Política

Rosema agita o MLSTP – Militante Adelino foi suspenso

Num comunicado a Comissão Permanente do partido MLSTP, anunciou nesta semana a suspensão de Adelino Izidro, militante e membro do conselho nacional do partido. No comunicado lido pelo Secretário Geral Arlindo Barbosa, o MLSTP, diz que o militante Adelino Izidro, fica afastado de toda a estrutura do partido seja a nível nacional como a nível distrital.

Adelino Izidro, é militante de longa data do MLSTP, e é irmão da actual ministra da educação Julieta Izidro. Rosema, a cervejeira que desde o ano 2009, embriagou todo o sistema político e Judicial, de São Tomé e Príncipe, e criou raízes profundas da corrupção no país, está na base de mais uma crise interna cíclica no MLSTP:

O Téla Nón apurou que os sinais de mais uma crise interna no MLSTP; por causa da cervejeira Rosema, tornaram-se evidentes numa reunião da comissão política do partido. Foi realizada no início do mês de Julho, numa quinta perto da Vila da Madalena.

Tal reunião da Comissão Política do MLSTP; foi convocada logo depois do Presidente da República Evaristo Carvalho, ter reunido o conselho de Estado, alegadamente com o propósito de exonerar o Primeiro Ministro Jorge Bom Jesus. Uma possibilidade bem vista e acolhida, pela ala do MLSTP que desde 2009, é negociante da cerveja Rosema, concedida pelos irmãos Monteiros.

Na referida reunião da Comissão Política do MLSTP, os militantes ficaram a saber que Adelino Izidro, é actualmente o advogado dos irmãos Monteiros, para área fiscal. Ou seja, o advogado Adelino Izidro, é o defensor dos Irmãos Monteiros, no âmbito do processo de sonegação de impostos aos Estado são-tomense na ordem de 8 milhões de euros.

O governo são-tomense apresentou queixa ao Ministério Público exigindo que seja reposto o dinheiro do Estado, que foi sonegado pela empresa Solivan dos irmãos Monteiros, enquanto esta administrava a cervejeira Rosema.

Adelino Izidro responde para área fiscal dos Monteiros, compondo assim um painel de advogados que defende os interesses da anterior administração da Cervejeira, destacando-se a advogada Celiza de Deus Lima.

Em declarações à Rádio Jubilar em São Tomé, Adelino Izidro, atacou duramente o Primeiro Ministro Jorge Bom Jesus e o seu Governo, por causa da Rosema, e das acções em curso por parte do Governo para recuperar o dinheiro do Estado que a administração de Nino Monteiro não pagou de 2014 à 2018.

A ala do MLSTP comprometida com a Rosema e com a anterior administração da cervejeira, não dá descanso ao Primeiro Ministro Jorge Bom Jesus. Desde Janeiro passado que um artigo do Téla Nón, prenunciava momentos de grande turbulência interna no MLSTP, e a consequente queda do governo, caso a justiça são-tomense devolve-se a cervejeira Rosema, ao seu proprietário original, o empresário angolano Melo Xavier.

Desde o mês de Maio que a Cervejeira regressou para o seu proprietário original. Desde de Maio que a agitação interna no MLSTP, com vista a destituição de Jorge Bom Jesus, tornou-se mais determinante.

A turbulência político-jurídica e com abalos desestabilizadores no seio do MLSTP, é de grande magnitude.  Pois Adelino Izidro, que desencadeou na Rádio Jubilar, o combate verbal contra o Presidente do seu partido, por causa da cerveja Rosema, é a mesma pessoa, o mesmo militante do MLSTP, o mesmo advogado, que no ano 2012, denunciou que estava a ser perseguido e detido por causa da Cervejeira Rosema.

Na altura Adelino Izidro era “persona non grata” dos Monteiros enquanto donos da cervejeira. No ano 2012, Adelino Izidro, entrou em litígio com o então procurador geral da república Roberto Raposo. O Ex-Procurador Geral da República, é considerado nos meios jurídicos e políticos de São Tomé e Príncipe, como tendo sido um dos principais artífices do negócio alegadamente corrupto, que provocou a retirada da cervejeira Rosema das mãos do empresário angolano Melo Xavier, no ano 2009, para ser vendida aos irmãos Monteiros.

Adelino Izidro denunciou o então procurador geral da República como sendo corrupto, e que foi detido por causa do caso Rosema. «Não tenho dúvidas de que a minha prisão está relacionada sobretudo com o caso Rosema. Há mais de 8 meses que o senhor Procurador Geral da República vem me extorquindo dinheiro», declaração de Adelino Izidro, numa entrevista dada a uma rádio estrangeira no ano 2012.

Relatos jurídicos, indicam que o ex-procurador geral da república, conseguiu emitir novas acções da Rosema para os irmãos Monteiros. Isto, apesar do proprietário da fábrica, o angolano Melo Xavier, ter em sua posse todas as acções originais da cervejeira.

Roberto Raposo, que também foi ministro da justiça no anterior governo pró-Rosema dos Monteiros, voltou a ser tema de conversa em São Tomé e Príncipe e em torno da cervejeira Rosema. Tudo após a sua participação no primeiro conselho de Estado convocado pelo Presidente da República Evaristo Carvalho. A questão da cervejeira voltou a ribalta no país, e pela primeira vez, o procurador geral da República, não marcou presença numa reunião do conselho de Estado.

Kelve Carvalho enquanto Procurador Geral da República, não foi ao palácio do povo. Roberto Raposo, ex-procurador geral e actualmente quadro do ministério público, é que foi fazer a vez de procurador geral da república, na reunião do Conselho de Estado, que tinha como alvo principal, o abate ou a remodelação do actual governo por alegadamente ter mexido com a Rosema.

Certo é que a Rosema na sua múltipla evolução e metamorfose financeira que gera na sociedade são-tomense, fez agora Adelino Izidro saltar para o lado da barricada que o ameaçava em 2012. Está suspenso das fileiras do partido MLSTP, mas continua firme nas trincheiras da luta pela Rosema. A ala do MLSTP dominada pela Rosema também não desiste da luta.

Jorge Bom Jesus, já terá percebido que o seu tombo, não será provocado pela oposição que ainda não está organizada. A sua possível queda, será provocada tudo indica por uma escorregadela na cerveja Rosema, que há muitos anos irriga, e espalha dinheiro fácil nos corredores do MLSTP.

Abel Veiga

    8 comentários

8 comentários

  1. Estamos a ver tudo e não somos burros.

    26 de Julho de 2019 as 15:09

    N se preocupes JB. o Sr é o unico com as mãos aparentemente limpas e assim sendo, o senhor no partido a ou b ou mesmo independene, podera contar com o meu voto. Se o sr cair, nós o levantaremos outra vez. Apenas faça a sua parte e esteja descansado.

  2. Frederico Ferreira Major

    26 de Julho de 2019 as 15:29

    Coitados pobres de um espirito fraco por causa da bebedeira, que gente? Constroiem outra fábrica, sois parazitas!

  3. Coerência

    26 de Julho de 2019 as 16:02

    É sinceramente uma pena que uma cervejeira esteja na base de tanta demanda que está conduzindo o país a uma rota de colisão interna. Se há impostos a serem pagos, eles devem ser pagos, pois, fuga ao fisco é crime. De resto, aconselho o executivo a manter-se distante disso e focar-se nos trabalhos que visam o desenvolvimento do país.

  4. Smash

    26 de Julho de 2019 as 20:30

    Continuem a comer camiões de gelado com a testa. É só rir

  5. Bem de S.Tomé e Príncipe

    27 de Julho de 2019 as 1:33

    Os verdadeiros maus feitores de STP estão a se revelar, ou seja estão a vir a superfície. Eles estao em toda parte; partidos políticos, Governo, Presidencia da da Republica, Parlamento, Tribunais, organizações sindicais, empresas públicas e privadas, instituições civis desportivas e religiosas.

  6. Sankara

    27 de Julho de 2019 as 12:41

    Este Sr Adelino é muito cansativo; ten que ser reformado por “mentiroso compulsivo e perverso”.

  7. Rui Barros

    27 de Julho de 2019 as 16:02

    Finalmente, este artigo muito bem escrito e bem conceituado por alguém que sempre admirei profissionalmente, por ser se calhar “único” jornalista em S.Tomé digno deste nome, pela sua reconhecida competência na investigação jornalística, sua independência e honestidade mental e postura social. É disto que faz com que se denomina alguém de “grande homem” Obrigado Abel.
    Como são-tomense, sou solidário com os irmãos Monteiro. No entanto, julgo que não estão a ser sérios ou nãos estão a ser devidamente aconselhados, quer pelos amigos e familiares e muito menos pelos advogados e babados da quadrilha! Se na verdade compraram a fábrica por hasta publica judicial, porque não apresentar provas documentais da dita transacção comercial, bem como a sua tramitação processual legal e através das peças justificativas interpor uma queixa contra os tribunais verso Estado, para ressarcir os seus direitos ao invés de estar a gastar mais dinheiro com os ditos defensores que não passam por sanguessuga, travando desnecessariamente uma guerra fracassada e já perdida com o legitimo proprietário da fábrica de que nada tem a ver com este? Será que estão mesmo seguros que compraram a fábrica de forma legal? Duvido! Fui…

  8. Seabra

    28 de Julho de 2019 as 23:41

    Concordo e adiro à posição do “estámos a ver tudo…”. Mantenha esta boa postura de homem honesto, ìntegro, trabalhador e sério, Jorge Bom Jesus, pois que tem todo o APOIO do povo sãotomense que votará sempre a seu favor porque tem confiança respeito por si. Ninguém tem o poder de destruí -lo, estámos consigo ontem, hoje e sempre. Dizia o ” estámos a ver tudo….” , nós vamos sempre LEVANTÁ -LO.
    ESTÁMOS CONSIGO E NÃO ABRIMOS. Precisámos de gente inteligente e íntegra em todos os sectores…já temos o Abel Veiga no jornalismo, JBC na política, teremos brevemente no domínio jurídico,ensino etc.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo