Política

Sindicato da Educação promete luta árdua com o Governo pelo reajuste salarial

A luta e árdua prometida por Gastão Ferreira(na foto em baixo ) na qualidade de líder do SINPRESTEP deverá eclodir nos próximos dias.

Após reunião na última semana com o Presidente da República Carlos Vila Nova, a direcção do sindicato dos professores e educadores de São Tomé e Príncipe (SINPRESTEP), disse que prometeu ao Chefe de Estado que a luta árdua com o governo vai marcar o primeiro trimestre de 2022.

«Prometemos ao PR da república que ainda neste primeiro trimestre vamos travar uma luta muito árdua com o ministério da educação quanto ao reajuste salarial. Saber do governo se o reajuste pega ou não pega, e também falar das condições de trabalho que são colocadas  a nossa disposição», afirmou Gastão Ferreira secretário-geral do SINPRESTEP.

Segundo o líder sindical, o Presidente da República manifestou-se bastante sensível aos problemas que enfermam a educação em São Tomé e Príncipe.

Gastão Ferreira fez uma radiografia degradante da educação no país. Disse que a situação socioeconómica dos professores «neste preciso momento é uma lástima». Garantiu ao Presidente da República que o «descontentamento é total», no seio da classe docente.

O líder sindical descreveu a situação dos professores reformados como sendo inaceitável. «A reforma dos professores não dá para viver uma semana. Professores reformados passam fome e estão em extrema pobreza», reclamou Gastão Ferreira.

Os professores e educadores de São Tomé e Príncipe anunciaram que pretendem envolver o Presidente da República num futuro debate nacional sobre a educação e a qualidade do ensino no país.

Note-se que os sectores da educação e da saúde são os responsáveis pelo maior número dos funcionários públicos, absorvem mais de 10 mil assalariados do Estado.

Abel Veiga

8 Comments

8 Comments

  1. Manuela Pedroso

    24 de Janeiro de 2022 at 8:50

    Onde está a promessa do Jorge Bom Jesus na campanha, de que iria resolver os problemas dos professores.
    O Homem que diz ser da educação, mal subiu ao poder está a resolver problemas dos seus militantes e não do povo
    O senhor Borboleta recebe milhares de dobras mensais na EMAE sem fazer nada. O senhor Vasco Guiva recebe todos os meses milhares de dobras na EMAE sem fazer nada. O senhor José Manuel Noronha recebe do Banco Central milhares de dobras sem fazer nada. O Senhor Dênde recebe milhares de dobras na ENAPORT sem fazer nada.
    Enquanto isso, os professores, o pessoal da saúde andam a chupar dedos, porque não fazem parte da equipa dos BUFOS do Governo. Os ministros e o 1º Ministro têm a bochecha quase a arrebentar de gorduras de boa vida.
    Vamos todos exigir melhores condições de vida
    Não é um favos.
    Foi o proprio primeiro Ministro que prometeu na campanha.

    • Paula

      24 de Janeiro de 2022 at 12:47

      Calate oh pinta cabra. Se fosse no tempo do pinta cabra, você não reclamava. O que tem salário dos outros a ver com o teu. Faz a tua luta. Deixa de inveja. Tu no fundo sabes que Dr Jorge bom jesus é um grande primeiro ministro, patriota, humilde, a contrário do teu chefe, pinta cabra. Vamos povo não esquecer que Dr Jorge bom jesus nos salvou da ditadura. Nem o atual pr de emae quer o ditador de pinta cabra.

  2. Josemar pedro

    24 de Janeiro de 2022 at 12:41

    Nunca vi um governo que tenha recebido tanto dinheiro como este governo recebeu. Estou a falar de apoios financeiros que o próprio governo andou a publicitar que recebeu, mesmo assim não fizeram nada para o povo.
    Estão a enriquecer a custa do povo com quase todos os dirigentes a comprarem casa em Portugal.
    Jorge bom Jesus é o maior malandro que já apareceu como primeiro ministro.
    Tudo é para camaradas. Até concursos públicos os partidos é que decidem quem deve ganhar.
    Isto tem que acabar.
    Estão a pisar sempre nas classes mais desfavorecidas e trabalhadora enquanto os dirigentes preguiçosos e bandidos continuam a roubar.
    Força sindicato. Estamos convosco.
    É uma questão de justiça social.

  3. Madiba

    24 de Janeiro de 2022 at 13:42

    Força. Pelos direitos dos trabalhadores, luta até o último fôlego!

  4. Santo

    24 de Janeiro de 2022 at 13:47

    Sindicato da Educação promete luta árdua com o Governo pelo reajuste salarial, esperemos que a luta seja sem tréguas, pra valer e fique na história. Não se admite um Sindicato dos intelectuais do saber, a recorrer a greve com instrumento legal para a reivindicação do seu pedido levanta greve sem consultar assembleia dos professores, sem conseguir a satisfação do ponto de aumento salarial, porque o secretário geral do sindicato está com medo de ameaças telefónicas que lhe faziam aquando da greve em 2015, com o XVI governo liderado por PT. Resultado é isso que estamos a colher agora. Forças e Saúde são sectores de administração Públicas melhor pagos e a é educação que lhes deu saber para serem hoje o que são. Agora, é tudo ou nada. Doa a quem doer.

  5. Gilberto Pedroso

    24 de Janeiro de 2022 at 15:29

    Oh Senhor Gastão qualquer coisa…..
    Ser líder sindical não é todos os dias bla-bla-bla…
    É apontar caminhos para solução dos problemas da classe. Exigir é muito bom e é um dever que assiste a todos, mas não acredito que és capaz de exigir ao tal senhor do Riboque seu pai que lhe compre um avião porque ele não tem como comprar para ti.
    Ou seja, deve-se exigir algo de alguem, quando se acha que o outro mpode atender seus pedidos e nesse caso particular, seus caprichos dito em hora impropria e em momento impróprio porque o Presidente da Rep+ublica não é executivo. O Presidente da República é o Presidente da República.
    Mas mais do que isso, favopr rever a forma como o senhor foi imprestativo na EMAE.
    Façamos uma analise introspectiva de nós antes de chamuscarias extemporaneas.

  6. Andorinha

    24 de Janeiro de 2022 at 16:09

    A Educação em S.tomé esta uma lástima,o Jorge bom Jesus na campanha eleitoral de 2018 fez um monte de promessas a classe docente e até agora não compriu nada a vida dos professores piorou e os alunos não estão a aprender nada escolas sem qualidade de ensino.

  7. Livre

    24 de Janeiro de 2022 at 16:55

    Mas uma coisa é certa: há muito business nas escolas. Muitos professores passam vida a conversar nos corredores, não preparam as aulas, falam português, em vez de português, falsificam notas, desconhecem a matéria que pretender ensinar, enfim, enfim. Muita falta de brio profissional!

    A qualidade dos alunos que estão aser formados é cada vez pior. Por isso….

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado.

To Top