Política

Vandalismo crescente atingiu o consulado da embaixada de Portugal

Completamente danificada, assim ficou a recepção do consulado da embaixada de Portugal em São Tomé e Príncipe.
Tudo aconteceu nesta segunda feira. Segundo relatos, vídeos e fotografias disponibilizados nas redes sociais, um homem na casa dos 30 anos, terá saído fora de si, e espatifou tudo que estava ao seu alcance no consulado da embaixada de Portugal.

Num video disponibilizado nas redes sociais, enquanto partia tudo que estava a sua frente, o homem dizia que estava disposto a ir para cadeia. Segundo informações postas a circular, o vândalo acabou sendo detido pela polícia, e continua sob custódia da polícia de ordem pública.

A imprensa estatal, divulgou um comunicado da Ministra dos Negócios Estrangeiros e comunidades, Elsa Pinto. «São Tomé e Príncipe lamenta o ocorrido, desculpa-se perante a República Portuguesa e reafirma que jamais sustentará a prática de actos de vandalismo tenham eles a natureza e motivação que tiverem e seja onde for que ocorram», diz o comunicado da chefe da diplomacia são-tomense.

O comunicado de Elsa Pinto, esclarece ainda que « perante a gravidade dos actos cometidos, o governo orientou os órgãos competentes para a abertura de um inquérito com vista ao apuramento de responsabilidades».

A nota da ministra dos negócios estrangeiros e comunidades, chama no entanto a atenção para alguma falta de humanismo na abordagem que a embaixada de Portugal faz dos processos para obtenção de visto de entrada em Portugal.

«São Tomé e Príncipe, sem incorrer em ingerência em assuntos internos da República Portuguesa, nomeadamente, em relação aos procedimentos conducentes à obtenção de visto de entrada naquele país, manifesta uma vez mais junto das competentes autoridades portuguesas a necessidades de uma abordagem mais humana no que toca ao procedimento em causa, nomeadamente, ao nível de atendimento e tempo de resposta».

Abel Veiga

    53 comentários

53 comentários

  1. Lucas

    17 de Setembro de 2019 as 1:22

    Porque será que queremos todos sair de São Tomé com destino a Portugal?
    A gente correu com eles de São Tomé e
    agora bateu a saudade e queremos o conforto e o carinho do colono?
    Porque não para a América ou Alemanha?
    Vai lá a gente entender isto

  2. MIGBAI

    17 de Setembro de 2019 as 4:17

    Meus irmãos!
    Há mais de quarenta anos atrás, houve alguns palhaços, que acharam por bem e em nome do povo de STP, sem que para tal estarem legitimados, exigiram ao governo português a independência das ilhas.
    O governo português tentou evitar o descalabro que se iria dar a estas ilhas, pela ambição desmedida dos palhaços que queriam ser Reis neste quintal.
    Não conseguiu o governo português que se conseguisse a Federação e nós perdemos a nossa nacionalidade portuguesa.
    Assim todos os cidadãos de STP passaram a ser cidadãos com nacionalidade saotomense, perdendo a nacionalidade portuguesa.
    Logo, não podemos exigir ao governo de Portugal a obrigação de nos dar vistos de entrada naquele país soberano, como se fosse uma mera compra de passagem aérea para o príncipe ou do príncipe para São Tomé.
    E estando Portugal na união europeia, ainda mais responsabilidade tem na concessão de vistos para a entrada naquele espaço.
    Se o jovem que fez este acto de vandalismo se quer manifestar contra a passagem dos vistos de entrada para Portugal, que faça tal manifestação deplorável junto do pinto da Costa, junto do Miguel trovoada e de todos os outros que exigiram a independência das ilhas sem serem mandatários da vontade do povo.
    Foram estes os pretos estupidificados que para serem Reis neste quintal, e sem ouvirem a vontade do povo numa situação mais calma relacionada com a revolução em Portugal, que exigiram a independência.
    É por isto e por muita coisa que ainda vai acontecer nestas ilhas, que se torna necessário o referendo ao povo sobre a autonomia.
    Não vale a pena estarmos a nos enganar, só com um referendo ao povo poderemos atingir a paz social e o progresso, enquanto o referendo não acontecer, iremos assistir a estes actos de arrogância, violência e de desespero das pessoas para poderem sair das ilhas na procura de um futuro melhor para si e para os seus.
    Por fim e para acabar, se alguém tem que ser criticado, não é o estado português, mas sim os sarnosos oportunistas, que surgiram em nome do povo com os ideais independentistas que nos colocaram nesta situação, ou seja, nos roubaram a nacionalidade portuguesa.

    • Joni de cá

      17 de Setembro de 2019 as 19:06

      Completamente de acordo com o comentário.

      Já agora porque não vão a outros consulados europeus em Stp pedir visto??

      Se calhar para a comunidade europeia, Stp é quase nada, nem sabem onde fica.

      Assim a única que pode dar visto para toda Europa é a embaixada de Portugal. Triste não!?

      Agora peçam aos vossos ilustres governantes para irem á comunidade europeia para criarem outros consulados que dão o mesmo visto que Portugal dá ???

      Já agora Portugal é tao mau para os Santomenses, porque querem ir para a tuga.

      Viagem para o Gabão, Angola, Cabo verde….. se calhar não interessa, mas para os tugas também não querem mais gente a viver de segurança social.

      Agora vão pedir visto……

  3. STP Terra linda e gente boa

    17 de Setembro de 2019 as 6:38

    Talvez há problemas que as autoridades só aceleram em resolver quando vem a violência e destruição. Os portuguses têm sido muito injusto nessa questão de atribuição de vistos. Isto é um roubo quando se obtém indeferido e não é devolvido o valor. Eu sempre disse isso aí nos comentários do Tela Non. Os portugueses são maiores exploradores da Europa, por que eles estão na cauda da Europa. Ladrões e bandidos. Devia a embaixada de São Tomé em Portugal fazer o mesmo com os portugueses. Manda-lhes fazer isso com os angolanos. Porque nós somos os mais caladinhos por se aproveitam. E o governo não diz nada porque também vive suas esmolas.

    • Juca

      17 de Setembro de 2019 as 13:44

      Porque não vão para Angola ? Lá vão tratar te bem….da saúde !!!

    • Fernando

      17 de Setembro de 2019 as 19:28

      O Senhor usa insultos, uma vez que a capacidade argumentativa e de raciocínio é fraca. Deixe a cacharamba e vá trabalhar!

  4. STP Terra linda e gente boa

    17 de Setembro de 2019 as 6:46

    Eles (os portugueses) só fazem algo para alguém quando vêem proveitos. Deviam ter vergonha em tirar dinheiro aos coitados dando indeferido e não devolverem o valor. Um bando de ladrões. Pediram dinheiro a Troika e agora não sabem como pagar? Nas colonizações sugaram os PALOPs agora as torneiras estão fechadas. Vão trabalhar malandros.

    • Juca

      17 de Setembro de 2019 as 13:45

      Palhaço

  5. STP Terra linda e gente boa

    17 de Setembro de 2019 as 6:54

    O governo são-tomense devia ter uma melhor postura nessa situação que se vem arrastanto há muito tempo. Mas não dizem nada porque vivem das migalhas dos portugueses. Só temos governantes vergonhosos. Agora deviam pagar um advogado na defesa desse coitado que tanto lutou para conseguir um visto, e agora vai a cadeia. Roubam milhões ao país nos seus atos de corrupção e ninguém é responsabilizado. Depois vem o shr 1° ministro anunciar o aperto de cinto. Sem vergonha.

  6. STP Terra linda e gente boa

    17 de Setembro de 2019 as 7:01

    Aquele embaixada é uma fonte de corrupção. Os vistos são dados aos senhores de altas patentes e seus filhos. Os outros têm que dar muito dinheiro para o chamado esquema. Mas esses valores estão a entrar nos bolsos nos altos funcionários da embaixada. Não se admite numa embaixada de um país europeu terem tantos corruptos. O coitado agora vai pagar. Devíamos ir a rua manifestar solidariedade e exigir a libertação desse indevido.

    • MIGBAI

      17 de Setembro de 2019 as 14:21

      para ti “STP terra linda e gente boa”
      Em primeiro lugar o teu nick name deveria ser “STP terra linda e alguma gente ignorante e burra como eu”.
      Assim passa a usar o teu novo Nick Name que se adequa perfeitamente aos teus comentários de preto estupido.
      Em segundo lugar acho que Portugal deveria suspender imediatamente a concessão de vistos a todas as pessoas, excepto para tratamentos médicos.
      Em terceiro lugar que as recusas de visto sejam acompanhadas de uma justificação, de forma a dar a possibilidade do requerente poder recorrer da decisão de recusa de visto.
      Por fim, todos temos que nos mentalizar e aceitar que a embaixada de Portugal não é uma repartição pública do governo de STP.
      A embaixada de Portugal é uma representação de um estado soberano, com o qual cortámos o cordão umbilical, quando palhaços pretos estúpidos e ignorantes politicamente, quiseram a independência.
      Vamos lutar por um referendo ao povo para saber se queremos uma autonomia.
      Que seja o povo a decidir o seu futuro, e não meia dúzia de palhaços que quiseram determinar o futuro do povo.

      • STP Terra linda e gente boa

        18 de Setembro de 2019 as 10:12

        Migbai, significa- Atrasado mental. Tens que regressar a escola. Fique a saber que a embaixada de Portugal presta um serviço e recebe por ele. Se recebe e o serviço não é prestado têm a obrigação de devolver o valor. Ouviste analfabeto. Você gostaria que o país não beneficiasse da independência? Então vai as obras carregar baldes de massa de betão para eles. Você deve ser um bom capanga e limpa-botas destes portugueses.

    • Amar o o que é nosso

      18 de Setembro de 2019 as 12:53

      Palhaçada, faça isso para mais tarde chorar. Vamos. Continua a incentivar violencia, desacato. Faça o indivíduo se sentir herói. Mais tarde você vai chorar qdo esses heróis violentos te tocar na pele ou aos teus! Eu também já fui mal atendida por essa moça atendente que nem bom dia responde e outro senhor mulato com cara de quem quer voar de lá e fiquei bem gone mas não podemos chegar ao ponto de fazer estes disparates

  7. Zagaia

    17 de Setembro de 2019 as 7:31

    O problema é que não é só a embaixada de PORTUGAL é quase tudo em STP,não funciona, mas tem que funcionar….
    Sou contra violência, mas a paciência tem limites, é a reação humana contra a incapacidade do outro ou outros hunanos.
    Como dizia, o grande lutador dos direitos humanos “O homem que não luta pela sua dignidade, não é digno de viver” MARTIN LUTHER KING.

    Um bem haja á todos.

  8. marlene

    17 de Setembro de 2019 as 7:59

    Acho incrível que o foco de todas as reportagens que vi sobre este assunto foquem na não concessão do visto. Será que eu estou a aperceber mal esta situação? porque do meu ponto de vista o cerne da questão está a volta do tempo de espera para entrega e resposta da embaixada por um lado e pelo roubo do dinheiro pago pelo requerente. Em portugal quando se solicita a autorização de residência, ela só é paga após deferimento positivo do processo. e embora se traduza na emissão de um cartão por parte do SEF não custa o que custa o pedido de visto em STP. Tudo bem que há custos administrativos no processamento do visto para podiam devolver pelo menos 75% do valor pago. O que acontece é um roubo. E o nosso Governo continua a não cobrar visto aos portugueses. Por acaso temos mais dinheiro do que eles? Reciprocidade, Respeito. Não são obrigados a dar vistos, mas não podem roubar as pessoas.

  9. Orhan

    17 de Setembro de 2019 as 8:18

    Que terrível!
    Nada justifica esse comportamento.

  10. Balon Clé-clé

    17 de Setembro de 2019 as 8:43

    Este foi simplesmente o segundo capítulo desta Novela. O primeiro foi a manifestação falhada pela covardia dos santomenses! E outros capítulos virão enquanto continuar o atrevimento e abuso da Embaixada de Portugal em “engolir” o dinheiro dos requerentes de vistos, depois de fazê-los esperar 2 à 3 meses pelo mesmo, e ainda por cima, sem lhes remeter por escrito a causa dos indeferimentos!!! O terceiro capítulo acontecerá na cara desenrolará na cara deste próprio embaixador moleque! AGORA CABE A EMBAIXADA ERGUER UMA ESTÁTUA EM HONRA DESTE “VÁNDALO” HEROI, DIANTE DO RECINTO DA PRÓPRIA EMBAIXADA! Pois a embaixada não perdeu tudo. Pelo menos ganharam o juizo!

  11. Nuno Menezes

    17 de Setembro de 2019 as 8:58

    isso é uma ofensa virgula e ponto final.

    Nuno Menezes

    Lincoln,Reino Unido

  12. Crisotemos Café

    17 de Setembro de 2019 as 9:11

    Eu sou contra violência. Mas falta de respeito não. Foi uma boa chamada de atenção.
    Para a proxima, mete lume nisto.

    Se os cagalhões dos dirigentes santomenses andam a pedir batatinhas, então o zé povinho põe um basta nisto.

    Ptas que pariu

  13. STP Terra linda e gente boa

    17 de Setembro de 2019 as 9:17

    A shra ministra veio pedir desculpas a Portugal. Muito bem. Não se esqueça de pedir também os altos valores que levaram dos são-tomenses nos indeferidos. Vocês estão todos feitos uns com os outros. Miseráveis.

    • Juca

      17 de Setembro de 2019 as 13:47

      Devolve tu o que Portugal vos tem emprestado…todos estes anos . Burro !!

      • MIGBAI

        17 de Setembro de 2019 as 15:32

        E as dívidas de STP que Portugal tem perdoado durante estes anos todos!

        • STP Terra linda e gente boa

          18 de Setembro de 2019 as 10:26

          Migbai atrasado mental. Você sabe o que é tirar de um país há mais de 500 anos? Deves ter nascido depois da independência. Tem razão.

          • José Verde

            20 de Setembro de 2019 as 17:37

            Um pouco de história…..há 500 anos as ilhas de S. Tomé e Príncipe (tal como as da Madeira, Cabo Verde e dos Açores) não era povoadas por gente. Foram por isso colonizadas pelos portugueses e nesse processo de colonização entraram pessoas oriundas dos mais diversos pontos e, naturalmente das proximidades. Quando acabou o regime fascista em Portugal, naturalmente que se esperaria independência de Moçambique, Angola e Guiné Bissau uma vez que quando os portugueses colonizaram estes países eles já existiam enquanto sociedade, mais ou menos organizada. Ora bem, seguindo a lógica adoptada para STP (já que Cabo Verde estava agarrada sob um Partido que tinha actividade conjunta com e na Guiné-Bissau), então a Madeira e os Açores deveriam igualmente ser independentes mas isso não aconteceu apesar de num e noutro arquipélago haver algumas vontades e movimentos nesse sentido. A diferença está à vista: A Madeira e os Açores com os seus problemas de isolamento e dificuldades estruturais que eram igualmente extremamente pobres e atrasada em 1974, hoje são locais muitos diferentes, para melhor. São Tomé é independente e está por sua conta e por conta da cooperação e a coisa não muda desde há 40 anos. Há internet, mas não há saneamento básico, água potável, o lixo é um problema terrível, a saúde é precária, a produção é mínima e continuasse a falar de potencial, sim mas, para quando. O problema estará na questão de um visto que é indeferido? E na não devolução do dinheiro que custou o pedido? mas todas as embaixadas do mundo praticam igual, paga-se mas se não for aprovado não há devolução, até porque quando não há visto é por uma razão concreta e legal: falta de documentos ou incumprimento das disposições. O visto não é uma lotaria, é um direito que é atribuído com regras claras e uma delas é reunir as condições e documentos necessários tal como estabelecido nas regras. E uma das regras diz que não vai haver devolução do dinheiro se não estiver conforme. Só um burro ou um mal informado é que apresenta um pedido que sabe bem que vai ser chumbado. Há outros que não sendo burros podem fazer de propósito para gerar agitação. E há outros que aplaudem. Acordem e cresçam para a realidade porque quase 50 anos depois já não há desculpas para o atraso em que STP se encontra.

      • STP Terra linda e gente boa

        18 de Setembro de 2019 as 10:22

        Devolver o quê oh Juca. Estas maluco. O eles nos tiraram a mais de 500 anos também não conta? Ou ser o fiador.

        • MIGBAI

          19 de Setembro de 2019 as 15:01

          Para burro não te falta nada. Está quieto no teu canto e não escrevas mais asneiras que só te ficam mal.
          Quem te ler fica a saber que está perante um jovem cheio de mania e muito pouco conhecimento da vida e de história, por isso fica quieto seu palerma.

          • Menino de Rua

            20 de Setembro de 2019 as 11:32

            Sr. MIGBAI, concorda com roubo que a embaixada tem estado a fazer a população de STP? Não bastá o sofrimento e roubo que o governo de STP tem feito e causado a população Pobre? Tudo bem, sejamos humanos, se não dão visto teem que devolve o valor sem complicação, não sei porque o Sr. defende tanto os portugueses. Imaginemos que o Sr.paga alguém para fazer um trabalho e a pessoa usa o valor e não faz o serviço e diz que não tem como devolver o valor, como ficarias? Pensa bem nas coisas que dizem, tudo bem que o Sr. Salomé excedeu na sua atitude, teve os seus motivos para tal, julgando ou não está feito.

          • STP Terra linda e gente boa

            20 de Setembro de 2019 as 11:42

            Atrasado mental. Muda de nome fica-te melhor. Abastado.

    • Amar o o que é nosso

      18 de Setembro de 2019 as 13:01

      Idiotice , nós respiramos comemos e vestimos o que Portugal nos dá. Ou acha mesmo que esta polciga que é este país consegue se auto sustentar. Estão todos iludidos muito mal

  14. STP

    17 de Setembro de 2019 as 9:24

    Está a faltar o Hospital Ayres Menezes.
    Mas lá deve ser na cabeça desses falsos profissionais e não nos equipamentos.
    A coisa tem que estragar pra nos ouvirem.

  15. LIBREVILLE

    17 de Setembro de 2019 as 9:41

    O meu comentário vai em quatro pontos:

    1º Não sou a favor da violência nem da destruição do património e a vandalização da própria imagem social do País;
    2º “Muitos dizem já era sem tempo”., eu digo, o culpado pelo sucedido é o governo, teve informação da tentativa de uma manifestação organizada pela sociedade civil e não convidou a Embaixada e o Ministério do Negócios Estrangeiros de Portugal para sentarem a mesa e redesenhar um novo protocolo que beneficia ambos os Países;
    3º A Embaixada de Portugal deve investigar a corrupção, amiguismo e nepotismo existente no processo de atribuição de visto a população residente em São Tomé e Príncipe.
    4º É obrigatório e urgente o governo de São Tomé e Príncipe criar condições e melhor qualidade de vida para população afim de diminuir a procura desenfreada de visto para o exterior.

  16. modesto

    17 de Setembro de 2019 as 10:08

    Não se pode admitir que a embaixada de Portugal continue maltratando e roubando de forma vergonhosa aos santomenses.
    Felicito a embaixada de Angola em Sao Tomé, pela honestidade no processo de atribuição de vistos, em que só recebe o dinheiro após confirmar a conformidade do processo e a possibilidade de atribuir vistos aos solicitantes.
    Há uma rede de bandidos dentro da embaixada de Portugal que precisa ser expulsa daí. São corruptos, chantagiadores e burladores que levam cidadãos honestos ao extremo.

    Às autoridades santomenses, o meu apelo é de que se posicione firme em defesa da dignidade dos santomenses.
    Apesar da nossa fraca capacidade financeira, não sejamos passivos ante humilhações e abusos.

    É verdade que precisamos muito de Portugal; mas também é verdade que Portugal precisa muito e vive as custas de nós.

    É na capa desta cooperação que Portugal recebe balúrdios dos parceiros internacionais, e em contrapartida entrega migalhas.

    Levantemos nossas mão e digamos BASTA!!!

    Levantemos nossas vozes e apoio em solidariedade ao Senhor que no fundo representa milhares de santomenses humilhados, maltratados e burlados, para conseguirem o visto de entrada em Portugal, quando os Portugueses têm as portas abertas para entrar em São Tomé e Príncipe, quando bem quiserem.

  17. Sotavento

    17 de Setembro de 2019 as 10:56

    É condenavel o comportamento da pessoa.Por toda razao que não deve ter esse tipo de atitude.Fala se muito da forma como sao tratados no consulado portugués as pessoas que solicitam un visado.O governo fez bem en pedir desculpas por uma situacao pontual como está.Seguramente que tudo normalizará no digo “CONSULADO”

  18. Clemilson brasileiro

    17 de Setembro de 2019 as 11:30

    Cadê a segurança da embaixada de Portugal ?

  19. Rapaz de reboque

    17 de Setembro de 2019 as 11:31

    Uma vergonha para o nosso país as coisas não se resolvem desta maneira ainda a quem apoia este sujeito, infelizmente o nosso país esta cheio de pessoas atrasadas, pergunto se fosse em portugal que algum portugues por algum motivo tivesse feito esta barbaridade o que diziam essas pessoas que apoiam este criminoso? Falavam muito mal dos portugueses e agora defendem este criminoso francamente somos um povo da pior especi no mundo,embora a embaixada esteja a trabalhar mal no caso dos vistos, cabia ao governo tomar medidas nao este tipo de atitude, Portugal embora ser um país p9bre tem-nos ajudado muito, quantos irmãos nossos residem em portugal? Quanto nunca descontaram para o estado português que estao a ter benefícios? Francamente meu povo nao podemos viver na base de violência somos um povo ordeiro nao vamos manchar as nossas origens isto é uma vergonha para o nosso país, pergunto porquê o nosso governo nao agiu em relação a demora nos vistos?

  20. Teresa Mascarenhas

    17 de Setembro de 2019 as 11:34

    Eu cá fazia o gov. de S. Tomé pagar tudo, e a este vândalo não lhe dava o visto, não dava mesmo. Se ele fez isto no Consulado, o que é que irá fazer por cá? Eu vivi em S. Tomé, conheço bem aquela boa gente, os melhores africanos que existem, este aqui foi o monstrinho que nasceu por acaso virado ao contrário.

  21. silvio antonio

    17 de Setembro de 2019 as 14:15

    A partir do momento em que governo assumiu o poder através de incitação ao ódio e violencia nas ruas,fechando estradas mandando queimar carro de uma juiza e nada acontece, só se pode esperar coisas destas. Se as pessoas querem sair do País a todo o custo é porque muita coisa anda mal nesta terra. Com esses políticos mediocres estamos feitos a bife. Agora temos que sair desta terra de barco, uma vez que a única embaixadada da europa que dá visto fechou as portas. Uma vergonha….

  22. Zé Cangolo

    17 de Setembro de 2019 as 14:17

    Lamento muito, mas fica o aviso. Mais podem pegar que valor que pagamos e nunca é devolvido saia ou não o visto e repararam a embaixada que sobra troco.

  23. Admirado

    17 de Setembro de 2019 as 17:15

    MIGBAI. Obrigado. Es dos poucos que fala aos nossos camaradas o que eles parecem n entender. Embora n concorde contudo que diga, mas em uma coisa tem toda a razão. A embaixada n é uma repartição do estado STP, mas nós STP somos um povo muito ignorante. Segundo, Portugal n é obrigado a dar visto a ninguém, dói me o coração dizer tal coisa, mas é a pura verdade. Terceiro, Culpado é o governo de stp que mesmo sabendo dos contratempos nd fez. A ignorância neste país atingiu patamares nunca antes vista.

  24. Fruta Fruta

    17 de Setembro de 2019 as 18:55

    Penso que a senhora Ministra dos Negócios Estrangeiros esteve mal no seu comunicado, não pode publicamente condenar estes atos e ao mesmo tempo chamar a atenção que a embaixada de Portugal tem que ter um comportamento mais humano, acho que existem canais para esse efeito, ou diretamente com a embaixada ou com o próprio Ministro dos Negócios Estrangeiros de Portugal. Se alguém comete um crime sob outra pessoa, não se pode condenar esse crime e ao mesmo tempo dizer que a vitima estava a pedi-las. Um crime é um crime.

    Por outro lado, pela maioria dos comentários aqui colocados, percebe-se perfeitamente que o sentimento geral dos Santomenses é de aprovação desta situação e também de revolta contra tudo o que envolve a palavra “Portugal” ou “Portugueses” e acho que passados estes anos todos após a independência de São Tomé, as autoridades Portuguesas devem repensar a sua presença no território, se realmente vale a pena continuar com uma embaixada aberta ou eventualmente entregar este tipo de representação á Comunidade Europeia ou a um país da CEE que possa estar interessado nessa situação. Não é possível a co-existência pacifica entre dois povos que se dizem irmãos, quando um tem este tipo de antagonismo em relação ao outro.

    Finalmente, dizer que já saíram notícias sobre este acontecimento na imprensa Portuguesa, é preciso lembrar que Portugal se encontra neste momento com eleições á porta e com o aparecimento de partidos radicais de extrema direita, que vão ser os primeiros a aproveitar-se deste tipo de acontecimentos para questionar não só todos os apoios como a própria presença diplomática Portuguesa em São Tomé.

    • Urubu

      21 de Setembro de 2019 as 17:23

      Qual o País da comunidade europeia está interessado em abrir embaixada em Stp, nenhum, Stp não tem interesse, é duro mas é verdade, até a França já fechou faz tempo.

      Nenhuma embaixada no mundo é obrigada a dar vistos, tentem viajar para USA. Portugal nao tem culpa, passados 44 anos, da merda dos governantes que Stp tem e que puseram o País no estado em que toda a gente quer fugir, vergonha!

      Em relação a devolução de valores pagos á cabeça, nunca vi o estado de Stp fazer qualquer reembolso seja de impostos ou taxas alfandegárias pagas a mais, aliás cumbu que entre jamais sai, mesmo que tenha direito a devolução.

      O que se trata é que Stp não interessa a ninguém, e depois dizem que os tugas precisam de Stp, em quê?

  25. Rafaela Sobral

    18 de Setembro de 2019 as 9:26

    Medalha e estátua ao rapaz já!!

    Opção correcta, ponderada e inteligente, os funcionários portugueses comovidos com tamanha arte lhe passaram o visto na hora e ainda lhe carregaram as malas até ao aeroporto com direito a passagem TAP em primeira classe e reserva de quarto individual no Hospital de Santa Maria em Lisboa.

    ## Que esta acção não prejudique a esmagadora maioria dos sãotomenses e portugueses de bem que todos os dias tocam o nosso país para a frente.

  26. luisó

    18 de Setembro de 2019 as 13:58

    COPIO PARA AQUI ESTA INFORMAÇÃO QUE ESTÁ NO SITE DO MNE DE PORTUGAL:
    Visto Schengen é uma autorização emitida por um Estado Membro com a finalidade de escala aeroportuária, trânsito ou intenção de estadia de curta duração no território de um ou mais Estados Membros, permitindo que o seu portador se apresente na fronteira externa.

    O visto Schengen destina-se a estadas de curta duração até 90 dias em cada período de 180 dias e podem ser concedidos para efeitos de turismo, visita familiar, negócios, trabalho sazonal, trânsito, entre outros.

    Um visto de curta duração não confere automaticamente o direito de entrar no espaço Schengen. Na fronteira (ou em qualquer outro controlo) pode ter de mostrar o visto mas também de fornecer documentação suplementar, por exemplo informações que mostrem que dispõe de meios suficientes para cobrir a sua estada e a viagem de regresso.

    Visto para estadas de curta duração
    Visto para efeitos de trabalho sazonal
    Visto para efeitos de escala aeroportuária
    O pedido de visto deverá ser apresentado presencialmente pelo requerente no Posto Consular da área de residência.

    A instrução do pedido de visto deverá justificar o objectivo e as condições da estada prevista. Caso se entenda oportuno, poderá ser marcada pelo Posto Consular uma entrevista com a presença obrigatória do requerente do pedido de visto, a realizar no prazo de duas semanas a contar da data da apresentação do pedido. Os documentos a apresentar deverão ser originais, acompanhados de uma cópia.

    A admissibilidade dos documentos exigidos e o pagamento dos emolumentos pelo tratamento administrativo do pedido de visto não implica a sua concessão, nem a devolução do valor pago em caso de recusa.

    Aquando do levantamento do seu passaporte confira sempre os elementos que constam da sua vinheta.

    • Urubu

      21 de Setembro de 2019 as 17:27

      O que é preciso explicar mais!!!

  27. luisó

    18 de Setembro de 2019 as 14:07

    As pessoas têm de perceber de uma vez por todas que o “seu mundo” não é tudo e que só existe esse.
    Portugal não é mais um País só na Europa.
    Faz parte parte de UE que tem regras próprias de entradas e Portugal é mais responsável que outros por ter fronteiras externas da UE, coisa que por exemplo a Bélgica não tem.
    Dede 1985 que assim é e o tempo de pedir visto a Portugal para visitar e ficar só lá não existe mais pois não há fronteiras terrestres e as viagens são fáceis. Se um estrangeiro que entrou por Portugal for encontrado em frança 6 meses depois ilegal que paga a multa é Portugal por ter entrado na UE por lá.
    É sabido por muita gente, inclusive pelo SEF, que há muitas informações nos processos de vistos falsas ou não verdadeiras.
    Há gente a viver em Inglaterra a dar termo a santomenses para Portugal e não vivem lá e quando chegam a Lisboa é o desenrasca.
    As pessoas têm de perceber que mandar termo não chega…os rendimentos baixos e muitas pessoas no agregado é mau para quem pede visto.
    Enfim……

  28. Toni

    18 de Setembro de 2019 as 17:26

    Incrível…..
    Primeiro como é que um País tem somente uma embaixada de um País da comunidade europeia?? Se calhar para a Europa Stp não tem qualquer interesse, até acho legítimo, Stp somente pede dinheiro, não tem nada para dar em troca, nem paga o que é emprestado, Santomenses o que fariam se fosse ao contrário.

    Hoje em dia na realidade portuguesa, após revolução, e por ignorância, a maioria da população portuguesa nao sabe o que é Stp, e se fornos para a Europa nem sabem onde fica, as comunidades africanas que conhecem é Cabo verde, porque vão de férias, Angola e Moçambique porque muitos portugueses trabalham nestes países.

    Agora passou a notícia de vandalismo numa embaixada portuguesa, e pensam, os nossos impostos são para aturar este tipo de gente, é mesmo assim que pensam, e depois se sabem que Portugal ainda dá donativos, o caldo entorna.

    A embaixada de Portugal, não é obrigada a dar qualquer visto, nem rápido nem lento, a embaixada não é obrigada a reforçar serviços, só porque os Santomenses querem sair do País.
    Mais Portugal, responde perante a comunidade europeia, dado que o visto emitido é para os 27 países da Europa.

    Portugal, após 44 anos, não tem qualquer responsabilidade se Stp não tem serviços de saúde, não tem escolas efecientes, nem tem que levar com parasitas que vêem viver da segurança social portuguesa.

    A embaixada de Portugal, não é um serviço público para os Santomenses.

    Em relação à isenção de vistos para os europeus durante 15 dias, é somente para atrair turistas, acontece em muitos países, como exemplo Cuba, se não não vão.

    Agora porque é que os governantes de Stp não atraem mais embaixadas europeias para o País, ainda há uns anos havia de França só que fechou, se calhar porque Stp não interessa.
    Isto é que me dói, ser-nos um País do fim do mundo.

    • modesto

      20 de Setembro de 2019 as 16:50

      Descreve de forma muito clara e com desdém típico de um fascista, odioso por ter tido que sair de S. Tomé no momento da viragem política em S.T.P.

      Deve entender que toda a nação tem o direito de lutar pela sua soberania. Portugal também o fez.

      Se os dirigentes santomenses até agora não souberam legitimar a soberania e a independência do país, é sem dúvidas um facto deplorável.

      Por outro lado, concordo que a embaixada dê ou negue vistos, dependendo do cumprimento ou não dos requisitos estabelecidos.

      Mas a questão que se coloca agora, é o facto de haver corrupção clara dentro da instituição, maus tratos, burla, falta de informação sobre os processos, etc, … e uma serie de atos abomináveis, que não são admissíveis dentro de uma instituição que representa Portugal, uma nação que levanda alto a bandeira da justiça, dignidade, democracia e muitos outros slogans.

      O desejo de os santomenses emigrarem para Portugal, outros países europeus e outras paragens do mundo, não deve ser tomado por sí como elemento para enxovalhar-nos.

      Informe-se bem e verá que desde os tempos mais remotos até o momento atual, os portugueses se afiguram dentre as nações que mais emigram do seu país. Isso os tornaria miseráveis por acaso?

      • Urubu

        21 de Setembro de 2019 as 17:33

        Os portugueses que emigraram e ainda emigram, vão para trabalhar e são reconhecidos nos países de destino, os actuais emigram pelas suas competências, não vão viver das seguranças sociais dos países de destino e do desenrascada

        • modesto

          23 de Setembro de 2019 as 8:39

          Roubar claramente o dinheiro de cidadãos fingindo que vão dar vistos, e todas mais aboninações a volta deste caso, é triste e feio. Isto gera mal-estar e conduz a saturação e reação explosiva (que em todos os casos é condenável), como chegou a acontecer. Esta é a questão que os hipócritas como o Urubu, Toni e outros apoiam.

          Ora, trabalhar duro (nas obras e muito mais)e usar mecanismos legais para beneficiar de uma melhor pensão, é legítimo de quem aspira viver melhor na velhice. Verá casos idénticos envolvendo milhares de portugueses pelo mundo.
          Não entendo porquê continua a apoiar o roubo e a corrupção vergonhosa em que a embaixada Portuguesa se envolveu em São Tomé e Príncipe. Por acaso faz parte deste grupo de ladrões e bandidos?
          Se diz que apenas emigram Portugueses altamente qualificados, é mais uma prova da sua extrema ignorância do que se passa no mundo. Aconselho-o a investigar mais.

  29. Maria de Fátima Santos

    21 de Setembro de 2019 as 19:10

    Porquê não exigir a apresentação do comprovativo de seguro só depois do visto ser autorizado? Ha embaixadas europeias que procedem assim, sem estresse! Desta maneira evita-se que o cidadão gaste o que tem e o que não tem desnecessariamente uma vez que o seguro de viagem só é mesmo útil se o cidadão efetivamente viajar. Uma vez autorizado o visto, este só é emitido mediante apresentação do seguro e do bilhete de passagem. As coisas são assim facilitadas e menos pesadas financeiramente

    • modesto

      23 de Setembro de 2019 as 8:46

      Este é o ponto da questão. Mas eles acham que não. Mostram a sua elegância e o alto nível de instrução e dignidade, roubando e burlando quem pouco tem. E quando o burlado perde controlo e reage mal, nos jogam na cara a pobreza e o subdesenvolvimento de São Tomé e Príncipe.
      Perguntem ao senhores Urubu e Toni, se não é mesmo assim.

  30. tt

    23 de Setembro de 2019 as 8:57

    Eles não sabem o que é ser parasita.
    Não conhecem a história,
    Nem sequer conhecem o seu contexto dentro da Europa.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo