Política

Ministro da Saúde – “Infelizmente ainda os desvios continuam…”

O Ministro da Saúde Edgar Neves denunciou que parte da ajuda internacional que chega ao país, para luta contra a Covid-19, continua a ser desviada.

Isso mesmo depois do Ministério da Saúde ter detectado e entregue a justiça os primeiros casos de desvio de máscaras e outros materiais, concedidos pela comunidade internacional, e que estavam a ser vendidos nas farmácias privadas.

«Nós fazemos a nossa parte… Há processos em curso… A polícia judiciária é que deve dar segmento aos processos e as investigações. Sempre que detectamos uma situação anómala, denunciamos para as autoridades competentes», declarou o ministro da saúde(na foto).

É enorme o fluxo da ajuda em equipamentos médicos, para o laboratório, para protecção individual, e para a higienização das mãos, que a comunidade internacional tem concedido a São Tomé e Príncipe, desde o início da pandemia da Covid-19 no ano 2020.

Em média, uma vez por semana São Tomé e Príncipe recebe ajuda internacional para combater a Covid-19. Para além dos parceiros de cooperação bilateral e multilateral, as companhias petrolíferas e empresas privadas que operam no país também financiaram a aquisição de sabão azul, gel alcoolizado, lixívia, milhares de máscaras de protecção facial, e outros equipamentos.

No entanto é comum registar-se falta de sabão azul para lavagem das mãos, do gel alcoolizado, de máscaras e outros consumíveis nos postos de saúde, sobretudo dos distritos.

«Infelizmente ainda os desvios continuam. Se uma ou 10 barras de sabão são colocadas num posto de saúde, acabam por ser consumido as vezes não da melhor forma…. Desvios, não são novidade para ninguém. Infelizmente sempre existiu e existe», afirmou o Ministro da Saúde.

Na entrevista solicitada também pelo Téla Nón, para análise da gestão do grande fluxo da ajuda internacional em materiais que o país recebe para combater a Covid-19, o ministro Edgar Neves, reconheceu falhas no sistema de fiscalização das ajudas para conter a Covid-19. No entanto prometeu melhorar a fiscalização da distribuição e utilização dos materiais e consumíveis na vasta rede que compõe o sistema nacional de saúde.

«Não há mecanismos perfeitos, e temos que ter consciência de que temos que ir melhorando para que os resultados sejam melhores…, e assim podermos dizer aos parceiros que estamos a gerir com muita atenção aquilo que nos é oferecido», pontuou Edgar Neves.

O Ministro concluiu a entrevista, destacando o facto de São Tomé e Príncipe ter gerido da melhor forma, a maior parte da ajuda internacional para luta contra a Covid-19. Prova disso mesmo, segundo o ministro da saúde, são os resultados alcançados pelo país, no controlo e recuo da Covid-19, tanto na primeira como na segunda vagas.

Abel Veiga

    9 comentários

9 comentários

  1. Chicão da Mina

    16 de Abril de 2021 as 13:33

    Qualquer dia a comunidade internacional considera que nós não sabemos gerir o que nos é oferecido, e fecha a torneira, ou seja deixa de dar ofertas. Então será que o senhor ministro não consegue formar uma equipa que seja responsável pelos donativos, desde que eles chegam ao nosso país até serem utilizados? E essa equipa ser a responsável se alguma coisa for desviada? Será tão difícil os nossos governantes, que teem cursos tirados em universidades estrangeiras, criarem uma equipa dessas? Se não conseguem então demitam-se. E mais uma vez, que tal o povo exigir um referendo da maneira como estamos a ser governados!!!

  2. Boquito

    16 de Abril de 2021 as 16:12

    Será que é tão difícil a policia judiciária a polícia nacional e ministério público pegar esses bandidos que roubam as ajudas?

  3. Matabala

    16 de Abril de 2021 as 18:12

    Senhor Ministro desaparecem os materiais de onde? Da casa de gente? Se é dos postos de saude como diz a noticia então para começar senhor tem de pedir responsabilidade a director do serviço de cada posto de saude onde coisa desaparece. Onde colocam as coisas? Numa sala com chave? Quem tem chave? Quem faz a contagem logistica do que entra e do que sai de cada sala de armazenamento? Ou está tudo a vista e a mão de qualquer um pegar? Senhor não entende que a polícia só faz serviço depois de casa roubada e senhor é que é o responsável máximo por todo o serviço pois os equipamentos e materiais foram-lhe entregues a si em mao como responsavel maximo do Ministério da Saude. Senhor se em vez de inventar cercado de murro em frente ao Ministério se fizesse seu trabalho de controlo exigindo aos seus subordinado um procedimento unico para todos os postos assinalando um responsável para cada posto de saude para cumprimemto desse procedimento rigoroso quer no armazenamento dos produtos em que só um responsável tem chave e quer no controlo do que entra e sai- uma simples folha de excell-feita por elemento também nomeado em cada posto isto nao aconteceria. Simples gestão que qualquer dona de casa faz você não sabe fazer? E ninguém é chamado a responsabilidade? Fica assim só a falar na comunicação social a fazer queixinha? É que já cheira mal sempre mesma conversa de nhe nhe nhe….

  4. Adjelson da mata

    17 de Abril de 2021 as 1:08

    Infelizmente a corrupção em nosso país se torna gigantesca perante estes factos embora a veracidade dos factos seja duvidosa.
    Sou Adjelson da mata um dos participante do concurso para o preenchimento de uma vaga de emprego na celula de gestão para paludismo tuberculose e HIV sida ,promovido pelo ministério do senhor #Edgar Neves e financiado pelo PNUD mas fui excluido sem aviso do concuso, para facultarem a outro fulano e tal que já trabalhava nesta nesta organização mas na gestão anterior , .
    Agora pergunto : Se ja sabiam que era ele que precisavam no cargo ,porquê do concurso público fantoche ?

    E eu fui admitido para a proxima fase do concurso ,mas porquê não me chamaram para os testes finais ?
    E se acham ele o mais qualificado ,porquê o requisitos de liguas seria uma mais valia se o proprio funalo não fala uma palha se quer de línguas como inglês e francês?
    Eu reunia todos esses requisitos mas mesmo assim fui o segundo colocado e ele o primeiro mesmo sem requisitos todos que presisava para o tal cargo .mas como queriam alguem que podessem manipular a tempo integral escolheram o pau mandado para essas tarefas .
    Esse concurso público era uma farsa , apebas admitiram todos os integrantes da gestão da célula anterior e colocaram na atual ,mas isso era necessario anunciar ao público para concorerem ????

  5. Pedro Costa 2

    17 de Abril de 2021 as 9:24

    Estes desvios não acontecem só agora.
    É um cancro que existe há mais de 40 anos! Até esta altura não conseguem pôr cobro a estas situações de desvios da coisa pública? Nós, santomense, e africanos em geral têm esta doença de não saberem gerir a coisa pública. Se lhes entregam 10 produtos para vender, vendem 6 ou 7 e o resto vai para casa. O custo de vida é altíssimo, o salário não chega e dá nisto.
    O meio é pequeno, o país é pequeno, mesmo assim é difícil controlar? É difícil!!?
    Não saímos disto, infelizmente

  6. Fuba cu bixo

    17 de Abril de 2021 as 13:32

    Este ministro e governo sabe muito bem quem faz os desvios de materiais ofertados são os camaradas que desviam para as suas clínicas privadas desviam também para condogueiros venderem na praça.
    Então a PJ e os tribunais só servem para perceguir adversários políticos vocês sabem muito desgraçados.

  7. Jorge D'Alva

    17 de Abril de 2021 as 20:48

    O que dá nisso, é meter os incompetentes como responsáveis do serviço. O unico requisito para ser nomeado chefe, é ser militante do partido e ter participado na campanha. Logo, se roubam, o Ministro não tem coragem de chamar atenção ao mesmo, pois já vi Directores ameaçarem ministros, dizendo se você me tirar, eu deixo cair o Governo, pois tenho um deputado e retiro o meu deputado da coligação.
    Então, esta é a corda da bamba que nos encontramos. O normal, é que se o Ministro não consegue controlar o roubo na sua instituição, então ele deve demitir-se, pois ele não está lá a fazer nada.
    O país recebe todos os ias a ajuda, mas quando se vai ao hospital, não se encontra nada.
    Senhor Ministro. Demita-se

  8. Vanplega

    17 de Abril de 2021 as 21:13

    Senhor Ministro da Saùde, nāo è sò a PJ que deve fazer o servico.

    Semhor Momistro, deve abrir um processo de averiguaçāo no seu Ministerio, năo lavar as mãos.
    Em que mundo vive o senhor? A PJ faz o seu trabalho e o Ministerio da Saùde, deve fazer o seu.
    Ora bolas pà

  9. Toni

    19 de Abril de 2021 as 11:06

    Ridiculo !! Como é possivel um ministro reconhecer os desvios, porque é que é ministro !? Sempre a mesma incompetência , palhaços !! Nem consigo dizer mais nada….

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo