Política

Oposição entregou dossier de sustentabilidade parlamentar ao PR

As forças políticas da oposição que compõem a nova maioria parlamentar, pedira audiência ao Presidente da República Evaristo Carvalho, e foram recebidos na última semana. Jorge Bom Jesus, enquanto líder da oposição, disse a imprensa que foi entregue ao Presidente da República um «dossier contendo as 28 subscrições dos mandatos», incluindo o acordo de incidência parlamentar, e a declaração que sela o entendimento entre as forças da oposição.

Um entendimento «que assegura a possibilidade de a oposição garantir a sustentabilidade parlamentar e ser governo», frisou.

Na conversa com os jornalistas no átrio do Palácio Presidencial, as forças da oposição comentaram vários aspectos da actualidade política são-tomense.

Acompanhe tudo no registo audio :

Abel Veiga

    7 comentários

7 comentários

  1. manuel

    30 de Outubro de 2018 as 14:14

    Meus senhores a onde para o representante da coligação MDFM? Nunca aparecem a pronunciarem nada? O que passa. Até o representante da UDD que tem 1 deputado tem voz vibrante nas declarações públicas

  2. Cidadã

    30 de Outubro de 2018 as 17:19

    É isso aí, a união faz a força, o País é de todos nós… que Deus vos abençoe, oriente, capacite, ilumine e dê graças para governarem essa terra maravilhosa, de tal maneira, para que o PT e seus comparsas nunca mais venham a conhecer o poder sobre esse País. Abrem olho e não brinquem…O povo está convosco.

    • Seabra

      30 de Outubro de 2018 as 19:10

      Amén cidadã. Que assim seja, de nunca mais ver esta vagabundagem de corruptos e LARÁPIOS PT – ADI, fazerem mais parte no comando de STP.
      Todos os elementos do governo PT-ADI, devem e merecem ser julgados.
      Um povo unido jamais será vencido. FORÇA !

  3. Arroz substância

    30 de Outubro de 2018 as 19:29

    Meus senhores S.tome é um pais democrático e tem regras e leis.
    Em Portugal quando o Passos Coelho ganhou as eleições com maioria relativa o presidente Cavaco Silva deu posse ao governo do Passos Coelho so depois do chumpado é que deu origem geringonça do António Costa.
    Vocês andam ai com estes espidientesde acordos mais acordos para peticionar o presidente o que vocês estão a fazer é tentar pular o cercado ao invés de esperarem que vos abram o portão.

    • ONDE MESMO?

      31 de Outubro de 2018 as 8:07

      Meu caro, pode ser assim como escreve mas, STP não tem as mesmas condições económico-financeira que Portugal tem logo poderemos escolher um atalho que nos fica muito mais barato evitando literal perda de tempo . Portugal seguiu o caminho por mero capricho do anterior presidente Cavaco Silva se é que acompanho atentamente as declarações deste e S. Tomé e Príncipe não tem que seguir o mesmo caminho como deixou bem claro o constitucionalista Sr. Jorge Miranda. Podemos e devemos contornar a burocracia e não estaremos de forma nenhuma violando a lei.

    • Cidadã

      31 de Outubro de 2018 as 8:43

      Na verdade é… São Tomé é mesmo um pais democrático e tem regras e leis. Entretanto devias fazer primeiro essa análise e depois partilha-las com todos os adeístas(líder, governantes e simpatizantes do ADI)…

  4. jójó

    31 de Outubro de 2018 as 7:22

    Senhor Manuel, o MDFM ou UDD já não representam partidos políticos separados.

    MDFM ou UDD, atualmente MDFM/UDD é uma única força política. É um partido político, por isso não tem sentido ter dois representantes.

    O Sr. Carlos Neves representa esta força política (MDFM/UDD).

    Espero ter-lhe esclarecido

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo