Política

Ministro das Finanças discurso na 5ª Reunião Ministerial do g7+

Como um dos membros do g7+, São Tomé e Príncipe esteve representado na última Reunião Ministerial desta organização, 5ª, que teve lugar no final do mês de Junho, em Lisboa-Portugal, pelo Ministro do Planeamento, Finanças e Economia Azul, Osvaldo Tavares Vaz, que destacou no seu discurso os progressos realizados pelo país no âmbito da implementação do New Deal e identificação das prioridades no Programa de Consolidação da Paz e do Reforço do Estado de Direito.

O titular da pasta do Planeamento, Finanças e Economia Azul, Osvaldo Vaz, começou a sua intervenção por localizar geograficamente o país, e relembrar o momento da entrada do arquipélago na organização.

“São Tomé e Príncipe é o segundo menor Estado insular do Continente Africano situado no golfo da Guiné e com cerca de 200 mil habitantes, juntou-se ao g7+ em Maio de 2014, quando foi aprovado a sua adesão em Togo – Lomé, na 3ª. Reunião Ministerial da Organização”.

“Após a adesão ao grupo, um Comité foi criado a nível nacional para o acompanhamento e implementação dos princípios do New Deal (Novo Compromisso). O compromisso é o de acabar com os conflitos, promover a consolidação da paz e o reforço do Estado e reduzir a pobreza através de um modelo inovador de desenvolvimento”, acrescentou o ministro das Finanças.
Osvaldo Tavares Vaz destacou ainda na sua intervenção, o grande esforço que país tem feito para honrar os compromissos assumidos enquanto membro da organização.

“O Governo de São Tomé e Príncipe em colaboração com o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), no cumprimento das suas obrigações enquanto membro do g7+, e no quadro da sua Visão 2030 “ O país que queremos” e do Plano Nacional de Desenvolvimento 2017-2021, já possui um Relatório Preliminar da sua primeira Avaliação de Fragilidades, documento este que poderá brevemente ser validado e adoptado ao nível nacional”.

Segundo o mesmo, o objectivo desta avaliação de fragilidade é o de facilitar o processo de diálogo para se ter, por um lado, uma melhor compreensão das fontes e factores de fragilidade em São Tomé e Príncipe, tendo como referência os cinco “clusters” da abordagem do New Deal, designadamente: política inclusiva; segurança; justiça; bases económicas; e receitas e serviços, e por outro desenvolver uma matriz de fragilidades com base na observação, interpretação e perspectivas dos próprios cidadãos nacionais.

Osvaldo Vaz destacou que este “É um primeiro passo para se desenvolver soluções nacionais para os desafios que o país enfrenta, tal como referenciados nos documentos estratégicos Visão 2030, o Plano Nacional de Desenvolvimento 2017-2021 que integram no seu seio os Objectivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) ”.

O dirigente santomense sublinhou ainda que o país está empenhado na construção de uma sociedade livre, justa e solidária.

“ São e Príncipe é um pequeno Estado insular com características particulares, desde 1975 com a nossa primeira Constituição da República que o então Governo teve como preocupação inicial a criação de um Estado de direito democrático soberano, independente e empenhado na construção de uma sociedade livre, justa e solidária, na defesa dos Direitos do Homem e na solidariedade activa entre todos os homens e todos os povos, contribuindo para a paz mundial, para o estabelecimento de relações de igualdade de direitos e respeito mútuo, na soberania entre todos os Estados e para o progresso social da humanidade, na base dos princípios do direito internacional e da coexistência pacífica”.

Por fim, Osvaldo Vaz deixou a garantia que “a nossa grande preocupação na constituição do nosso Estado foi garantir direitos fundamentais aos nossos concidadãos, nomeadamente, sociais, económicos, culturais, cívicos e políticos. Ao longo destes anos, ratificamos várias Convenções nas mais diversas matérias sobretudo de paz, até porque tem sido o interesse do nosso Estado o cumprimento do16º.

Objectivo dos ODS, mais concretamente, o objectivo de promover sociedades pacíficas e inclusivas para o desenvolvimento sustentável, promovendo assim, acesso à justiça para todos e construir instituições eficazes, responsáveis e inclusivas a todos os níveis”.

Martins dos Santos/MPFEA

    6 comentários

6 comentários

  1. Vanplega

    7 de Julho de 2019 as 6:50

    Pois é senhor Ministro.

    São Tome é poderoso, é o segundo nemor Estado insular do C. Africano, no golfo da Guiné, com cerca de 200 mil habitantes.

    Palavras tuas.

    Esses cercas de 200 mil habitantes, que os mesmos dirigentes não conseguem governar. Massacrados, impondo-os uma tremenda miséria.

    200 mil habitantes, aenhor Ministro, é número de habitante duma Câmara Municipal em outros países. Onde tenhem, água, energia elétrica, hospitais e tenhem saneamentos básico, senhor Ministro.

    Porquê que têm que ser diferente em relação a outras partes do mundo?

    A conversa do senhor Ministro é para boi dormir!

    Vão continuando a mentir, enganar esse povo até quando?

    Enquanto isto, vossas contas bancária situada fora do país, vai engrossando a conta desses miseráveis.

    Tudo para nada, não levamos nada. É o melhor deste mundo.

  2. Nuno Menezes

    7 de Julho de 2019 as 10:36

    Impossible haver desenvollvimento sustentavel se FMI nega e vira as suas costas a Republica democratica de São Tomé and Príncipe.
    E desenvolvimento a curto prazo ‘e São Tomé and Príncipe Passar a ser currupto e ser um pais numero 1 na currupcao.
    Quando assim leio os reportes do FMI São Tomé and Príncipe enganou nas contas…. esse dinheiro nao foi aplicado dentro de Sao Tome mais sim na conta bancaria fora do Pais que Algren Lazaro expert assim roubou.
    Desenvolver São Tomé and Príncipe tem que ter infraestrutura igual a Republica Portuguesa,Casals,carro,hospital,auto Estrada, Feria popular de Sao Tome,restaurants,supermercados e outras coisas mais…
    E se por acaso alguem Portugueses informar voces de Sao Tome nasd principe nao querem entrar para europa union? A Resposta sim queremos, e na SKY Inglesa teremos nos um canal TVS de. Sao tome and Principe para assim as pessoas criminais e pessoas nao criminais assim assistirem.E tame me informo dentro de Sao Tome tempos petroleio 100% nosso. O problema ‘e multo cedo dar conhecimento… e isso Gera riqueza e desenvolvimento sustentavel para a populace os turistas e Pessoas que querem viver ou mesmo visitando Sao Tome and Principe

    Nuno Menezes

  3. Nuno Menezes

    7 de Julho de 2019 as 10:41

    Impossible haver desenvollvimento sustentavel se FMI nega e vira as suas costas a Republica democratica de São Tomé and Príncipe.
    E desenvolvimento a curto prazo ‘e São Tomé and Príncipe Passar a ser currupto e ser um pais numero 1 na currupcao.
    Quando assim leio os reportes do FMI São Tomé and Príncipe enganou nas contas…. esse dinheiro nao foi aplicado dentro de Sao Tome mais sim na conta bancaria fora do Pais que Alguem ladrao e expert assim roubou.
    Desenvolver São Tomé and Príncipe tem que ter infraestrutura igual a Republica Portuguesa,Casas,carro,hospital,auto Estrada, Feria popular de Sao Tome,restaurants,supermercados e outras coisas mais…
    E se por acaso alguem Portugueses informar voces de Sao Tome and principe nao querem entrar para europa union? A Resposta sim queremos, e na SKY Inglesa teremos nos um canal TVS de. Sao tome and Principe para assim as pessoas criminais e pessoas nao criminais assim assistirem.E tambem informo dentro de Sao Tome existe petroleio 100% nosso. O problema ‘e multo cedo dar conheciment a esse poco ,e isso Gera riqueza e desenvolvimento sustentavel para a populacao e os turistas e Pessoas que querem viver ou mesmo visitando Sao Tome and Principe

    Nuno Menezes

  4. Alligator

    8 de Julho de 2019 as 11:36

    “Progressos realizados nos pais”???????????Em que area???????? não vejo! Sera que sou unico??????

  5. Alligator

    8 de Julho de 2019 as 11:38

    Quis dizer: Progressos realizados pelo pais?????

  6. Luxemburgue

    8 de Julho de 2019 as 12:00

    Querramos o não, temos pela primeira vez um Ministro de Finanças de verdade. Acabou o tempo dos “boneco”!!

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo