Política

A redenção de Américo Ramos no Fundo Kuwait

Ex-Ministro das Finanças de 2014-2018, Américo Ramos, actualmente secretário-geral do partido ADI, foi detido pela Polícia Judiciária no ano 2019, e colocado em prisão preventiva durante 3 meses.

Dentre várias acusações feitas pelo Governo enquanto queixoso, Américo Ramos, foi acusado de crime de corrupção por alegadamente ter desviado dinheiro da linha de crédito concedida a São Tomé e Príncipe pelo Fundo Kuwait.

Após 3 meses de prisão, o ministério público mandou arquivar o processo por falta de provas. Em Dezembro do ano 2019, representantes do Fundo Kuwait visitaram São Tomé, e garantiram que a linha de crédito de 17 milhões de dólares para modernizar o hospital Ayres de Menezes estava ainda disponível para o Estado santomense.

Desde o ano 2020, que começou a ser esclarecida a principal dúvida do Governo em torno da linha de crédito. Trata-se do pedido feito pelo fundo do Kuwait para que o executivo começasse a pagar os juros pelo desembolso de uma parte do crédito na ordem de 209 mil euros.

Em Março de 2021, o próprio Presidente do Comité Director para execução do projecto de reabilitação do hospital Ayres de Menezes,  veio anunciar que não houve qualquer irregularidade com a utilização dessa verba, que foi paga a empresa que tinha sido contratada como consultora no projecto, a Feedback Infra.

«Não há nenhum problema com esta verba que foi paga a empresa. Para a empresa Feedback Infra, foram 209 mil euros. Valor equivalente a 1 ou 1,5% da verba total…. E como foi desembolsado, é sobre estes 209 mil euros que vamos ter que pagar os juros….», afirmou Tomás Vera Cruz.

Em Janeiro último, a quando do debate parlamentar sobre o Orçamento Geral do Estado para 2021, o Governo deixou claro que tinha inscrito a linha de crédito concedida pelo fundo Kuwait, como uma das fontes de financiamento para começar a modernizar o Hospital central Ayres de Menezes.

No entanto a dada altura da sua intervenção o ministro das Finanças Osvaldo Vaz, disse em resposta aos deputados, que desconhecia o caso dos 209 mil euros que já tinham sido utilizados.

O ex-Ministro das Finanças, Américo Ramos, já na qualidade de Secretário-geral da ADI, chamou a imprensa para contar a sua versão sobre o caso da utilização dos 209 mil euros da linha de crédito do fundo Kuwait.

«Houve um concurso internacional em que participaram várias empresas, e a empresa Feedback Infra foi seleccionada. E essa selecção não foi feita por São Tomé sozinho, foi também feita por técnicos do Fundo Kuwait», declarou Américo Ramos.

Mais importante ainda é o facto segundo o ex-ministro das Finanças, da empresa seleccionada para fazer os estudos, ter vindo a São Tomé e apresentado publicamente o resultado do seu trabalho com vista a execução da linha de crédito para modernização do hospital central.

« A empresa Feedback Infra esteve em São Tomé no ano 2018, e fez a apresentação do estudo para o público, e uma outra apresentação foi feita no hospital Ayres de Menezes para os médicos, enfermeiros e técnicos de saúde», frisou Américo Ramos.

Na conferência de imprensa dada na sede do seu partido, Américo Ramos disse a imprensa que estava indignado com as declarações do Ministro das Finanças no parlamento.

«Como é que o ministro volta de forma caluniosa e mentirosa dizer, que ele desconhece o destino que foi dado aos 209 mil euros?», interrogou.

Segundo o ex-ministro das finanças todas as documentações sobre a linha de crédito, e sobre o projecto de execução das obras de modernização do hospital central foram entregues ao novo governo, mais concretamente aos ministros das finanças e das obras públicas.

«O processo-crime movido pelo governo contra mim, foi arquivado pelo ministério público, porque todas as alegações feitas pelo governo nessa matéria foram consideradas falsas. Não correspondiam a verdade. As pessoas estavam na posse de todos os elementos», pontuou.

O ex-ministro que no ano 2015 assinou o acordo de financiamento com o fundo Kuwait, considera que neste momento São Tomé e Príncipe, estaria a concluir as obras de modernização do hospital central Ayres de Menezes. Uma modernização que teria impacto positivo na melhoria da assistência médica ao povo, ainda mais nestes dias da Covid-19.

«Elegeram a falsidade e a perseguição, ao invés de darem continuidade ao processo para que o pais tivesse já em fase de conclusão um hospital de referência. Estaríamos já a resolver os problemas que tem estado a acontecer no hospital Ayres Menezes», destacou.

No que diz respeito ao pagamento por São Tomé e Príncipe dos juros pela utilização dos 209 mil euros desbloqueados pelo fundo Kuwait para pagamento da empresa de consultoria, Américo Ramos, disse que o valor dos juros é correspondente a 1849 dólares.

«O objectivo foi político…prender e perseguir as pessoas», concluiu.

Abel Veiga

    13 comentários

13 comentários

  1. arroz podre

    19 de Março de 2021 as 8:38

    Devias ter dito essas coisas à mais tempo, não é manter calado, porque quem cala consenti.
    És adulto, abra os olhos.

  2. Sem assunto

    19 de Março de 2021 as 8:40

    Pois bem tavarichi Osvaldo, o objetivo de prender e persiguir foi vosso, agora é deles e de repente voltará a ser vosso, enfim.
    Toda esta ruptura mostra nos a qualidade da nossa democracia :fraca.

  3. Sem assunto

    19 de Março de 2021 as 8:41

    Américo e não Osvaldo, pretendia escrever!

  4. Terra não é de Ninguém

    19 de Março de 2021 as 8:42

    Próxima vez que assumir cargos públicos, a saida seja educado respeita as leis e faça a passagem de pasta! Olinto Daio fez passagem de pasta, Arlindo Ramos fez passagem de pasta… Pessoas elegantes agem com sabedoria!

    • Andorinha

      19 de Março de 2021 as 18:29

      Não vem que não tem o Dr Americo Ramos fez a passagem de pasta sim e fez questão de falar isso na sua entrevista vocês vão pagar isso nas urnas.

    • Pascoal Carvalho

      21 de Março de 2021 as 18:31

      tudo dito.

  5. Matabala

    19 de Março de 2021 as 8:45

    Foi perseguido mesmo. Mas aqui é mundo. Só Deus manda para sempre. Muita crueldade o que fizeram…Não pode valer tudo na política

  6. Mario Rosário

    19 de Março de 2021 as 9:52

    Senhor Américo. O senhor parece ser um banana.
    Você sofreu toda esta perseguição, foi a cadeia ilegalmente, e hoje está comprovado que foi e continua a ser uma perseguição apenas politica. Então o senhor não reage?
    Porque é que não mete este governo no tribunal e pede uma grande indeminização pelos danos causados a sua pessoa. Sei que o tribunal fantoche de S.Tomé nada vai fazer.
    Mas como homem que diz ser, e como politico, você deve recorrer aos tribunais internacionais. Tribunal da CPLP, tribunal da CEEAC, Tribunal de direitos humanos das Nações Unidas, Tribunal Europeu dos direitos humanos etc. etc. e peça uma indeminização de pelo menos um milhão de dólares para que estes vermes saibam que não devem fazer perseguições politicas.
    Em vez de tratarem de hospitais que tanta falta faz a este povo, estão mais preocupados nas próximas eleições.
    Mexe-te Homem. Seja Homem pelo menos uma vez na vida

  7. Fui

    19 de Março de 2021 as 11:59

    Tudo trapassa!!!
    Porquê não compareceu às instancias para dar todos os esclarecimentos quando solicitado.
    Arrogante, Marionete e Hipócrita!!!!

  8. Ziaurmarx Fernandes

    19 de Março de 2021 as 13:23

    Agora que o Estado Santomense pague uma indemnização pelos 3 meses que ficou detido.
    E que o governo tenha coragem e peça desculpas públicas ao homem.

  9. Andorinha

    19 de Março de 2021 as 18:47

    Essa nova maioria incompetentes imbuídos de ódios e com pretexto de combate a corrupção prenderam um homem inocente e pretendiam fazer o mesmo com o Patrice Trovoada, graças a deus o Patrice saio de S.tomé assim evitando que ele cai-se nas mãos destes carrascos da nova maioria de Jorge bom Jesus.
    De recordar que Americo Ramos na sua entrevista disse que fez a passagem de pasta e passou este dossiê do fundo do Kuwait ao atual Ministro das finanças mas aonde a deus a verdade vem sempre ao de cima e vocês da nova maioria vão pagar isso nas urnas.

  10. Fuba cu bixo

    19 de Março de 2021 as 20:02

    A conclusão que se tira disto é que mentira tem perna curta e que este governo de Jorge bom Jesus anda desesperado para abater o Patrice Trovoada com mentiras e perseguições.
    Mas pode-se constatar que os partidos da nova maioria todos juntos não vale um vintém a frente de Patrice Trovoada.

  11. Pascoal Carvalho

    21 de Março de 2021 as 18:33

    nem tanto ao mar, nem tanto a terra.
    nada de novo nem relevante. Já cansa.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo