Política

“Bom Jesus” infligiu mais uma derrota política a ADI de Trovoada

A Assembleia Nacional rejeitou na sexta-feira a Moção de Censura apresentada por um grupo de deputados da ADI, contra o Governo do Primeiro-ministro Jorge Bom Jesus.

Os argumentos do líder da bancada parlamentar da ADI, Abnildo Oliveira, na defesa da Moção de Censura, foram vazios, sem fundamentos convincentes.

Um jogo político fraco, organizado por um grupo de deputados da ADI, que serviu para fortalecer Jorge Bom Jesus, como figura de destaque na actualidade política santomense. Ficou provado que o Governo de Jorge Bom Jesus, goza de uma base de apoio parlamentar bastante sólida.

Confiança reforçada, é o sentimento manifestado por Jorge Bom Jesus, após a votação pela Assembleia Nacional da Moção de Censura. Confiança reforçada, pela manifestação de apoio ao Governo. Com 28 votos contra, a maioria parlamentar que sustenta o Governo chumbou a moção de censura.

A Assembleia Nacional confirmou a rejeição da Moção de Censura do grupo de deputados da bancada parlamentar da ADI, numa deliberação que entrou em vigor logo após a votação.

«É reprovada a Moção de Censura apresentada por ¼ dos deputados pertencentes ao grupo parlamentar da ADI, ao XVII governo constitucional chefiado pelo primeiro-ministro senhor Jorge Lopes Bom Jesus. A presente deliberação entra imediatamente em vigor», declarou Arlindo Barbosa, secretário da Mesa da Assembleia Nacional, na leitura da deliberação parlamentar.

Os argumentos fracos, politicamente descontextualizados esgrimidos pelo deputado e líder da bancada parlamentar da ADI, Abnildo Oliveira, sobre a Moção de Censura, nem sequer convenceram a totalidade dos deputados da oposição.

Com 27 deputados, apenas 24 deputados da oposição votaram a favor da Moção de Censura. Outros 3 abstiveram-se, nomeadamente 2 deputados do movimento Caué, e 1 da bancada da ADI.

«É um duplo ganho para o Governo (rejeição da Moção de Censura e ao mesmo tempo a aprovação do Orçamento Rectificativo), que sai duplamente com confiança. Mas também é um ganho para a nossa democracia, mostra a vitalidade da nossa democracia», afirmou o primeiro-ministro Jorge Bom Jesus.

Jorge Bom Jesus sentiu que infligiu pesada derrota política ao seu adversário. «Possivelmente para aqueles que tinham interesses inconfessáveis em termos de instabilidade política, penso que neste momento o país está estável. O governo tem uma maioria absoluta e democrática clara… Saio com maior responsabilidade perante o nosso povo. Mostra que estamos no caminho certo», pontuou.

O Primeiro-ministro sentiu também que os desestabilizadores terão que render-se. A batalha parlamentar, provou que a sua força política está em franco crescimento. O calor do povo sentido nas últimas semanas em várias regiões do país, foi consolidado com aplausos de vitória no parlamento, sobre a moção de censura apresentada pela ala política da ADI, próxima ao ex-líder Trovoada. Outro ex-líder, Agostinho Fernandes, rejeitou a Moção de Censura apresentada pelos 14 deputados.

«Temos o caminho aberto para continuarmos nesta senda de resolver os problemas mais candentes do nosso povo. Não obstante esta situação precária, pois estamos ainda no Estado de calamidade», frisou Jorge Bom Jesus.

ADI é o maior partido político de São Tomé e Príncipe, de acordo aos resultados das eleições legislativas de 2018. No entanto, exactamente desde 2018, que não tem uma liderança fixa.

Vagueia entre congressos, que não conseguiram dar ao partido uma liderança fixa e legítima. A nível político o conflito de liderança, tem desorientado o maior partido do país e da oposição, que nem sequer consegue convencer o bloco da oposição que lidera, a votar na sua moção de censura.

Abel Veiga

    9 comentários

9 comentários

  1. Fuba cu bixo

    1 de Agosto de 2020 as 23:39

    Então se a coligação que governa tem a maioria absoluta de 28 deputados e o partido da oposição adi tem 25 deputados como pode-se chamar isto derrota ao adi essa afirmação é uma patetice ridícula.
    Governo unta ocê bom?

  2. VAI TU

    2 de Agosto de 2020 as 18:39

    Peço que é uma derrota da desestabilização do ADI e não uma vitória do Governo
    Apesar da moção não ter passado demonstrou que a ADI, está unida.
    A uma abstenção ou 1 contra, não é significativo para uma força que está em reestruturação.
    A coligação que se preocupe com os tempos próximos, têm demonstrar mais trabalho e resultados do que pavonear-se com um vitória, com um maioria de coligação.
    Que a pandemia passe ao lado do povo Santomense

  3. VAI TU

    2 de Agosto de 2020 as 23:37

    Corrijo “Peço” por Penso

  4. Sempre atento

    3 de Agosto de 2020 as 5:44

    É sim uma derrota porque não está em causa o número e sim a instabilidade e a queda desnecessário que o partido ADI procura foi abaixo. Eu pergunto; Um partido que desde 2018 não tem uma liderança fixa e forte está em condições de provocar a queda do governo e possível governação do país? Deixem de ser tolos.

  5. Ralph

    3 de Agosto de 2020 as 7:02

    Acho difícil acreditar que um oposição iria lançar uma moção dessas durante uma pandemia tão grave como a de COVID-19. Além de se precisar de um governo estável para liderar a resposta à pandemia, tenho estado muito impressionado aos esforços do primeiro-ministro para lutar contra a corrupção. Embora seja difícil lidar com as consequências da pandemia (o que é o mesmo problema enfrantado por todos os países em volta do mundo atualmente), um país como STP necessita de um líder que está preparado a combater a corrupção e o nepotismo para que haja uma oportunidade para a economia florescer uma vez que a pandemia for acabada.

  6. José Bastos Fonseca

    3 de Agosto de 2020 as 9:27

    Título ridículo.

  7. Fernando Silva

    4 de Agosto de 2020 as 22:27

    “tenho estado muito impressionado aos esforços do primeiro-ministro para lutar contra a corrupção” kkkkkkkkk

  8. João Leite

    4 de Agosto de 2020 as 22:35

    Boa noite,

    O ADI deveria correr com esse traidor que vota contra o próprio partido.
    Esse indivíduo não dignifica o ADI e serve-se do partido para alcançar os seus objetivos.
    Conseguiu se colocar entre os vice-presidentes e ainda consegue ganhos para os seus familiares em todos os campos. Uma vergonha.
    Alguém assim, não faz falta nenhuma ao partido.

  9. 100% São-tomense

    7 de Agosto de 2020 as 11:01

    Agora deu para entender que o Patrice Trovoada é mesmo mau e criminoso.
    Nesta Pandemia manda o Abnildo introduzir uma moção de censura contra o Governo.
    Onde anda Patrice Trovoada nesta crise toda?
    Nem uma barra de sabão ele ofereceu o país.
    Nem uma máscara ele deu ao seu militante.
    Agora já nota cheiro de algum dinheiro a entrar e quero derrubar o governo.
    Isso é defender o país?
    Culpa é de povo que vota nessas pessoas pensando que têm interesse em defender o povo.
    Aqui vocês não levam nada.
    Apos 4 anos o povo mandará nas urnas.
    Criminosos e apenas querem defender o vosso tacho.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo