Política

Afinal nunca houve desvio dos 17 milhões de USD do fundo do Kuweit

A notícia foi dada pela Agência Oficial de Notícias do Governo são-tomense, a STP-Press. A Agência Oficial de Notícias do Estado, destaca as declarações de Ahmad Aumadumjaled, representante do Fundo Kuweitiano, após reunião esta manhã com os ministros das Finanças, da Saúde e das Obras Públicas, respectivamente, Osvaldo Vaz, Edgar Neves, e Osvaldo Abreu.

«Os 17 milhões de dólares continuam ainda com Fundo de Kuwait” disse Ahamad, referindo-se ao valor de um empréstimo constante num acordo assinado em 2016 com o anterior governo de Patrice Trovoada para melhoramento do maior hospital do País, Ayres de Menezes…. relata a STP-PRESS.

No seu relato, a Agência de Notícias do Governo de Jorge Bom Jesus, explica que a delegação do fundo Kuwaitiano, pediu ao executivo para reformular o projecto com vista ao seu reatamento em meados do próximo ano, 2020.

A notícia dada pela STP-Press, põe luz sobre aquilo que foi considerado como o maior escândalo financeiro do país.
Trata-se do acordo de crédito financeiro assinado pelo ex-ministro das Finanças Américo Ramos, com os representantes do Fundo Kuwaitiano no ano 2016 à margem da cimeira África – Árabe que decorreu na Guiné Equatorial.(Foto confirma a cerimónia de assinatura)

O novo Governo de Jorge Bom Jesus, moveu queixa contra o ex-ministro das finanças, por causa do alegado escândalo financeiro em torno do Fundo Kuwaitiano de 17 milhões de dólares. Dinheiro que segundo o Governo nunca entrou nos cofres do Estado são-tomense.

O novo Governo de Jorge Bom Jesus, justificou a detenção do ex-ministro das Finanças do Governo da ADI, com o facto de alegadamente o país ter recebido orientações do Fundo Kuwaitiano para pagar parte do crédito que foi desbloqueado a favor de São Tomé e Príncipe. Crédito financeiro que segundo o Governo não entrou no país.

O Ex-Ministro Américo Ramos, passou 3 meses na cadeia central em regime de prisão preventiva. Após várias tentativas para libertar o ex-ministro, mas sem sucesso, o Ministério Público, preferiu aguardar pelo tempo limite da prisão preventiva. Assim que completaram os 3 meses de prisão preventiva, o Ministério Público, não deduziu qualquer acusação contra o ex-ministro das finanças.

Imediatamente publicou um comunicado de imprensa, onde declarou o arquivamento do processo por falta de provas e ordenou a libertação imediata do ex-ministro das finanças, Américo Ramos.

Hoje fez-se mais uma luz sobre o caso. A Agência de Notícias do Governo citando os representantes do fundo Kuwaitiano, provou que nunca houve desvio de qualquer tostão do acordo de crédito de 17 milhões de dólares, que o fundo soberano do Kuwait assinou com o Estado são-tomense.

Abel Veiga

    33 comentários

33 comentários

  1. Joni de ca

    17 de Dezembro de 2019 as 20:09

    E agora! Como fica os acusados!?
    Num verdadeiro estado, alguém tinha que se demitir, e o estado tinha uma grande indemnização a pagar, só que Stp não é estado de bem, por isso não vai acontecer nada…. foi um engano!!!!!!!

    • Fillipe

      17 de Dezembro de 2019 as 21:21

      As vezes não é o valor da indenização e a humilicao que mesmo passou e mais grave é esposa falecer e o mesmo estar preso mais um dia vão pagar essa maldade

      • Revoltado

        17 de Dezembro de 2019 as 22:14

        Não é por aí. A esposa já estava em estado quase vegetativo desde 2009, quando apanhou um AVC por culpa da 2° esposa e do próprio Américo. Ela foi descansar.Estava a sofrer muito.

        • Balon Clé-clé

          18 de Dezembro de 2019 as 9:07

          MÁFIA DO PATRICE COM OS ÁRABES! devolveu o dinheiro ao Kuwait e pediu-lhes que desmentíssesm o desaparecimento do dinheiro! SÓ QUE QUE FEZ ISSO TARDE DEMAIS! Abrem os oslhos!

    • Lenine Costa

      18 de Dezembro de 2019 as 12:52

      Porque que o país recebeu orientações do Fundo Kuwaitiano para pagar parte do crédito que foi desbloqueado?

  2. manuel rosário

    17 de Dezembro de 2019 as 21:37

    Eu sempre achei essa história uma grande conspiração.Mas o governo utilizou bem o populismo para enganar o sistema.
    Os senhores estão a ver como a politica tem o poder de manipular a opinião pública, a comunicação social e o sistema judiciário, com fake news, prejudicando um cidadão que passou tempo na cadeia injustamente? Não podemos utilizar a justiça para atingir fins pessoas ou políticos. O governo deu ordens a policia judiciária para prender ex ministro sabendo que os factos não correspondiam a verdade. Fico muito triste com tudo isso, não há garantias de liberdade para o cidadão, basta as pessoas pretenderem prender alguém que o fazem. Não pode ser. O juiz que mandou o Américo para cadeia devia ter sido mais prudente e não ter agido por emoções.
    Estamos a assistir uma situação crescente no País que é, os políticos quando estão no poder manipulam a justiça para atingir os objectivos. Quanto a isso esse governo encontra-se enterrado até o pescoço. Mesmo no caso de médico Pascoal houve pressões aos magistrados.
    Outra questão que recordo são as noticias de tela non em relação a esse escândalo de fundo de Kuwait. Recordo que Abel Veiga esteve muito colado ao governo e sempre criticou a posição de Ministério Público. Afinal o dinheiro nem sequer foi entregue a São-Tomé, uma vergonha.O jornalismo tem o dever de fazer investigação e ir a busca da verdade, mesmo que tal demora o seu tempo. O jornalismo visa sobretudo alcançar o dever de informar o cidadão com verdade e não aproveitar uma noticia que é manipulada por grupos ou políticos. Devemos tirar ilação desse episódio. É preciso preservar a independência do poder judicial e liberdade do cidadão contra abuso de poder. Quero acreditar que estamos a tentar construir um estado de direito e não o contrário.
    E o ministro da finanças a dizer que Kuwait pediu reembolso de juros e prestações. Acho que o senhor ministro das finanças nem sequer conseguiu fazer leitura de documentações que tinha em sua frente.
    Uma vergonha quando um Estado age dessa forma.
    Também acho que as pessoas devem começar a ser responsabilizadas pessoalmente por esses actos de abuso de poder. Lembro-me do Adelino Lucas vir a televisão com boca cheia dizer que foi o governo que fez a queixa na policia judiciária. E agora Adelino Lucas? Vocês mentiram piamente.

  3. arturdos reis dos santos

    17 de Dezembro de 2019 as 21:46

    Ó Abel Veiga, tenha vergonha. É muito tarde vires agora dizer isso,porque sabes que foste um de aqueles que andou a incendiar a opinião pública com essa noticia de que Americo tinha comido o dinheiro. Não custava nada pedirem esclarecimentos ao governo de Kuwait
    E agora como fica a honra da pessoa visada? Acham que esse esclarecimento apaga o tempo que a pessoa passou na cadeia e que podia ter sido evitada se o governo fosse mais prudente e fosse a busca da verdade?
    Que país onde o governo manda prender as pessoas e juízes que são a garantia de cidadão manda para tais pessoas para cadeia sem provas.Uma vergonha.

  4. Antinio

    17 de Dezembro de 2019 as 22:41

    Mas houve um homem que esteve preso três meses, detido pela polícia judiciária a mando do governo, sem mandado do MP ou do Juiz.
    E houve também um MP que desde sempre defendeu que a detenção foi ilegal e que não existiam provas da apropriação do dinheiro, bem como que o arguido devia ficar em liberdade.
    Houve também um governo que, após o arquivamento do processo, desrespeitando as mais elementares regras de direito, se constituiu assistente nos autos (????), deitando para o caixote do lixo diversos artigos da constituição (como os que estabelecem a separação de poderes) e ordenou a um juiz (?) – é está a palavra: ordenar – que numa diligência que nem sequer tem previsão nas leis do processo, aplicasse uma medida de coação num processo arquivado.
    Há ainda um que se apoda de juiz, medíocre reabilitado, que, fazendo fretes ao governo, mantém presas pessoas detidas sem processos pendentes, em expedientes avulsos da PJ, não obstante ser o MP o titular da ação penal.
    Mais importante ainda: à conta de tanta incompetência e má fé, houve um homem que não pode enterrar apropria mulher.
    Meus amigos, se querem uma justiça governamentalizada, que obedeça à voz do dono, politicamente empenhada e comprometida, administrada por juizes incompetentes, não se queixem quando o resultado é este: afinal, o dinheiro nunca saiu do Kuwait.
    Seria risível, se não fosse trágico.

  5. Inconformado

    17 de Dezembro de 2019 as 23:13

    Aconselho aos leitores a ler minuciosamente a matéria da STP-PRESS

  6. Andorinha

    17 de Dezembro de 2019 as 23:25

    Pois é afinal nunca ouve desvios nenhum e nunca tive dúvidas que a prisão do Americo Ramos eram para aniquilar o ADI e manter distante o Patrice Trovoada mas isso foi sempre a marca do MLSTP perseguir adversários políticos.

    • Balon Clé-clé

      18 de Dezembro de 2019 as 16:13

      Os kouweitianos são mafíciosos e o Patrice outro tanto! Porque só agora esta revelação?!

  7. Smash

    17 de Dezembro de 2019 as 23:28

    A definição deste erro grotesco para com um cidadão, quadro técnico de competência assinalável interna e externamente está plasmado que houve e há incompetência dos decisores mesquinhos com mente quadrado e obtusa na praça. Digo mais, não vai acontecer nada porque o País esta maneatado pelas mentes fretistas dos auto intitulados de
    “os intocáveis da nação”

  8. José Bastos Fonseca

    18 de Dezembro de 2019 as 2:00

    Tem que haver uma declaração do Governo sobre este assunto.
    O Governo não pode ficar calado e manter o silêncio como se nada se tivesse passado.

    O Ministro das Finanças, o Porta-voz do Conselho de Ministros ou o próprio Primeiro Ministro:
    Precisamos de uma reacção oficial do Governo!

    Para o Bem do STP.

  9. El Santo..

    18 de Dezembro de 2019 as 2:42

    O governo anterior Foi acusado do desvio de 30.000.000 USD.. e como fica a historia de outra parte? 13,000,000 USD? E pk que os representante do fundo kuweit nao esclareceram isto antes quando o governo anterior foi acusado deste desvio dos 17,000,000 USD? Ou aconteceu mas depois devolveram o dinhero para limpar a ma imagen do governo anterior?? Sao duvidas k tenho…

  10. El Santo..

    18 de Dezembro de 2019 as 2:46

    E como fica a historia de jurros que estavam a exegir do governo relativo ao emprestimo dos 17.000.000 usd?? Eu ja nao entendo nada..

  11. Matrusso

    18 de Dezembro de 2019 as 5:15

    Isto é consequência da falta de transparência dos governantes e agravadas com insinuações publicadas nas redes sociais sem responsabilização desses actos.
    Quer governantes, quer cidadãos, um a um, mobilizando todos devem ter a consciência de que cada um deve ser fiel a sua prestação em contribuir com responsabilidade para e pela nação que é nossa.

  12. José Ventura

    18 de Dezembro de 2019 as 7:24

    A uma necessidade urgente de São tome ter um gabinete anticorrupção, independentemente do governo e partido político. Se assim fosse encontravão outros desvios talves maior envolvendo AR, TP e outros. Agora, porque so agora estão a divolgar essa informação! Vão dizer também que Ex Governo do banco é inocente, e que os Búfalos foram financiados por mim!!

  13. Bartolomeu Dias

    18 de Dezembro de 2019 as 8:26

    Na verdade isso não é bem assim. Se calhar o nem o Abel Veiga nem outros leitores se preocuparam em ler a noticia da STP-Press no seu todo. Houve sim algum levantamento. Na verdade a maioria do total dos 17 milhões continua sob custódia do fundo koweitiano, mas algumas centenas de milhares foram levantados sim e as proprios koweitoanos exigem esclarecimento disso e caso contrario exigem igualmente que se leve o assunto a justiça.
    Revejam a noticia .

  14. Adeliana Nascimento

    18 de Dezembro de 2019 as 8:31

    É isso, quando não se passa os dossiers como devem ser, só da nisto. Aliás a omissão de assuntos do Estado para lesar outros, é crime. Por isso houve quem foi parar nos calabouços

  15. arturdos reis dos santos

    18 de Dezembro de 2019 as 8:51

    Todos nós devíamos colocar no lugar de Américo perante essas arbitrariedades que culminaram com a sua detenção na praça publica com tanto espectáculo da PJ, quando tudo havia sido fabricado. Só isso, num País serio suficiente para queda do Governo e mesmo assim cada um dos membros do governo ser responsabilizado pelo abuso de poder. Aliás as provas estão na comunicação social, uma vez que o próprio governo reconheceu que manipulou a justiça.

  16. Lenine Costa

    18 de Dezembro de 2019 as 9:52

    Porque que o país recebeu orientações do Fundo Kuwaitiano para pagar parte do crédito que foi desbloqueado?

  17. Sotavento

    18 de Dezembro de 2019 as 10:44

    Todos os orgaos de informacao teem a sua cor politica.O Telanon nao foge a regra e quando apareceu a tal noticia dos milhoes de Kwait foi um dos que machacou muito os presuntos e hipoteticos imputados.Creio que deve se dar informacoes e nao humilhar.O governo que é um governo de populismo tem que dar a cara.Como escrevi uma vez esse governo nao passa de uma panda de populistas.E viu se um dia desses que para reabilitar as arterias da cidade teem que promover eventos , lancar a primeira pedra e coisas de genero.Essas obras de manutencao e reabilitacao sao obras normais que um governo deve fazer no pais.STP está entregue a bicharada.O governo deve uma explicacao publica a nacao e alguns orgaos de informacao devem pedir desculpas aos lesados.

  18. arturdos reis dos santos

    18 de Dezembro de 2019 as 12:04

    Os juízes que aceitam serem manipulados podem ter a consciencia que estão a prestar um mau serviço a nação e vão pagar por isso. Não tenho filiação partidária mas penso que o governo actual abusou muito com esse caso. Manipulou policia judiciária, o juiz de instrução e o Supremo Tribunal que não é inocente em tudo isso. A muita sede a vingança nesta terra.

  19. 95652211

    18 de Dezembro de 2019 as 12:09

    ya é verdade

  20. arturdos reis dos santos

    18 de Dezembro de 2019 as 13:50

    Ó Bartolomeu Dias está errado. Voltei a ler a noticia e aquilo que percebi é que o fundo de Kuwait não dá dinheiro directamente ao Governo, mas pagou uma empresa de consultoria que eventualmente nada tem a ver com o Governo. Deves saber interpretar o português.

  21. Vanplega

    18 de Dezembro de 2019 as 15:44

    Talvez p Pinta Cabra, concertou a borada, ja que um dos seus estava preso.

    Porque so agora aparece esta historia? Afinal dinheiro nunca saiu do Kuwait e porque apareceu perdido do pagamentos de juntos?

    A historia esta toda manipilada, isto e conto de Figaro

    Porque razao vao reformular para um novo acordo?

  22. arturdos reis dos santos

    18 de Dezembro de 2019 as 15:45

    Quando vejo as declarações do Ministro das Finanças tenho vontade é de desligar tudo. É só trapalhada.Esse homem hoje diz hoje uma coisa, amanhã diz outra. Afinal quem comeu dinheiro? Inicialmente diziam que eram 17 milhões que o Américo comeu, agora são apenas duzentos e tal e sobre-facturação de quatrocentos e tal que foram transferidos a uma empresa indiana. Fico sem perceber nada. O Governo tem o dever de dar explicações correctas não devem andar ao sabor do freguês como meninas de rua. Depois vem contrariar o próprio doador. Sinceramente eu se fosse um desses doadores não dava nenhum tostão a esse País. As pessoas nem sequer sabem dar explicações. Pior ainda é estarem a frente de um País.
    Tudo isso porque não fazem trabalho de casa. Estudem, informem recolham provas. Ao invés disso é só sensacionalismo. Estamos muito mal representados.

  23. Desconfiado

    18 de Dezembro de 2019 as 16:30

    Então donde veio toda a riqueza do Américo?

  24. arturdos reis dos santos

    18 de Dezembro de 2019 as 19:03

    De onde também veio toda a riqueza do Osvaldo dos Osvaldos?. Olha deve-se investigar igualmente os responsáveis de instituto de estrada uma vez que aparentemente demonstram muitos sinais de riqueza ao olhos de muitos.

  25. SEMPRE AMIGO

    18 de Dezembro de 2019 as 21:04

    CHEGA DE CONFUZÃO,DO DISSE QUE DISSE! Em primeiro lugar: Quero aqui render uma vibrante e merecida homenagem ao jornalista Abel VEIGA do TELA NÓN, “um jornal generalista sobre S.TOMÉ E PRINCIPE.Isenção Rigor,Imparcialidade são os pilares orientadores da sua politico editorial Liberdade de expressão é um dos princípios consagrados naCONSTITUIÇAO,quevem sendo rigorosamente respeitado pelo TELA NÓN..OBRIGADO Abel Veiga Em segundo lugar:Basta de confusão,do disse que disse!Com toda essa forma de agir estams todos nós, os “inocentes ou”culpados”,com,razaõ ou sem ela, a contribuir para mergulhar o país no total discrédito junto dos nossos actuais e potenciais parceiros de desenvolvimento.

    Concordo com os comentários do conterrâneo(?)José Bastos Fonseca.O público, sobretudo os santomenses reclama oseu direito e exige do GOVERNO DA REÚBLiCA uma explicação clara ,detalhada, de compreensão fácil para toda gente.Está mais que claro,e isso é visto através de alguns comentários ,que um fraco esclarecimento do assunto em questão deixará o mar aberto aos pescadores das águas turvas que irão tentar fazer passar o inocente por culpado e o culpado por vítima.O GOVERNO deve precaver-se.O objectivo principal é desacreditar o GOVERNO e abrir caminho para outras aventuras

  26. Afonso Matos

    18 de Dezembro de 2019 as 22:26

    Num país sério…

    O Sr. Primeiro Ministro deveria apresentar a sua demissão. É lamentável mas o nosso “chefe” não o santo que pensávamos que ele fosse. E se, por hipótese, não sabia de nada, então deveria se demitir na mesma, uma vez que não esteve a altura de proteger os cidadãos como prometeu. Foram situações como esta e nalguns casos, por muito menos, que alguns chefes de Estado se afastaram ou foram afastados.

    Vamos ser um país sério

    • Vanplega

      19 de Dezembro de 2019 as 21:04

      Devias pedir desculpas a quem ofendeste com tuas escrita

  27. Nanana

    29 de Dezembro de 2019 as 1:00

    História muito, mas muito mal contada…
    Uhmmm…

    Há que respeitar a inteligência de todo um povo!
    Nós Santomenses, não somos atrasados mentais!

    Eu, como parte legítima desse povo, exijo respeito!
    Fui

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo