Política

STP e BAD assinam acordo de financiamento para Agricultura e Pesca

O Governo santomense, através do Ministro do Planeamento, Finanças e Economia Azul, Osvaldo Vaz, assinou nesta quinta-feira, 13, em Malabo,Guiné-Equatorial, com o Banco Africano de Desenvolvimento, BAD, um acordo de financiamento (donativo) no valor de 3.502.969,99 USD (Três milhões, quinhentos e dois mil, novecentos e sessenta e nove dólares e noventa e nove centavos) para projectos no ramo de Agricultura e Pesca.

Este acordo que visa responder às necessidades dos projectos da actividade de reforço a resiliência e a capacidade de adaptação às mudanças climáticas nos sectores de Agricultura e Pesca; e de reabilitação das infra-estruturas de apoio à segurança alimentar II (PRIASA II) foi assinado à margem de mais uma reunião desta instituição bancária.

Com este montante o país dará resposta a uma das grandes problemáticas mundial, mudanças climáticas, que vem ameaçando as actividades agrícolas e piscatórias no arquipélago, frisou Osvaldo Vaz.

Martins dos Santos

    4 comentários

4 comentários

  1. ANCA

    15 de Junho de 2019 as 0:50

    São Tomé e Príncipe,tem cinco distritos e uma região autónoma, dentro dos distritos, tal como na região autónoma do Príncipe, existem comunidades agrícolas ou agricultores com valências específicas para determinadas produções de alimentos, frutos, ou hortícolas, ou produtos, tal como os pescadores, ou criadores de gados, seria conveniente junto as câmaras distritais e o governo da região autónoma do Príncipe, perceber tais valências, aproveita-las mediante formação, aperfeiçoamento dos processos de organização e produção, para tirar melhor partido da produção vegetal, animal no País.

    Quanto a negociação sobre a aviação civil, com a Guiné Equatorial, em detrimento da Euroatlantic, não obstante o aluguer do equipamento poder ser oneroso para o País, julgo necessário que se possa ter uma visão ampla e estratégica, tirar partido das duas parcerias, sem que uma possa prejudicar ou anular outra.

    Ter uma companhia Europeia, com equipamento a ligar ao País, da prestigio e credibilidade a aviação nacional, abre porta ao mercado europeu, é uma forma também de ligar aos grandes centros de decisões, de informação, grandes centros emissores de turistas, grandes centros financeiros, compreende-se a nossa pequenez e pobreza, e necessidades de fazer certos negócios a pressa como o caso com a Guiné Equatorial, dinheiro fácil e urgente, neste sentido nada a opor, pois que a companhia Equato Guineense, quer expandir seu mercado, entrar no mercado Europeu, quem sai a perder quem sai a ganhar?

    Formalizar ou fundir se possível estes dois pontos séria desejável, no acordos ainda que se tenha que manter o contrato com a Euroatlantico, e formalizar ao mesmo tempo outras parceiras com a companhia Equatoriana, nos moldes a garantir mais uma ligação a Europa, a um preço mais baixo, ajudaria a fazer concorrência a própria TAP, ou mesmo a Euroatlantic, tornava o nosso destino mais apetecível.

    Hora se não se chegar acordo que se avance pelo melhor

    Pratiquemos o bem

    Pois o bem

    Fica-nos bem

    Deus abençoe São Tomé e Príncipe

  2. ANCA

    15 de Junho de 2019 as 5:59

    O dinheiro ajuda mas jamais resolve tudo.

    Necessário planeamento e organização interna do sector da pescas/agricultura e pecuária, florestas, para gerar empregos sustentável as famílias, jovens e mulheres.

    A produção, os processos, o processamento e transformação, a qualidade e segurança alimentar, a calibração, o embalamento, a certificação, os selos, a conservação, a comercialização, a exportação.

    A preparação do solo, sua conservação, proteção, proteção da biodiversidade quer terrestres, quer marítimas, estudos e conservação proteção das espécies, as boas práticas agrícolas e piscatória, o manual de boas práticas na pecuária, nas actividades de processamento e comercialização dos produtos, melhor organização dos mercados e pontos de venda, manual de qualidade e segurança no trabalho, manual de qualidade e segurança alimentar, etc…

    Países com instituições fracas como o caso de São Tomé e Príncipe, necessita antes dos bolos financeiros, de ajuda e consolidação administrativa de como fazer, como planear e organizar, como manter e exigir rigor na gestão e boas práticas.

    Tanto em São Tomé como no Príncipe

    Pratiquemos o bem

    Pois o bem

    Fica-nos bem

    Deus abençoe São Tomé e Príncipe

    • ANCA

      15 de Junho de 2019 as 6:10

      É bom sorrir quando percebe-se dinheiro, mas há muito trabalho a fazer…

      Porque como diz o ditado:

      Quem muito ri, ou sorri, muito nos engana.

      Pouco sorriso mais trabalho, para que a mão não esteja sempre estendida e por baixo.

      Deus abençoe São Tomé e Príncipe

  3. STP Terra linda e gente boa

    15 de Junho de 2019 as 20:49

    Mais um bolo para continuarem a festa. Uma parte vai enganar o povo e outra grande vai para o sustento da corrupção. O próximo governo (se fôr do outro partido) vai ter outra batata quente nas mãos. Isto é como uma bola que gira entre eles. O povo que fique condenado a assistir essas novelas.
    Tristeza.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo