Política

Dia da Juventude de STP – 5 de Novembro

Excelentíssimo Senhor 1º Ministro e Chefe do Governo;

Excelentíssimo Senhor Membro do Governo;

Excelentíssima Senhora Coordenadora interina do Sistema das Nações Unidas e Representante do PNUD;

Excelentíssimo Senhor Presidente da Câmara Distrital

Excelentíssimo Senhor coordenador da UNICEF,

Exma. Sra. Representante; UNICEF, Dra Eva

Excelentíssima Senhora Representante do FNUAP);

Excelentíssima Senhora Directora do IJ e membros do conselho Directivo do MJDE,

Ilustre Presidente do Conselho Nacional da Juventude;

Digníssimos Jovens de São Tomé e Príncipe.

Caras e caros convidados,

É com imensa satisfação que faço uso da palavra, neste Acto Central comemorativo do dia Nacional da Juventude neste que é um espaço de aprendizagem, desconhecimento e do saber para a juventude. Liceu Maria Manuela Margarido

Excelências,

São 47 anos do movimento que deu origem ao dia 5 de Novembro, o dia da Juventude de São Tomé e Príncipe a ser comemorado ainda num contexto de pandemia global da COVID-19 que temnos afetado a todos os níveis, tanto sanitário como económico e social.

Tratou-se de um momento histórico e singular para a nossa juventude, em que embora as revindicações do passado tenham sido outras, as motivações ainda continuam as mesmas. Pois, as motivações que consistiam na busca de melhorias para a juventude, ainda prevalecem nos tempos de hoje no seio da juventude nacional.

Deste modo, pela determinação e coragem nas reivindicações destas necessidades, quero aproveitar este púlpito para prestar as minhas homenagens a todos os autores deste movimento e, neste mesmo púlpito, endereçar os meus mais respeitosos cumprimentos e felicitações a todos os jovens de São Tomé e Príncipe.

Caras e caros jovens,

Momento como este permite-nos festejar, mas também obriga-nos a todos a reflectir no sentido de continuarmos a trabalhar em busca de soluções capazes de criar impacto positivo na vida de cada jovem de São Tomé e Príncipe.

Neste sentido, o Governo através do Ministério da Juventude, Desporto e Empreendedorismo, e os parceiros do Sistema das Nações Unidas (UNICEF, FNUP, PNUD), dentre outros, têm contribuído na busca de melhoria em prol da Juventude Nacional.

Apenas para citar algumas acções que têm causado e continuarão a causar impacto positivos, direta e indiretamente na juventude e que estão sendo desenvolvidas com o apoio e a parceria do PNUD, UNICEF e FNUAP, temos:

  1. Programa de Estágio – HABILITA-TE, onde estão 2 dezenas de jovens através de estágios e capacitação, permitindo o reforço das acções do Instituto da Juventude nos Centros de Interação Jovem e nas comunidades; brevemente teremos + 5 afetos a Caué e RAP.
  2. Projecto U-Report já em andamento lançado em São Tomé e Príncipe, à semelhança de mais de 70 países;
  3. Empoderamento das Raparigas – MPTF 2;
  4. Continuidade na melhoria, apetrecho e reabilitação dos Centros de Interação Jovem.
    1. Para breve teremos o lançamento da 1ª pedra para a reabilitação do Centro Regional de Interação Jovem – RAP e na fase seguinte, a reabilitação do Centro de Interação Jovem de Lembá – Neves.
  1. Temos aIniciativa intitulada “UM SORISO – UMA VIDA”, sob o lema “Oportunidades para uma Vida Saudável e Produtiva para Adolescentes e Jovens”. Uma iniciativa que visa operacionalizar um conjunto de acções com o objectivo de aumentar o nível de informações ligado às questões de Saúde Sexual e Reprodutiva;
  1. Programas de empreendedorismo: Nomeadamente, Empreendedorismo Social e o Programa Empreende Jovem: com formação, capacitação e subvenção de varias dezenas de jovens através das mais variadas iniciativas como (Soluções inovadoras para mitigação do impacto de COVID-19, Turismo 2.0, Start-ups e Muala+), gerando centenas de empregos diretos e indiretos.

Um programa que permitiu e tem permitido criar igualmente vários outros instrumentos de apoio e conexão dos jovens empreendedores, tais como: o Mapeamento das Empresas, Plataforma Digital, Guia do Empreendedor e Incubadoras de Empresas em São Tomé e na RAP.

Estas e outras acções estão enquadradas na execução do plano de acção da Juventude, aprovado pelo Governo no âmbito da também aprovada Estratégia Nacional de Política para a Juventude.

Excelências,

Ciente de que tudo não poderá ser implementado de uma só vez, estamos certos de que o caminho deve ser percorrido firmemente e com acções concretas como temos vindo a executar.

Para o efeito, os nossos parceiros têm sido fundamentais. Por isso, em nome pessoal e do Governo, os nossossinceros agradecimentos às agências do Sistemas das Nações Unidas.

Excelências,

Senhoras e Senhores

Este ano escolhemos para a comemoração desta data, o Lema: “Engajamento das Associações Juvenis para Acções Climáticas”. Um tema de dimensão global e de extrema importância, sobretudo para STP, duas ilhas que têm sofrido negativamente com os impactos das acções climáticas.

De recordar que os últimos dados de estudo efetuado no país deram conta da redução geográfica do território nacional, fruto deste mesmo impacto negativo causado sobretudo pelas interferências humanas.

Naturalmente, a juventude deve ser chamada a estar presente em todas as discussões a serem feitas, e sobretudo, tomar parte nas decisões que conduzirão ao alcance dos Objectivos do Desenvolvimento Sustentável, atendendo o ODS13 (Acção Climática), enquadrada na Agenda do Desenvolvimento 2030.

Numa intervenção em Madrid, Espanha, na Conferência das Nações Unidas sobre a Mudança Climática, 2019 a Jovem Ativista Greta Thunberg, Prémio Nobel da Paz 2020, afirmou que “o mundo está despertando” para o problema da mudança climática, logo, nós não poderemos ficar para trás.

Neste sentido, torna-se crucial a participação activa da juventude e das associações juvenis, enquanto actores principais nesta acção, de forma coordenada para mitigar e reverter os impactos negativos das acções climáticas.

De frisar que neste momento, está a decorrer o VI Congresso Internacional de Educação Ambiental dos Países e Comunidades de Língua Portuguesa em Cabo Verde,que conta com a participação de jovens santomenses, fruto do apoio da UNICEF e do PNUD, e tem como tema “OCEANO, LUSOFONIA e EDUCAÇÃO AMBIENTAL: CAMINHOS DE ESPERANÇA PARA UMA TRANSFORMAÇÃO SOCIO-ECOLÓGICA NA CPLP”,

Uma participação que permitirá aos jovens adquirirem experiências, facilitando assim a implementação de acções e políticas claras nesta temática no âmbito do plano de Acção da Juventude.

Excelências,

Caras e caros jovens,

O Presente e o Futuro de STP dependerão de cada um de nós, nossas ações, nossas atitudes, posicionamento e sobretudo, a capacidade de sermos resilientes nas diversidades e nas dificuldades do dia-a-dia.

Com este pensamento, quero reiterar uma vez mais a nossa inequívoca vontade e determinação em tudo fazermos para garantir que tenhamos uma juventude mais participativa e contributiva para a construção de uma nação cada vez mais forte, consolidada e comprometida com as acções que criam impacto positivono meio ambiente e no clima.

Para terminar, permita-me citar uma frase retirada de uma publicação de um jovem líder da associação juvenil de abrangência nacional, que dizia:

“São os jovens que praticam a mudança, r*Que dão o exemplo ao presente através dos seus ideais de futuro. É na juventude que qualquer nada vira razão, que todo pouco cresce até ao infinito da existência. Jovens, o melhor que o mundo tem!”Moisé Movais, Pr. Ass. Filhos de pescadores

É desta forma que termino, endereçando os agradecimentos especiaisaos parceiros do Sistema das Nações Unidas (UNICEF – Dra. Eva, Nova Representante, FNUAP e PNUD) que têm colaborado e apoiado a vários níveis, técnico e financeiro;

Aostécnicos e colaboradores do IJ, Direcção do empreendedorismo.

Uma palavra de apreço a CNJ e associações juvenis, parceiro neste ato central.

A todos uma vez mais muito obrigado.

E muito obrigado pela vossa atenção!

3 Comments

3 Comments

  1. STP

    5 de Novembro de 2021 at 21:11

    Parabéns Ministro Vinicio. É bom ver que abarca sempre distritos e RAP. No caso de RAP dou um conselho de quem quero ver você bem na careira política: todo e qualquer projeto que conseguir em vez de executar e implementar diretamente na RAP e depois ir lá dar satisfação aos dirigentes de Principe, é melhor envolver eles e transferir para autoridades de lá implementar. Depois combina para ir lá visitar e participar nos atos públicos. Essa coisa de ir lá fazer e depois entregar autoridades de la para gerir é violação da autonomia. Escuta mensagem de deputado pinheiro. Concelho de amigo pra teu sucesso. Sou de me-zochi mas gosto de príncipe também. Comprimento.

  2. Sem+assunto

    6 de Novembro de 2021 at 9:02

    Blá blá blá…no interim nada esta sendo feito, nada ira ser feito.
    Mais do que falar e planear, deve se selecionar e muito bem os executadores e acima de tudo ser leal, pois muito do que é dito não passa de basofias.
    O outro aspeto importante a ter em conta é o nosso estilo e padrão de vida que é notoriemente avesso ao progresso.
    Para dizer de que está terra não tem solução, digo o a assumo, doa a quem doer!

  3. Luiz Gamboa

    7 de Novembro de 2021 at 9:48

    Quem eu os meus megas apenas para saber quem perdeu tempo a escrever essas palavras descontextuadas com a realidade .Fogo, anda na rua a pé um dia para se inteirar da vida social. Acorda. Conselho para quem fez este discurso.

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado.

To Top