Política

Covid-19 provoca Estado de Calamidade

Nem com 5 Estados de emergência decretados consecutivamente, o Presidente da República e o Governo conseguiram conter o avanço da Covid-19 em São Tomé e Príncipe.

No dia 15 de Junho termina o quinto Estado de emergência decretado pelo Presidente Evaristo Carvalho e executado pelo Governo de Jorge Bom Jesus.

Estado de Calamidade já está a ser projectado para entrar em vigor a partir de 16 de Junho.

O comportamento da Covid-19 em São Tomé e Príncipe, esteve no centro de mais uma reunião convocada pelo Presidente da República com os órgãos de soberania e representantes da sociedade civil.

Após cerca de 3 meses de implementação de medidas restritivas, com destaque para o confinamento geral e obrigatório da população, o  Presidente da República e o Governo, constatam que a Covid-19, só está a aumentar em São Tomé e Príncipe.

O número de pessoas infectadas saltou de 4, a quando do decreto do primeiro Estado de Emergência, no mês de Abril para 650 casos positivos até o dia 12 de Junho de 2020.

«O epidemiologista cubano fez o retracto real do nível de infecção pelo Coronavirus no país. Há uma tendência crescente de casos de infecção, alerta-se para um redobrar de esforços para que esta curva não continue a ser ascendente», afirmou o secretário de Estado da Comunicação Social, e porta voz do Governo.

Adelino Lucas, enquanto porta voz da reunião de alto nível realizada no Palácio Presidencial, confirmou a constatação dos altos dirigentes do Estado, sobre o crescimento da Covid-19 no país.

Por isso mesmo, vai ser instaurado o Estado de Calamidade, em substituição do Estado de Emergência.

«Concluiu-se grosso modo que este é o último Estado de emergência, e termina no dia 15 de junho. A partir daí será provavelmente decretado o Estado de Calamidade que terá várias fases, e isto será posteriormente anunciado», precisou o porta voz da reunião.

As autoridades santomenses pretendem, realizar testes massivos durante o Estado de Calamidade, para conhecer o verdadeiro nível de penetração da Covid-19 no país.

Mas na reunião no Palácio presidencial, os titulares dos órgãos de soberania, ficaram a saber que o laboratório PCR instalado pela OMS, ainda não está calibrado.

«Aguarda-se a todo o momento que da parte da OMS, faça deslocar ao país mais um perito na área», pontuou Adelino Lucas.

Alastramento do novo coronavírus está a ser um quebra cabeças para os altos dirigentes do Estado.

Abel Veiga

 

    11 comentários

11 comentários

  1. Dádiva

    12 de Junho de 2020 as 22:49

    Que testes massivo tornam realidades mais rápido passível, de modo a controlarem melhor o índice de contágio. Um país pequeno com número de população pequeno tem provocado quebra cabeça, e se fosse um país grande com densidade populacional alta não sei como seria uma. Mas é uma pena para governantes. Gostaria de entender o que está em causa se é a competência ou método utilizado pelos dirigentes para a gestão desse problema.

    • Kuday

      16 de Junho de 2020 as 19:15

      Se seria país com muita população claro ki teria rebelião eeles cuidavam bem di país por medo

    • Matrusso

      18 de Junho de 2020 as 5:20

      Qrda Dádiva, o que está em causa está bem patente a vista de todos.
      A responsabilidade de cada cidadão em respeitar as regras de prevenção ao contágio e cansa se de avisar.
      Nada tem haver com a competência, método utilizado na gestão desse problema. Esses assuntos frisado apenas entram em sena no tratamento dos doentes (já contaminados).
      Se os cidadãos respeitarem e cumprir com as regras estabelecidas de certeza que número de infectados vai diminuir.
      A nossa população precisa aceitar essa realidade, ser responsável, respeitar e cumprir para bem deles próprios, os seus dos outros e todos nós.

  2. Fuba cu bixo

    13 de Junho de 2020 as 0:07

    Depois do ex presidente Pinto da Costa hoje dois ex-ministros escreveram cartas a vários órgãos de soberania a criticar o governo de Jorge bom Jesus porque se analisarmos este governo nada comprou para o combate a pandemia o Primeiro Ministro havia anunciado a compra de mil testes e ventiladores que estava em Portugal mas foi todo mentira.
    Recebemos 12 milhões e não se viu nada que o governo fez com o dinheiro a não ser cesta básica então cadê o dinheiro.
    Cadê o dinheiro da reparação da marginal .

  3. Roceiro

    13 de Junho de 2020 as 1:51

    Enquanto uns esforçam para evitar contagios, outros não querem saber, porque têm medo de morrer de fome.
    Assim vai ser fácil a covide19 ganhar terreno, até uso de máscaras e distanciamento também faz morrer de fome.
    E culpado é o governo por não ter capacidades e muita negligência, amadorismo e vontade de ingerir dinheiro, não consegue ordenar a covide19 para parar de ganhar espaços e contaminações.
    Vamos nessa manos, até já pensam em elaborar planos de senssura porque o próximo governo irá conseguir ordenar a covide19 em obedecer as suas vontades. Saudades de dencthi Beto?
    Quidalêo…
    Covide19 teria medo dos dentes e podia não ganhar espaços! Essa é para rir.
    Que pena…

  4. Púmbú

    13 de Junho de 2020 as 3:35

    Tem sido assim em todo o mundo!!!
    Em todos os países do mundo se tem vivido com as mesmas regras de confinamentos… e mais insuficiências e exigências absurdas. São Tomé não é exceção. Importante é vermos que o número de mortes causadas por esta epidemia é relativamente inferior que o de alguns países desenvolvidos. Devemos todos fazer as boas práticas de prevenção: lavar as mãos, usar máscaras nas aglomerações e nos espaços públicos,RESPEITAR O DISTANCIAMENTO SOCIAL, evitar festas, aniversários, … BÔQUITAS.

  5. Viva Edgar

    13 de Junho de 2020 as 9:40

    Andam a pedir a cabeça do Edgar Neves mas ele não sai porque basta 1 deputado do nosso partido para Governo cair. Aviso está dado!

  6. Convetavirus

    13 de Junho de 2020 as 12:06

    Depois do Estado de Negligência passamos para o estado de Quaêda Êda.

    Cada um que se cuide. O Governo realmente, não pode andar atrás das pessoas com a polícia e obriga-las a ficar em casa e a respeitar o distanciamento social. Cada um é grande e vacinado para agir com responsabilidade

  7. Frederico Ferreira Major

    14 de Junho de 2020 as 3:48

    Esta pandemia é a marca da BESTA, número 666 vós fazeis parte dela. Deixam de ser tão melancólicos! Contribuiem com sugestões válidas, apartem-se de raciocínios futeis

  8. Lucas

    14 de Junho de 2020 as 7:59

    Pois,voltamos ao estado normal,de calamidade,onde o País estava faz muitos,muitos anos.
    Tenho dito

  9. Jorge Fernandes

    14 de Junho de 2020 as 9:07

    Como é possível estarem a fechar o espaço público para transformá-lo num terreno privado
    O Senhor Posser da Costa, chefe dos corruptos e da corrupção em S.Tomé e Príncipe não pode estar a circular de forma livre neste país, quando ele vende um espaço que é do povo de S.Tomé e Príncipe em proveito seu e da sua família, deixando todo o povo na pobreza.
    Sabemos que o senhor Possr da Costa é um dos coluios deste Governo, é o chefe dos juízes e dos tribunais, por isso uma batalha jurídica para reaver este terreno do povo não vai avançar, pois os milhares e milhares de dólares arrecadados na venda deste terreno, já serviram para comprar os políticos de MLSTP, comprar os juízes e pagar o tribunl e fazer a compra da sua casa em Portugal.
    Por isso, temos que prganizar para uma outra forma de luta. Vamos fazer manifestação contra esta delapidação do bem público. Se a justiça não funcionar, vamos partir com as nossas próprias mãos este murro que está a ser construído.
    O Povo Unido contra a corrupção. Povo, Sociedade Civil, Pesoas Honestas, vamos unir contra este grande e chefe de corrupto em S.Tomé, senhor Posser da Costa e os seus camarads.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo