Política

Pirataria marítima no golfo da Guiné cresceu 50% em 2019

Um relatório do Bureau Internacional Marítimo, indica o Golfo da Guiné, como o epicentro da pirataria marítima no mundo. Segundo o relatório no ano 2019 foram registados 121 actos de pirataria marítima no Golfo da Guiné.

O aumento considerado “alarmante” pelo Bureau Internacional Marítimo, foi de 50% comparativamente ao ano 2018, em que foram registados 78 actos de pirataria marítima no Golfo da Guiné.

O relatório que o Téla Nón teve acesso, detalha que « os países mais afectados pelas acções de pirataria marítima, são em primeiro lugar a Nigéria, que registou 35 casos de pirataria nas suas águas territoriais».

Gana e os Camarões países vizinhos de São Tomé e Príncipe, também se confrontaram com casos de pirataria. Gana registou 6 casos e os Camarões 3 casos.

No total os incidentes marítimos assinalados no Golfo da Guiné, região onde se localiza o arquipélago de São Tomé e Príncipe, representam segundo o relatório cerca de 74% das acções de pirataria marítima registados em todo o mundo, pelo Bureau Internacional Marítimo.

O relatório destaca o facto de o aumento das acções de pirataria marítima no Golfo da Guiné, contrastar com a baixa acentuada do fenómeno a nível de todas as outras regiões marítimas do mundo.

Note-se que na última reunião do Conselho Superior de Defesa Nacional, as forças armadas são-tomenses denunciaram a ocorrência de um aumento significativo das acções de pirataria marítima na região.

Situação que segundo o Conselho Superior de Defesa Nacional, põe em causa a segurança da República Democrática de São Tomé e Príncipe.

Abel Veiga

    1 comentário

1 comentário

  1. Délcio Aguiar José Barreto

    27 de Janeiro de 2020 as 19:41

    A marinha brasileira já detetou piratas nas nossas águas desde 2018.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo