dos 3 independência : Trovoada pai, Pinto da Costa, d’Alva.?
    O PT quer e deseja a distruição de STP e do seu povo.
    O QUE É QUE OS GABONESES TÊM QUE IR IMISCUIR NOS ASSUNTOS INTERNOS DE STP?
    Com que intenção ?
    Povo sãotomense , à prudência, a vigilância, a firmeza, a determinação, a coragem são de RIGOR. VAMOS LIBERTAR STP, definitivamente, dos Trovoada.
    Um povo unido jamais será vencido.
    FORÇA ! !!

  7. Mé-Zemé

    17 de Outubro de 2018 as 6:32

    Não estou a gostar nada disso…O nosso sistema eleitoral está organizado de forma que dificilmente se pode fazer batotas, se a comissão eleitoral chegou a esses valores é porque está correto (na outras eleições estavam sempre correctos). Agora, tentar alterar dados da comissão eleitoral, pode gerar uma situação que nunca se viu na nossa sociedade. Assim sendo, espero que fique tudo como está para mantermos a nossa calma que nos é característica.
    General gabonês nas instalações do TC…

  8. arroz podre

    17 de Outubro de 2018 as 7:49

    O Patrice e o ADI não têm outra saída.
    Aceitar os resultados do dia 7 de Outubro e da derrota e dar diligências rápidas para divulgação final dos resultados e entregar os dossiers ao Jorge Bom Jesus.
    O Patrice disse que não está agarrado ao poder, então aceita a derrota e passa a pasta.
    O Povo está muito atento.

  9. Aristides Barros

    17 de Outubro de 2018 as 7:50

    Afinal o General é Angolano.

  10. Adeliana Nascimento

    17 de Outubro de 2018 as 8:55

    Mas só agora é que este GENERAL, viu para vir a SÃO TOMÉ E PRINCIPE? E PORQUÊ FARDADO? è para Intimidar ? Só pode ser. Ficam a saber que estamos em STP, não na Africa francófona, a onde reina a Bagunça.

  11. António cunha dos santos

    17 de Outubro de 2018 as 9:16

    Patrice foi fazer FôFôca para Ali enviar emissario? Bom fofoqueiro. Queixou no irmão.

  12. Dos Reis

    17 de Outubro de 2018 as 9:51

    Quando uma alta patente visita outro país, os alta patentes do pais visitado têm de ter conhecimento prévio, sob pena de ser considerado ingerência,segundo a regra militar.
    Sendo um militar de alta patente enviado, para além de violação, passa a constituir uma manifestação clara de apoio político e militar ao governo.

  13. adalmiro ceita

    17 de Outubro de 2018 as 12:26

    Angolano/GABONÊS e amigo/enviado DE Aly Bingo presidente GABONÊS.
    Tudo isto foi armação de Patrice Trovoada para confundir a opinião pública.

  14. Nanana

    19 de Outubro de 2018 as 16:34

    Os nossos militares estiveram muito bem. responderam a altura das circunstâncias. Muito Bem! Até o Povo pequeno enetendeu a mensagem e os apoiou! Viva!
    Que fique de lição para o PT. O meu povo é pequeno, mas de parvo não tem nada.

    Se essa mensagem era tão importante e tão oficial, ao ponto de se invadir uma assembleia de votos por entidades estrangeiras. E se a mensagem é em Prol do Povo de S. Tomé e Príncipe, exige-se que ela seja divulgada ao Povo.

    Se era pessoal, o mandatário que tivesse aguardado pelo Evaristo e entregava-lhe a carta em casa, em privado
    O Sr. PR, Evaristo de Carvalho, que não se deixe intimidar e ser influenciado na decisão final!

    E esse militar, Angolano, Gabonês ou raio que o parta, teve muita sorte. Se fosse lá no Continente de onde ele veio, teria levado com dois tiros e depois perguntar-se-ia o que é que ele lá foi fazer. Falta de respeito!!! Esse Patrice e o Bongô já devem estar a pensar que S. Tomé e P´ríncipe é província do Gabão… Também, até a hora já está igual… Era esse o plano para a próxima legislatura que o ADI planeou já estar no papo.

    Patrice, faz sai! Faz cêdoooo… Despacha-te! Arruma as tralhas e volta para o Gabão, de vez.
    NÓS SANTOMENSES TE AGRADECEMOS MUITO!

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo