Política

União Europeia assume a ponte aérea humanitária que chega a São Tomé nesta sexta feira

Num comunicado enviado ao Téla Nón, a delegação da União Europeia em São Tomé e Príncipe, explica os contornos da ponte aérea que liga Lisboa e São Tomé, com ajuda humanitária para o combate a Covid-19 :

 

COMUNICADO DE IMPRENSA: Ponte aérea humanitária lançada pela União Europeia (UE) e por Portugal (Team Europe) em São Tomé e Príncipe

São Tomé e Príncipe, 15 de maio de 2020 — Depois da República Centro-Africana, a ponte aérea humanitária lançada pela UE implementada em São Tomé e Príncipe para o transporte de uma equipa de 21 funcionários de saúde e trabalhadores humanitários e cerca de 20 toneladas de materiais e equipamentos para combater a propagação do COVID-19 no âmbito da resposta global da UE «Team Europe».

A ponte aérea humanitária, uma operação coordenada entre a UE e os seus Estados-Membros
A UE suporta todos os custos de transporte desta operação, sendo Portugal e a OMS responsáveis pela mobilização de pessoal humanitário e pelo fornecimento de materiais para para fazer face à situação humanitária, sanitária e a outras consequências da pandemia do coronavírus em São Tomé e Príncipe. O voo também se destina ao repatriamento de cidadãos da UE; neste caso, cerca de 200 expatriados europeus em São Tomé e Príncipe beneficiarão desta oportunidade de regressar à Europa através de Lisboa quando que nao há outro voo. A ponte aérea permite igualmente a rotação dos trabalhadores humanitários, das administrações nacionais, das ONG ou das agências das Nações Unidas.

Respostas concretas às necessidades médicas urgentes do país
Esta ponte aérea ajuda a dar resposta às necessidades imediatas do país a nível sanitário resultantes da pandemia. Dá resposta à interrupção das cadeias de abastecimento de material médico, de logística e de pessoal humanitário nas zonas mais vulneráveis. Por exemplo, graças a esta operação, foi possível apoiar o Ministério da Saúde de São Tomé e Príncipe através de equipas humanitárias, pessoal de saúde e materiais, incluindo equipamento de laboratório, até então inexistente, para a despistagem do COVID-19, bem como equipamento de proteção individual, medicamentos e acessórios médicos.

Uma Europa firmemente empenhada numa abordagem multilateral junto dos seus parceiros
Esta operação, que exigiu uma complexa coordenação dos diferentes intervenientes, demonstra o compromisso da UE para com os seus parceiros perante a pandemia COVID-19.

Convicta de que esta operação ajudará a reforçar as capacidades do país para enfrentar a crise sanitária, a Embaixadora da UE em São Tomé e Príncipe, Sra. Rosário Bento Pais, aproveita a oportunidade para salientar a importância dos valores de unidade e de solidariedade, no centro da resposta da UE contra a propagação desta pandemia no mundo.

FIM.

    4 comentários

4 comentários

  1. STP

    15 de Maio de 2020 as 9:21

    Importante é que todos estão a ajudar. Toda ajuda é bem-vinda. Povo de STP agradece.

  2. Coronavirus

    15 de Maio de 2020 as 10:59

    Porque que voces Sao Tome and Principe terminam a noticia com a Palavra FIM.?

    Podem copiar o modelo europeu como por exemplo o Portugal para assim melhorarem.

  3. Paulo Cruz

    15 de Maio de 2020 as 17:54

    Não se trata de ponte aérea humanitária nenhuma. Vejam lá o real significado de ponte humanitária. A situação em STP é desatrosa?

  4. Como será

    16 de Maio de 2020 as 20:55

    Desastrosa e vergonhosa.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo