Política

Carlos Tiny e Fernando Silveira juntam-se ao Estado na luta contra o Covid-19

Numa altura em que órgãos de comunicação social do Estado, têm recorrido a cidadãos nacionais que não entendem nada do sector da saúde, e muito menos de epidemiologia, para prestar comentários sobre o surto do Covid-19 no mundo e o posicionamento que São Tomé e Príncipe deve adoptar face a pandemia, dois quadros nacionais de reconhecida competência por parte da OMS, decidiram escrever uma carta ao Governo de São Tomé e Príncipe.

Os dois médicos, anunciaram a sua disponibilidade para dar opinião válida e credível sobre o assunto, e apoiar o Estado são-tomense, na tarefa de prevenção contra o vírus, que até agora o sistema de saúde nacional diz ainda não ter entrado no território nacional.

Médicos de profissão, Carlos Tiny e Fernando Silveira, foram ministros da saúde de São Tomé e Príncipe. Também enquanto profissionais da saúde, foram contratados pela OMS para prestação de serviço em nome da Organização Internacional, durante vários anos, e em vários países sobretudo africanos.

Carlos Tiny, é médico especialista em Saúde Pública, e foi representante da OMS em Moçambique.  Fernando Silveira, médico especialista em epidemiologia trabalhou em nome da OMS, em várias regiões de surtos epidemiológicos.

Numa altura em que a terra natal, São Tomé e Príncipe, entrou em Estado de emergência sanitária, os dois médicos decidiram se apresentar nas trincheiras do combate contra a doença.

Segundo uma carta exibida pela TVS, Carlos Tiny e Fernando Silveira, prontificam-se em partilhar com o Estado são-tomese as suas experiências como médico e coordenadores de programas da OMS, contra epidemias.

Os dois médicos, que saudaram as medidas restritivas anunciadas e implementadas pelo Governo no âmbito do Estado de emergência sanitária,  já apresentaram ao Primeiro Ministro Jorge Bom Jesus, algumas propostas de intervenção urgente, tanto no sistema de saúde como em termos de reforço de medidas preventivas, que possam impedir o aparecimento do Covid-19 nas ilhas verdes de São Tomé e Príncipe.

Abel Veiga

    10 comentários

10 comentários

  1. Fernando Simão

    24 de Março de 2020 as 22:09

    Uns aproveitam da situação difícil que se vive no Pais e no mundo para tentar tirar dividendos
    políticos. Atitude condenável!!
    Outros dão exemplo de uma boa atitude patriótica. Parabéns aos dois!!

  2. Filho da terra

    24 de Março de 2020 as 23:41

    Unidos contra o Covid – 19. Juntar forças. Reforçar as medidas restritivas. Obrigado.

  3. estefània

    25 de Março de 2020 as 8:55

    muito bom senhores médicos e doutores, isto sim o país precisa.

    • Filho da terra

      25 de Março de 2020 as 15:23

      Médicos CUBANOS em São Tomé e Príncipe, já!

  4. Papiro do Carmo

    25 de Março de 2020 as 10:10

    Olha, parece finalmente estarem a surgir boas notícias nas ilhas.
    Porque são varias as pessoas que têm usado perfil falso nas redes sociais, a Polícia Judiciária em parceria com a Interpol e Estados Unidos ja consegue descobrir esses nomes que se escondem por detrás de nomes falsos. Ha informações de que pelo menos 11 desses individuos ja estao identificados e serão recolhidos. E mais ainda, como se esta em período de estado de emergência, todos serão dirigidos a prisão.

    • Filho da terra

      25 de Março de 2020 as 15:25

      Papiro do Carmo, certas comunidades estrangeiras vão ficar diminuídas…se prenderem todos os agentes provocadores e não provocadores. Obrigado.

  5. Assim???

    25 de Março de 2020 as 10:49

    O Sr. Fernando Silveira é assessor do Ministro de Saúde (Edgar Neves), recebe do Estado São Tomense pelo trabalho que faz, não entendi ainda, o porque desta disposição. Como assessor e a receber do Estado São tomense, deveria estar a orientar o Ministro da Saúde, e coordenar, segundo as suas experiencias o comité criado para seguir possíveis casos ligado a Pandemia COVID – 19. Querem buscar formas de comer dinheiro, temos que por um baste nisso. Não pode ser.

  6. Maria Alberta

    26 de Março de 2020 as 8:39

    Esta questão não devia ser noticia.
    Foram estudar com bolsas de Estudo de S.Tomé e Príncipe e deveriam estar disponíveis a servir o país em qualquer circunstância sem estarem a fazer luxo.
    Se conseguiram ir a OMS e capacitar e obter experiência, foi porque o país e este povo sacrificou para lhes dar bolsas de estudos para irem estudar sem pagar nada. O Senhor Silveira esteve em Cuba, tudo bem, formou-se e tem que estar disponível para servir o país.
    Depois de formação, foi trabalhar para OMS. Então este senhor ainda não deu nenhuma contribuição para o povo santomense que lhe mandou formar.
    A mesma coisa passa com uma série de indivíduos que formaram na medicina, que estão hoje na OMS, na UNICEF, no PNUD a trabalharem como administrativos. Estes indivíduos já não entendem nada de medicina, pois andam apenas nos computadores a baterem oficio. O normal e para quem gosta da área que estudou, mesmo estando numa organização, porque ganham melhor, deveriam tirar pelo menos 1 ou 2 horas do dia para atender ao povo, fazer consultas médicas, e não estarem por aí como se fossem burocratas a fazerem papel de secretárias e secretários das instituições.
    Só deveriam ir estudar medicina, quem gosta de medicina e não quem anda a procura de tachos.
    Deveriam aprender com Dr. Lima, que mesmo quando era Ministro, tirava algum tempo para atender ao povo.
    Bem haja STP

    • Manuela. Na diaspora

      26 de Março de 2020 as 16:41

      Oi compatriota. Falas boa coisa; um medico nao pode esta no escritorio; o pais perde muito com estes tipos de quadros. Na europa os ministros da saude tambem fazem banco nos hospitais, agora nos na africa que mais precisamos de assistencia medica, os senhores doutorez querem ficar nos gabinetes; ENGANO. FIZERAM CURSO ERRADO.

  7. Armindo Assuncao

    31 de Março de 2020 as 23:34

    Assim é que é se felizmente S.Tomé tem homens reconhecidos com a capacidade para ajudar a si próprio e consequentemente ao nosso país fico feliz.
    Lamentavelmente não temos muito mais.
    E se houver mais que apareçam.
    Eu não posso fazer nada, não tenho conhecimento a este nivel.
    Mas este é o meu contributo

Deixe um comentário

Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo