Política

Reservas bateram no fundo, inflação disparou e a economia regrediu

O cenário de desequilíbrio macro económico e de grave crise económica e financeira em São Tomé e Príncipe, foi apresentado a comunicação social pelo Primeiro Ministro Jorge Bom Jesus.

Na primeira semana como Primeiro Ministro e Chefe do Governo, Jorge Bom Jesus, é confrontado com dados macro-económicos preocupantes.

As reservas externas bateram no fundo. São incapazes de garantir 3 meses de importação. «As reservas liquidas neste momento, em termos de divisas, estão abaixo de 3 meses de importação, o que é de certo modo inquietante», declarou o Primeiro Ministro.

Situação complicada, uma vez que em agosto passado, a missão do FMI, que avaliou o desempenho macro-económico do país, registou baixa das reservas externas, mas precisou que estava no limite exigido, ou seja, capaz de assegurar 3 meses de importação.

Em 2014, quando o anterior Governo, o XVI Constitucional tomou posse, São Tomé e Príncipe, tinha um nível de reserva externa, capaz de garantir 6 meses de importação.

4 anos depois, o novo governo, o XVII Constitucional, diz que as reservas externas estão abaixo do limite, e revelou outro dado macro-económico, também preocupante. «Pelas informações preliminares nos dizem que a inflação está a subir e pode inclusivamente ultrapassar os 7% o que agrava a nossa situação», pontuou o Chefe do Governo.

Até 2012, a taxa de inflação em São Tomé e Príncipe atingia os 11%. A partir de 2013, o país conseguiu baixar a inflação para níveis históricos, situando-se nos 6% em 2013%. No entanto em 2017, a inflação disparou para 7,7%, e para 2018 deverá estar muito mais perto dos 8%

Segundo o Primeiro Ministro, a previsão do crescimento económico para o ano 2018, feita pelo anterior governo, também não bate certo. O anterior governo projectou um crescimento económico de 5% em 2018, mas os últimos dados apontam que o crescimento económico, «deverá situar-se abaixo dos 4%».

Apesar da crise financeira, Jorge Bom Jesus, anunciou na sua primeira conferência de imprensa dada no seu gabinete no Palácio do Governo, que o executivo conseguiu resolver o pagamento dos salários da função pública para o mês de Dezembro, incluindo o décimo terceiro mês. « Não encontramos verbas para o pagamento dos salários. Pelo que fui informado nos últimos meses recorreu-se ao crédito bancário para pagar os salários. Não fomos por esta via», garantiu.

O novo governo em uma semana de actividade, conseguiu amealhar cerca de 4 milhões de dólares, para dar aos funcionários públicos, o salário e um bónus para as festas de natal e do ano novo. «O problema está resolvido. Estamos a falar de verbas na ordem de cerca de 4 milhões de dólares. Porque para além do salário estamos a falar do décimo terceiro. Era legítimo que fizéssemos todo esforço para que cada um tivesse o seu salário e que passasse a quadra festiva com mais alento», concluiu.

Abel Veiga

    22 comentários

22 comentários

  1. Merenguê

    12 de Dezembro de 2018 as 9:52

    Senhor Primeiro Ministro! um conselho meu, enquanto São-tomense que também está preocupado com esse País, procura ouvir mais, mas decidir de acordo com a sua consciência! Noto em sua cara a honestidade não faça nada que suje a sua imagem continue sendo humilde pois assim de certeza irá muito longe. Muitas expectativas estão sobre si, por isso, faça algo diferente dessa vez para esse povo que muito esta precisando de uma vida mais digna.

  2. sotavento

    12 de Dezembro de 2018 as 10:05

    Era de prever essa situacao… isto é STP

    • Seabra

      12 de Dezembro de 2018 as 16:53

      O novo governo começa apenas a se constituir, tendo herdado cofres vazios do Estado. O Patrice Très deve vir prestar as contas sobre o orçamento que deixou ao novo governo.
      Seja como for, visto o ABISMO em que foi deixado o país governado pelo PT-ADI, não se pode esperar por uma mudança a curto termo visto a situação caôtica e catastrófica em que o PT-ADI deixou STP.
      Estámos todos conscientes que pior governo que existiu em STP foi o dos Trovoada, e nunca haverá pior.
      Excusado é de começar à atirar pedras para o novo governo, que ainda tem elementos da ADI. …o presidente Evaristo Carvalho, por exemplo.

      • Artur

        13 de Dezembro de 2018 as 6:54

        Vejam o exemplos dos últimos acontecimento no ADI.

        Fizeram todas as vontades do Sr. todo poderoso, hoje já têm honestidade intelectual.

        Trouxeram-nos para o abismo e agora a culpa é do Ex. Chefe ? Não não, foram todos coniventes, o suporte para que pudesse fazer o que fez, enquanto isso cada um ia tirando sua parte. Agora que já não há e que o comandante foi o 1º a saltar do barco querem vir fazer mea culpa.

        São todos responsáveis / culpados. Antes tarde que nunca sim, mas que sejam responsabilizados pelo que fizeram.

        Bandidos

  3. JOAO CARLOS

    12 de Dezembro de 2018 as 10:37

    Senhor Primeiro Ministro, é necessário apurar responsabilidades, a culpa não pode morrer solteira…. Essas responsabilidades devem ser apuradas a todos os níveis;governo, Direções, empresas Públicas, Banco Central etc…

    • Ex ADI

      13 de Dezembro de 2018 as 7:35

      Exactamente.

      Chamar os que andaram 4 anos a dizer que o Pais deixou de ser pobre para “em vias de desenvolvimento”.

      Andaram a adulterar os dados para o FMI e outros, dizendo que as politicas todas falhadas estavam a ter resultados.

      Têm que vir explicar tudo. Não é so dizer que não sabem nada, que só o chefe é que sabia e fazia tudo.

  4. ANCA

    12 de Dezembro de 2018 as 11:12

    Se não havia verba para pagamento do salário, agora já há.

    Pergunta-se esses 4 milhões de dólares, vêm de onde?

    Seria bom começar a explicar tais operações com clareza devida.

    São doações, contração de empréstimos, são dívidas contraídas, a quem e a que custos? O povo, os cidadãos têm e devem saber e ser devidamente esclarecidos sobre estas matérias.

    Por outro lado julgo que a situação macro económica, quer em termos economicos e financeiros, exige uma abordagem mais ampla da nossa realidade, jamais somente inquéritos e auditorias, que é de louvar, mais uma análise cuidada extensiva de todo nosso sistema económico financeiro, com as realidades dos números, quer social, económico financeiro, quer institucional.

    Ver como se compõe o País, sobre a realidades dos agentes económicos, na sua condições de levar a cabo desafios capacidade de economia e poupança, arrecadação de rendas ou receitas internas, a sua organização Cultural, os handicaps a ultrapassar pela estruturação do País(Território/População/Administração),quer a nível social cultural ambiental desportivo político económico e financeiro.

    O diagnóstico os estudos estão feitos e se conhece a realidade.

    São Tomé e Príncipe, é um País(Território/População/Administração), pequeno, composto por duas ilhas e alguns ilhéus, com dupla singularidade, sem estrutura, económica financeira de suporte, tem recursos naturais e humanos limitados e instituições fracas, para levar a cabo objectivos de suplantar o subdesenvolvimento.

    Temos uma monocultura do cacau,de que divisa se pode contabilizar? Há que mudar a base da economia, viabilizar a modernização estrutural para uma nova divisão do trabalho apostando na diversificação económica ao mesmo tempo no empreendedorismo de valor acrescentado.

    Algo deve ser mudado

    Se a grande maioria dos agentes económicos vivem com menos um dólar dia, como se pode sustentar a economia e finanças do País(Território/População/Administração)?

    Necessário se torna um sistema financeiro Nacional robusto. Melhor organização deste sector nomeadamente a banca.

    Pois que capital gera capital.

    O mar um território duas vezes mais que recurso terra, que partido se tem tirado deste recurso, para além de hidrocarbonetos?

    Ver hoje o que significa o cluster do mar. Suas vantagens

    Outra questão os transportes comunicação e energias renováveis.Somos ilhas, temos dupla insularidade, se queremos produzir e atrair investimentos nacionais ou estrangeiros temos e devemos a,devida atenção a estes sectores.

    A questão desafios do recurso água, a floresta, o ambiente, a degradação social
    Cultural?

    Justiça, saúde, educação, a família, etc…

    Tu és de São Tomé e Príncipe, acredita em ti

    Tu és capaz, faz a diferença

    Todos juntos, somos mais

    Pratiquemos o bem

    Pois o bem

    Fica-nos bem

    Deus abençoe São Tomé e Príncipe

    • ANCA

      12 de Dezembro de 2018 as 11:34

      Já sem esquecer da importância das tecnologias de informação e comunicação, seus benefícios vantagens, em todos sectores da vida Nacional.

      A responsabilização familiar parental, deve ser uma realidade a ser implementada, de modo a inverter o quadro actual das famílias Saotomenses, a nível de assunção da paternidade maternidade sua responsabilidade perante estado, assunção da responsabilidade educacional cuidar dos perante o estado, responsabilidade familiar dentro da União ou Casamento, punição da poligamia, violência doméstica, abandono escolar, abandono de idosos, gravidez na adolescência, a prostituição, a violência infantil, trabalho infantil, consumo de álcool e drogas, as DST’s.

      Há que moralizar a sociedade, por meio de códigos e normas jurídicas, pó-las efectivamente em prática, pois que necessário se torna um sistema de justiça credível, célere.

  5. Amar o o que é nosso

    12 de Dezembro de 2018 as 12:56

    Devem primeiro declarar os seus bens para promover a transparência. Nos acreditamos no Jorge Bom Jesus, mas nos outros ministros não. Inclusive diz se por aí que uma parte deles têm processo na justiça. Por isso o mais sensato agora seria declararem os seus bens. Até é uma maneira do seu elenco governamental de se protegerm pk mais tarde qdo as más línguas começarem a surgir é só mostrar a declaração de bens e calar os rumores.
    Continuação de bom trabalho!

  6. Eddy

    12 de Dezembro de 2018 as 13:18

    Assim que se trabalha transparencia .eu vejo nas mao de Deus e nas mao do senhor jbj um sao tome melhor .acredito que propriu o de ADI estao alegri com o jbj .vamos unir povo lindo maravilho fazer da nossa terra um lindo pais .se nos gostamos de viajar para europa porque europa è limpa e tem tudo !porque que nos nao fazemos o mesmo para o nosso pais sem presisar de viajar para europa . Reflita vamos ajuntar ja chega de orgulho vamos unir para os nossos filhos e netos falaram bem de nos .

  7. Vaz

    12 de Dezembro de 2018 as 14:36

    Boa Bom Jesus. Estás a mostrar que quando pensamos no “povo” conseguimos fazer coisas boas. Espero que possas ter força e coragem para continuar a promover acções em prol do povo. Como pediste no seu discurso, vamos também te ajudar, dando o nosso melhor nos nossos postos de trabalho. Também vamos rezar por para que este elenco, possa pensar primeiro no povo do que em outra coisa. Lembrem, o povo depositou a confiança em vocês, então não nos decepcione. Obrigado por comprometerem em nos pagar o 13º.

  8. Barão de Água Izé

    12 de Dezembro de 2018 as 16:09

    É urgente um novo modelo econômico para STP que rompa com o passado. Serão ilusórios todos os remendos que se pretendam fazer pois toda a estrutura econômica, judicial e social, está refém do modelo econômico decorrente das nacionalizações e dos seus resultados. Este governo tem a obrigação patriótica de lançar o debate para se iniciar a saída da pobreza e dependência externa.

    • Luxenburg

      13 de Dezembro de 2018 as 10:37

      O modelo económico é de mercado, capitalista, para de falar das nacionalizacoes. Estamos num modelo capitalista evoluido a puramente financieiro e pos industrial, basado apenas no consumo, cuando se sabe que no mundo tudo o consumo nao esta ao alcance de todos. Sabese tambem que este modelo de capitalismo esta no fim e apenas tem a saida das guerras e os conflictos para aguantar um bocado mais. O modelo do futuro tem que ser mais social, de producao de bens para vivir, ecológicamente, inteligentemente e o Estado tem muito a decir, um modelo de Estado social nao corrupto e nao associado ao mundo financieiro o capitalista posindustrial.

  9. Metido a Besta

    12 de Dezembro de 2018 as 16:31

    A situacao economica financeira de Sao Tome, actualmente, nao deve estranhar ninguem porque mesmo aqui na Tela Non que as pessoas tem vindo a denunciar as constante viagens de antigo primeiro ministro,

    Para um pais que depende de doadores internacionais ninguem percebeu como o antigo promeiro ministro andou a gastar poucos recursos com tantas viagem.

    E nao tem feito a passagem de testenunho ja ilustra o caos que reinava em Sao Tome.

    Falta de coerencia de ADI e seus atores que andaram a criticar tudo e todos e no memento de prestar as conta !!! Onde esta o ADI e P Trovoada ? Zarpou.

    Sr J B Jesus esta condenado , no bom sentido, a governar Sao Tome nos proximos 20 anos.

    A vossa Excelencia nao vai me desapontar ate porque raremente erro nas minhas profecias.

    Nao vislumbrei na Vossa pessoa mau caracter antes pelo contrario, vejo a honra, bondade e a humildade.

    Quando carecer da luz e direicao faz jejum e ora ao Nosso senhor Jesus Cristo que Ele lhe guiara no caminho a trilhar.

    Votos de bom sucesso e estamos e vamos estar ao seu lado e junto venceremos.

    Somos milhoes e contra os tais ninguem combate: Afirmou O atual Presidente de Angola , Sr J L.

  10. João Carlos

    12 de Dezembro de 2018 as 20:21

    Sr Primeiro Ministro tem que urgente reformar AGER. Há acordos de cambalacho entre FROTA, PATRICE TROVOADA E ADMINISTRADORES que estão a lesão S.Tomé e Príncipe em benefício deles próprios. Estão envolvido com a máfia das empresas fantasmas de corrupção nas telecomunicações. Manda investigar e o Sr Primeiro Ministro vai saber.

    • Ney Medeiros

      12 de Dezembro de 2018 as 21:59

      Eu também acho que Sr Primeiro Ministro deve urgente mudar aquela direcção de AGER sim porque toda gente sabe negócio de Frota e Patrice Trovoada para compra esse edifício de Fernando junto de sede de PCS que esses bandidos de AGER chefiado por FROTA E Patrice Trovoada subfacturaram mais de 800 mil dólares pra eles dividirem prejudicando o estado porque é dinheiro de contribuinte que tá pagar negócio sujo deles.fdp

      • Ney Medeiros

        13 de Dezembro de 2018 as 17:34

        PCD e não PCS.

    • adalberto silva

      13 de Dezembro de 2018 as 20:43

      Até o pai de Levy Nazaré, o Sr Chico Nazaré É do Conselho Fiscal da AGER.

  11. António cunha dos santos

    13 de Dezembro de 2018 as 9:40

    O povo descuidado, votou cegamente no PT, que por sua vez utilizou a teoria de CAOS, CAOS, por ele anunciada, e só pode dar nisto.
    Acho que o povo não deve RECLAMAR muito, porque a escolha o PT E DO ADI, foi a sua escolha.

  12. MadreDeus.igreja

    13 de Dezembro de 2018 as 16:11

    Senhor 1 Ministro, a reserva bateu no fundo? Certo.

    Ora bem, o senhor tem meios para reporem quem, os levou

    Aciona os tribunais, tanto nacional, como internacional. A interpol, vai buscar-los aonde tiver

    Há muito blá, blá, blá, responsabiliza todos que tiverem culpas, mais todos mesmo.
    De baixo até lá em cima

  13. António cunha dos santos

    14 de Dezembro de 2018 as 8:11

    Claro. Com todas estas viagens do ditador PT. Subir e descer, gasta massa.

  14. Democrático

    18 de Dezembro de 2018 as 7:59

    Caro amigo Jorge Bom Jesus, tenha fé e coragem, nós vamos conseguir! A situação económica e social no país está degradante e muito degradante, mas o povo sabe que o Senhor JBJ herdou um Estado falido devido a política desastrosa de Partice Trovoada -Ex Primeiro-ministro, Américo Ramos ex- ministro das Finanças, Hélio Almeida – Governador do Banco Central, Ginésio Mata – Director do Orçamento, Anita Silveira – Directora do Tesouro, Mário – ex director geral da EMAE. Esses indivíduos são bandos de criminosos, pensaram somente neles-abusando do dinheiro do povo e do Estado são-tomense! Na verdade, a corrupção nos últimos 4 anos, foi liderada pelo Ex- Primeiro Ministro Patrice Trovoada, e disseminou para as Câmaras distritais do país. Temos vários exemplos: transferências de vários funcionários públicos na última hora sem cumprimento de norma vigente no país, roubo e venda de arroz de Japão, negócios sujo e que lesam a Nação, o caso da ENAPORT, desrespeito a Lei 1/2013 Lei-Quadro Da Dívida Pública, batemos no fundo,a tingimos o limite da divida externa, desrespeito a Lei nº 8/2009 Aprova o Regulamento de Licitação e Contratações Públicas, na aquisição e contração de serviços- Compra de Geradores velhos para EMAE, contração directa a EMPRESA EFACEC, aquisição da Barcaça de 1975 a preço astronómico e que se encontram no GABÃO, aquisição de Catamarãs que depois foram desviados para GABÃO, Aquisição de 12 viaturas que foram desviadas para o GABÃO, várias viaturas do Estado escondidas em Propriedade Privada, procedimento ilegal na emissão de Novas Dobras, vários depósitos na Conta em Caixa Geral de Depósitos em Portugal de dinheiro dos parceiros internacionais, e empréstimos contraídos pelo Estado são-tomense e gerido pelo Patrice Trovoada Residente em Portugal, e Trio constituídos pelo Américo Ramos, Hélio Almeida, roubo dos 30 milhões de dólares do empréstimo contraído numa folha A4, 17 milhões de dólares do fundo kuwaitiano que não entraram no cofre do Estado, transferência de funcionários sem competência ou formação na área afins, pagamento de vários funcionários fantasmas etc etc

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo