Política

Levy demitiu-se do cargo de Secretário Geral da ADI

ADI o maior partido da oposição em São Tomé e Príncipe, ficou desde o último fim de semana, sem comando legítimo.

Levy Nazaré, secretário geral do partido desde o ano 2010, foi o último membro da cúpula da ADI a abandonar o barco. O político que na última semana se rebelou contra o Presidente Patrice Trovoada, que auto-suspendeu-se do partido, acabou também por bater com a porta.

ADI vive uma convulsão interna, que não permitiu a Levy Nazaré, realizar o conselho nacional que tinha sido marcado para o ultimo domingo 16 de Dezembro.

A outra ala do partido, comandada pelo deputado José Diogo, anunciou no sábado o adiamento sine die do conselho nacional.  Levy Nazaré que tinha dado garantias de que a reunião do conselho nacional seria mesmo no domingo, capitulou-se. « A minha decisão é no intuito de manter o ADI coeso e unido. É para demotsrar que não estou e nunca estive preso ao poder, as funções ou a cargos. A forma como estão a levar a situação de que, o Levy Nazaré é que é a causa da divisão do partido, então ponho o meu lugar a disposição», afirmou a imprensa.

Garantiu que continuará sendo militante da ADI, e na Assembleia Nacional, enquanto deputado e vice-Presidente do parlamento, acatará  integralmente as orientações da bancada parlamentar da ADI e da Direcção do partido. «A minha relação com os colegas deputados seguirá  as intruções do partido e da bancada parlamentar. Por isso acho que as coisas vão correr bem na bancada parlamentar», concluiu.

Abel Veiga

    7 comentários

7 comentários

  1. Paulo Castro

    17 de Dezembro de 2018 as 14:10

    Na verdade o que se esta a passar no interior do ADI, ao nivel dos seus responsaveis, e no exterior do partido tamnbem com claros sinais de debandada de militancia noa deixa de constituir uma preocupaçao para todos, porque na verdade ADI se afigura neste momento como a unica força politica da oposiçao. Portanto o desmoronamento do ADI noa se afigura nada bom para a democracia.
    Por outro lado se vermos para o governo de Jorge Bom Jesus, existem peças que deixam muito a desejar, como sendo o Vinicios da Juventude e desporto, a Ivete da Justiça e Reforma da Administraçao Publica e o Ministro Wando Castro a quem foi imcumbido a funcoa de ser ministro dos assuntos parlamentares, bem assim como um talsecretario de estado do comercio e pior de todos ainda a senhora que deram de bandeja a cultura, o turismo e uma miscelania de que nao se entende. Esses ai parecem ser fracos.
    Com alguma competência, embora repitentes se afiguram Oscar Sousa, Adelino Lucas e Edgar Neves. Com algum cadastro mas que podem dar contas do recado estao Osvaldo Vaz e Osvaldo Abreu.
    Os do trabalho e da Educaçao sendo novos no governo tem a sublime oportunidade de demonstrar competências e apresentar resultados.
    A Ministra Elsa Pinto revela ter alguma competencia, mas tem um defeito, pensa ser a melhor de todas e de todos.
    no meio de tudo, felizmente estao bem e muito bem situado o proprio primeiro ministro e chefe do governo que sempre se revelou a altura dos desafios e que certamente conseguira levar o pais a bom porto. Assim sendo, espera-se que o primeiro ministro venha a cumprir o que prometeu. Ir fazendo a avaliaçao do seu sataff e agir em conformidade.

  2. Luxenburg

    17 de Dezembro de 2018 as 15:17

    ADI é o partido com maior número de mandatos no Parlamento e nao é o partido com maior número de mandatos nas autárquicas, pelo tanto nao é o maior partido santomense. Peor ainda, ADI nem é um partido que funciona como tal, no sentido lato: esta inscrito como partido político e funciona como empresa privada. ADI ten ágora a oportunidade de se libertar dessa contradicao, mas os “amigos” de Levy no ADI tem medo e preferem a comodidade do “partido empressa” e a responsabilidade no “Patrao”, para bem o para mal.

  3. arroz podre

    17 de Dezembro de 2018 as 15:55

    o ADI perdeu as eleições então os seus dirigentes têm que por os cargos a disposição para um congresso. O Patrice dizia isso aos partidos agora no poder.
    A nossa língua é o nosso veneno.
    Eu sabia que o Patrice quando não quisesse mais de política ele iria fazer isso que está a acontecer.
    Homem é mau e ruim.É bom que o povo abriu cedo os olhos.
    Não é bom pensar mal para os outros. Queriam acabar com o MLSTP, esquecendo que o MLSTP é jubumba estleno tám ê cadâ uê.

  4. SEABRA

    17 de Dezembro de 2018 as 16:37

    …jà era tempo que alguém ousasse rebelar contra o guru, ditador do Patrice Trovoada. Ficarao com ele os ùltimos , mais BURROS do ADI. O vagabundo do ADI, o PT tem hoje uns outros adeptos mais estùpidos do que os precedentes, uns tais de : Neco Guimaraes, Bruno Espirito, Ange Trovoada e certos chulos e Nulos, tal como gosta o DITADOR Patrice Trovoada.
    A ver vamos!

  5. MadreDeus.igreja

    17 de Dezembro de 2018 as 22:12

    O ADI, não pode acabar kkkkkkkkkk, a nossa comédia não pode ter fim, sem antes, cada um dos seus dirigentes assumirem as responsabilidades. Fizeram muito mal ao país. Enquanto, os tribunais, não determinarem as penas e esses senhores devolverem o que levaram do cofre de estado, não pode sair de mansinhos

    1- a justiça têm que funcionar e depois eles vão pagar a praga do povo léve, léve.

    Do que os Santomense, esperavam dum francófono?
    Ditadura, fome e miséria. Basta ver os nossos mercados, moto táxi, má conservação das cidades,lembram logo desses países francófonos.

    É o melhor que pai e adotivo, trouxe para São Tomé e Príncipe.

    Conselho: Pinta Cabra, voltas a S.tome, entregues a justiça, limpa o teu nome, depois vais direto para 5 dos infernos. Só assim o ADI, terá paz e encontrará o caminho de regresso a casa. Todos dirigentes do ADI, tenhem rabo preso

  6. Zagaia

    18 de Dezembro de 2018 as 10:24

    Este país,está a precisar de uma política séria e responsável.Temos que pensar que a riqueza(petróleo)não irá desenvolver essa terra,vamos aprender com os erros dos outros países. Tem que haver um DEBATE NACIONAL ,reflexão,sobre o que nós queremos fazer,tempo,como,a decisão ficará num LIVRO MEMORANDO,para ser seguido por todas as cores políticas.

  7. modesto

    20 de Dezembro de 2018 as 10:48

    O feitiço contra o feiticeiro!!!
    Mas o que falta mesmo, é que venha a ribalta todo o feitiço que andaram a tramar e que todos paguem pelos males que fizeram contra este povo.
    Que sejam obrigados a repor todo o dinheiro roubado, pagar toda a destruição causada por gestão danosa, criminalizados pela tentativa de subversão da ordem constitucional, pela perseguição, calúnias incluindo danos físicos e até mesmo a morte perpetrados contra cidadãos deste país, vítimas das suas maldades.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo