Política

Xi reúne o Partido por busca “imparável” pela revitalização nacional enquanto PCC celebra o centenário

Beijing, 1º jul (Xinhua) — O Partido Comunista da China (PCC) celebrou nesta quinta-feira o 100º aniversário de sua fundação, com seu máximo líder declarando a conquista de uma meta de desenvolvimento histórica e anunciando que a nação chinesa está “avançando com um impulso imparável em direção à revitalização”.

Discursando em uma grande reunião na icônica Praça Tian’anmen, onde o precursor do PCC Mao Zedong proclamou o nascimento da república popular, Xi Jinping, secretário-geral do Comitê Central do PCC, saudou o sucesso do Partido no século passado e pediu que todo o Partido continue seu trabalho árduo e realize “uma grande luta” para alcançar a revitalização nacional.

Xi proferiu um discurso transmitido pela televisão em rede nacional da Tribuna de Tian’anmen diante de uma multidão de 70.000 pessoas. O evento histórico também testemunhou um coro de canções do Partido, uma apresentação aérea de caças e helicópteros, uma saudação de 100 tiros e uma cerimônia de hasteamento da bandeira.

Xi, também presidente chinês e presidente da Comissão Militar Central, declarou que a China alcançou a primeira meta centenária de “construir uma sociedade moderadamente próspera em todos os aspectos”.

“Isso significa que trouxemos uma resolução histórica para o problema da pobreza absoluta na China e agora estamos marchando a passos confiantes em direção à segunda meta centenária de transformar a China em um grande país socialista moderno em todos os aspectos”, disse Xi.

INEVITABILIDADE HISTÓRICA

Revisando os últimos 100 anos, Xi destacou que o Partido uniu e liderou o povo chinês para alcançar grande sucesso na nova revolução democrática, na revolução e na construção socialistas, na reforma, abertura e modernização socialista, bem como para o socialismo com características chinesas na nova era.

Em 1921, quando foi fundado, o PCC tinha somente mais de 50 membros. Hoje, com mais de 95 milhões de membros em um país com população de mais de 1,4 bilhão de pessoas, é o maior partido no poder do mundo e desfruta de uma enorme influência internacional.

Xi prestou homenagem aos antepassados do PCC, incluindo Mao Zedong e Deng Xiaoping, bem como aos mártires revolucionários que morreram pela causa do Partido.

“Todas as lutas, sacrifícios e criações através dos quais o Partido uniu e liderou o povo chinês nos últimos cem anos foram conectados por um tema fundamental — realizar a grande revitalização da nação chinesa”, exaltou Xi, acrescentando que essa perspectiva “se tornou uma inevitabilidade histórica”.

A cerimônia foi presidida por Li Keqiang, com a presença de Li Zhanshu, Wang Yang, Wang Huning, Zhao Leji e Han Zheng — todos membros do Comitê Permanente do Birô Político do Comitê Central do PCC, bem como do vice-presidente, Wang Qishan.

No evento, Wan Exiang, presidente do Comitê Central do Comitê Revolucionário do Kuomintang Chinês, leu uma mensagem de felicitações em nome dos outros oito partidos políticos na China, da Federação Nacional da Indústria e Comércio da China e das pessoas sem filiação partidária.

Mais de mil jovens, que são representantes dos membros da Liga da Juventude Comunista da China e Jovens Pioneiros, transmitiram sua mensagem de felicitações por meio de uma recitação na Praça Tian’anmen, expressando o compromisso da geração mais jovem com a causa do PCC.

“Sinto-me muito honrado”, disse Wang Fangyanni, estudante universitário de 22 anos que assistiu às celebrações no local. Wang tornou-se membro pleno do PCC em abril.

O discurso de Xi de uma hora capturou o tremendo sucesso do Partido ao longo de um século.

Sob a liderança do Partido, o país tirou quase 800 milhões de pessoas da pobreza nas últimas quatro décadas. A China é agora a segunda maior economia do mundo, o maior receptor de investimento estrangeiro direto e possui um dos maiores mercados consumidores do planeta. Seu PIB ultrapassou o limiar de 100 trilhões de yuans (US$ 15,47 trilhões).

Muitas pessoas experimentaram uma melhora significativa em suas vidas.

Bao Xianjie é uma delas. Membro da etnia Tu, ela relaciona o centenário do PCC com mudanças em seu distrito natal, na Província de Qinghai, no noroeste, que recentemente se livrou da pobreza.

“Quando retornei para casa nos últimos anos, vi grandes mudanças: a via expressa foi aberta, o tráfego se tornou conveniente e a vida de todos está melhorando”, disse Bao à Xinhua na Praça Tian’anmen.

Yang Pin-hua, cantor étnico de Taiwan que mora em Beijing há 14 anos, também estava na plateia.

Tendo viajado para mais de 70 cidades na parte continental com grandes populações étnicas, Yang testemunhou esses lugares passarem por enormes mudanças nos últimos anos. “O apoio do Partido atingiu todas as aldeias e todos os grupos étnicos.”

PARTIDO AINDA MAIS FORTE

Em seu discurso, Xi estabeleceu princípios que devem ser seguidos na jornada à frente.

A liderança firme do Partido deve ser mantida, segundo ele, chamando-a de base e força vital do Partido e do país e ponto crucial de que dependem os interesses e o bem-estar de todo o povo chinês.

Prometendo permanecer comprometido em combater a corrupção e erradicar “quaisquer vírus que possam corroer sua saúde”, Xi afirmou que o PCC deve continuar a avançar no grande novo projeto de construção do Partido.

“Devemos nos unir e liderar o povo chinês no trabalho incessante por uma vida melhor”, acrescentou.

“Qualquer tentativa de dividir o Partido do povo chinês ou colocar o povo contra o Partido está fadada ao fracasso. Os mais de 95 milhões de membros do Partido e os mais de 1,4 bilhão de chineses nunca permitirão que esse cenário aconteça”, exaltou ele.

Xi enfatizou a adaptação contínua do Marxismo ao contexto chinês.

SEM PREGAÇÃO E SEM BULLYING

Xi ressaltou que os esforços para manter e desenvolver o socialismo com características chinesas devem continuar. Assim, o Partido “criou um novo modelo para a civilização humana”.

O Partido está ansioso para aprender as lições que puder com as conquistas de outras culturas e dá boas-vindas às sugestões úteis e críticas construtivas, salientou Xi.

“Não aceitaremos, no entanto, pregação santimonial daqueles que sentem que têm o direito de pregar para nós.”

Xi acrescentou que a nação chinesa não carrega traços agressivos ou hegemônicos em seus genes. “Nunca intimidamos, oprimimos ou subjugamos o povo de qualquer outro país e nunca o faremos.”

Mas o povo chinês nunca permitirá que qualquer força estrangeira o intimide, oprima ou subjugue, alertou ele.

“Qualquer um que tente fazer isso se encontrará em rota de colisão com uma grande muralha de aço forjada por mais de 1,4 bilhão de chineses”, exaltou Xi, enquanto a multidão presente na Praça Tian’anmen explodia em aplausos e vivas estrondosos.

Xi sublinhou a elevação das forças armadas a padrões de classe mundial para alcançar maior capacidade e meios mais confiáveis para salvaguardar a soberania, segurança e interesses de desenvolvimento nacionais.

Ele também pediu esforços para fortalecer a grande unidade do povo chinês.

Resolver a questão de Taiwan e realizar a reunificação completa da China é uma missão histórica e um compromisso inabalável do PCC, destacou Xi, prometendo medidas resolutas para derrotar totalmente qualquer tentativa de “independência de Taiwan”.

“Ninguém deve subestimar a grande determinação, a forte vontade e a extraordinária capacidade do povo chinês de defender sua soberania nacional e integridade territorial”, ressaltou ele.

Fonte : Embaixada da China em STP

    1 comentário

1 comentário

  1. SEMPRE AMIGO

    3 de Julho de 2021 as 18:49

    Parabéns CHINA!Parabéns POVO chinês! O sucesso da República Popular da China é uma demonstração clara que é possível uma outra organização social, e não o capitalismo, resolver os problemas dos povos.Segundo o padre holandês missionário FRANCISCO VAN der HOFF,doutor em Teologia e Economia ,”O capitalismo não é senão a organização sistemática e legal das injustiças, das desigualdades e das exclusões.Porque as democracias existentes são fictícias.São simulacres que servem os interesses particulares e privados.Sómente aqueles que têm a faculdade de sobreviver podem safar-se e nunca os mais fracos”.Fim da citação.Os chineses souberam adaptara teoria marxista ás realidades chinesas, ao contexto chinês,Daí o sucesso.Se os santomenses não souberem adaptar a DEMOCRACIA ás realidades santomenses,ao contexto santomense,vamos aceleradamente fracassar.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo