Política

Olinto Daio declinou o convite de Patrice para ser candidato ao cargo de 1º Ministro

Caros Concidadãos

Acredito que governar São Tomé e Príncipe neste momento crítico exige mais que políticas e ideias. Pois, “Unidade, Disciplina e Trabalho”, palavras inscritas no brasão do nosso país, impelem-nos a ter atitudes e comportamentos que nos dignificam como políticos e a restabelecer a confiança dos santomenses nos seus dirigentes.

O espírito de patriotismo e dever que supera as diferenças de partido e ideologia obrigou-me a aceitar o convite de liderar uma comissão do meu Partido, Acção Democrática Independente – ADI, com objectivo de estabelecer contactos com a sociedade civil e partidos políticos a fim de buscar uma estabilidade social e política, após alguns incidentes que se verificou depois das eleições de 7 de Outubro.

Recentemente fui contactado pelo Presidente do Partido ADI propondo-me para chefiar o próximo XVII Governo.
No mesmo espírito de patriotismo e dever, e se o objectivo for o de aperfeiçoar a nossa união e aderirmos aos valores são-tomenses eu estaria disposto, pois tenho um contributo para dar a este país que tanto me deu.

E, mais, acredito que neste momento, o povo são-tomense não é o problema, mas sim a resposta. Os valores que acarinhamos enquanto nação – família, paz, concórdia, hospitalidade, responsabilidade e respeito – são os que tornam São Tomé e Príncipe forte e dão sentido às nossas vidas. E todos eles fariam parte do meu trabalho.

Ora tendo analisado e ponderado cheguei a conclusão de que esses valores não estão presentes e contidos nesta proposta de chefiar o governo. Por isso, decidi em não aceitá-la.

Acredito, muitos são-tomenses também acreditam, que podemos ser um só povo, alcançando o que é possível, construindo essa união perfeita. Esta é a minha convicção, enraizada na minha fé em Deus e na minha fé no povo são-tomense.
Que Deus nos abençoe e aos nossos filhos.

Olinto Daio
São Tomé, 23 de Novembro de 2018

    11 comentários

11 comentários

  1. Pedro Costa

    25 de Novembro de 2018 as 23:10

    E onde pára este Patrice?
    Este indivíduo não deveria ter saído do país sem prestar contas. E por questões de ética, ele deveria esperar pela tomada de posse do próximo governo. Se fosse uma pessoa séria não devia ter ausentado do país e por esta atitude o estado deve ir atrás dele e tentar encontrar os tentáculos das suas contas bancárias.
    Eu já tinha dito aqui, que ele depois de tudo que andou a fazer e um dia que deixasse o governo, estaria a comer e beber rindo-se deste país e povo.

  2. Paulo Jorge dos Reis

    26 de Novembro de 2018 as 8:23

    De tantos SALMOS lidos, quer do Bispo de STP, quer de cidadãos anónimos, o Patrice desatou a correr como se tivesse visto DIABO, e o infiel Olinto Daio, não aquentou e recusou.

    Agora só resta ao Patrice indicar o Dr. Arlindo “Bala” para Primeiro Ministro e tudo se resolve.

    • João Carlos

      26 de Novembro de 2018 as 14:10

      Sou de opinião que Patrice Trovoada nomeasse um dos irmãos MONTEIRO para cargo de primeiro MINISTRO de STP

  3. Bem de S.Tomé e Príncipe

    26 de Novembro de 2018 as 10:15

    Dr. Olinto Daio, apesar de ser do ADI, demonstrou seriedade, sentido de Estado, democrático e bom entendedor da realidade em que o país vive. As minhas felicitações por esta sua atitude.

  4. PUMBU

    26 de Novembro de 2018 as 11:02

    Viva, Olinto Daio!
    Acho que teve uma atitude digna de respeito.
    Subida ao poder significa antes de tudo RESPONSABILIDADE, COMPETENCIA/

  5. JOAO CARLOS

    26 de Novembro de 2018 as 12:13

    Embora tardia, mas digna…. Tomara que outros no ADI também tenham a mesma capacidade., talvez não estaríamos nesta confusão, pois o problema de S. Tomé e Príncipe está numa pessoa e todos sabemos quem é …..

  6. Lupuye

    26 de Novembro de 2018 as 14:54

    O Olinto Daio foi inteligente. O ADI fez das suas, o ex-primeiro ministro desaparece e diz que ja nao quer o lugar e manda o coitado do Olinto a forca. So fez ele muito bem em negar pois sabe que o lugar de primeiro ministro vindo da ADI so teria uma vida de uns dias pois que seria derrubado na Assembleia. Entao porque aceitar? So pra dizer que tambem foi primeiro ministro? Entao e melhor recusar porque ja se conhece de antemao o fecho desta historia. Olinto, fica talvez para uma proxima vez.

    • Seabra

      27 de Novembro de 2018 as 0:20

      Olinto Daio é um membro da ADI, que sempre colaborou ,fez o PACTO DEMONÍACO com o governo PT e seguiu, governou de mãos dadas sem nunca criticar, demissionar do governo. …se não tivesse havido as eleições de outubro, o senhor Olinto Daio ainda estaria no governo,fazendo parte do “sérial ” PT-ADI.
      Nenhum arrependimento, nenhum apelo ao diálogo nos convence. Depois de terem decidido TUDO, impondo as LEIS criadas por eles ” sem FÉ e sem LEI” , os militantes querem vir dialogar só agora? Chamam a isso de GOZAÇÃO da parte do PT-ADI. Sejemos coerentes, sérios e responsáveis…brincadeira tem hora.
      Senhor Olinto Daio, por esmola,para a próxima vez, pedimos que não faça BLASFÉMIA, evocando o nome de Deus em vão.Respeite os católicos, apostôlicos romanos. Não brinque com o Deus Pai Todo Poderoso, pode lhe vir a ser fatal.
      O seu PACTO é com o CAPETA e não com Deus,padre excomungado. Você e o exvomungado padre Aristide do Haïti, têm conta à dar à Deus.

  7. Metido a Besta

    27 de Novembro de 2018 as 14:46

    Metido a Besta

    “ Acredito que para governar São Tomé e Príncipe neste momento crítico exige mais que políticas e ideias” disse Olinto Daio, tendo sublinhado que “ os valores que acarinham enquanto nação-família, paz, concórdia, hospitalidade e respeito são os que tornam o País forte e dão sentido as nossas vidas”

    Palavras de um sábio, que põe acima de tudo os verdadeiro interesses da Nação Santomense em detrimento dos seus egos e interesses pessoas.

    Um gesto muito sublime e consciente de nada valeria alimentar um sonho, uma cadeira de primeiro ministro se mal haveria o tempo de assentar nela e pensar o futuro para a Nação.

    Percebeu de um convite a um lugar sem as pernas para seguir em frente e por essa razão de entre incerteza e a certeza proferio dar lugar a mais provável perante evidência.

    J L , o Presidente de Angola disse: Somos milhões e contra os milhões ninguém combate.

    Respeitosamente

  8. MadreDeus.igreja

    27 de Novembro de 2018 as 17:22

    Grande hipócrita. Depois de 4 anos, só agora, teve entendimento?
    Tirou conclusãa. Pois, sabia que não passava na assembleia.

    É triste ver e ler este senhor, falar de unidade, disciplina e trabalho.
    Em 4 anos esqueceu dessas significado dessas palavras.

    Misericórdia padre. Hipócrita

  9. WXYZ

    28 de Novembro de 2018 as 3:18

    Um elemento de ADI a ter assim tantos aplausos nessa plateia!!?? Se Olinto Daio ee agora um heroi para os da oposicao, entao, porquee que nao questinaram a corragem dele perante o primeiro ministro que teve conhecimento atraves da comunicacao social, corragem dele perante o partido, porquee ter esperado assim tanto tempo, onde estao unidade e disciplina sabendo que elas comecam nas familias, partidos e depois vem para sociedade, o sacrificio, gozou bem esses quatro anos mas agora que se precisa de um pouco de esforco o cidadao recusa. Essa postura devera ser muito debatida se ele quiser continuar fazendo carreira politica. Sendo ADI ate entao maior forca politica em STP devido a sua coesao, disciplina partidaria e abnegacao ao trabalho nao devia ter um elemento com essa postura. Deve ter tido provavelmente a influencia dos irmaos Monteiros.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo