Política

STP vai ser um dos primeiros países de África a ter acesso a vacina contra Covid-19

A vacina contra a Covid 19, estará disponível à população de São Tomé e Príncipe a partir do segundo trimestre deste ano.

Uma garantia dada pelo Ministro das Finanças Osvaldo Vaz, numa conferência de imprensa conjunta com o Director Regional do Banco Mundial para São Tomé e Príncipe, Jean – Christophe Carret.

Falando à imprensa sobre a sua visita ao país, o Director Regional do Banco Mundial, disse que a instituição financeira internacional, «está pronta para ajudar São Tomé e Príncipe a aceder o mais rápido possível a uma ou várias vacinas».

O Téla Nón questionou o Ministro das Finanças e o Director Regional do Banco Mundial, sobre o arranque do projecto de financiamento para aquisição das vacinas. Qual o valor do financiamento, e que tipo de vacina será escolhida para imunizar a população santomense?

O Ministro das Finanças Osvaldo Vaz, foi o primeiro a responder:

«Um dos projectos urgentes é mesmo a aquisição de vacinas. O Banco Mundial está a fazer todos os possíveis para até Abril disponibilizar cerca de 6 milhões de dólares para aquisição das vacinas. A nossa equipa de saúde já está a trabalhar com a equipa do Banco Mundial para definir que tipo de vacina vai-se utilizar», afirmou o Ministro Osvaldo Vaz.

O Ministro das Finanças explicou também que os 6 milhões de dólares que o Banco Mundial, vai desbloquear no mês de Abril próximo, vão assegurar a aquisição e a conservação das vacinas, com destaque para o sistema de frio.

Ainda em resposta a questão levantada pelo Téla Nón, o Ministro das Finanças garantiu que São Tomé e Príncipe vai ser um dos primeiros países do continente africano a ter acesso a vacina contra a Covid-19.

«O pedido de financiamento para a vacina foi feito directamente ao vice-presidente do Banco Mundial para África em Dezembro passado….que se manifestou disponível para que São Tomé e Príncipe, seja um dos primeiros países de África a beneficiar da vacina», pontuou o ministro.

O Téla Nón, pediu precisão ao ministro sobre a data, em que a vacina estará disponível à população, e Osvaldo Vaz, apontou o segundo trimestre de 2021. «Tudo está a ser feito para que no segundo trimestre deste ano a vacina esteja acessível ao país», precisou.

O Ministro das Finanças anunciou também que o financiamento do Banco Mundial, na ordem de 6 milhões de dólares, vai permitir a aquisição de uma quantidade de doses de vacinas capaz de imunizar 70% da população do país.

Por outro lado enquanto prosseguem as negociações com o Banco Mundial para o desbloqueamento do financiamento, a parte santomense tem outra grande responsabilidade que é a de preparar o projecto técnico para imunização da população, nomeadamente o tipo da vacina a ser aplicada.

«Cabem as autoridades sanitárias do país e a OMS proporem soluções técnicas, e o governo anunciará ao Banco Mundial, quais soluções técnicas serão adoptadas», declarou Jean – Christophe Carret, director regional do Banco Mundial para África.

Abel Veiga

    5 comentários

5 comentários

  1. Macalacata

    15 de Janeiro de 2021 as 19:48

    Boa noite leitores. O meu comentario nao tem nada a ver com noticia acima referida.
    Apenas quero que os leitores passam informaçao ao paìs para fazer contratexte a todos passageiros que chegam Sao Tome com texte negativos feito em Londres porque ha um grupo de Santomenses no Este de Londres que estao a fornecer textes negativos falso para viagem.
    Esta è a razao que muitos entram com texte negativo e quando fazem o texte em Sao Tome para regressarem a Europa o texte acusa positivo em Sao Tome.

    O caso è muito grave pelo que precisamos de agir para salvar o nosso paìs e o nosso sistema de saùde.

    Abel Veigas porfavor coloca esta informaçao na capa de destaque do jornal tela non porque os Santomenses que vivem no Este de Londres de vida fàcil estao a colocar o paìs em desgraça por causa da ganancia do dinheiro fàcil.

    Muito obrigado

  2. Tt

    17 de Janeiro de 2021 as 20:59

    Cuidado com vacina da China e da india,pois a 3a fase dos testes ainda encontra a decorrer.

  3. Ralph

    18 de Janeiro de 2021 as 0:46

    É bom saber de notícias como esta. Países pobres, isolados e insulares como São Tomé e Príncipe deveriam ser os primeiros a receber as vacinas contra a COVID-19. E organizações como o Banco Mundial e a OMS deveriam estar a ser todo o possível para assegurar que isso aconteça.

  4. antónio abreu

    18 de Janeiro de 2021 as 8:51

    Devemos ir com calma e seriedade nestas coisas. Se o Banco Mundial é o parceiro que vai financiar vacinas a maioria dos países africanos subsaarianos, e nos prometeu 6 milhões de dólares para efeito, porque é que vamos encher a boca para declarar que vamos ser o primeiro país africano a ter vacina. E se o desbloqueamento da verba não for feito a tempo. E se os produtores de vacina não tiverem a vacina disponível para nos vender, quando os outros países já fizeram diligencias a mais tempo.
    Deixemos de gabar com dinheiro dos outros.
    Se a vacina vier tudo bem e povo aguarda com ansiedade a mesma. Mas não vamos propalar por ai que vamos ser o primeiro país. E se não formos, com que cara é que iremos apresentar diante dos outros.
    Um Governo sério não faz estas declarações irresponsáveis, quando ainda nem se decidiu o tipo de vacina a ser importada

    • Emiliano

      29 de Janeiro de 2021 as 18:39

      Antonio Abreu, concordo plenamente consigo. A lingua comprida é a desgraça do povo santomense.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo