Política

Covid – Príncipe entrou em confinamento e pede que seja decretado Estado de emergência

O Governo da Região Autónoma do Príncipe fez as contas do aumento de casos da Covid-19 no território de pouco mais de 7 mil habitantes, e chegou a conclusão que a prevalência da doença deve atingir 80%. «Num primeiro momento em 7 amostras recolhidas, 5 acusaram positivo, e num segundo momento, em 17 amostras 13 acusaram positivo», diz o Governo Regional.

Dados que prenunciam um cenário bastante complicado de alastramento da Covid-19 na ilha do Príncipe. «Indicia uma taxa de incidência na ordem dos 80%, prevendo tratar-se da fase de transmissão comunitária», sublinha o Governo da Região do Príncipe.

No âmbito das suas competências, as autoridades do Príncipe, decidiram reforçar as medidas restritivas na ilha. De 13 à 27 de Janeiro, foram suspensas as aulas em todos os níveis de ensino na região autónoma. Reduziu-se o horário de funcionamento dos estabelecimentos comerciais, e não só.

«Suspender as actividades religiosas, nomeadamente missas e cultos…..Reduzir a lotação do mercado da cidade de Santo António para metade….».

Foram também suspensas a realização de consultas médicas no único hospital do Príncipe, o Manuel Quaresma Dias da Graça. «Excepto atendimento urgente tendo em conta que alguns dos pacientes testado positivo encontram-se internados e o hospital representa um foco de contaminação….Para o efeito os cuidados primários de saúde serão prestados nos postos de saúde ….», lê-se no comunicado do Governo da Região do Príncipe.

Dentre as várias medidas restritivas, o governo do Príncipe, decidiu também condicionar a viagem de pessoas entre Príncipe e São Tomé e vice versa. Apenas os portadores de testes rápidos negativos à covid-19, poderão entrar na ilha do Príncipe.

Príncipe reduziu também para metade o número de trabalhadores nos serviços públicos, em regime de rotatividade. Dentre os casos de Covid-19 diagnosticados na ilha, as autoridades dão conta que 4 profissionais da saúde estão infectados. O Governo Regional do Príncipe admite a possibilidade do vírus SARS-Cov-2, já estar a circular no seio do de outros profissionais da saúde da ilha. Por isso o Governo de Filipe Nascimento, diz que já solicitou ao Governo da República o envio de reforços em pessoal clínico, para atender a demanda na luta contra o novo coronavirus na ilha do Príncipe.

Face ao cenário de rápida transmissão da Covid-19 na ilha do Príncipe, as autoridades da região autónoma propuseram ao Estado santomense, «o decretamento do Estado de Emergência para a ilha do Príncipe, caso não esteja já a ser considerado para todo o território nacional, de modo a suportar outras medidas restritivas das liberdades pessoais, designadamente o confinamento obrigatório e outras medidas mais drásticas, que venham a justificar-se de acordo com a evolução epidemiológica», destaca o Governo da Região Autónoma do Príncipe.

Abel Veiga

 

    6 comentários

6 comentários

  1. Focotó

    14 de Janeiro de 2021 as 13:32

    Resultado da gala de futebol chegou a Príncipe… Vocês estão de parabéns.

  2. Cabo-verdiano

    14 de Janeiro de 2021 as 13:37

    To zé pagará caro por ter posto esse garoto no poder a força, enganou o eleitorado, hoje Presidente que passa vida na televisão a mostrar cara, aparece em tudo, trabalho que é bom nada. Povo de Príncipe terá que tirar ilações nas próximas eleições

  3. Deus

    15 de Janeiro de 2021 as 0:11

    Só o título do comentário “cabo-verdiano” diz tudo sobre mentalidades tristes que andam por aí. Inveja e ciúmes só. Filipe é um grande cidadão. Teve mérito e coragem por ter assumido para dar contributo no momento de muita dificuldade. Com doença querem que? Mas Príncipe vai vencer.

  4. Força

    15 de Janeiro de 2021 as 1:19

    Este comentário de cabo-verdiano é uma vergonha. Mas Deus no comando. Filipe você é orgulho do Príncipe. Força. Credo gente

  5. Até quando

    15 de Janeiro de 2021 as 14:45

    Este país tem muitos invejosos e rancorosos. Cabo-verdiano? Jovem filipe não trabalha? Tudo mentira. Se obras ainda não saíram é porque este governo central está de malvadez e com covid têm dificuldade. Mas se ele aparecer no tv é um democrata e faz governação transparente pra povo acompanhar. Em vez de ajudar ficam aqui com ódio. Assim país não anda. Vamos mudar mentalidade

  6. Emiliano

    26 de Janeiro de 2021 as 11:01

    Até quando- não diga asneiras o Governo Central esta de malvasez porquê- o Orçamento foi aprovado ha dias o ano tem 365 dias.minha gente 80% da população do Príncipe é de origem Cabo Verdiana deixem xenofobismo e enfremtem a realidade e deixem o jovem trabalhar, seus invejosos.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo