Política

EMAE subiu a produção mas ainda não satisfaz as necessidades do país

A constatação da ligeira subida de produção de energia pela empresa estatal EMAE, foi feita pelo Primeiro Ministro Jorge Bom Jesus.

As centrais térmicas que fornecem energia ao país, foram os primeiros sectores do país que receberam a visita do novo Chefe do Governo. 24 horas após a sua investidura, Jorge Bom Jesus, acompanhado pelo ministro Osvaldo Abreu, visitou as centrais térmicas, e constatou que actualmente a EMAE produz 11 megawatts, quando em Outubro último a produção era de 7.

Segundo o Primeiro Ministro, o défice continua a ser grande, uma vez que as necessidades das populações, ou seja, de todo o país, em termos de consumo de energia é de 20 megawatts.

A crise de energia eléctrica que demora mais de 7 meses, e agravou-se em Outubro último, já provocou revolta popular em todo o país. O novo governo pretende atacar a crise da EMAE, e já tem um plano B. «Possivelmente a aquisição pontual de um grupo gerador. Há contactos que preliminares que começamos a fazer na perspectiva de sermos poder, e hoje já somos. Vamos encontrar uma solução ainda para este ano, para esta quadra festiva», declarou o primeiro ministro.

Jorge Bom Jesus, disse que está alinhado com o Presidente da República, sobre a necessidade de se inquirir a EMAE, para esclarecer as verdadeiras causas da crise eléctrica sem precedentes que o país vive. «À semelhança daquilo que o Presidente da República, exigiu e eu alinho sobre o mesmo diapasão, um inquérito tem que ser feito para apurarmos responsabilidades», sublinhou.

Abel Veiga

    6 comentários

6 comentários

  1. Maria Silva

    5 de Dezembro de 2018 as 19:44

    Minha gente, vamos esquecer esta história de aquisição de novos geradores, temos que pensar em energias alternativas, crias outras formas de produzir energia!
    Energia a motor é coisa de século passado, temos que raciocinar, pensar, planear etc etc.
    Sei que custa caro, porém, temos que fazer algum esforço, já está mais que na hora de andarmos para frente, evoluir….

    • Levy

      6 de Dezembro de 2018 as 7:57

      Sim, mas até lá há que estabilizar/repor o fornecimento actual, e depois sim estudar outras formas.

      Não esquecer de responsabilizar os culpados pela crise originada por não terem feito a manutenção atempadamente.
      Tem que servir de exemplo para os próximos gestores.
      A Culpa não pode morrer solteira.

  2. Cua non

    5 de Dezembro de 2018 as 19:47

    Sr. PM,
    Não faz como antecessor que foi visitar hospital e nunca mais foi.

    Devemos ser honestos se amamos o nosso país.

    Por favor,
    Contacta Elon Musk, patrão da TESLA, e pede solução para energia e transporte .
    EMAE nao pode continuar a ser casa de tachos para os Boys.

    Obrigado.

  3. Matrusso

    6 de Dezembro de 2018 as 2:33

    Sra Maria Silva, a sua perspetiva é sem dúvidas a mais sensata.
    Mas outras formas de produção de energia, além de serem dispendiosas custam mto tempo e não pode fazer parte de medidas urgentes.
    Deve se sim pensar e focar noutra forma de prudução e melhorias de destribuição, mas tem que ser a longo prazo.

    Relativamente a cua non, não conheço o patrão a q se refere, mas todas tentativas são válidas, pode não ser solução.
    O importante é melhorar prudução. Primeiro com medidas urgentes para minimizar e a longo prazo melhorar perfomance com qtde, qlde, métodos e custo.
    Um bem haja a todos com ideias positivas em marcha.

  4. HT

    6 de Dezembro de 2018 as 17:03

    Por favor prendam o diretor da EMAE “BURRO”

    • Amar o o que é nosso

      6 de Dezembro de 2018 as 17:31

      Concordo. Não pela burrice que é visível mas sobretudo pela má fé, ganância. Papou todo o dinheiro da manutenção para si!!!

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo