Política

OGE aprovado com larga maioria de votos dos deputados

Num parlamento de 55 assentos, 30 deputados votaram a favor da aprovação do Orçamento Geral do Estado para o ano 2021.

O Primeiro-ministro Jorge Bom Jesus, recebeu assim luz verde do parlamento para execução de uma série de projectos, nos domínios da saúde, economia e infra-estruturas.

«Muito brevemente daremos início ao projecto estruturante do aeroporto, a transição energética, e segunda fase das casas sociais», garantiu o Chefe do Governo.

Jorge Bom Jesus, que agradeceu a aposta da maioria dos deputados no instrumento de política económica elaborado pelo seu governo para este ano, disse que não há mais tempo a perder.

«Nas próximas horas e dias, todo o foco e inteligência do Governo estarão virados para a concretização dos projectos da saúde, investimentos, na recuperação económica através do sector privado, o empreendedorismo jovem, organização do sector informal, garantir a ligação marítima e aérea entre as duas ilhas, e uma atenção diferenciada a nossa diáspora», frisou.

Avaliado em 166 milhões de dólares, o Orçamento Geral do Estado para 2021, tem uma mensagem semelhante aos orçamentos de Estado dos últimos anos. São Tomé e Príncipe, é muito dependente da ajuda financeira internacional.

Segundo o Primeiro-ministro, 95,6% das despesas de investimento inscritas no Orçamento do Estado serão suportadas por donativos financeiros a serem concedidos pela comunidade internacional. Os recursos do Estado santomense só garantem 4,1% das despesas de investimento.

Banco Mundial, BAD, União Europeia, FMI e a China fazem parte dos principais doadores de financiamentos ao Orçamento geral do Estado de São Tomé e Príncipe.

A bancada parlamentar da oposição, que questionou o governo sobre a utilização dos fundos concedidos pela comunidade internacional, durante o ano 2020, contestou o conteúdo do projecto de orçamento para o ano 2021.

Abnilde Oliveira, líder da bancada parlamentar do partido ADI, explicou a razão do voto contra. «Não havendo um plano de recuperação económica, o governo trazer essa proposta com medidas avulsas e palhativas, deixa-nos sem saber que rumo o país vai tomar. Portanto não tínhamos como aprovar, ou dar o voto de confiança ao Governo. Por isso votamos contra…», pontuou o líder da bancada da oposição.

O sector das obras públicas absorve 27,8 % do valor do investimento público, inscrito no orçamento aprovado pela maioria dos deputados à Assembleia Nacional.

Abel Veiga

    2 comentários

2 comentários

  1. Fuba cu bixo

    11 de Janeiro de 2021 as 23:46

    Este orçamento de estado é ilusão tal como foi do 2020 que não sabemos o valor da sua execução é um orçamento irrealista que não vai sair do papel portanto o povo vai continuar sempre na miséria e senhores ministros vão ficar ricos.

  2. Paulo Durães

    12 de Janeiro de 2021 as 7:42

    Estes orçamentos gerais do estado de STP é berrante,ora vejamos, 95.6% do total de valor vem de empréstimos? Não me falem em doação porque ninguém dá nada a ninguém. Ainda vem este PM dizer que vamos ter um crescimento de 5% em 2021? Onde estamos meus Srs? Vão dar a volta ao bilhar grande OK!!! Conjunto de indivíduos pedintes engravatados é que vocês são!!! Tenham vergonha na cara! JBJ é mesmo um cordeirinho.

Deixe um comentário

Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo